Fundação Vanzolini

Aprenda metodologias de Design Thinking e Design Sprint com abordagem exclusiva! Você vai conhecer a ferramentas práticas para resolver problemas complexos e desenvolver projetos de sucesso, da concepção da ideia à criação do protótipo. As aulas são projetadas para tornar o aprendizado envolvente e de fácil entendimento para você aplicar o conhecimento e encontrar as melhores soluções!

Veja tudo o que você vai aprender:

 

Obs.:
A realização deste curso está condicionada ao número mínimo de matrículas.
As vagas estão sujeitas à capacidade máxima da turma.

A busca por resultados rápidos e eficazes fez com que ferramentas com foco em agilidade ganhassem destaque nos dias de hoje e o Design Sprint é uma técnica que consegue ótimos resultados quando aplicada.

Diferente do Design Thinking, que tem como foco a humanização de projetos, o Design Sprint utiliza métodos para acelerá-los. Mas como é possível incorporar esta metodologia a uma nova iniciativa ou em projeto que já está em andamento?

Neste webinar, Ticiana Calipe comenta sobre recursos práticos e eficientes para aplicar esta metodologia.

Ticiana é diretora de arte e designer, Formada pela ESAD (Escola Superior de Artes e Design) em Portugal, pós-graduada pela ESDI (School of Disseny) em Barcelona, Escritora, escreveu o livro PROPÓSITO S.A. Tem uma vasta experiência no campo do marketing digital e ensino de metodologias ágeis. Dá aulas e palestras com foco em transformar o mercado e as empresas em cenários mais criativos e ágeis.

» Para saber quais são os nossos próximos webinars acesse o site da Fundação Vanzolini.

Adaptar-se ao mercado que está em constantes mudanças é necessário para a sua evolução e uma solução é utilizar é todos mais flexíveis de execução. Compreender o desenvolvimento de um projeto permite assertividade e organização das entregas, fazendo com que o resultado final seja exatamente o que foi proposto no planejamento.

O Design Sprint e Thinking têm se mostrado como caminhos para agilização, estruturação e colaboração entre os envolvidos na ideação de um projeto, ganhando cada vez mais destaque e resultados mais próximos das necessidades das empresas

Está também alinhado aos novos métodos Ágeis, que são baseados em ciclos de tarefas conhecidos como sprints, que otimizam os resultados por meio de revisões de um projeto. Com esse modo de trabalho, são estimuladas, de forma rápida, respostas necessárias às possíveis mudanças durante a execução das tarefas.

O que as empresas ganham em aplicar a Design Thinking e Design Sprint?

Por promover maior colaboração na empresa ao reunir diversos setores que participam da ideação do projeto, a metodologia aborda discussões produtivas, mantém os profissionais envolvidos, gera muito mais agilidade, aumenta a produtividade e diminui a necessidade de retrabalho. Facilitando na otimização do tempo e recursos para cada fim.

Com o dinamismo de mercado impulsionado pela Transformação Digital, faz-se indispensável aplicar novas formas e métodos de construção. Para que as empresas possam inovar e sair na frente com essa nova cultura.

E a sua empresa? Já utiliza o Design Sprint e Thinking como metodologia?

Saiba mais e inscreva-se!

Palavras como empatia, reinventar, adaptar, redescobrir e sinônimos delas ganharam novos significados desde o início da pandemia da Covid-19, que pegou todos de surpresa e fez com que a rotina, o modo de trabalho e de viver se transformassem. 

Nas empresas, se adaptar às mudanças e buscar soluções eficazes e rápidas para os problemas se tornou fundamental e a aplicação de metodologias ágeis foi um ótimo aliado nesse quesito. “Eu costumo dizer que a pandemia, de fato, não mudou nada na nossa maneira de viver e de trabalhar. Ela acelerou um processo que estava à caminho”, comentou a professora do curso de Design Thinking e Design Sprint da Fundação Vanzolini, Ticiana Calipe, durante o webinar sobre o tema.

Mas, engana-se quem acredita que a aplicação de metodologias ágeis são relacionadas ao tempo e a velocidade com que são executadas. “Quando eu falo agilidade não significa rapidez nas atividades, mas uma inteligência do ato. Em como podemos criar soluções, projetos e cenários de uma forma mais inteligente, e não ficar focado em calendário, hora e prazo”, explicou a docente, que acrescentou:

“Design Thinking é uma metodologia baseada em criar projetos humanizados para as pessoas e de se colocar no lugar do outro.”

