Fundação Vanzolini

Por iniciativa das associações ABEMD, ABRAREC e ABT, o Programa de Autorregulamentação do Setor de Relacionamento apresenta Norma de Maturidade de Gestão e Códio de Ética que promovem a qualidade do atendimento, o respeito ao público e a evolução constante da gestão estratégica, dos processos, das pessoas e da tecnologia das organizações certificadas.

Os requisitos podem ser implementados por empresas de relacionamento ativo ou receptivo, como call centers, contact centers, help desk, de serviço de atendimento ao consumidor  e/ou telemarketing.

A certificação é composta por dois referenciais:

Selo de Ética

Atesta que a organização certificada está de acordo com as diretrizes do Código de Ética do PROBARE. 

Norma de Autorregulamentação do Setor de Relacionamento

Norma para fins de avaliação e definição do perfil de maturidade de gestão.  Este referencial representa um sistema de gestão e está estruturado em quatro capítulos: gestão estratégica, gestão de processos, gestão de pessoas e gestão da tecnologia.

Confira para quais serviços de relacionamento a certificação PROBARE é recomendada.

Atendimento e relacionamento com o Consumidor
Consultas de pré-venda, venda e pós-venda
Suporte técnico
Pesquisas diversas
Recuperação de Consumidores
Serviço de Atendimento ao Consumidor
Processamento de Transações
Avaliação da percepção do Consumidor sobre produtos e serviços
Ouvidoria

As vantagens da certificação PROBARE para a sua organização impactam processos e pessoas.

Para as centrais de relacionamento prestadoras de serviço

Adequação dos serviços às normas reconhecidas nacionalmente, demonstrando credibilidade aos parceiros e ampliando oportunidades de futuros negócios.

Para as empresas contratantes

Garantia de ter uma prestadora de serviço qualificada.

Para as Centrais de Relacionamento próprias

Melhora na satisfação dos clientes e também dos colaboradores devido a uma gestão mais eficiente.

Por que escolher a Fundação Vanzolini?

Pioneira em certificação no Brasil e referência no exterior
Criada e gerida por professores do departamento de Engenharia de Produção da POLI-USP
Comprometida com o desenvolvimento sustentável do país
Mais de 400 auditores e especialistas no Brasil, América do Sul, Europa e Ásia
Auditoria de riscos frequente para avaliação de imparcialidade dos avaliadores
Portfólio com mais de 70 normas de certificação nacional e internacional.

Você sabe quais são as etapas do processo de Acreditação ONA?

O setor da saúde tem passado por significativos avanços na gestão da qualidade. Para a avaliação da qualidade em saúde, tem-se dado destaque para o sistema de acreditação, que consiste numa estratégia sistemática, periódica, reservada e voluntária. Seus métodos permitem avaliar a qualidade dos serviços de saúde, mediante padrões previamente definidos.

Antes de detalhar as etapas que compõem o processo, vamos pontuar o que é a Acreditação ONA, sua importância e os benefícios gerados às instituições acreditadas.

Acreditação e Selo de Qualificação ONA

A Acreditação ONA é um processo de avaliação e certificação de serviços de saúde, que obedece aos padrões de gestão e segurança estabelecidos pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) e que é reconhecido, internacionalmente, pela IsQUA.

Essa avaliação envolve a gestão e a assistência voltadas para a segurança do paciente. É voluntária, sigilosa, periódica e tem caráter fiscalizatório. Embora tenha iniciado em ambientes hospitalares, hoje, existem outras organizações de saúde que podem ser acreditadas, como clínicas, laboratórios e centro de imagens. Houve também um grande crescimento na atenção básica, no último ano, sendo a Vanzolini a maior responsável por estas certificações.

Já o Selo de Qualificação ONA é destinado a serviços de apoio a organizações de saúde, como Processamento de Roupas para a Saúde; Dietoterapia; Manipulação e Atenção Farmacêutica; Esterilização e Reprocessamento de Materiais; Engenharia Clínica; Higienização; Nutrição Clínica e de produção. A avaliação também é voluntária, periódica e reservada e o certificado é concedido à instituição que atender aos critérios de segurança, incluindo aspectos estruturais e de gestão.

ONA: a importância da Acreditação e Selo de Qualificação

A acreditação serve como referência – em nível nacional – de qualidade para os processos dos estabelecimentos avaliados. O papel da Acreditação ONA é justamente padronizar processos que, ao mesmo tempo que garantem maior eficiência da equipe, reduzem os custos desnecessários aos serviços de saúde.

Assim, a avaliação é feita periodicamente, com o objetivo de estimular a melhoria contínua dos processos.

Tanto a Acreditação quanto o Selo de Qualificação ONA são ferramentas de gestão que permitem padronização e alinhamento de processos, assim como incentivam a melhoria contínua, entre todos os envolvidos, como colaboradores, alta administração, os serviços terceirizados, entre outros.

Ambos criam um ambiente de cultura de segurança e provocam nos colaboradores o olhar para os resultados de maneira que a tomada de decisão seja consistente e a gestão assertiva.

A implantação de ações de melhoria e boas práticas da qualidade e segurança do paciente em serviços da saúde associados à acreditação proporcionam aumento da produtividade, maior satisfação aos pacientes e clientes, e agregam valor à instituição.

Vale lembrar que as metodologias de avaliação para Acreditação e para o Selo de Qualificação ONA são voluntárias e reservadas, não tendo caráter fiscalizatório. Não são metodologias com caráter prescritivo, por isso não recomenda ferramentas e técnicas que devem ser seguidos. Por essa razão, têm como função principal ser um programa de educação continuada dentro dos serviços de saúde.

Saiba mais no e-book A jornada da acreditação

Benefícios da Acreditação e Selo de Qualificação ONA para o sistema de saúde

Além de determinar quais os melhores procedimentos de gestão que garantem a máxima segurança dos pacientes, a acreditação hospitalar tem ainda a função de otimizar a utilização de insumos, aumentar a produtividade dos profissionais e desenvolver o entendimento estratégico, tendo como meta a melhoria da qualidade do atendimento.

Desenvolver as seis metas internacionais de segurança do paciente é parte da metodologia. Incidentes acontecem e na metodologia são notificadas e tratadas, com olhar preventivo evitando recorrências, tornando a assistência cada vez mais segura.

A obtenção do certificado traz inúmeros benefícios ao serviço de saúde. Além de gerar maior confiabilidade perante o mercado e garantir maiores reajustes junto às operadoras de planos de saúde, ter a Acreditação mostra que toda a sua equipe está focada na melhoria contínua dos processos, visando sempre o atendimento mais seguro dos pacientes.

Outros benefícios da acreditação hospitalar é passar a estabelecer processos internos com alto grau de perfeição, com redução da burocracia e otimização do tempo dos profissionais envolvidos nos procedimentos. Para os gestores, isso resulta numa equipe mais comprometida e que passa a ser mais produtiva, ao mesmo tempo que presta um melhor atendimento, reduzindo as possibilidades de erros.

O Selo de Qualificação ONA assim como a Acreditação permitem uma visão sistêmica e a integração de setores dentro da instituição. Os processos e riscos são mapeados, as interações entre processos definidas e todos passam a trabalhar no sentido de um objetivo comum, definido no planejamento estratégico. Ter o Selo oferece maior segurança à organização de saúde contratante, que sabe estar contratando uma empresa com processos padronizados e mais seguro.

Etapas da Acreditação e Selo de Qualificação ONA

A acreditação hospitalar cria a cultura do aperfeiçoamento constante, da preocupação com os detalhes e com a otimização dos processos. Para aderir ao processo de acreditação hospitalar, o serviço de saúde deverá cumprir alguns pré-requisitos, entre os quais estar constituída legalmente há mais de um ano, ter alvará de funcionamento e apresentar todas as licenças sanitárias. Para iniciar o processo de acreditação, é preciso:

No Brasil, a Acreditação é representada na forma de níveis (Acreditado; Acreditado Pleno; Acreditado com Excelência e Não Acreditado) e os critérios que regem cada nível podem ser observados no Manual Brasileiro de Acreditação, proposto pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), criada em 1999.

Para serem certificados, hospitais e clínicas médicas são avaliados em três níveis, baseando-se em padrões que abrangem aspectos de estrutura, processo e resultado:

Acreditado (Nível 1): atendimento integral ao conceito de segurança em todos os processos organizacionais;

Acreditado Pleno (Nível 2): adicionalmente ao conceito de segurança, inclui conceitos de gestão integrada, alinhando resultados a estratégias e ações para promoção da qualidade, por meio de melhoria contínua;

Acreditado com Excelência (Nível 3): complementa a acreditação plena com o conceito de excelência em gestão, estreito relacionamento com todas as partes interessadas, responsabilidade socioambiental, dentro do contexto da promoção da qualidade por meio ciclos de melhoria contínua.

Para saber como avaliar uma instituição de saúde de acordo com as normas da ONA, confira o curso completo oferecido pela Fundação Vanzolini. A formação tem 24 horas de duração, no formato EaD ao Vivo, com acesso direto ao professor e aos outros alunos durante as aulas. Esperamos por você!

Para aderir ao processo de Acreditação ONA, o serviço de saúde deverá cumprir alguns pré-requisitos, entre os quais estar constituída legalmente há mais de um ano, ter alvará de funcionamento, apresentar todas as licenças sanitárias e ter atualizado o Responsável Técnico conforme o serviço prestado pela instituição. Para iniciar o processo de Acreditação, é preciso:

No Brasil, a metodologia da Acreditação ONA é a única que permite a certificação por níveis:

Acreditado (Nível 1): segurança em todos os processos organizacionais; certificado tem validade de dois anos.

Acreditado Pleno (Nível 2): segurança e gestão integrada; certificado tem validade de dois anos;

Acreditado com Excelência (Nível 3): excelência em gestão, demonstrando uma cultura organizacional de melhoria contínua com maturidade institucional; certificado tem validade de três anos;

Todas as avaliações são realizadas com a aplicação do Manual Brasileiro de Acreditação versão 2022.

O Selo de Qualificação ONA é concedido ao serviço que atender os requisitos do Manual Brasileiro de Acreditação: Serviços para a Saúde – Selo de Qualificação ONA, e o certificado tem validade de um ano.

Para saber como avaliar uma instituição de saúde de acordo com as normas da ONA, confira o curso completo oferecido pela Fundação Vanzolini. A formação tem 24 horas de duração, no formato EaD ao Vivo, com acesso direto ao professor e aos outros alunos durante as aulas. Esperamos por você!

Fontes:

Alves VLS. Gestão da qualidade: ferramentas utilizadas no contexto contemporâneo da saúde. São Paulo: Martinari, 2012.

Organização Nacional de Acreditação – ONA. Manual das organizações prestadoras de serviços de saúde. Brasília (DF); 2014.

nexxto.com/acreditacao-hospitalar

ona.org.br/acreditacao/o-que-e-acreditacao/ (27.02.2024; 16:00)

Saiba como otimizar processos operacionais a partir de ferramentas indispensáveis e das melhores estratégias para a empresa.

Otimizar processos operacionais significa poupar duas coisas importantes para alcançar as metas de um negócio: tempo e dinheiro. Além disso, ainda melhora o desenvolvimento das atividades da empresa. Assim, os benefícios podem ser os responsáveis pelo seu destaque.

Neste artigo, mostraremos as principais estratégias para iniciar a otimização em um negócio, portanto, leia até o final para saber os primeiros passos para implantá-las, quais são as melhores estratégias e as ferramentas indispensáveis de otimização.

Demorar para executar atividades simples e enfrentar burocracias desnecessárias ficarão no passado.

Boa leitura.

Primeiro passo para otimizar processos operacionais: identifique pontos de melhoria

Para que a otimização funcione, de fato, ela precisa pautar-se em pontos estratégicos. Nesse contexto, é essencial avaliar e identificar quais são os pontos em defasagem, ou seja, aqueles que precisam de melhorias.

A partir deles, se inicia a otimização, pois cada processo tem suas brechas, que, eventualmente, podem prejudicar o desenvolvimento das atividades.

Obviamente, ter conhecimento de tal necessidade é fundamental, mas afinal, como proceder para detectar as possíveis lacunas?

Realização de auditorias internas

As auditorias são aliadas, quando o assunto é identificar quais áreas precisam de melhorias em processos diários. Em resumo, elas são responsáveis por revisar, sistematicamente e imparcialmente, todas as fases das operações, desde as políticas, as estratégias, ao controle e a organização.

Durante o exercício das atividades, não é possível perceber o processo como um todo, assim como, às vezes, é difícil conseguir detectar os resultados dos processos e o que, efetivamente, está dando certo ou errado.

A auditoria interna serve não apenas para examinar as práticas e alinhá-las conforme os objetivos, mas também para reforçar a transparência, a normatização adequada e a eficiência operacional.

Coleta de feedback dos funcionários e clientes

Não há termômetro mais eficiente do que (re)conhecer o ponto de vista de funcionários e clientes, isso porque eles são os responsáveis pelos processos, no caso dos funcionários, e os maiores interessados nos resultados, no caso dos clientes.

Por um lado, o feedbackdos colaboradores:

Por outro, o feedbackdos clientes serve para:

Como colocar essa ideia em prática?

Observação direta dos fluxos de trabalho

A observação do fluxo, semelhante à auditoria, envolve analisar as atividades realizadas diariamente, as tarefas executadas, quem são os responsáveis por cada etapa e quais ferramentas são utilizadas.

Tendo claro os aspectos acima, facilita-se a verificação de onde ou em quais partes estão as ineficiências e as brechas dos processos operacionais.

Para adiantar esta fase, leia: Como melhorar a eficiência nos processos de negócios.

Por fim, o ideal e mais indicado é a mescla de todos os pontos citados. Cada um deles irá intervir em tópicos específicos, algo importante para otimizar processos operacionais, pois, assim, se tem uma visão prática e contextualizada.

Quais são as estratégias para implementar mudanças?

Após ter ciência dos pontos a serem melhorados, as principais estratégias de colocar as melhorias em prática, são:

Definição de metas claras

A frase “para quem não sabe aonde vai, qualquer caminho serve” nunca foi tão verdadeira. Porém, não entenda o “servir” como algo bom, pois isso não te levará aos seus objetivos.

Definir metas claras, mensuráveis e reais, é o primeiro passo para iniciar mudanças que farão diferença. Dessa forma, vale se apropriar do método SMART:

A técnica define critérios responsáveis por garantir se uma determinada meta é clara e coerente à realidade. Pondere sobre cada um dos tópicos e tenha um objetivo muito mais claro e alcançável.

Alocação adequada de recursos

A maioria das mudanças não é simples e colocá-las em prática requer a utilização de recursos financeiros, humanos e tecnológicos.

Sabendo quais são as mudanças necessárias, os responsáveis devem se debruçar sobre elas e verificar se todos os recursos estão disponíveis, para que sejam alocados adequadamente.

Assim, as mudanças podem requisitar orçamento para investimentos em novas ferramentas, treinamento para os funcionários e até mesmo tempo para a equipe se dedicar aos novos procedimentos.

Ainda em relação aos profissionais, para saber como alcançar uma gestão de operações produtiva, clique no link em destaque.

Formação de equipes multidisciplinares

As mudanças quanto a otimizar processos operacionais requerem a devida capacitação da equipe. O ideal, então, é que todos os setores afetados por elas passem por formações multidisciplinares, por membros de diferentes áreas de conhecimento, para mostrar aos colaboradores novas perspectivas e abordagens.

Para garantir a adesão de todos os envolvidos, fazê-los estar a par de todos os procedimentos, principalmente os novos, faz-se necessário para que o desenvolvimento das atividades seja o mais eficiente possível.

É importante lembrar que a comunicação eficaz deve, obrigatoriamente, alinhar-se à formação, garantindo o melhor impacto dos processos diários.

Ferramentas para otimização de processos

Por último, após a identificação e as estratégias, uma alternativa interessante e muito adequada diz respeito ao uso de ferramentas de otimização.

Abaixo, citamos algumas delas, mas recomendamos que se aprofunde sobre cada uma e analise qual é a melhor (ou as melhores), conforme as demandas da sua empresa.

Otimizar processos operacionais irá, além de facilitá-los, torná-los mais eficientes, e, com isso, poupar tempo e aumentar os lucros.

Para obter resultados mais consistentes para toda a organização, desenvolva um plano de melhorias alinhado aos objetivos estratégicos do negócio.

Saiba mais em: Melhoria de Eficiência nos Processos de Negócios. Te ajudamos a alcançar resultados e a desenvolver um plano de melhorias alinhado aos objetivos estratégicos do seu negócio.

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

Conheça os cursos de Gestão de Operações da Fundação Vanzolini.

ENTRE EM CONTATO

Até o próximo!

Fontes:

zendesk.com.br/blog/tecnica-smart/

setting.com.br/blog/processos/otimizacao-processos/

jrconsultoria.com.br/5-ferramentas-para-otimizar-processos-na-sua-empresa/

https://blog.zapsign.com.br/otimizacao-de-processos/

https://blog.solides.com.br/otimizacao-de-processos/

https://blog-pt.checklistfacil.com/otimizacao-de-processos/

Treinamentos e ou cursos direcionados e pensados para cada organização, para cada time. Aprendizado para ser aplicado imediatamente no dia a dia e para garantir a melhoria contínua dos profissionais.

Os cursos in company são, em geral, feitos sob medida para a demanda de cada empresa, de acordo com seu momento e suas necessidades específicas. Dessa maneira, podem ser vistos como um investimento com retorno mais assertivo e eficiente, visto que vai no cerne da questão.

Além disso, investir em cursos e treinamentos no modelo in company é capaz de gerar, nos talentos da organização, sentimentos de valorização, reconhecimento e satisfação, que reverberam em maior engajamento, segurança e produtividade.

Sendo assim, os cursos in company são aliados importantes, pois agregam valor à marca, engajam e elevam o padrão de seus profissionais. Quer saber mais sobre os cursos in company, suas vantagens e impactos no sucesso dos negócios? Então fica que este texto é pra você!

A importância de qualificar talentos – e não esperar por eles prontos

Investir em cursos e treinamentos in company é uma forma de qualificar os talentos que já fazem parte do quadro da empresa, desenvolvendo habilidades e conhecimento dos profissionais que já são da casa.

Segundo estudiosos do tema, como Werther Jr e Davis (1983):

“através do treinamento dentro das organizações, obtêm-se inúmeros benefícios, que incluem: maior rentabilidade, melhoria no conhecimento e execução dos cargos em todos os níveis de uma hierarquia, melhoria da autoestima dos colaboradores, ajuda os trabalhadores a se identificarem com as metas da organização, cria uma melhor imagem da empresa, proporciona melhoria no relacionamento entre chefe e subordinados, ajuda na tomada consciente de decisões e soluções de problemas efetivos, ajuda no desenvolvimento para a promoção do trabalho interno, aumenta a produtividade e qualidade do trabalho, ajuda os empregados a se adaptarem melhor às mudanças, auxilia no tratamento de conflitos e na melhoria da comunicação, além de promover a redução dos custos de consultoria externa, por utilizar consultoria interna competitiva”.

Desse modo, podemos entender que, por meio do treinamento, as pessoas trabalhadoras podem se sentir mais confiantes, produzindo melhor e desenvolvendo suas habilidades com mais eficácia.

Vale destacar que a capacidade de aprendizagem contínua, como nos casos dos cursos in company, é uma aliada competitiva sustentável, pois mostra que o treinamento constante pode ser benéfico para a vida toda, ajudando os profissionais no presente e em responsabilidades futuras.

Falta de mão de obra qualificada – um desafio a ser superado

Para entender melhor a importância do investimento em capacitação interna dos profissionais, vamos a um panorama que tem desafiado as organizações: a escassez de mão de obra qualificada.

Uma pesquisa realizada pelo ManpowerGroup apontou que a falta de mão de obra qualificada no Brasil atingiu a marca de 81% em 2022 – a média global é de 75%.

A consultoria ouviu 40 mil empregadores, em 40 países, e 3 em cada 4 empresários relatam dificuldades para encontrar talentos.

Uma outra consultoria de recrutamento, a Robert Half, fez um levantamento no qual apontou que, no terceiro trimestre de 2023, 76% dos recrutadores brasileiros tiveram dificuldade em encontrar profissionais qualificados — aqueles com mais de 25 anos e ensino superior completo.

Um dos motivos para essa escassez está na transformação digital, no avanço acelerado e no desenvolvimento da tecnologia, que trazem cada vez mais soluções ágeis e exigem o melhor da competência humana.

Sendo assim, com a falta de mão de obra, a urgência e a rapidez com que o mundo caminha, especialistas apontam que a sustentabilidade está em trabalhar com o preparo dos profissionais, a empresa precisa ser um pool de talentos, e não buscar sempre as pessoas já prontas de imediato no mercado.

Pesquisa Panorama do Treinamento e Desenvolvimento no Brasil 2022/2023

Como falamos, a chave para destravar a falta de talentos e contar com profissionais qualificados é o investimento em capacitação. Mas como anda o panorama da qualificação profissional no cenário brasileiro? Para responder a esta pergunta, vamos aos dados do último levantamento feito pela Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD).

17ª edição da PESQUISA PANORAMA DO TREINAMENTO NO BRASIL – INDICADORES DE MERCADO PARA A GESTÃO DO T&D

De acordo com a pesquisa, a média brasileira de investimento anual em treinamento e desenvolvimento teve um crescimento de 34% em 2022, retomando os valores pré-pandemia.

Desse modo, o investimento anual, por trabalhador, foi de R$1012,00. Já em relação aos setores, Indústria e Serviço navegam sincronizados nesse indicador, com pequenas diferenças. O setor Indústria aumentou 48% seu investimento por colaborador neste ano, enquanto no setor Serviço o aumento foi de 17%.

Cursos in company na Vanzolini: solução sob medida para capacitação profissional

Bem, depois de percorrermos todo o cenário atual, é possível entender como a capacitação profissional pode ser considerada como um fator estratégico e decisivo para o futuro organizacional, certo?

Dessa maneira, como dissemos no início deste texto, os cursos in company são aliados e voltados à prática organizacional. Além disso, muitas vezes, são pensados sob medida para cada empresa, com foco em solucionar necessidades específicas de cada organização, potencializando os resultados.

Portanto, diante do quadro de escassez de mão de obra qualificada e da dificuldade de reter talentos no mundo do trabalho atual, os cursos in company são aliados na formação e na promoção da capacitação das pessoas que já estão na empresa, que já estão inseridas na cultura e na rotina organizacional.

Com os cursos in company, é possível direcionar melhor o aprendizado para o que é relevante e necessário para o profissional e para a empresa naquele momento, para aquele projeto, ou um caso específico. Ou seja, otimiza e potencializa as ações.

Para uma das referências da administração moderna, Peter Drucker, “Toda empresa precisa se tornar uma instituição que aprende. Ela também precisa se tornar uma instituição de ensino”. Trabalho e ensino devem caminhar juntos, pois o aprendizado não deve se esgotar.

Importante destacar que os cursos in company podem acontecer dentro da própria empresa, em um lugar diferente ou por meio do ensino a distância. Ou seja, há uma flexibilidade que colabora para atender diferentes demandas.

Com isso, os profissionais da empresa podem ter acesso às novas técnicas e conceitos de diversas formas, adquirindo ou aprimorando suas habilidades e competências.

Por fim, para oferecer capacitação com qualidade e excelência, as organizações podem contar com a Fundação Vanzolini e sua modalidade de cursos in company – nas mais diversas áreas -,  nos quais situações reais podem ser discutidas, abordadas e solucionadas com professores renomados e em atividade no mercado.

Para transformar o potencial dos colaboradores da sua empresa com excelência, conheça os Cursos In Company da Fundação Vanzolini.

ENTRE EM CONTATO

Até o próximo!

Fontes:

https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/35803/3/VAILTON%20%20UFMG%20%20FINAL.pdf

https://www.cnnbrasil.com.br/economia/escassez-de-mao-de-obra-qualificada-no-brasil-atingiu-81-em-2022-diz-pesquisa/

https://www.otempo.com.br/economia/empresas-reclamam-da-falta-de-mao-de-obra-como-se-ha-tantos-desempregados-1.3253526

https://drive.google.com/file/d/1ts-K67qIZnMqkuBxgWXKnls6CNo5Kb1s/view

https://materiais.integracao.com.br/e-book-pesquisa-panorama-2023

AQUA-HQE™ é uma certificação internacional da construção de alta qualidade ambiental, desenvolvida a partir da renomada certificação francesa HQE™ e aplicada no Brasil exclusivamente pela Fundação Carlos Alberto Vanzolini.

Os requisitos da certificação foram cuidadosamente contextualizados pela Fundação, em parceria com a USP, para agregar valor às construções e projetos no Brasil, considerando aspectos culturais, do clima, das normas técnicas e regulamentações. 

Independentemente do tipo de empreendimento, seja edifício, planejamento urbano ou infraestrutura e em todas as fases de seu ciclo de vida, a certificação AQUA-HQE™ adota uma visão global multitemática e multicritério que combina qualidade de vida, respeito ao meio ambiente, desempenho econômico e gestão e governança para um ambiente de vida sustentável, consistente com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas.  

A Certificação AQUA-HQE™ conquista cada vez mais espaço e relevância no Brasil:

Com a certificação AQUA-HQE™ seu projeto se valoriza, mas o impacto vai além!

PARA  QUEM EMPREENDE

  • Provar a alta qualidade ambiental de sua edificação; 
  • Diferenciar portfólio no mercado;
  • Aumentar a velocidade de vendas;
  • Manter o valor do patrimônio;
  • Melhorar a imagem da empresa;
  • Melhorar relacionamento com órgãos ambientais e comunidades;
  • Economia de recursos nas obras e na operação.

PARA QUEM UTILIZA O ESPAÇO

  • Economias de água e energia;
  • Menores custos de condomínio;
  • Melhores condições de conservação e manutenção da edificação;
  • Melhores condições de conforto e saúde nos ambientes e nos espaços;
  • Melhor qualidade de funcionamento dos sistemas da edificação;
  • Maior valor patrimonial;
  • Melhor qualidade de vida.

PARA O MEIO AMBIENTE E SOCIEDADE

  • Menor demanda sobre a infraestrutura urbana;
  • Menor demanda de recursos hídricos e energéticos;
  • Redução das emissões de gases de efeito estufa e poluentes;
  • Menor impacto à vizinhança;
  • Redução de resíduos e valorização da área;
  • Gestão de riscos naturais e tecnológicos sobre solo, água, ar, etc.

E-books AQUA-HQE™

Referenciais técnicos AQUA-HQE™

  1.  
 
 
 
  1.  

Por que escolher a Fundação Vanzolini?

Pioneira em certificação no Brasil e referência no exterior
Criada e gerida por professores do departamento de Engenharia de Produção da POLI-USP
Comprometida com o desenvolvimento sustentável do país
Mais de 400 auditores e especialistas no Brasil, América do Sul, Europa e Ásia
Auditoria de riscos frequente para avaliação de imparcialidade dos avaliadores
Portfólio com mais de 70 normas de certificação nacional e internacional.
Calculadora AQUA

Esta calculadora é específica para a certificação de edifícios em construção, não sendo aplicável às certificações de edifícios em operação, planejamento urbano, infraestrutura e outras, pois, para estas deverá ser encaminhado o e-mail solicitando a proposta.

    Manual do Cliente

    Manual do Cliente

    Compartilhe:

    As informações a seguir são orientações para o cliente sobre como funcionam as etapas que permeiam o processo de certificação, desde o início da solicitação de proposta até as regras para o uso da marca.

    Em caso de dúvidas, mande um e-mail para certific@vanzolini.org.br ou fale por um dos telefones disponíveis em nossa página Contatos

    Data de atualização: 12/04/23

    CAP.01 - INSTITUCIONAL DA FUNDAÇÃO VANZOLINI
    CAP.02 - A FUNDAÇÃO VANZOLINI É MUITO MAIS QUE UM ORGANISMO DE CERTIFICAÇÃO

    Além da Certificação, conheça aqui as outras entregas da Fundação Vanzolini para a sociedade:

    • Educação
      • Cursos livres, Cursos In Company e Formação em Larga Escala com Tecnologia;
    • PD&I
      • Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação com foco em novos produtos, serviços e metodologias;
    • Soluções
      • Para os desafios de organizações, envolvendo tecnologia, inovação e implementação.
    CAP. 04 - RELACIONAMENTO, CONTATO, E-MAIL E PROCESSOS

    Com a finalidade de garantir o melhor contato possível entre a Fundação Vanzolini e o cliente, clique aqui para entrar em contato com os departamentos da Unidade de Certificação.

    CAP. 05 - ETAPAS DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO

    Etapas

    Responsabilidade

    Detalhes

    1 – Solicitação de proposta de certificaçãoOrganizaçãoFazer solicitação por meio do preenchimento do formulário enviado pela Fundação Vanzolini ou fazer o download do formulário no site da Fundação Vanzolini, na internet. Em caso de dúvidas, contatar a Diretoria  de Certificação nos números disponíveis aqui
    2 – Elaboração da proposta com as informações da organizaçãoFundação VanzoliniCom base nos dados preenchidos e remetidos pela organização, a Fundação Vanzolini procede a sua análise crítica e encaminha a proposta de certificação.
    3 – Envio da propostaFundação VanzoliniA Fundação Vanzolini envia a proposta comercial.
    4 – Aprovação da propostaOrganizaçãoA aprovação da proposta deve ser feita no documento “Instrumento Particular de Contrato de Prestação de Serviços de Certificação” com as assinaturas e datas para a Pré-Auditoria / Auditorias Fase 1 e Auditoria Fase 2 (Certificação).
    5 – Abertura formal do processo de certificaçãoFundação VanzoliniApós a aprovação da proposta, será feita a abertura formal do processo de certificação, que será confirmada à organização por e-mail.
    6 – Confirmação formal das datas solicitadasFundação VanzoliniA Fundação Vanzolini fará o agendamento da auditoria inicial, de acordo com a sugestão no aceite da proposta. Para o agendamento das auditorias de supervisão, a Fundação Vanzolini fará o contato com, pelo menos, três meses de antecedência. Contatos em relação às datas de auditorias deverão ser realizados com o Agendamento.
    7 – Envio do contratoOrganizaçãoNo momento do aceite da proposta, a organização deverá encaminhar duas vias do Instrumento Particular de Contrato de Prestação de Serviços de Certificação assinado para a Fundação Vanzolini, Rua Camburiú, 255, Alto da Lapa – CEP 05058-020- São Paulo – SP, ou, quando aplicável, proceder com a assinatura eletrônica.
    8 – Envio dos documentos solicitadosOrganização

    Para que o auditor possa elaborar o plano de auditoria, encaminhar todos os documentos solicitados à Fundação Vanzolini, dentro do prazo solicitado.

    Os documentos devem ser enviados para manual@vanzolinicert.org.br

    9 – Análise de documentosFundação Vanzolini
    10 – Envio do plano de auditoriaFundação VanzoliniA Fundação Vanzolini enviará o plano de auditoria para que a organização conheça, com antecedência, as áreas e ou processos a serem auditados, bem como os horários. Essa atividade é repetida antes de cada evento de auditoria (pré, fase 1 e fase 2, supervisão)
    11 – Pré-auditoria (opcional)Fundação VanzoliniA pré-auditoria não é obrigatória, mas é fortemente recomendada.
    12- Fase 1 obrigatóriaFundação VanzoliniEsta fase pode ser realizada juntamente com a pré-auditoria.
    13 – Auditoria de certificação fase 2Fundação VanzoliniA equipe auditora realiza a auditoria de certificação apresentando, ao final, o relatório de auditoria e sua recomendação.
    14 – Envio do plano de ações corretivas (PAC)OrganizaçãoApós o término da auditoria Fase 2, a organização deve enviar o Plano de Ações Corretivas.  (Submissão por e-mail para manual@vanzolinicert.org.br)
    15 – Submissão do relatório para a Comissão TécnicaFundação Vanzolini / auditorApós o termino da auditoria, a equipe auditora submete a documentação com o seu parecer para a análise da Comissão Técnica.
    16- Envio do plano de ações corretivas (PAC)OrganizaçãoA análise da Comissão Técnica somente ocorre após o recebimento do Plano de Ações Corretivas e sua respectiva análise e ou aprovação por parte do auditor líder.
    17 – Análise pela Comissão TécnicaFundação VanzoliniA Comissão Técnica realiza a análise do processo de certificação.
    18 – Submissão do processo para o Diretor de CertificaçãoFundação VanzoliniOcorrendo a ratificação do parecer da equipe de auditoria pela Comissão Técnica, o processo de certificação da organização é submetido para a deliberação do Diretor de Certificação da Fundação Vanzolini.
    19 – Envio da Carta de DeliberaçãoFundação VanzoliniApós a deliberação do Diretor de Certificação, a organização recebe uma carta de confirmação da deliberação.
    20 – Envio do certificadoFundação VanzoliniApós aprovação do Diretor, o certificado é encaminhado para a organização.
    21 – Agendamento das datas das próximas auditoriasFundação VanzoliniComo forma da organização se planejar apropriadamente, após a certificação são informadas as datas padrões para as auditorias de supervisão.
    CAP. 06 - INFORMAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA

    É possível encontrar o Formulário de Proposta na página da certificação escolhida e, após preenchimento, o documento deve ser enviado para o e-mail certific@vanzolini.org.br

    CAP.07 - EQUIPE AUDITORA E DIMENSIONAMENTO DE AUDITORIA

    EQUIPE AUDITORA

    A Fundação Vanzolini possui uma equipe de auditores constituída por profissionais com experiência comprovada e formação técnica em práticas de auditoria.

    Todos seus auditores são graduados e são qualificados mediante avaliações.

    Antes da elaboração de uma proposta comercial, a Diretoria de Certificação efetua a análise crítica da solicitação do cliente, garantindo, dessa forma, que os auditores que serão alocados para realizar os eventos de auditoria possuam a competência necessária.

    Após o agendamento das auditorias e antes da realização dos eventos in loco, a Fundação Vanzolini disponibiliza o currículo do auditor, que apresenta sua competência e experiência. Caso exista algum impedimento por parte da organização com relação a algum participante da equipe auditora alocada, a organização deverá se manifestar, com a possibilidade, mediante análise e comprovação da procedência da restrição, alterar a equipe auditora.

    A Fundação Vanzolini promove uma série de atividades com os auditores, de forma a garantir o mais alto padrão de qualidade em sua prestação de serviço. Dentre algumas dessas atividades, pode-se citar:

    a) Treinamentos específicos;
    b) Planejamento de competências para os auditores;
    c) Monitoramento das atividades da equipe auditora, por intermédio do “Questionário de Avaliação de Auditoria nos clientes”, bem como monitoramento do processo de auditoria por Comissão Técnica independente.

    CAP.08 - DEFINIÇÕES: NÃO CONFORMIDADE MAIOR, NÃO CONFORMIDADE MENOR E OPORTUNIDADE DE MELHORIA

    Seguem, abaixo, as explicações das classificações adotadas para os desvios encontrados durante a auditoria:

    Não Conformidade Maior:

    Não conformidade que afeta a capacidade do sistema de gestão de atingir os resultados pretendidos.

    Nota (exemplificativa): Não conformidades poderiam ser classificadas como maiores nas seguintes circunstâncias:

    Se houver uma dúvida significativa e evidenciada sobre a existência de um efetivo controle de processo, ou de que produtos ou serviços atendem aos requisitos especificados.

    Um número de não conformidades menores associadas ao mesmo requisito ou assunto poderia demonstrar uma falha sistêmica e, assim, constituir uma não conformidade maior.

    Não Conformidade Menor:

    Não conformidade que não afeta a capacidade do sistema de gestão de atingir os resultados pretendidos.

    A equipe auditora pode identificar e registrar oportunidades de melhoria, definidas, conforme abaixo, exceto se isso for proibido pelo Procedimento Específico da norma de referência:

    Oportunidade de Melhoria:

    Situação evidenciada de conformidade ao requisito, porém com sinais de tendência de perda de eficácia ou de uma não conformidade futura.

    Esclarecimentos:
    1) Oportunidades de melhoria relatadas devem incluir evidências da conformidade ao requisito;
    2) Não conformidades não devem ser relatadas como oportunidades de melhoria.

    CAP. 09 - PERGUNTAS E RESPOSTAS MAIS FREQUENTES

    Ao longo dos últimos anos, a Fundação Carlos Alberto Vanzolini tem catalogado as principais dúvidas dos clientes. Espera-se que a lista abaixo possa elucidar suas dúvidas.

    1- Quando eu devo solicitar a pré-auditoria?                

    Após a implementação do Sistema de Gestão, a organização deverá realizar, pelo menos, um ciclo de auditorias internas e análise crítica pela alta direção para solicitar a pré-auditoria.

    2- Para que serve a pré-auditoria?

    No início da década de 90, as organizações solicitavam a auditoria de certificação à Fundação Vanzolini sem nenhuma verificação prévia. Normalmente, os auditores detectavam problemas conceituais, como  a não aplicação de requisitos que influenciavam fortemente as questões ambientais. Nesses casos, a certificação não podia ser recomendada, causando transtornos para a organização e certa decepção. Muitas vezes, os problemas advinham de uma incorreta interpretação da norma para o setor de negócio da organização. Com essa experiência adquirida, os Organismos de Certificação em todo o mundo passaram a realizar análises prévias, a fim de diminuir os riscos de não certificação por problemas de adequação. