Fundação Vanzolini

Quais os desafios das lideranças diante das novas configurações no mundo do trabalho?

O mundo que circunda as organizações é o mesmo que atravessa pandemias, crises sanitárias, econômicas e sociais. É também o mesmo mundo que passa por mudanças climáticas e guerras.

(mais…)

Soft skills são os traços de caráter e habilidades interpessoais que podem influenciar na maneira como uma pessoa interage com outras. Em um contexto profissional, este termo abrange uma série de aptidões que serão fundamentais para que o profissional trabalhe em equipe, gerencie o tempo e delegue tarefas, por exemplo.

(mais…)

Cada vez mais, as Soft Skills, ou competências comportamentais, são os principais requisitos em uma entrevista de emprego. Em alguns casos, elas já têm mais importância do que as competências técnicas para a posição disputada.

Com isso, este tema vem tendo grande destaque nas pautas de eventos corporativos. Um exemplo que podemos citar aconteceu no Fórum Econômico Mundial 2023, em que das 26 competências listadas para líderes do futuro, grande parte estão relacionadas às Soft Skills: como Liderança, Influência Social e Gestão de Pessoas.

Tendo em vista esse cenário, iremos abordar neste artigo como utilizar as competências comportamentais para um melhor gerenciamento de equipes. Boa leitura!

Liderança e Gestão de Pessoas

O que é Liderança?

A posição de um líder dentro de uma empresa é representada pelo profissional que lidará com o acompanhamento do clima organizacional. Possui um pensamento voltado para o futuro de cada colaborador, como também da empresa, onde sua maior responsabilidade é inspirar a todos e assim atingir os melhores resultados.

Existem variados estilos de liderança, sendo o melhor modo aquele que vai ao encontro das preferências do líder e os valores da empresa. Os estilos mais conhecidos são: Liderança Autocrática, Liderança Democrática, Liderança Assertiva, Liderança Motivacional e Liderança Técnica.

O que é Gestão de Pessoas?

Enquanto o líder planeja o futuro, o gestor dedica-se ao presente dos colaboradores. Está inserido no dia a dia da equipe, com o acompanhamento do fluxo de demandas.

Assim, é capaz de fornecer feedbacks, lidar com conflitos, entender as particularidades e características de cada profissional.

O Gestor de Pessoas está, inclusive, apto para identificar se na equipe há a necessidade de desenvolver habilidades ou competências em curto prazo. Para uma melhor desenvoltura na posição, é aconselhado o aperfeiçoamento de algumas Soft Skills, como a Inteligência Emocional.

Inteligência Emocional para Gestores

A capacidade de identificar, compreender e administrar emoções, tanto as próprias como as das outras pessoas, é chamada de Inteligência Emocional. Desenvolver essa habilidade é benéfico não somente do ponto de vista pessoal, mas também para ajudar o profissional no ambiente de trabalho.

Pessoas inteligentes emocionalmente tendem a propor soluções para problemas mais rapidamente, por conta de seu controle emocional e empatia.

Por isso, aprender como equilibrar as suas emoções inicia-se desde a compreensão do funcionamento de estruturas cerebrais durante o ciclo emocional até técnicas para lidar com as emoções do outro.

O processo de aperfeiçoamento da Inteligência Emocional passa por algumas etapas. Veja a seguir!

Autoconhecimento

O primeiro passo para atingir o sucesso à frente de uma equipe é desenvolver o autoconhecimento. É saber reconhecer os próprios sentimentos e emoções que vêm à tona em diferentes situações. Além de entender quais são os pontos fortes e as áreas comportamentais a serem desenvolvidas.

Gestores que carecem de autoconsciência tendem a enfrentar uma alta rotatividade de liderados, devido às más decisões e atitudes inconsequentes.

Para isso, pequenos exercícios, como fechar os olhos e analisar como se sente, por exemplo, quando alguém discorda da sua opinião durante uma reunião, ou qual a sensação antes de um feedback complicado, são pequenas atitudes que dão início à compreensão de como os sentimentos afetam o dia a dia de trabalho e as relações interpessoais com o time.

Autocontrole

Após o desenvolvimento do autoconhecimento, os gestores passam a enfrentar um novo desafio: entender como lidar com sentimentos negativos, como estresse, frustração e ansiedade.

Apesar dessas emoções já estarem presentes em seu dia a dia no trabalho anteriormente, nesse momento torna-se uma nova dificuldade. Agora eles têm consciência sobre os efeitos que seus comportamentos podem causar no ambiente corporativo.

Para também evoluir nesse quesito, primeiramente eles precisam identificar quais são as principais causas que ativam essas emoções, para no passo seguinte entender como controlá-las.

Assim, o autoconhecimento expandido previamente o ajudará a saber como gerenciar os sentimentos para que eles não afetem suas decisões e relacionamentos.

Empatia

Outro ponto a ser desenvolvido para uma gestão eficaz é o entendimento da perspectiva individual de cada membro da equipe. A empatia é o principal comportamento para a aplicação dessa característica.

Com ela, o líder poderá ir além de somente perceber as emoções, angústias e necessidades de seus liderados. Será capaz de se colocar no lugar do próximo e visualizar as situações a partir da ótica das outras pessoas.

Assim, terá uma relação mais harmoniosa tanto com seus subordinados, como também com colegas de outros times e seus superiores.

Comunicação Efetiva

As competências que listamos anteriormente estão bastante relacionadas à introspecção e análise das situações. Contudo, de nada adiantará entender o cenário e não conseguir se comunicar de forma eficiente com as pessoas.

Para uma comunicação efetiva, deve-se evitar que a mensagem compartilhada tenha algum tipo de ruído, como informações ambíguas e detalhes imprecisos, que possam gerar algum tipo de confusão na conversa.

Além disso, é importante sempre utilizar uma linguagem com tom e expressões adequadas ao ambiente e expressar as ideias e feedbacks de maneira clara e respeitosa.

Influência e Inspiração

Cultivar emoções positivas como bom humor, gratidão e otimismo podem influenciar e inspirar a equipe. Ter o domínio de seus próprios sentimentos trará ao líder uma nova habilidade de gestão. Saberá como ativar cada emoção no momento certo para motivar os colaboradores, promover um ambiente agradável, produtivo e em sinergia.

Quando a equipe se sente valorizada e motivada, dá o seu melhor e, assim, alcançar os objetivos corporativos torna-se uma missão mais simples.

Tomada de Decisão

Uma das grandes responsabilidades de um gestor é tomar algumas decisões que afetarão não só a ele, mas toda a equipe. Ao desenvolver a inteligência emocional, o líder tornará esses momentos menos desafiadores.

Será capaz de analisar com calma cada situação e, assim, sustentar um ponto de vista ético e equilibrado. Com isso, poderá amenizar o impacto que a sua escolha causará no bem-estar de todo o time.

Um estudo feito por pesquisadores da Universidade da Califórnia revelou que pessoas com alta inteligência emocional têm uma melhor habilidade em identificar as sensações de incerteza e ansiedade como sinais de perigo. Assim, suas escolhas evitam opções mais arriscadas para não despertar tais sentimentos.

Por outro lado, aqueles que possuem baixa inteligência emocional tendem a identificar essas respostas emocionais como uma forma de excitação ou euforia. Sendo, então, interpretados como sinais positivos. O que faz com que sejam mais impulsivos e escolham frequentemente essas situações.

Resolução de Conflitos

Gestores emocionalmente inteligentes tendem a lidar com conflitos de forma assertiva e eficaz. Buscam acalmar os ânimos dos envolvidos e ouvir atenciosamente cada uma das pessoas, em busca de uma solução rápida e benéfica para o time como um todo. Tendem a ter uma comunicação construtiva na mediação para que o incidente não contamine a boa relação entre os colaboradores.

Desenvolvimento Contínuo

Aprimorar os conhecimentos relacionados à Inteligência Emocional pode ser um processo doloroso ao despertar sensações que estavam adormecidas no meio da rotina.

Porém, com tudo o que vimos ao longo dos tópicos anteriores, fica claro que é um processo que trará muitos benefícios para o indivíduo e para o seu entorno.

Tornar-se uma pessoa inteligente emocionalmente é um processo longo e contínuo, visto que a sociedade passa constantemente por transformações comportamentais entre as gerações.

Além de potencializar a própria Inteligência Emocional, o papel de um excelente gestor é fomentar esses conhecimentos em sua equipe, por meio da implementação de treinamentos, workshops, cursos e sessões de coaching.

Exemplos de Líderes Inspiradores

Grandes empresas como Google e Johnson & Johnson são reconhecidas mundialmente por estimularem o desenvolvimento da Inteligência Emocional no ambiente de trabalho, ao implementarem efetivamente programas de treinamento e desenvolvimento para seus gestores.

Outro exemplo mais específico que podemos citar é o de Satya Nadella, CEO da Microsoft, que além de liderar a implementação de grandes projetos na empresa, também ficou conhecido por sua abordagem centrada nas pessoas e por criar um ambiente de trabalho diversificado, inclusivo e colaborativo.

Quais os benefícios da Inteligência Emocional no ambiente de trabalho?

De acordo com dados divulgados pela OMS, o Brasil tem a maior prevalência de ansiedade, com 9,3% da população sofrendo do transtorno. Em estudo divulgado pela Academy of Management Annals, 75% dos funcionários entrevistados relatam pelo menos um sintoma de uma doença mental.

Com isso, é possível entender que a Gestão de Pessoas vai além da supervisão e da implementação de pequenos auxílios ao colaborador. É necessário o desenvolvimento de uma liderança autoconsciente, que esteja preparada para construir um relacionamento saudável com suas equipes.

 

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

 

Conheça os cursos de Liderança e Gestão de Pessoas da Fundação Vanzolini.

Autoconhecimento, Liderança e Gestão de Pessoas
Inteligência Emocional: Como usar a razão para equilibrar a emoção
Introdução a Gestão de Equipes em Home Office
Liderança Assertiva: Um Estilo que Constrói Relações Maduras com Foco em Resultados
Liderança e Gestão de Pessoas
Liderança Feminina

ENTRE EM CONTATO

As soft skills, em muitos casos, já são consideradas mais importantes que as competências técnicas para posições disputadas no mercado. Aprenda práticas de inteligência emocional para ter autodomínio e autoconsciência e conheça maneiras para lidar melhor com o emocional das outras pessoas. Investir nas habilidades socioemocionais, ou soft skills, é fundamental para agregar valor à sua atuação.

Veja tudo o que você vai aprender:

 

Obs.:
A realização deste curso está condicionada ao número mínimo de matrículas.
As vagas estão sujeitas à capacidade máxima da turma.

Invista nas suas soft skills e saiba como desenvolver relações mais sustentáveis para alcançar melhores resultados com Negociação e Gestão de Conflitos. Você vai aprender a mapear e gerenciar conflitos, desmistificar o conceito de negociação, aprender o Método Harvard, além de estilos e de estratégias que vão potencializar sua liderança e as suas interações profissionais e pessoais.

Veja tudo o que você vai aprender:

Conheça quatro tipos de treinamento para empresas: descubra quais são, os benefícios e qual é o mais indicado para a sua equipe.

Investir em treinamentos para empresas é uma forma de capacitar colaboradores, melhorar a performance organizacional e manter-se competitivo no mercado. Para representar a importância da qualificação profissional, existe um ditado bem apropriado: camarão que dorme, a onda leva, ou seja, aqueles que não se atualizam, ficam para trás no âmbito profissional.

Aos que se recusam a “dormir” em serviço, destacamos quatro opções disponíveis de treinamento, seus benefícios e os cenários mais comuns de aplicação deles. Então, leia com atenção e descubra qual é o mais adequado para a sua empresa. Vamos lá?

Quatro tipos de treinamentos para empresas

1.    Treinamento de habilidades técnicas

Treinar as habilidades técnicas visa desenvolver habilidades específicas relacionadas ao trabalho, como o uso de softwares, técnicas de programação, operação de equipamentos, entre outros, a depender do setor e área da empresa.

Muitos cargos exigem curso superior ou técnico, o que, em tese, indica que o profissional possui as habilidades necessárias à ocupação. No entanto, a prática é um pouco diferente e necessita de capacitações específicas e adicionais.

Assim, o treinamento de habilidades técnicas complementa os conhecimentos prévios dos profissionais, além de aperfeiçoá-los.

Benefícios

Ajuda os funcionários a melhorarem sua eficiência e produtividade nas tarefas diárias, além de manter a empresa atualizada com as últimas tecnologias e práticas do mercado.

Além disso, investir em conhecimentos pontuais auxilia na atualização profissional, isso porque o mercado está em constante mudança, sendo preciso estar atento às tendências dos setores.

Cenários de aplicação

É especialmente útil em empresas que dependem fortemente de habilidades técnicas para realizar suas atividades, como empresas de tecnologia, engenharia, manufatura, design, etc.

Como já dito, a mudança é constante e, em alguns casos, bem rápida. No design, por exemplo, surgem novos movimentos, uma hora o minimalista, outra o maximalista, sem contar em novas ferramentas, enfim, estar atualizado torna-se indispensável nesse e em diversos contextos.

2.    Treinamento de desenvolvimento de liderança

Esse tipo de treinamento foca no desenvolvimento de habilidades de liderança, comunicação, gestão de equipe, resolução de conflitos, entre outras competências relacionadas à liderança.

Um líder contribui significativamente com o andamento dos projetos e das atividades da equipe, seja de forma positiva ou negativa. Para gerir uma equipe bem-sucedida, a liderança deve ser estratégica em todos os parâmetros, desde a comunicação até a postura e o modo de administrar.

Nesse caso, ser líder vai além de ocupar um cargo de chefia, pois se refere ao fato de exercê-lo com intencionalidade, a partir de métodos eficazes. 

Benefícios

Prepara os líderes atuais e futuros da empresa para lidar com os desafios do ambiente corporativo, promove um ambiente de trabalho mais colaborativo e inspirador, e também aumenta a retenção de talentos.

Assim como citamos, bons líderes podem ditar o sucesso de uma empresa. Nos casos em que a liderança não é assertiva, a instituição pode perder clientes e, às vezes, manchar sua imagem no mercado. Por outro lado, bons gestores podem colocá-las no caminho do sucesso.

Cenários de aplicação

É adequado para empresas que buscam desenvolver seus líderes internamente, melhorar a cultura organizacional e garantir uma sucessão eficaz de liderança.

Além disso, se a sua equipe está desmotivada, com dificuldade de seguir ordens, criando frequentes conflitos, não tem alcançado as metas propostas, ou até mesmo tem um alto índice de evasão, você possivelmente está precisando — e muito — de um treinamento de liderança. Pense nisso! 

3.    Treinamento em novas tecnologias e ferramentas

Hoje em dia, a maioria dos processos das empresas são feitas por meios tecnológicos, no entanto, se nem todo mundo consegue dominar programas considerados “simples”, como o Excel e o Microsoft Word, imagine os mais avançados!

Por esse motivo, os treinamentos para empresas devem incluir a capacitação em novas tecnologias e ferramentas, para garantir aos seus funcionários a aptidão para usá-las com eficiência.

Os gestores não podem pensar que todos os seus funcionários estão no mesmo nível de entendimento tecnológico, devido a fatores como idade e especialização. Por isso, esses treinamentos são, além de necessários, proveitosos.

Benefícios

A capacitação para lidar com ferramentas e tecnologias emergentes é um dos principais benefícios, afinal, esse cenário vive de atualizações, sendo indispensável adaptar-se às mudanças. Como resultado, a equipe aumenta a eficiência e a qualidade do trabalho.

Cenários de aplicação

Quando a empresa introduz novos softwares ou sistemas, a capacitação é obrigatória, caso contrário, eles não serão utilizados corretamente. Outro cenário importante diz respeito à atualização de habilidades para acompanhar o avanço tecnológico, quando a instituição não quer ficar para trás em seu setor.

