Fundação Vanzolini

Dinâmico, o mundo do trabalho muda com os verbos conjugados no gerúndio, se reinventando e se refazendo, de acordo com as transformações sociais, econômicas e tecnológicas.

Assim, a gestão de pessoas e a liderança dentro das organizações também precisa acompanhar as mudanças e estar alinhada às novas demandas que surgem no mesmo dinamismo e gerúndio.

Por isso, manter-se atualizado ou atualizada sobre as principais tendências de gestão de pessoas e lideranças é atuar no presente, na construção de equipes do futuro, permitindo que novos horizontes sejam desenhados – sempre em movimento.

Mas quais são as tendências em gestão de pessoas para um futuro que já começou? Neste artigo, selecionamos seis principais ações e características. Acompanhe a leitura e esteja preparado!

Liderança consciente e adhocracia, dois novos conceitos em gestão de pessoas

Para iniciar, vamos compartilhar dois conceitos que estão relacionados aos novos modelos de gestão e liderança: liderança consciente e adhocracia.

Esses termos podem nos ajudar a compreender melhor quais as necessidades do mundo do trabalho hoje e também os caminhos pelos quais podemos traçar modelos mais próximos da realidade e dos anseios atuais. 

O primeiro deles é o conceito de liderança consciente e está ligada à criação de um ambiente de trabalho saudável e inclusivo, no qual seja possível promover o bem-estar das pessoas colaboradoras e melhorar o desempenho financeiro da organização.

Desse modo, podemos entender a liderança consciente como um estilo de gestão de pessoas que se concentra na consciência plena, na atenção presente, no olhar atento para o outro, na compaixão e na autenticidade como fundamentos para o sucesso organizacional e pessoal.

Ou seja, para além de metas financeiras, de performance ou em resultados tangíveis, a liderança consciente visa gerar bem-estar, satisfação pessoal e saúde mental, além de promover ações que incluam impacto socioambiental positivo nas empresas.

Já o segundo conceito, adhocracia, vem da junção do “ad hoc” (do latim, que significa “para esta finalidade”) com o sufixo grego “cracia” (do grego, poder ou governo) e pode ser entendido como “governo para uma finalidade específica”.

Sendo assim, esse modelo propõe uma gestão com uma hierarquia menos rígida, com a presença de times multidisciplinares, com autonomia e “poder” para tomar decisões rápidas, sempre com foco em atingir objetivos específicos.

Dessa forma, em cada time, cada pessoa possui responsabilidades claras, mas também a liberdade para contribuir com ideias e soluções. Diante de processos burocráticos reduzidos e maior flexibilidade, há maior agilidade na tomada de decisões e as informações ganham mais fluidez, de maneira direta, estimulando a criatividade e a inovação.

Portanto, como veremos a seguir, esses dois conceitos compartilhados aqui carregam muito das tendências em gestão e liderança que se espera – e que são necessárias – para a construção de equipes mais engajadas, dispostas, produtivas e felizes.

Confira, a seguir, as seis principais tendências em gestão de pessoas e liderança e faça do presente uma ótima oportunidade de transformação:

Seis principais tendências em gestão de pessoas e liderança para times do futuro

1. Liderança ágil

Para uma liderança versão 2024 e além, a abordagem ágil na gestão, originada no desenvolvimento de software, precisa estar presente. Por meio das ferramentas e recursos modernos, liderança e equipes têm a capacidade de adaptar-se rapidamente às estratégias e responder de forma flexível às mudanças no ambiente de trabalho. Tudo acompanhado de perto com a velocidade necessária em tempos digitais.

2. Diversidade e inclusão

Não há como pensar em gestão e liderança nos dias de hoje sem pensar em diversidade e inclusão. É fundamental que líderes tenham consciência da importância de contar com vozes diversas em seu time, e façam com que cada pessoa se sinta parte e incluída.

Vale destacar, ainda, que diversidade e inclusão vão além de questões de gênero e etnia, pois envolvem também uma pluralidade etária, cognitiva e de habilidades.

3. Tecnologia na gestão de pessoas

Tecnologia como aliada das lideranças. Ferramentas tecnológicas, como softwares de gestão de desempenho, análise de dados e inteligência artificial, são cada vez mais bem-vindas para otimizar processos e tomar decisões com mais embasamento no dia a dia da gestão de pessoas.

4. Bem-estar e saúde mental

Como falamos no início deste artigo, o bem-estar das pessoas e a atenção à saúde mental são metas e prioridades no mundo do trabalho atual. Líderes verdadeiramente envolvidos com as novas demandas devem praticar ações capazes de gerar um ambiente de trabalho mais saudável, seguro e equilibrado.

Nesse sentido, habilidades humanas são essenciais: escuta ativa, gentileza, consciência de gênero, de raça e de classe são fundamentais. Além disso, um líder consciente é capaz de demonstrar suas próprias fragilidades e vulnerabilidades e se colocar mais próximo de seu time.

5. Liderança remota

Saber liderar e gerir à distância, ter confiança e saber dar autonomia. Com o aumento do trabalho remoto, é essencial que a gestão de pessoas ocorra por meio de uma comunicação assertiva, com uma gestão do tempo inteligente e manutenção do engajamento da equipe.

6. Desenvolvimento de habilidades do futuro

Envolver e investir no aprendizado tecnológico dos profissionais é garantir melhor aproveitamento e uso das inovações.