“O Design Thinking pode até ser uma metodologia ágil, um passo a passo que qualquer pessoa pode fazer. Mas se você não tiver o mínimo de capacidade ou interesse de se colocar no lugar do outro e entender o que de fato o outro precisa, você terá dificuldade em fazer o Design Thinking acontecer. Porque a ideia dele é entregar coisas importantes e viáveis para outras pessoas, e não para nós”, finalizou Ticiana. 

Saiba mais sobre o curso Clique aqui.

Você conhece essa poderosa estratégia de treinamento que está impulsionando o sucesso de empresas em todo o mundo? Estamos falando dos cursos “In Company”. Eles estão transformando a forma como as organizações capacitam suas equipes. 

Imagine poder customizar ações de desenvolvimento profissional para atender às necessidades específicas da sua empresa, criar uma cultura corporativa mais sólida e confiante e promover o crescimento exponencial de suas equipes. 

Hoje, mergulharemos no mundo dos treinamentos customizados e revelaremos por que eles são a chave para um futuro mais brilhante e produtivo para sua empresa.

O que são cursos “In Company”?

Os cursos “In Company” são programas de treinamento projetados especificamente para uma empresa ou organização em particular. 

Esses cursos podem ser desenvolvidos e ministrados no formato on-line ou presencial, nas instalações da empresa ou em outro local acordado, e são projetados para atender às necessidades e requisitos de treinamento específicos da empresa. 

Algumas de suas características-chave incluem:

Personalização: Esses cursos são adaptados às necessidades específicas da empresa, o que significa que o conteúdo, a duração e o foco do treinamento são projetados de acordo com os objetivos da organização.

Flexibilidade: A empresa pode agendar os cursos de acordo com seu horário e disponibilidade, facilitando o treinamento dos funcionários, sem interferir significativamente na operação diária.

Foco em tópicos relevantes: Os cursos geralmente abordam temas e habilidades que são diretamente aplicáveis às funções e responsabilidades dos funcionários na organização.

Participantes específicos: Os cursos geralmente são projetados para um grupo específico de funcionários, garantindo que o treinamento seja relevante para suas funções e responsabilidades.

Confidencialidade: Como o treinamento é realizado internamente, a empresa pode abordar questões confidenciais ou estratégicas, sem se preocupar com a divulgação de informações sensíveis a terceiros.

Coerência: Os cursos podem garantir uma experiência de aprendizado consistente para todos os funcionários, ajudando a estabelecer uma cultura corporativa sólida e compartilhada.

Os cursos “In Company” podem cobrir uma ampla gama de tópicos, desde habilidades técnicas até desenvolvimento de liderança, gerenciamento de mudanças, ética empresarial e muito mais. Em geral, são uma forma eficaz de aprimorar as habilidades e conhecimentos dos funcionários de uma organização, de maneira específica e personalizada.

Os cursos “In Company” da Fundação Vanzolini 

A Fundação Vanzolini tem 57 anos de história. Foi criada pelos professores do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (POLI-USP) e ainda hoje é gerida por eles.

Para profissionais que querem se destacar no mercado e impulsionar sua carreira, a Vanzolini oferece um amplo portfólio, com cursos de curta, média e longa duração em diferentes áreas e aspectos ligados à gestão. 

Esses mesmos cursos estão disponíveis no formato “In Company”, isto é, podem ser customizados para empresas interessadas em conteúdos sob medida para grupos fechados, adaptados às suas necessidades específicas.

A organização pode ainda solicitar que seja criado um treinamento sob medida no formato de curso, palestra ou workshop, especialmente voltado para atender o seu perfil e seus desafios, com o apoio dos professores da Fundação Vanzolini. Há também a possibilidade de o conteúdo ser adaptado para o inglês e para o espanhol.

Nos últimos quatro anos, mais de 4 mil colaboradores, de mais de 200 empresas, fizeram treinamentos in company na Fundação Vanzolini. Conheça o nosso portfólio:

Gestão de Projetos

Conheça outros cursos dessa área

Gestão de Pessoas e Soft skills

Conheça outros cursos dessa área

Novas Tecnologias para Negócios

Conheça outros cursos dessa área

Normas e Certificações

Conheça outros cursos dessa área

Operações e Processos

Conheça outros cursos dessa área

Importante destacar que a customização é feita pelo coordenador do curso, ou seja, por um especialista na área escolhida. 

Quer levar a credibilidade e a competência da Fundação Vanzolini para os treinamentos da sua organização? Todos os nossos cursos são especialmente projetados para atender às demandas do mundo corporativo, oferecendo soluções eficazes para aprimorar o desempenho e a eficiência dos profissionais. 

Saiba mais sobre as possibilidades de treinamento sob medida aqui.

ENTRE EM CONTATO

Na gestão de projetos, a adaptação ágil, a incorporação de inteligência artificial e as certificações são essenciais para se destacar na era digital. Leia mais.

 

Na era digital, a gestão de projetos é mais importante do que nunca. As organizações precisam ser capazes de se adaptar rapidamente às mudanças, gerenciar projetos complexos e entregar produtos e serviços de qualidade.

Nesse cenário de constante evolução tecnológica, a capacidade de planejar, executar e monitorar projetos de forma eficaz se torna um diferencial estratégico para alcançar objetivos e se manter competitivo no mercado.

Quer saber mais sobre como a gestão de projetos pode ajudar sua organização a ter sucesso na era digital? Continue a leitura deste artigo para descobrir!

 

O que é a gestão de projetos?

Conforme definição do guia PMBOK® (Project Management Body of Knowledge) do Project Management Institute (PMI®), um projeto é um empreendimento temporário, criado para desenvolver um produto, serviço ou resultado único.

Dessa forma, se faz necessário uma boa gestão para que eles operem de forma eficiente e eficaz. Por definição, gestão de projetos é o conjunto de práticas, técnicas e estratégias utilizadas para planejar, executar e controlar a realização de um projeto do início ao fim.

Seu objetivo é alcançar metas a partir da organização, aplicação de processos, técnicas, métodos e ferramentas para garantir que o projeto seja eficaz e eficiente.

A finalidade desse gerenciamento é criar uma estrutura organizada para lidar com projetos de forma sistemática e estratégica. Com isso, busca otimizar:

E, para garantir o sucesso de um projeto, é fundamental o cumprimento das etapas do ciclo de vida do projeto e, assim, minimizar erros e imprecisões. Dessa forma, o processo estruturado abrange uma série de fases que o projeto atravessa, desde sua concepção até a conclusão:

Assim, a gestão fornece um plano para o projeto e ajuda a garantir que ele seja concluído dentro do prazo, do orçamento e dos padrões de qualidade. Isso, aliado a boas metodologias, permite criar resultados bem-sucedidos com benefícios duradouros.

 

Metodologias populares de gestão de projetos

Planejamento, gerenciamento e organização são necessários para uma gestão eficaz. Por isso, algumas metodologias se popularizaram, cada uma com seus próprios pontos fortes e fracos. Confira a seguir as metodologias de destaque.

 

Waterfall (Cascata)

A metodologia Waterfall é uma abordagem consagrada, que estrutura um projeto em etapas sequenciais, claramente definidas, abrangendo desde a concepção dos requisitos até a etapa de implementação.

Essa abordagem linear oferece a vantagem de permitir um planejamento completo e uma estruturação detalhada desde o início do projeto. Isso se traduz em uma execução mais eficiente e uma gestão mais precisa do progresso do projeto.

A metodologia Waterfall, tradicionalmente, segmenta um projeto em cinco fases distintas:

A metodologia Waterfall continua a ser amplamente adotada por empresas de diversos setores. De acordo com um estudo realizado pelo PMI, em 2022, 56% dos projetos optaram por metodologias tradicionais, incluindo o Waterfall.

 

Gestão de Projetos Agile

A metodologia ágil representa um conjunto de princípios e práticas voltados para a otimização da eficiência e eficácia em projetos. Sua base reside na abordagem de fragmentar projetos extensos em tarefas menores, executadas de maneira rápida.

Isso viabiliza maior flexibilidade e adaptabilidade aos projetos, permitindo respostas ágeis às mudanças e entregas mais imediatas aos clientes. Diversas metodologias ágeis coexistem, entre as quais se destacam o Scrum, Kanban e Kaizen. Veja mais sobre elas:

 

Scrum

Essa metodologia ágil de gerenciamento de projetos se baseia em sprints, que são períodos de tempo fixos (geralmente de duas a quatro semanas), durante os quais uma equipe trabalha para entregar um conjunto de tarefas definidas no início do sprint.

No Scrum, a equipe se auto-organiza e define as tarefas a serem realizadas durante o sprint, buscando uma entrega de valor ao final de cada ciclo.

 

Kanban

O Kanban se concentra na visualização e otimização do fluxo de trabalho. É baseado em um sistema de cartões, em que cada cartão representa uma tarefa ou item de trabalho. As tarefas são movidas de uma coluna para outra em um quadro Kanban, à medida que progridem no processo.

Isso permite uma visão clara do status de cada tarefa e identifica gargalos ou áreas de melhoria no fluxo. O Kanban é particularmente útil para equipes que precisam lidar com demandas variáveis e frequentes mudanças, pois proporciona flexibilidade e permite ajustes em tempo real.

 

Kaizen

O Kaizen é uma filosofia de gestão japonesa que enfatiza a melhoria contínua. É baseado na ideia de que pequenas mudanças frequentes podem levar a grandes melhorias em longo prazo.

Essa metodologia envolve a participação de todos os níveis da organização na identificação e implementação de melhorias. É uma abordagem sustentável que evita interrupções significativas nos processos e tem sido amplamente adotada em várias organizações ao redor do mundo.

 

Como escolher uma metodologia adequada para a gestão de projetos?

Escolher a melhor metodologia de projetos é uma decisão importante, mas não precisa ser difícil. Aqui estão alguns fatores a serem considerados:

Após ponderar cuidadosamente esses aspectos, é possível direcionar a escolha da melhor metodologia de projeto para a tarefa em questão. Se houver incertezas a respeito da metodologia mais apropriada, é sempre uma opção válida buscar o auxílio de um especialista.

 

Tendências emergentes na gestão de projetos

As novidades e tendências mais atuais em gestão de projetos estão redefinindo a forma como os projetos são concebidos, executados e finalizados. Um dos destaques vai para a incorporação da inteligência artificial.

O uso da IA na gestão de projetos está proporcionando novas perspectivas, desde a previsão de riscos até a automação de tarefas rotineiras. Isso otimiza a alocação de recursos e agiliza a tomada de decisões informadas.

Um bom exemplo é o uso do ChatGPT, que permite a agilidade em vários processos, como refinamento de ideias por meio de brainstorming, síntese de objetivos SMART, análise de valor, OKRs e outras etapas.

A ferramenta pode analisar a lista de objetivos de desenvolvimento sustentável, identificar geração de valor e benefícios do projeto, fornecer uma lista de potenciais clientes entre várias outras possibilidades. Utilizar o ChatGPT colabora para a eficiência dos processos.

Por sua vez, o gerenciamento ágil de projetos, como citado acima neste artigo, ganha evidência ao oferecer vantagens significativas, como flexibilidade e capacidade de adaptação às mudanças, impulsionando a inovação.

As práticas recomendadas nesse contexto incluem iterações rápidas, colaboração intensiva entre equipes multifuncionais e priorização constante de tarefas de alto valor. Essa abordagem permite resultados mais alinhados com as necessidades dos stakeholders.

Já a gestão remota se mostrou um desafio cada vez mais presente, principalmente com as restrições impostas durante o período de pandemia e lockdown. Com isso, as estratégias para superar obstáculos de comunicação e coordenação entre equipes dispersas são essenciais.

A adoção de ferramentas de colaboração virtual, práticas claras de definição de metas e uma comunicação transparente são fundamentais para o sucesso. Em um mundo cada vez mais conectado digitalmente, a capacidade de gerenciar projetos remotamente se torna um diferencial competitivo.

 

Avançando na carreira de gestão de projetos com certificações

Com os desafios da era digital, a qualificação profissional é cada vez mais importante para se destacar no mercado de trabalho. No campo de gerenciamento de projetos, existem muitas certificações relevantes que podem ajudar os profissionais. Entre elas, destacamos:

PMP (Project Management Professional): É a certificação mais reconhecida na área de gerenciamento de projetos, reconhecida em mais de 150 países. Para obtê-la, é preciso ter experiência e formação na área, além da aprovação em um exame.

CAPM (Certified Associate in Project Management): Essa certificação é para profissionais que estão iniciando ou querem trabalhar com gestão de projetos. Ela é uma ótima maneira de demonstrar e testar suas habilidades e conhecimentos.

PRINCE2 (PRoject IN Controlled Environments): Certificação para profissionais que trabalham em ambientes de gerenciamento de projetos complexos, com experiência na metodologia PRINCE2. Ela é oferecida pelo Axelos e é reconhecida em todo o mundo.

 

Benefícios de se obter certificações na carreira de gestão de projetos

Obter certificações em gerenciamento de projetos oferece uma série de benefícios:

Credenciais como o PMP e o CAPM demonstram proficiência em metodologias, práticas e padrões reconhecidos globalmente. Isso pode abrir portas para posições de liderança, projetos mais complexos e salários mais atrativos.

Além disso, a obtenção de certificações reflete um compromisso com o desenvolvimento contínuo, mostrando que você está atualizado com as melhores práticas da indústria. Um bom curso de gestão de projetos pode ser seu aliado para estar preparado para as certificações.

Ao escolher uma certificação, é importante considerar seus objetivos profissionais. Para isso, avalie se está apenas começando sua carreira ou se já tem alguns anos de experiência em gerenciamento de projetos.

 

Esteja um passo à frente

Em um mundo cada vez mais conectado e dinâmico, a gestão de projetos desempenha um papel crucial no sucesso das organizações. E isso pode ser observado por meio de metodologias ágeis e da incorporação da inteligência artificial.

Em meio aos desafios e oportunidades, os profissionais de gerenciamento de projetos lidam diariamente com as necessidades de otimizar processos, tomar decisões informadas e entregar resultados consistentes.

Por isso, certificações como o PMP, CAPM e PRINCE2 ampliam as perspectivas e impulsionam o crescimento na carreira, validando habilidades e conhecimentos fundamentais. Para estar preparado, acompanhe nosso blog para mais informações e conhecimento.

 

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

 

Conheça os cursos de Gestão de Projetos da Fundação Vanzolini.

 

ENTRE EM CONTATO

O Business Agility está presente em todas as partes de um negócio. Diferentemente do que se imagina, a agilidade está focada nas pessoas. Quer saber mais sobre o assunto? Siga com a gente nesta leitura.

 

O que é Business Agility?

A agilidade dos negócios é um processo contínuo, não é uma metodologia ou uma técnica para ser aplicada uma única vez. Ela está relacionada à capacidade que a organização tem de criar, alavancar mudanças e gerar valor.

Porém, a percepção de valor é diferente para cada pessoa e, dessa forma, a capacidade de adaptação acaba sendo um aspecto primordial nesse processo.

A agilidade pode ser entendida como um modo de pensar e, assim, ser estabelecida de diversas maneiras, usando diferentes abordagens, estruturas e modelos operacionais.

Apesar do Business Agility ter essa característica de ampla personalização, existem algumas estruturas que foram testadas e são comprovadamente efetivas. Por isso, é importante conhecê-las para um melhor resultado em sua organização.

Um exemplo que podemos citar é a definição em cinco domínios feita pelo Business Agility Institute. Veja a seguir:

Utilizar os conceitos de Business Agility pode ser relevante para melhorar o dia a dia não somente de áreas que executam projetos, como a área de Tecnologia e o Marketing, mas também nos times de Recursos Humanos, Finanças, Controladoria e outros.

 

Mundo VUCA x Mundo BANI

Conceitos criados para definir, de modo geral, o comportamento dos indivíduos. O VUCA surgiu em 1980, após a Guerra Fria, período em que o mundo era visto como Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo. Essas características foram a base das estratégias corporativas de muitos negócios, durante muito tempo.

Contudo, a partir de 2020, após o início da pandemia da Covid-19, novas definições foram listadas, surgindo assim o Mundo BANI – Frágil, Ansioso, Não linear e Incompreensível.

Essa mudança fez com que as empresas precisassem adaptar o seu modo de pensar, tanto sobre questões internas como externas. Tornou-se necessário a implementação de mais agilidade em suas estruturas.

 

“O maior desafio para a adoção de práticas ágeis em uma organização é a falta de preparo das pessoas que não fazem parte do time (que não receberam treinamento). Elas acabam não entendendo qual é o valor (da agilidade).”

— Rodrigo Silva, especialista em agilidade e professor da Fundação Vanzolini.

 

Implementação do Business Agility

Existem alguns pontos que impactam a eficiência da agilidade nos negócios, como manter uma estrutura tradicional e hierárquica, na qual os líderes não estão acessíveis. Ter uma cultura com processos engessados e pessoas desengajadas em melhorias.

Esses exemplos apontam a necessidade do desenvolvimento de uma inteligência organizacional, para que não existam entraves na adoção de práticas ágeis.

Após esse alinhamento cultural, a agilidade empresarial poderá ser praticada de diversas maneiras, confira algumas:

 

Métodos e Frameworks Ágeis

Conheça aqui as opções de métodos, ferramentas e frameworks para implementação de Business Agility e Práticas Ágeis:

 

Design Thinking

Mais do que um método para a resolução de problemas, o Design Thinking é um processo centrado em pessoas. Dividido em seis etapas principais, nas quais se busca entender o problema e explorar maneiras de solucioná-lo, até materializar a implementação efetivamente.

 

Scrum

Frequentemente, o Scrum é o primeiro framework que os times inserem em suas equipes. Pode ser usado para a resolução de projetos simples até os complexos. Sua estrutura é dividida entre: papéis, na qual  é definida a responsabilidade de cada membro; cerimônias, que engloba as reuniões, o planejamento e a execução; e os artefatos, listas de requisitos do produto e do sprint, até a finalização do projeto.

 

Kanban

Pode ser definido como um quadro dividido em colunas, em que cada uma delas representa uma etapa do processo. É um framework bastante adaptável, contudo, a base mais comum está dividida em: To Do, itens que ainda precisam ser realizados; Doing, processos que estão em desenvolvimento; e Done, etapas que já foram concluídas.

Além disso, o Kanban é capaz de fornecer diversas métricas para serem analisadas e melhorias a serem implementadas.

 

Nexus

O framework ideal para momentos em que é necessário a integração de vários times que estão trabalhando no mesmo projeto. Há apenas um backlog geral, no qual as demandas, posteriormente, serão divididas em “pequenos projetos” para cada equipe.

As informações de andamento são compartilhadas entre as equipes por meio de seus respectivos Scrum Masters.

 

SAFe

Esse framework, por sua vez, possui uma estrutura que possibilita ir além do gerenciamento de projetos. Com uma visão geral de todos os papéis dentro da organização, é usado para organizar, de forma ágil, a empresa por completo.

 

Disciplined Agile

É um kit de ferramentas focado em entender o contexto atual da situação. Feito para otimizar os processos de decisão, fornece orientações para ajudar tanto pessoas, como times e organizações. Incentiva o trabalho colaborativo.

 

Webinar | Business Agility – Como Gerar Valor através de Práticas Ágeis na Organização?

Assista agora mesmo, na íntegra, o Webinar “Como Gerar Valor através de Práticas Ágeis na Organização?”, no qual o professor Rodrigo Silva explica, em detalhes, o que é o Business Agility e a importância da implementação em sua empresa.

Ao longo da apresentação, Rodrigo traz diversos exemplos, aplicando os conceitos explicados a diversos setores.[vc_video link=”https://www.youtube.com/watch?v=DIcssQ5o3po”]

Potencialize o valor intangível da sua empresa

Adaptar-se aos novos comportamentos da sociedade é necessário e, para isso, implementar a agilidade nos negócios é o primeiro passo para um melhor desenvolvimento e aceitação do público. Não fique para trás.

 

Aprenda com especialistas no assunto! Conheça os cursos de Agile da Fundação Vanzolini.

 

Agile Business Analysis
Agile Coach
Agile Scrum – Product Owner
Agile Scrum Foundation – Preparatório para a certificação EXIN
Agile Scrum Master – Formação para um verdadeiro Scrum Master
Como potencializar a agilidade organizacional com OKRs
Introdução ao Agile Scrum Master
Introdução ao Agile Scrum – Product Owner
Kanban Foundation
Management 3.0 – Foundation (com certificação internacional)
Trilha Agile (com Scrum Foundation)

 

ENTRE EM CONTATO

Quando o assunto é gerenciamento de projetos, dezenas de metodologias estão disponíveis para conduzir esse tipo de trabalho. No entanto, um conceito específico se destaca quando observamos o tema com mais profundidade: os métodos ágeis.

(mais…)