4.    Treinamento comportamental

Nossa primeira dica de treinamento corporativo estava relacionada às habilidades técnicas, porém as habilidades comportamentais, conhecidas como soft skills, são igualmente fundamentais.

A partir das capacitações dessa área, os profissionais desenvolvem competências pessoais e interpessoais como: oratória, comunicação, inteligência emocional, gestão de tempo, produtividade, trabalho em equipe e tantas outras muito importantes no meio empresarial.

Benefícios

O desenvolvimento de habilidades interpessoais é primordial em qualquer área do mercado de trabalho, afinal a rotina empresarial não significa somente ligar um computador e realizar atividades.

Pelo contrário, para realizá-las efetivamente, são necessários requisitos como: promoção de uma cultura organizacional saudável e inclusiva, motivação e engajamento dos colaboradores, redução de conflitos e melhoria do clima organizacional, boa comunicação, produtividade, etc. Ou seja, tudo o que o treinamento comportamental oferece.

Cenários de aplicação

O treinamento de soft skills faz-se necessário em determinados contextos, principalmente quando há necessidade de melhorar a comunicação entre equipes ou departamentos, na integração de novos funcionários à cultura da empresa e em abordagem de questões específicas, como liderança, resolução de conflitos ou feedback construtivo.

Cada um dos treinamentos para empresas citados são excelentes investimentos, principalmente por criarem um ambiente organizacional propenso a aproveitar, de cada funcionário, suas maiores qualidades profissionais e interpessoais.

Quanto à escolha dos tipos de capacitações, vale realizar uma avaliação diagnóstica e perceber quais os pontos críticos da organização. Mas, independentemente de qual for o escolhido, indicamos a modalidade Cursos in Company como sendo a melhor em todos os casos.

[espaçamento]

Para saber sobre os cursos, clique no link em destaque e treine sua equipe de forma exclusiva e personalizada, com cursos voltados conforme as necessidades específicas da sua organização.

ENTRE EM CONTATO

Até o próximo!

Fontes:

rhopen.com.br/5-tipos-de-treinamentos-para-empresas-e-como-aplica-los/#5_Treinamento_comportamental

blog-forbusiness.vagas.com.br/tipos-de-treinamento-e-desenvolvimento/

Cinco ações para colocar em prática a resolução de conflitos na empresa: veja como agir para alcançar os resultados esperados

Quando o assunto é liderança, muito se fala em postura, em resolução de problemas, em saber lidar com pressão, além da capacidade de desenvolver bons profissionais. Mas, a resolução de conflitos na empresa é essencial, assim como as questões citadas.

Quantas vezes você já presenciou situações de conflito entre colaboradores? Infelizmente, as divergências acontecem, mas há como evitá-las e, principalmente, existem maneiras de contorná-las da melhor forma. Caso contrário, elas podem virar um problema sério e prejudicar o funcionamento da empresa.

Pensando nisso, preparamos um artigo com as cinco melhores estratégias de mediação de conflitos, e mais quatro bônus ao final! Vamos lá?

Conheça as cinco melhores estratégias de resolução de conflitos na empresa

1. Identificar as raízes do conflito

Desentendimentos podem, sim, acontecer. No entanto, eles não surgem de uma hora para a outra, e caso suas motivações não sejam resolvidas, soluções pontuais não adiantam.

Um exemplo: funcionários entraram em conflito pelo atraso da entrega de um trabalho. Ao fim do dia, o problema foi resolvido – após a entrega. Porém, apesar de resolvido, deve-se entender o motivo da demora, caso contrário, esse desentendimento será recorrente.

Assim, é fundamental entender os fatores que contribuíram para a ocorrência dos conflitos. Por parte da liderança, deve-se tomar certas atitudes, mas, principalmente, investigar todas as partes envolvidas. Como? Perguntando, em particular, sobre os acontecimentos, suas causas, os interesses das partes e as emoções que estão em jogo.

2. Praticar a neutralidade e a imparcialidade

Ao identificar as raízes do conflito, os mediadores devem tomar uma postura neutra e imparcial sempre. Na verdade, essas características são obrigatórias em um mediador justo e eficaz.

Por isso, os líderes nunca devem tomar partido antes de estar a par do ocorrido, e, após saber dos acontecimentos, devem tomar decisões baseadas no melhor funcionamento das atividades, jamais agindo em favor de um funcionário em detrimento do outro.

A empresa e os negócios devem ser prioridade, e colocar questões pessoais em pauta só irá fazer com que os desentendimentos aumentem. A neutralidade, então, garante que todas as partes se sintam ouvidas, respeitadas e tratadas de maneira justa.

3. Realizar a comunicação eficaz

Muitas discórdias poderiam ter sido resolvidas, em casos nos quais o problema foi a mera falta de comunicação. Uma simples falta de “por favor” e “obrigado” pode gerar más interpretações por parte do ouvinte, e também causar conflitos desnecessários e prejudiciais.

Esse foi um exemplo simples, mas que mostra como a comunicação eficaz — uma tendência em Gestão de Pessoas — desempenha um papel importantíssimo na resolução de conflitos. Resumindo, os líderes devem criar uma atmosfera propícia, na qual os envolvidos sintam-se confortáveis para falar e serem ouvidos, além de terem suas opiniões consideradas.

Como cada indivíduo tem uma forma única de se comunicar, a comunicação efetiva não é uma tarefa fácil, porém, pode-se adotar algumas estratégias, como:

4. Explorar soluções criativas

Outra característica fundamental da resolução de conflitos na empresa é a capacidade de encontrar diversas — e rápidas — soluções para os desentendimentos. Afinal, nem sempre a solução mais óbvia ou mais fácil são as mais adequadas.

Imagina se os gestores resolvem retirar a geladeira do escritório, porque a principal reclamação é o “extravio” de alimentos de dentro dela? Essa com certeza não é uma solução correta e, no caso, o líder deve abordar opções melhores para todos.

Para isso, os mediadores podem incentivar as partes envolvidas a explorar uma variedade de opções para resolver suas diferenças, sempre incluindo soluções que atendam às necessidades e interesses de todas as partes.

Gostaria de saber quais são as outras principais competências de um líder? Leia: Habilidades de liderança: treinamento e desenvolvimento.

5. Construir um consenso e alinhar interesses e objetivos

Os mediadores auxiliam as partes a identificarem áreas de convergência e a trabalharem juntas para encontrar soluções que atendam aos interesses e objetivos de todos os envolvidos. Isso envolve a facilitação do processo de negociação e construção de consenso em torno de um acordo final.

Por fim, deve-se pensar em qual é o objetivo da mediação, isto é, que ela serve para chegar a um acordo que seja mutuamente aceitável para todas as partes envolvidas, certo?

Nesse contexto, os mediadores devem encontrar pontos de interesses em comum entre as partes e, assim, as soluções atendam a todos em igual. Objetivos mútuos com certeza facilitam o processo de negociação e construção de consenso até o almejado acordo final.

Quatro cursos para aprender a teoria da liderança eficiente e colocá-la em prática

1. Negociação e Gestão de Conflitos

Neste artigo, você pode perceber o quão importante é saber lidar com conflitos. Por ser algo às vezes complexo, afinal, estamos lidando com a natureza humana, capacitações são sempre bem-vindas.

Em nosso curso, você aprenderá a mapear e gerenciar conflitos, desmistificar o conceito de negociação, aprender o Método Harvard, além de estilos e estratégias que vão potencializar sua liderança e as suas interações profissionais e pessoais.

2. Liderança Assertiva

Como líder, você deve sempre pensar à frente! Portanto, uma formação com foco na liderança assertiva irá poupá-lo de erros e possíveis obstáculos, e também irá colocá-lo diretamente no caminho do destaque profissional.

O curso oferece os recursos fundamentais para um bom líder, desde uma comunicação clara e objetiva, além dos conhecimentos para criar um ambiente favorável ao sucesso.

3. Storytelling e Técnicas em Oratória

Não há como abordar a resolução de conflitos sem abordar práticas de oratória, pois essa habilidade será responsável por uma comunicação eficiente, responsável pela transmissão de sua mensagem de maneira atrativa.

Além disso, o storytelling consegue realizar essa transmissão de forma encantadora, atraente, que retém os ouvintes.

4. Inteligência Emocional

Aprender a ter domínio de suas próprias emoções para lidar melhor com elas, bem como com a das pessoas ao seu redor, tornou-se uma habilidade indispensável.

Investir em cursos de inteligência emocional para aprimorar as habilidades socioemocionais, as tão faladas soft skills, é fundamental para agregar valor à sua atuação como líder. Pois, gerenciar pessoas também diz respeito a lidar com suas emoções.

Com tudo o que aprendeu até aqui sobre resolução de conflitos na empresa, agora poderá direcionar seus esforços para abordar as questões fundamentais e encontrar soluções duradouras, voltadas às necessidades da sua equipe!

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

Conheça os cursos de Gestão de Pessoas da Fundação Vanzolini.

ENTRE EM CONTATO

Fontes:

eventosrh.com.br/blog/gestao-de-conflitos-5-estrategias-para-gerenciar-conflitos-na-equipe/

amcham.com.br/blog/tendencias-lideranca

linkedin.com/pulse/  

A área de Gestão de Projetos passou por mudanças significativas nos últimos anos. Devido ao desenvolvimento de novas tecnologias e a rapidez no compartilhamento de dados alcançados pela globalização, o planejamento e a execução de estratégias corporativas se tornaram mais dinâmicos. 

Assim, o mercado de trabalho começou a perceber que abordagens tradicionais de gestão de projetos nem sempre atingiam a eficácia necessária, por serem rígidas e bem definidas, não acompanhando a flexibilidade necessária em determinadas situações do atual cenário. 

O resultado da insistência na utilização de métodos tradicionais, quando não aplicáveis, é bem crítico, como atrasos nas entregas, despesas adicionais e até produtos fora de conformidade com as necessidades ou expectativas dos clientes. 

Atualmente, temos uma abordagem mais flexível e dinâmica, a Agilidade ou Agile. Uma inovadora metodologia de gestão, em consonância com o comportamento da sociedade. 

Hoje, a demanda por gerentes de projeto ágeis está aumentando rapidamente, oferecendo amplas oportunidades de crescimento profissional, em um campo dinâmico e em constante evolução. 

Veja, a seguir, as projeções e expectativas do mercado de trabalho para os próximos anos, além de conhecer diferentes cargos de atuação para investir seus conhecimentos!

O que faz um Gestor de Projetos?

Os gerentes de projetos são agentes de mudanças que precisam inspirar um sentimento de propósito nas pessoas, de acordo com o PMI (Project Management Institute) – uma das maiores e mais reconhecidas associações para profissionais de gerenciamento de projetos no mundo. 

Esses profissionais são responsáveis pelo acompanhamento de demandas específicas ou contínuas, do começo ao fim. Possuem um comportamento estratégico, organizando o planejamento e certificando-se de que todas as partes envolvidas estão executando suas ações, para que no final os objetivos estabelecidos sejam alcançados dentro do prazo, escopo e orçamento definidos.

Um Gestor de Projetos Ágil tem como base o PMBOK® (Project Management Body of Knowledge), um guia que descreve práticas recomendadas, diretrizes aceitas e até terminologias padronizadas no setor de gestão de projetos. 

O profissional atua diretamente com equipes multidisciplinares e multifuncionais, onde este contato refletirá em uma visão macro para gerenciar recursos. Sendo capaz de tomar boas decisões para eventuais falhas ou alterações de processo que demandem adaptações. 

Atualmente, a Gestão de Projetos é vista como uma das principais profissões do futuro, sendo suas habilidades cada vez mais valiosas, em um mercado onde as empresas precisam ser flexíveis, mantendo a eficiência para sobreviver.

Gestor de Projetos: um profissional altamente requisitado

Conforme citamos anteriormente, as empresas têm visto a posição como imprescindível para a sobrevivência organizacional. 

Por isso, conforme os dados do estudo “Talent Gap: Ten-Year Employment Trends, Costs and Global Implications”, publicado pelo Project Management Institute (PMI) em 2021, 2,3 milhões de pessoas serão necessárias, por ano, para preencher posições de gestão de projetos que são esperadas para abrir até 2030, o equivalente à 25 milhões de novos profissionais em 10 anos. 

Ainda de acordo com o Instituto, até 2027 o mundo contará com 87,7 milhões de profissionais trabalhando com gestão de projetos, uma crescente de 33% da área.

Em um mercado com números tão altos de profissionais atuantes, você pode estar se perguntando se ainda há espaço para novos talentos. A resposta é sim! 

Tendo um cenário econômico global turbulento, com empresas alcançando crescimentos abaixo do projetado, o Gestor de Projetos é visto como uma alternativa para evitar maiores perdas nas empresas. Para, assim, manterem o seu espaço no mercado e continuarem competitivas em relação à concorrência.

Além disso, com o aumento das metodologias ágeis, os gerentes de projeto não estão mais limitados a indústrias como construção e manufatura. Segundo informações divulgadas no relatório “Tendências Globais de Emprego – Gestão de Projetos 2023”, realizado pelo PMI, confira os principais setores em ascensão no mundo, os locais com maiores demandas para Gestores de Projetos:

Outro ponto que podemos destacar é que os Gestores de Projetos estão conquistando ótimas remunerações, por conta da alta demanda de vagas e a baixa oferta de profissionais qualificados. 

Dessa forma, a capacitação e desenvolvimento contínuo de conhecimento têm sido importantes para o setor. Segundo a pesquisa realizada pelo PMI sobre salários, profissionais que têm o certificado de PMP® (Project Management Professional) do PMI ganham 16% a mais, em comparação com aqueles que não têm.

As carreiras que um Gestor de Projetos pode seguir

Agile Scrum Master

O Scrum Master é o responsável por gerenciar o projeto de acordo com a metodologia Scrum. 

Sua função é garantir que todos da equipe estão seguindo os padrões ágeis em suas tarefas, que os processos estão atendendo aos objetivos definidos, de acordo com cada uma das partes (ex. clientes, empresa, funcionários) e que cada membro do time entenda suas responsabilidades dentro do todo. 

Costuma ser um profissional com ótima comunicação, visão analítica, escuta ativa, facilitador e agente de mudanças.  

Product Owner

O Product Owner é conhecido como “a voz do cliente” dentro do time. É responsável por transformar ideias em produtos tangíveis e, posteriormente, garantir a qualidade nas entregas, de acordo com o que foi definido para o projeto. 

Em sua rotina de gestão, utiliza o Scrum para organizar as demandas e obter o melhor resultado possível, com o menor tempo e custo. 

Além disso, é responsável por administrar o Product Backlog, o local onde novas funcionalidades, bugs ou melhorias são listadas e priorizadas, conforme a importância da função para os usuários, o tempo de desenvolvimento e outras dependências.

Agile Coach

O Agile Coach tem a responsabilidade de otimizar processos e agilizar a melhoria dos produtos em desenvolvimento, pensando no que, de fato, vai ao encontro dos objetivos e necessidades do cliente. 

Sua atuação independe do tamanho do time ou do segmento da organização. Contudo, apesar de sua função parecer similar à do Scrum Master, seu papel não está atrelado ao Scrum e a nenhum outro framework

O Agile Coach reúne conhecimento de diversas metodologias e frameworks. Dentre suas principais responsabilidades estão a organização de prazos, estimativas e previsões, o apoio às pessoas que se encontram em cargos de liderança e o acompanhamento completo de todos, para que o progresso da equipe e ou empresa seja contínuo, seguindo um fluxo de trabalho sem interrupções de projeto. 

Tendo habilidades tão amplas e importantes, o profissional desempenha um papel de coaching, prestando consultoria com análise de toda a empresa, para entregar treinamentos que ensinem a organização na aderência de práticas ágeis.

Soft Skills essenciais para um Gestor de Projetos

Além do conhecimento técnico sobre a gestão de um projeto (iniciação, planejamento, execução, monitoramento e controle e encerramento) e também sobre processos ágeis, o Gestor de Projetos deve desenvolver algumas habilidades comportamentais, ou soft skills, para um maior êxito em suas interações.

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

ENTRE EM CONTATO

Até o próximo! 

Cursos da Fundação Vanzolini

Ambiente educacional enriquecedor, com ensino de alta performance, capaz de levar profissionais a resultados cada vez melhores.

O portfólio de cursos oferecidos pela Fundação Vanzolini dispõe de uma diversidade temática capaz de atender às necessidades emergentes no mercado, além de apoiar as pessoas em suas jornadas de desenvolvimento, impulsionando-as às melhores oportunidades.

Parte dos cursos está ancorada nas disciplinas de Engenharia de Produção, core da Fundação Vanzolini, mas há também opções voltadas a Novas Tecnologias, Gestão de Pessoas, Cibersegurança e outras temáticas alinhadas às demandas de um mundo em constante mudança.

Seis áreas para a expansão do conhecimento

Habilidades interpessoais, comunicação, produtividade, liderança e resolução de conflitos.

Planejamento, execução e entrega de projetos de forma eficaz, utilizando as melhores metodologias. Aplica-se a projetos tradicionais, ágeis e híbridos.

Prepara equipes para as demandas do mercado e as melhores práticas de conduta.

Novas tecnologias para atuação no mercado, com eficiência e competitividade.

Para aumentar a eficiência operacional, reduzir custos, melhorar a qualidade e aprimorar as habilidades dos colaboradores.

Para desenvolver práticas inovadoras e transformar ideias em negócios de sucesso.

Diferentes modalidades e formatos de cursos

Para promover um impacto positivo na formação de profissionais em todo o Brasil, os cursos estão disponíveis nas modalidades EaD ao vivo, EaD gravado e, em alguns casos, de forma presencial. Podem ser de curta, média ou longa duração, atendendo às necessidades específicas de cada etapa da carreira profissional.

Para quem precisa de flexibilidade de horário e quer ampliar seu repertório de conhecimento nas seis áreas, a opção ideal é uma assinatura da Vanzolini Play, para se ter acesso a mais de 200 horas de conteúdos gravados e diversificados.

Corpo docente

O corpo docente responsável pelos cursos da Fundação Vanzolini é composto por mais de cem professores e professoras de excelência e reconhecimento nacional e internacional.

Boa parte desse grupo é formado por professores e professoras do Departamento de Engenharia de Produção da Poli-USP,  origem dos professores que criaram e fazem a gestão da Fundação, o que confere qualidade USP ao ensino da Vanzolini . 

Para garantir um ensino de alta performance para seus alunos e alunas, a Fundação Vanzolini investe na capacitação de seu corpo docente, visando aprimorar suas habilidades pedagógicas.

Vanzolini Play: qualificação com excelência a um clique

Com foco em promover educação de  excelência com ainda mais dinamismo, surgiu a Vanzolini Play, a plataforma de streaming da Fundação Vanzolini. A assinatura permite que cada pessoa acesse conteúdos exclusivos para aprender com flexibilidade e ritmo próprio, de acordo com seu momento e objetivo profissional.

Além disso, a Vanzolini Play é uma excelente solução para educação corporativa, oferecendo cursos no formato microlearning, para um aprendizado direcionado e de rápido impacto na atuação profissional.

Vanzolini in Company: soluções para o desenvolvimento contínuo de colaboradores

Se a sua empresa quer investir em qualificação, saiba que todos os cursos da Fundação Vanzolini estão disponíveis no formato In Company, apresentados de forma customizada, considerando os desafios particulares do negócio e das equipes. 

Nossos cursos foram desenvolvidos para atender às exigências do ambiente empresarial, proporcionando soluções eficazes, com o intuito de aprimorar o desempenho e a eficiência dos profissionais. 

Os cursos In Company da Fundação Vanzolini são sob medida e têm o compromisso de manter um padrão de excelência em cada área.

Webinars

Como forma de integrar alunos, professores, comunidade científica e sociedade, a Fundação Vanzolini  também promove webinars, seminários, encontros e debates gratuitos, transmitidos pelo seu canal do Youtube.

Pesquisadores e professores da instituição são convidados a falar sobre temas que envolvem a gestão de processos produtivos, inovação, tecnologia e soluções que impactam as relações sociais e a vida nas cidades.

O principal ativo de uma organização são as pessoas. Por isso, cada vez mais as empresas têm investido em culturas corporativas que estimulem o bem-estar de seus funcionários. Segundo um estudo feito pela Universidade da Califórnia, um colaborador feliz é, em média, 31% mais produtivo, três vezes mais criativo e vende 37% mais, em comparação com os demais.

Para obter resultados como estes, a liderança carrega um papel extremamente importante: a inspiração de suas equipes. A chance de um funcionário se comprometer com uma liderança inspiracional é de 73%, mas, sem isso, cai para 9%, aponta pesquisa da Gallup (empresa de pesquisa norte-americana).

Como vimos, a responsabilidade de um líder vai além do gerenciamento de tarefas e processos, ou da administração das pessoas. Embora estas estejam no seu escopo de funções, a habilidade de inspirar suas equipes o torna capaz de atingir resultados ainda melhores. Veja a seguir como desenvolver uma Liderança Inspiradora!

Características de um Líder Inspirador

Um líder inspirador é capaz de motivar e influenciar positivamente sua equipe. Carrega em seu discurso e atitudes um propósito ou ideal, que é capaz de incentivá-las a usar o máximo de suas capacidades para superar os desafios e atingir os objetivos. As particularidades desse perfil de liderança podem ser desenvolvidas. Então, para te ajudar nesse processo, elencamos as principais características necessárias para a Liderança Inspiradora.

Compromisso

O primeiro passo para inspirar uma equipe é ter valores éticos e a cultura organizacional muito bem definidos. É preciso estar muito claro para o líder quais são os seus objetivos e quais ações são necessárias para atingi-los. Assim, é possível dividir as responsabilidades com cada membro da equipe. Além disso, o líder deve ser um exemplo a ser seguido. Seu comprometimento precisa transparecer por meio das próprias atitudes.

Empatia

A capacidade de se colocar no lugar do outro, reconhecendo suas necessidades, limitações e capacidades é essencial para a construção de uma liderança humana e próxima. As pessoas tendem a se sentir motivadas a trabalhar, quando se sentem compreendidas.

Confiança

Esse aspecto possui dois benefícios: a confiança em si mesmo e a confiança na equipe. A autoconfiança em suas decisões trará ao líder uma posição de credibilidade, o que, por consequência, refletirá na disposição da equipe em ser liderada por aquela pessoa. Construindo, assim, um relacionamento muito mais efetivo. O outro ponto está na confiança do líder em delegar as responsabilidades aos seus subordinados, sem construir entraves no processo, em uma tentativa de maior controle. Quando há uma confiança mútua na equipe, o engajamento tende a ser maior em direção aos objetivos traçados no início.

Comunicação

No entanto, a principal habilidade para colocar todas as outras características em prática é ter uma boa comunicação. É necessário saber como passar as ideias, ordens e tarefas sem criar ruídos e sentimentos equivocados. Quando o funcionário entende seu propósito, se sente valorizado, pertencente e confiante, ele sente que vale a pena dedicar-se ao máximo no trabalho.

Benefícios da Liderança Inspiradora para a empresa

O reflexo positivo para os funcionários são inúmeros e, acredite, para a empresa também. Confira a seguir:

2 exemplos de Líderes Inspiradores

Luiza Trajano

Presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza, Luiza Trajano é filha de uma das fundadoras do império varejista. Ainda enquanto era apenas uma pequena loja no interior de São Paulo, Luiza trabalhou em diversos cargos e pode aprender tudo sobre a essência da marca. Enquanto liderança, foi responsável pelo reposicionamento de marca até chegar na Magalu que conhecemos hoje. Assumiu uma postura de líder inspiradora. Sua trajetória proporcionou o desenvolvimento de uma comunicação aberta e empática, tanto com os clientes como com os trabalhadores. Valorizando o aprendizado, envolvimento e motivação de todos.

Bill Gates

Fundador da Microsoft, podemos dizer que o Bill Gates é uma inspiração de liderança não somente por esse grande feito. Ele dedica boa parte do seu tempo e dos seus esforços a projetos filantrópicos, sobretudo pautados em questões como saúde, educação e sustentabilidade. Essa atitude faz com que ele seja uma inspiração para seus liderados por meio do exemplo. Segundo o empresário, o sucesso vem por oferecer as ferramentas adequadas e também por proporcionar um ambiente em que as pessoas se orgulhem de fazer parte.

O impacto duradouro da Liderança Inspiradora

Ser um líder inspirador vai além de ter uma equipe produtiva ou proporcionar uma rotina de tarefas organizada. Suas atitudes refletem no ambiente de trabalho e, por consequência, no bem-estar pessoal de cada uma das pessoas. Quando pensamos em estratégias a longo prazo para administração das empresas, investir em cultura organizacional é a melhor opção, assim, incentivar a Liderança Inspiradora faz parte do caminho para o sucesso. Quando os líderes abraçam a missão de inspirar, desbloqueiam o potencial máximo dos colaboradores, tornando-os mais produtivos, criativos e comprometidos. Esses líderes não apenas alcançam metas, como também deixam um legado de positividade, crescimento e desenvolvimento.

Capacitação para Líderes

Para colocar em prática tudo o que apresentamos anteriormente, é preciso investir no treinamento e desenvolvimento dessa mentalidade. Cursos de Autoconhecimento e também de Liderança e Gestão de Pessoas são ótimas alternativas para iniciar o processo de transformação organizacional. Além disso, os Treinamentos In Company são ideais para as empresas que desejam um conteúdo personalizado ao seu dia a dia, levando em conta os desafios da própria equipe.

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar sua carreira.

Conheça os cursos de Liderança e Soft Skills da Fundação Vanzolini.

Autoconhecimento, Liderança e Gestão de Pessoas

Inteligência Emocional: Como usar a razão para equilibrar a emoção

Liderança Assertiva: Um Estilo que Constrói Relações Maduras com Foco em Resultados

Liderança e Gestão de Pessoas

Liderança Eficaz em Negócios Digitais

Liderança Feminina

ENTRE EM CONTATO