Com o rápido avanço tecnológico, os líderes precisam oferecer condições de desenvolvimento aos seus liderados, investindo em programas de aprendizado e formações, para garantir que suas equipes estejam prontas para as demandas em evolução do mercado.

A liderança em 2024 deve democratizar e tornar acessível o conhecimento às ferramentas e recursos inovadores, com foco em melhorar desempenho e entrega.

Por fim, a gestão de pessoas passa por essas e outras tendências que devem estar no radar das lideranças de hoje. Para uma atuação positiva é preciso estar no presente.

Este conteúdo foi útil para você? Então, se você deseja ser um líder ou uma líder de agora, preparando e construindo times de futuro, conte com os cursos e formações da Fundação Vanzolini.

São conhecimentos práticos e teóricos essenciais para as demandas do mundo do trabalho em constante movimento.

Conheça os cursos de Liderança e Gestão de Pessoas da Fundação Vanzolini.

ENTRE EM CONTATO

Até o próximo!

Fontes:

vocerh.abril.com.br/futurodotrabalho/o-rh-em-2024-e-alem

exame.com/bussola/adhocracia-a-inovacao-comeca-na-gestao-de-pessoas/

vocesa.abril.com.br/coluna/cris-kerr/o-que-esperamos-das-liderancas-do-futuro

Transforme a sua carreira desenvolvendo habilidades essenciais para engajar e inspirar equipes. Conheça o seu perfil comportamental e de liderança para criar relações saudáveis com seus liderados e conquiste uma visão de gestão prática, com conhecimento sobre seleção de novos talentos, ferramentas de desenvolvimento de pessoas, clima organizacional e muito mais.

Veja tudo o que você vai aprender:

 

Obs.:
A realização deste curso está condicionada ao número mínimo de matrículas.
As vagas estão sujeitas à capacidade máxima da turma.

Adquira as competências necessárias para motivar, engajar e desenvolver o potencial máximo de sua equipe. Aprenda a construir relações interpessoais sólidas, comunicar-se efetivamente e enfrentar desafios com confiança. Seja a liderança que a sua equipe precisa e alcance resultados extraordinários, impulsionando o crescimento e o sucesso de sua organização.

Veja tudo o que você vai aprender:

 

Obs.:
A realização deste curso está condicionada ao número mínimo de matrículas.
As vagas estão sujeitas à capacidade máxima da turma.

O mundo muda constantemente, assim como o ambiente de trabalho e as profissões. Com o uso de Data Analytics, Business Intelligence e cultura de dados, novas possibilidades surgem para a liderança e gestão de pessoas.

Para se manter à frente, você precisa ser estratégico, adaptável e capaz de liderar sua equipe em qualquer mudança que surja em seu caminho.

Com tantos desafios reservados para a liderança e gestão de pessoas em 2023, preparamos este artigo para você estar preparado. Boa leitura!

 

Importância da liderança e gestão de pessoas

Liderança e gestão de pessoas são aspectos principais da administração de um negócio bem-sucedido. E tem por objetivo manter os colaboradores valorizados e produtivos.

Bons líderes inspiram seus funcionários e os ajudam a alcançar seus objetivos. Eles também sabem como gerenciar pessoas de forma eficaz, estabelecendo expectativas claras e fornecendo suporte adequado.

A gestão de pessoas consiste em entender os diferentes tipos de personalidade e saber como motivar cada um. Também é importante conseguir lidar com conflitos de forma construtiva.

Quando há um alinhamento entre a direção, as lideranças diretas das equipes e de todos os colaboradores, temos uma equipe forte e produtiva, capaz de superar diversos desafios.

O desenvolvimento de uma boa liderança e gestão de pessoas forte dentro da empresa vem por meio da criação de uma cultura interna de eficiente comunicação e entrosamento.

 

Indicadores para 2023

Na atualidade, com o avanço da tecnologia e dos meios de comunicação (e também ocasionadas pela pandemia de COVID-19), o mercado sofreu diversas adequações para melhorar a dinâmica de trabalho.

Pode-se dizer que essas adequações vieram para ficar e se mostram como algumas das principais tendências para 2023 no que se refere à liderança e à gestão de pessoas, tais como:

 

Perfil necessário para gestão de pessoas

Se você quer ter sucesso na gestão de pessoas, precisa desenvolver algumas habilidades essenciais de liderança, e, tendo tais habilidades bem aguçadas, com certeza, terá muito êxito em seu trabalho.

Bons gerentes de pessoal são pacientes, têm excelentes habilidades de comunicação e contam também com um apurado senso crítico para lidar com as mais diversas situações.

Outra característica fundamental para uma liderança e gestão de pessoas exemplar é a empatia, ou seja, saber exercer a escuta ativa e se colocar no lugar de seu colega para conseguir visualizar sua situação por completo.

Para poder ser eficiente e instigante em seu trabalho, a liderança do pessoal deve saber coordenar sua equipe como nenhuma outra, sendo, simultaneamente, carismática e firme.

Agindo e tendo uma liderança assertiva, elaborando estratégias para conciliar os interesses tanto dos empregados quanto dos empregadores, o líder conseguirá manter aqueles motivados e felizes e, estes, satisfeitos.

 

Como desenvolver liderança para gestão de pessoas?

É fundamental ter os conceitos da gestão de pessoas e da liderança sempre em mente, e deve-se inseri-los em todos os processos de planejamento estratégico no contexto de um negócio.

Por essa razão, deve-se traçar uma medida inteligente para desenvolvê-los na equipe, criando uma cultura organizacional interna que envolva a todos, de forma integrada e unida.

Primeiramente, é necessário compreender qual é a natureza do negócio, para que, então, seja possível visualizar quais tipos de pessoas e talentos são demandados para as atividades.

Tendo isso em vista, o departamento de RH deve realizar uma análise minuciosa, para ser assertivo na filtragem e escolher as pessoas ideais, desse modo a empresa contará com colaboradores capacitados e bem preparados.

A comunicação clara e assertiva também é vital quando se quer desenvolver a liderança e uma boa gestão de pessoas, haja vista que ela faz parte de todas as etapas de atividade.

O RH e os líderes de setores devem trabalhar juntos por um sistema comunicativo funcional, estimulando os colaboradores a fazer bom uso das informações, compartilhando-as no momento adequado.

É extremamente importante que a direção seja clara quanto às metas e aos objetivos almejados, bem como exibir a missão, a visão e os valores da marca de forma dinâmica.

Assim que todo o quadro de funcionários estiver bem engajado com essas informações e entrosado com a liderança por meio da gestão de pessoas, muitos frutos serão colhidos, tais como:

 

Desafios na gestão de pessoas

Uma empresa que almeja atingir altos níveis de produtividade e ser competitiva no mercado contará com desafios e obstáculos que envolvem a gestão de pessoas e liderança.

Lidar com diferentes tipos de personalidade exige habilidade e muita paciência, além de empatia. Surgirão problemas diversos entre os membros da equipe – e os líderes devem estar preparados.

Além de mediar conflitos, um dos desafios da liderança e da gestão de pessoas é conseguir um equilíbrio entre os interesses da direção e dos funcionários, que muitas vezes são opostos.

Uma boa estrutura emocional é ideal para conseguir lidar com as questões particulares de cada pessoa, ao mesmo tempo em que se tenta atingir todas as metas da empresa.

Incentivar e manter os funcionários motivados também se destaca como um desafio considerável da boa liderança, pois o bom gestor deve lutar para que o clima organizacional se mantenha sempre positivo.

 

Capacitação necessária para exercer cargos de liderança

Gestão de pessoas e liderança se processam muito bem na prática se estiverem dentro de uma equipe engajada e convencida a trabalhar com empenho.

Para criar uma cultura organizacional de boas práticas relacionadas a esses aspectos fundamentais, uma das estratégias imprescindíveis é pensar em uma boa capacitação para o pessoal.

Promover essa capacitação por meio de cursos, para cultivar a boa liderança e uma assertiva gestão de pessoas, trará excelentes indicadores para a empresa, dando um largo passo para seu crescimento.

Uma equipe coordenada por líderes devidamente treinados representará o alinhamento e o intermédio entre a direção e os colaboradores, promovendo aumento dos resultados e podendo, desse modo:

Esse conteúdo foi útil para você? Quer saber mais sobre o assunto? Então fale com um de nossos especialistas!

 

ENTRE EM CONTATO

 

A Fundação Vanzolini oferece um amplo conjunto de cursos, com especialistas em Liderança e Gestão de Pessoas, para você ampliar o seu repertório sobre o assunto e evoluir na sua carreira. Confira:

Autoconhecimento, Liderança e Gestão de Pessoas
Inteligência Emocional: Como usar a razão para equilibrar a emoção
Introdução a Gestão de Equipes em Home Office
Liderança Assertiva: Um Estilo que Constrói Relações Maduras com Foco em Resultados
Liderança e Gestão de Pessoas
Liderança Feminina

Com experiência de mais de 10 anos na área de Recursos Humanos, o professor Márcio Camargo trará neste evento os desafios dos líderes de operações na gestão das pessoas e a importância do desenvolvimento para que eles consigam alcançar melhores resultados para o negócio.

“​​Tudo que se vê não é igual ao que a gente viu há um segundo. Tudo muda o tempo todo no mundo”. A letra da música ‘Como uma Onda’, de Lulu Santos, lançada em 1983, poderia ser a definição do momento atual.

O mundo muda freneticamente e, assim como a função de acelerar os áudios do WhatsApp, vamos colocando cada vez mais velocidade nas informações, nas atividades e na produtividade.

Diante dessa dinâmica acelerada, o mercado e os negócios precisam de profissionais com habilidades ágeis, capazes de responder de forma rápida às mudanças e de encontrar soluções criativas diante das transformações que acontecem em tempo real.

Pensando nessa demanda por profissionais especialistas em Agile, preparamos este artigo. Veja quais as características e possibilidades para a carreira e esteja preparado para uma boa onda!

O que é um Agilista e qual seu papel nas organizações modernas?

Para começar, é importante dizer que ser um profissional ágil não significa ser um profissional de rádio. Um profissional de Agile desempenha um papel estratégico e vital nas organizações mais modernas, que estão conscientes das demandas do mercado atual e que buscam otimizar seus processos de desenvolvimento e entrega de produtos ou serviços.

Desse modo, para ser um especialista Agile e poder atuar nas empresas, gerando os resultados esperados, o profissional precisa ter domínio de ferramentas e metodologias ágeis, como o Scrum, Kanban, Lean, entre outras.

Com o recurso das metodologias, os profissionais de Agile têm ferramentas e conhecimento para prever cenários e alterar rotas sempre que necessário, atuando como agentes importantes de mudança para melhorar a eficiência e a colaboração, evitando, dessa forma, desperdícios e perdas ao longo do processo.

Em suma, os Agilistas são responsáveis por gerenciar projetos e produtos de forma que as adaptações às mudanças sejam feitas de forma cadenciada, harmônica e de acordo com a necessidade do negócio. Assim, é possível otimizar tarefas e realizar ajustes enquanto se produz.

Importante destacar que um profissional especialista em Agile pode assumir diferentes níveis e funções, incluindo Agile Coach, Product Owner e Scrum Master.

O mercado pede por um trabalho de ágil

Para atuar em um mundo em constante mudança, é preciso contar com pessoas capazes de acompanhar as transformações e, mais do que isso, obter  delas um retorno de impacto positivo para os negócios.

Por isso, os profissionais em Agile estão sendo cada vez mais requisitados pelas organizações, que precisam estar na mesma velocidade que seus concorrentes e que o mercado em geral. 

O relatório Jobs of Tomorrow, do Fórum Econômico Mundial, divulgado em 2021 e elaborado por cientistas de dados das empresas LinkedIn, Coursera e Burning Glass Technologies, elencou as 96 profissões que devem ganhar relevância nos próximos dois anos. E o grande destaque foi a demanda crescente por profissionais que tenham, entre suas competências, familiaridade com as metodologias ágeis.

E, entre as carreiras elencadas pelo relatório, na categoria “desenvolvimento de produtos”, três estão diretamente relacionadas com as metodologias ágeis: Product Owner (em primeiro); Agile Coach (em terceiro) e Scrum Master (em sexto).

Em levantamento mais recente, o estudo Futuro do Trabalho 2023, elaborado pelo Fórum Econômico Mundial, mostrou que as transformações geradas, em especial, pelas novidades tecnológicas, passam a transformar as habilidades exigidas pelos empregadores.

Neste sentido, eles estimam que 44% das habilidades dos trabalhadores serão alteradas nos próximos cinco anos e a agilidade figura entre elas.

Ainda de acordo com o estudo, no Brasil, as capacidades priorizadas para qualificação nos próximos cinco anos serão:

MBA em Gestão Ágil: Práticas e habilidades necessárias para se tornar um Agilista e como impulsionar a carreira

Ser um Agilista requer o desenvolvimento e a prática de habilidades específicas e valiosas nos tempos atuais. Entre elas, podemos destacar: boa comunicação, proatividade, flexibilidade, consciência, responsabilidade e a capacidade de ser responsivo, de responder rápido às mudanças e às demandas.

De acordo com uma análise elaborada pelo American Enterprise Institute, os mercados têm exigido que as empresas e pessoas se adaptem, sejam ágeis e mudem constantemente.

Assim, as pessoas com especialidade ágil, em geral, conseguem se adaptar rapidamente às circunstâncias e situações de mudança, requisito importante para funções de liderança ou outras posições que requerem tomadas de decisão rápidas.

Outra característica de um Agilista é a resiliência diante de contratempos ou desafios, sem desfocar e seguindo com seu propósito sem desanimar.

O futuro promissor para profissionais ágeis

Como falamos anteriormente, cada vez mais as empresas têm buscado profissionais especialistas em Agile para atender à própria demanda do mercado. As transformações, em velocidade acelerada, também movimentam a carreira de Agilistas e as perspectivas de presente e futuro são bem promissoras.

De acordo com o site Glassdoor, o salário de um profissional Agilista no Brasil varia entre R$ 7 mil – R$ 12 mil por mês. No entanto, o valor médio ganho por esses profissionais em remunerações variáveis, como bônus, comissões e participações nos lucros, é de R$ 13.901. Assim, um Agilista ganha em média R$ 22.721 por mês no Brasil.

Além disso, as inovações e o surgimento de novas tecnologias devem impulsionar ainda mais a agilidade nas organizações e os profissionais que estiverem preparados, com domínio das ferramentas e metodologias, vão sair na frente, sem dúvida.

Como o MBA em Gestão Ágil da Vanzolini pode ajudar você a se tornar um Agilista de sucesso?

Para conquistar um lugar ao sol e fazer a diferença dentro de uma empresa, você pode contar com o MBA em Gestão Ágil, Inovação e Liderança, da Fundação Vanzolini.

Por meio do curso, o profissional terá acesso às metodologias e ferramentas ágeis, além de conquistar as certificações necessárias, como a EXIN, para decolar na carreira de Agilista.

Com a formação em Gestão Ágil, Inovação e Liderança da Fundação Vanzolini, você aprende as habilidades essenciais para uma gestão atual, de empresas modernas, que demandam agilidade e estratégia.  

Com instrução de professores de alto nível, abrangendo tópicos desde análise de dados até gestão de conflitos, os alunos saem preparados para encarar os desafios da nossa era.

Na modalidade híbrida, o curso é completo para os Agilistas do presente e do futuro e abrange os seguintes temas:

GESTÃO ÁGIL

EaD ao Vivo

EaD Gravado

LIDERANÇA

EaD ao Vivo

EaD Gravado

INOVAÇÃO

EaD ao Vivo

EaD Gravado

Então, se você tem interesse em liderar ambientes empresariais dinâmicos e digitalizados, nosso MBA em Gestão Ágil, Inovação e Liderança pode ser o próximo passo em sua jornada profissional.

ENTRE EM CONTATO

Até o próximo!

Fontes:

exame.com/bussola/ser-agil-nao-e-ser-rapido-mas-como-desatar-esse-no/

forbes.com.br/carreira/2023/05/futuro-do-trabalho-23-das-profissoes-devem-se-modificar-ate-2027/

vocesa.abril.com.br/carreira/profissionais-que-atuam-com-metodologia-agil-ganham-destaque-nas-empresas

Curso de Gestão de Pessoas: como desenvolver equipe de alta performance por meio de uma gestão eficiente e focada nos objetivos de negócios da empresa

A Gestão de Pessoas no contexto organizacional não é um mero protocolo padrão, e deve ser encarada como fundamental para o sucesso e a sustentabilidade das empresas, principalmente a partir do desenvolvimento de equipes.

Liderar um time não significa mandar para que alguém obedeça, mas, sim, gerir um grupo de pessoas capazes de alcançar os resultados almejados por uma instituição. Percebe a diferença?

Neste artigo, destacamos as principais estratégias, benefícios e ferramentas para desenvolver uma equipe de alta performance, para que, após um curso de gestão de pessoas, você possa colocar em prática os importantes conhecimentos adquiridos em seu cotidiano como gestor.

Afinal, praticar é essencial. Saiba como, agora!

Quais estratégias de Gestão de Pessoas são consideradas as mais relevantes?

Comunicação aberta e construtiva

A comunicação está presente na maioria das listas relacionadas às boas práticas corporativas. Tratando-se do desenvolvimento de pessoas, ela promove principalmente a troca de informações, conhecimentos, ideias e experiências.

No entanto, comunicar-se não diz respeito somente à fala e à escuta, e, sim, de desenvolver uma interação construtiva, aberta e respeitosa. Todos os participantes, nesse caso, os colaboradores, devem se sentir ouvidos e acolhidos, ou seja, à vontade para compartilhar ideias, opiniões e feedbacks.

Como resultado, se constrói uma equipe capaz de colaborar e resolver problemas eficazmente, a partir da troca de informações.

Estabelecimento de normas: definição de papeis e responsabilidades

Não existe uma instituição, em qualquer setor, desprovida de regras. Todos os âmbitos da sociedade são regidos por leis, normas, diretrizes, além de tradições e costumes informais.

Em uma empresa, definir e reforçar normas de comportamento e interação na equipe cria um ambiente organizado, bem estruturado e, por isso, mais eficiente e produtivo.

Nesse caso, as normas permeiam:

Com esses aspectos bem estabelecidos, as equipes entendem claramente suas funções e como elas se alinham aos objetivos da organização.

Desenvolvimento de habilidades

Treinamentos In Company, cursos, workshops e programas de desenvolvimento profissional são investimentos, assim como destinar verbas às novas tecnologias e ao marketing, por exemplo.

Adquirir novas habilidades e aperfeiçoar as existentes melhora o desempenho individual e, consequentemente, fortalece toda a equipe, aumentando seus resultados em conjunto.

Sobre as competências, o investimento é contínuo e deve abranger aspectos que envolvem as mais diferentes habilidades: técnicas, interpessoais e até de liderança, no caso dos gestores, como o curso de gestão de pessoas.

Fomento da colaboração

O que diferencia o trabalho individual do trabalho em equipe é justamente a colaboração, portanto os líderes não podem negligenciá-la.

Incentivar a colaboração e o trabalho em equipe é criar um ambiente onde os membros se sintam à vontade para compartilhar conhecimentos, experiências e recursos, almejando o alcance das metas e objetivos determinados, isto é, o sucesso.

Estímulo do feedback

O estímulo do feedback deve ser bidirecional, ou seja, precisa partir tanto dos gestores para os colaboradores, quanto dos colaboradores aos gestores. Assim, se consegue identificar pontos fortes do time e da organização, as áreas de melhoria de ambos e a oportunidades de crescimento.

Mas, para isso funcionar, é essencial que o feedback por parte da empresa seja claro e respeitoso, e, por parte dos funcionários, ser realmente acolhido, sem os coagir em casos de críticas negativas (desde que igualmente respeitosas e construtivas).

Quais são os benefícios do desenvolvimento de equipe para as organizações?

Melhor desempenho organizacional

Uma equipe em constante desenvolvimento é mais produtiva, inovadora, resiliente e habilidosa, capaz de desempenhar suas atividades com excelência, evitando possíveis erros operacionais e, assim, se destacando no mercado.

Por outro lado, um time sem o devido investimento em capacitação não possui competências para destacar-se frente aos concorrentes, por não estar a par das novidades, demandas e habilidades exigidas, conforme as mudanças do setor.

Maior satisfação e engajamento dos funcionários

Quando os membros da equipe se sentem valorizados, apoiados e têm oportunidades de crescimento, a satisfação e engajamento no trabalho aumentam.

Os funcionários sentem quando são reconhecidos e isso não quer dizer que os líderes devam presenteá-los para que isso aconteça, ou então, elogiá-los a todo momento.

Valorizar o trabalho da equipe investindo em conhecimento e crescimento profissional, como em cursos e treinamentos, é um modo de engajamento e valorização do trabalho.

Redução da rotatividade de pessoal

Investir no desenvolvimento e no bem-estar dos membros da equipe pode ajudar a reduzir a rotatividade de pessoal, economizando tempo e recursos associados à contratação e treinamento de novos funcionários.

A retenção de equipe é, talvez, pouco discutida, se comparada a sua importância em relação à prosperidade organizacional. Quanto mais sólida for a equipe, mais facilmente construirá uma base igualmente sólida, para então conquistar os objetivos pretendidos. 

Cultura organizacional forte

Práticas eficazes de Gestão de Pessoas contribuem para uma cultura organizacional positiva, baseada em confiança, respeito mútuo e colaboração. O bom relacionamento das pessoas na organização deve ser priorizado assim como o relacionamento da empresa com seus clientes. Isso porque, ao fortalecer um vínculo positivo, se cria um ambiente de trabalho saudável e produtivo.

Ferramentas indispensáveis no desenvolvimento de equipe: da tecnologia ao curso de Gestão de Pessoas 

Tecnologias colaborativas

A tecnologia é uma aliada indispensável no desenvolvimento das atividades dos profissionais, bem como na gestão da equipe como um todo. Nesse caso, as plataformas de comunicação online, compartilhamento de arquivos e gerenciamento de projetos são as principais ferramentas, além de:

Cursos especializados

Cursos especializados, principalmente os treinamentos In Company, são cursos exclusivos montados conforme as exigências e metas de aprendizagem da empresa, para promover o desenvolvimento de equipes por meio de práticas eficazes.

O curso de Gestão de Pessoas é um exemplo de curso em que há orientação e suporte individualizado de líderes, criado para desenvolver suas habilidades e as habilidades do seu time.

Além disso, os líderes podem dar a oportunidade dos profissionais de se especializarem em suas áreas ou nas demais áreas em que há defasagem de conhecimento ou resultado. Portanto, beneficia os membros da equipe e a empresa.

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar sua carreira.

Conheça os cursos de Gestão de Pessoas da Fundação Vanzolini.

ENTRE EM CONTATO

Até o próximo!

Fontes:

blog.solides.com.br/estrategia-de-gestao-de-pessoas/

www.agendor.com.br/blog/ferramentas-de-gestao-de-pessoas/

mereo.com/blog/ferramentas-de-gestao-de-pessoas/

Se você tem interesse em liderar ambientes empresariais dinâmicos e digitalizados, nosso MBA em Gestão Ágil, Inovação e Liderança pode ser o próximo passo em sua jornada profissional. Aprimore suas habilidades de liderança em empresas modernas e voltadas para a inovação digital e aprenda com ferramentas práticas e conhecimentos em áreas essenciais, como métodos ágeis, gestão de produtos digitais, gestão da inovação e transformação digital, além de liderança e desenvolvimento de equipes.

Veja tudo o que você vai aprender no curso:

 

GESTÃO ÁGIL

EaD ao Vivo

EaD Gravado

 

LIDERANÇA

EaD ao Vivo

EaD Gravado

 

INOVAÇÃO

EaD ao Vivo

EaD Gravado

 

DISCIPLINAS FLEXEscolha até 60 horas disponíveis na Vanzolini Play

 

* O MBA em Gestão Ágil, Inovação e Liderança tem carga horária mínima obrigatória de 360 horas. Mas você pode complementar o seu histórico com mais 60 horas de disciplinas optativas, chegando à carga horária máxima de 420 horas, se quiser.

As 60 horas optativas devem ser escolhidas entre os cursos da Vanzolini Play, de acordo com o seu interesse.

Obs.:
A realização deste curso está condicionada ao número mínimo de matrículas.
As vagas estão sujeitas à capacidade máxima da turma.

Produzir e entregar produtos e serviços de qualidade, em um mundo cada vez mais competitivo e dinâmico, não é uma tarefa fácil de ser cumprida. Ela exige aprendizado contínuo e o desenvolvimento e implantação de sistemas de gestão da qualidade nas organizações, para que seja possível engajar as pessoas e conquistar a excelência nos processos e produtos.

Dessa forma, é fundamental que os profissionais da área e as empresas invistam em capacitação, em formação e em treinamentos de Sistemas de Gestão da Qualidade, com foco na melhoria constante, no compromisso do time, no cumprimento de prazos e padrões e na entrega final capaz de atender às demandas e às expectativas externas.

Então, se você deseja saber mais sobre o Sistema de Gestão de Qualidade e como se aprimorar na área, siga com a leitura!

A importância de um sistema de gerenciamento de qualidade

Em um mundo globalizado, interligado, dinâmico e digital, as organizações se deparam com mais cobranças, competitividade e a necessidade de disputar, cada vez mais, espaço em mercados.

Assim, diante do desafio de sobreviver e de se manter nesse novo contexto industrial, novas técnicas surgem com o objetivo de garantir a presença das organizações, dessa forma, a gestão da qualidade se destaca, justamente, por agregar soluções de crescimento humano e desenvolvimento tecnológico com foco na excelência.

Nesse sentido, o Sistema de Gestão de Qualidade reúne um conjunto de elementos, estrategicamente integrados, capazes de assegurar que produtos e processos estejam em patamares de competitividade e garantam as necessidades dos usuários e as expectativas dos clientes externos e internos.

Principais componentes de um sistema de gerenciamento de qualidade

Importante destacar que há uma norma – a ISO 9000 -, que apresenta os princípios da gestão da qualidade e também define quais são os pontos que servem de base às organizações para que se estabeleçam no mercado com eficiência de gestão.

Dessa maneira, as empresas devem ter conhecimento sobre a norma para poder aplicar a gestão de qualidade dentro de suas premissas.

Assim, entre os princípios que compõem um Sistema de Gestão da Qualidade, e que são responsáveis pelos resultados positivos, podemos descartar:

Foco no cliente

A Gestão da Qualidade trata de atender às necessidades e expectativas do cliente, por isso, ele é o foco.

Liderança e comunicação

O líder precisa engajar e levar os propósitos da organização para seu time. Assim, será possível atingir as metas desejadas.

A liderança deve motivar e acompanhar os resultados, sendo flexível às constantes mudanças do mercado.

Nesse aspecto, é preciso ter boa comunicação e um bom alinhamento interno, para que todos possam entender o que deve ser feito, como e quando.

O papel da liderança é criar um ambiente de diálogo, seguro e confortável, no qual as pessoas possam expor ideias e soluções. Também é importante implementar canais que facilitem a comunicação.

Envolvimento das pessoas

Como falamos acima, é preciso ter engajamento. O envolvimento das pessoas é essencial para a qualidade ser, de fato, obtida.

Busca pela melhoria contínua

A qualidade deve ser cultivada, mantida e não ser algo pontual. Ela é a base e deve ser o caminho trilhado. Sendo assim, a qualidade deve ser um exercício diário, com engajamento de toda equipe.

Uso de tecnologias específicas

Fazer uso de sistemas capazes de facilitar a busca pela qualidade nas empresas é crucial nos dias de hoje. Por meio do uso de tecnologias específicas, é possível estruturar os processos diários, integrar os diversos setores da organização e automatizar algumas tarefas.

Etapas para implementar um sistema de gerenciamento de qualidade

De maneira geral, um processo para implementação de um Sistema de Gestão de Qualidade nas empresas começa com uma avaliação para se ter uma visão mais clara de possíveis lacunas e necessidades de melhoria.

Na sequência, são estabelecidos os objetivos e métricas de qualidade, e então é desenhado um projeto do sistema de qualidade. Depois, há o desenvolvimento de ferramentas e procedimentos operacionais padrão (SOPs) para se alcançar os objetivos e resultados desejados.

Temos, então, a fase de implementação e, posteriormente, a auditoria para certificação dos métodos e padrões.

Em suma, podemos falar em quatro etapas:

Mas não termina quando acaba, certo? Como dissemos, a qualidade deve ser permanente, assim, é preciso seguir com avaliação, monitoramento e aprimoramento do sistema.

Além disso, é importante destacar que não há um tempo definido para cada uma das etapas de implementação. Desse modo, o tempo de implementação pode variar de alguns meses a mais de um ano, levando sempre em consideração o porte e a complexidade da organização.

Benefícios de investir no Sistema de Gestão da Qualidade

Por meio de um Sistema de Gestão da Qualidade eficiente, bem implementado e com profissionais capacitados, as organizações podem contar com benefícios decisivos para sua presença no mercado. Veja só:

Portanto, investir em sistemas de gestão da qualidade é uma medida estratégica para mitigar problemas e garantir processos e produtos dentro dos padrões e das exigências do mercado. Com isso, a organização tende a se beneficiar integralmente, progredindo e realizando operações com maior lucratividade.

Formação, treinamentos e cursos na área de Sistema de Gestão da Qualidade

Investir em formação, em treinamentos e cursos em Sistemas de Gestão de Qualidade é fundamental para que pessoas e organizações possam desfrutar de seus benefícios e resultados. O conhecimento teórico, o domínio prático de ferramentas e a capacidade de compreender a cultura da qualidade são pilares para os profissionais que desejam desenvolvimento na carreira.

Na Fundação Vanzolini, empresas e profissionais podem contar com cursos e formações voltadas para área de Sistema de Gestão da Qualidade, que oferecem conhecimento sobre normas, padrões, os recursos tecnológicos, ferramentas inovadoras, metodologias ágeis e técnicas de comunicação, alinhadas aos momento atual e às necessidades do mercado.

Então, se você deseja se aprofundar na área de Sistemas de Gestão da Qualidade, acesse nosso site e veja as opções de formações, cursos e treinamentos que vão oferecer conhecimento para chegar ao topo.

ENTRE EM CONTATO

Até o próximo!

Garantir a qualidade na entrega, seguindo padrões e processos. A Gestão da Qualidade é uma área essencial e estratégica dentro das empresas, pois é responsável por planejar e implementar boas práticas na produção, com foco em fornecer produtos com alto padrão de excelência e que atendam às expectativas do mercado.

Sendo assim, para atender a demanda cada vez mais exigente e a competitividade cada vez mais acirrada, as organizações têm buscado profissionais com formação e especializados nessa área, para aprimorar o desempenho de suas atividades e se posicionar diante de clientes, concorrência e stakeholders.

Então, se você quer uma oportunidade na carreira e e também saber mais sobre atuação e formações na área, siga com a leitura deste artigo!

Como surgiu a Gestão da Qualidade?

Para começar, vamos olhar um pouquinho para a história e entender como a Gestão da Qualidade surgiu.

Em 1920, o estatístico norte-americano, Walter Andrew Shewhart, criou um sistema para mensurar a variabilidade e assegurar a qualidade de alguns bens e serviços. O sistema ficou conhecido como CEP (Controle Estatístico de Processos).

Depois disso, Shewhart desenvolveu uma técnica de controle de qualidade, utilizada até os dias atuais. Em seguida, as empresas começaram a olhar com mais atenção para sua responsabilidade na entrega de produtos e perante a sociedade e, assim, passaram a adotar uma gestão com processos sistematizados, incorporando valores e princípios mais robustos.

Dessa maneira, a Gestão da Qualidade surge como um movimento para gerar maior credibilidade para as companhias. Não à toa, a implantação de uma gestão tem como base alguns princípios.

Veja a seguir seus oito pilares:

A Gestão de Qualidade e o mercado de trabalho

Depois de saber como surgiu a Gestão da Qualidade, vamos olhar para seu panorama atual. Na era digital, na era dos dados e da tecnologia da indústria 4.0, e até 5.0 já, as perspectivas para o gestor de qualidade – que pode desfrutar de ferramentas inovadoras – são bastante positivas e estão bem aquecidas.

Em razão da maior competitividade e maior exigência por parte dos clientes, as empresas têm investido cada vez mais em pessoas com formação na área, para garantir processos e entrega com a máxima eficiência e excelência.

Desse modo, diversas empresas, de portes variados, têm contratado profissionais com formação na área da Gestão de Qualidade, para que possam avaliar seus sistemas, processos e métodos de trabalho e, claro, aprimorar suas atividades.

Assim, os profissionais de Gestão da Qualidade, dentro da organização, podem desempenhar funções como:

Diante dessas atividades, os profissionais da Gestão da Qualidade podem ocupar cargos como:

Portanto, como podemos ver, a atuação da Gestão da Qualidade é ampla e engloba várias frentes e níveis dentro de uma organização.

Assim, uma formação específica na área é fundamental para que o profissional tenha acesso a uma combinação de conhecimentos teóricos e práticos, relacionados à área, para que ele possa se desenvolver na carreira.

Para te ajudar nessa jornada da Gestão da Qualidade e aproveitar das oportunidades que estão em alta na área, destacamos aqui algumas das opções de formação que podem ser úteis:

Graduação em Administração ou Engenharia

Em geral, uma graduação em Administração de Empresas ou Engenharia Industrial pode fornecer uma base sólida para a Gestão da Qualidade. Isso porque, em sua maioria, esses cursos incluem disciplinas relacionadas à gestão, processos de produção e controle de qualidade.

Pós-graduação em Gestão da Qualidade

Outra forma de trilhar pela Gestão da Qualidade é por meio dos cursos de pós-graduação, como MBAs em Gestão da Qualidade. Essas formações são específicas para a área e oferecem um aprofundamento nos conceitos, metodologias e práticas relacionadas à gestão da qualidade. 

Certificações em Gestão da Qualidade

Para atuar na Gestão da Qualidade, as certificações reconhecidas internacionalmente, como o Six Sigma, Lean Management, ISO 9001 e outras relacionadas podem ser valiosas.

Então, se você está em busca de novos horizontes na carreira e já tem uma base importante na Gestão da Qualidade, investir em certificações pode ser um bom caminho para mergulhar ainda mais nos padrões de qualidade reconhecidos e mostrar um conhecimento mais aprofundado.

Treinamentos em Ferramentas de Qualidade

Estar em constante atualização na carreira é essencial para qualquer área e na Gestão da Qualidade não é diferente. Por isso, fazer treinamentos e familiarizar-se com ferramentas e técnicas – que se modernizam a cada dia – deve fazer parte da sua jornada dentro da área.

Faça workshops que ofereçam treinamento prático nas ferramentas específicas da Gestão de Qualidade e seja um profissional do futuro agora.

Experiência no dia a dia

Mas, além da formação acadêmica, ter a experiência prática é crucial. Estar dentro da organização e atuando no dia a dia da Gestão da Qualidade possibilita esse contato mais próximo com a realidade da profissão. Por meio dessa troca, é possível aprender com a mão na massa. Então, busque oportunidades de estágio na área, caso esteja no início da sua carreira.

Desenvolvimento de habilidades interpessoais

Por fim, toda atuação profissional envolve o trabalho em equipe e precisa de uma comunicação eficaz, para que o trabalho flua com eficiência e leveza.

Assim, além de toda formação específica em Gestão da Qualidade, é importante desenvolver habilidades interpessoais, liderança e gerenciamento de projetos.

A combinação do conhecimento técnico com a habilidade de relacionamento, de escuta, de empatia e de gestão de pessoas é valiosa para a Gestão da Qualidade. É preciso pensar em processos e cuidar de pessoas. Os dois são responsáveis por entregas de qualidade, certo?

Formações para carreira na Gestão da Qualidade com a Fundação Vanzolini

Se você deseja desfrutar as oportunidades na carreira da Gestão da Qualidade, conte com as formações e certificações oferecidas pela Fundação Vanzolini. São cursos que englobam tanto ferramentas de gestão de processos – para domínio das novas tecnologias e recursos -, como desenvolvimento de habilidades interpessoais e aprofundamento em padrões e normas.

Do analista ao auditor, do coordenador ao gerente, os profissionais que buscam conhecimento teórico e prático para deslanchar na carreira da Gestão da Qualidade podem contar com os professores e a experiência da Fundação Vanzolini.

​Conheça os cursos de Qualidade da Fundação Vanzolini.

ENTRE EM CONTATO

Até o próximo :)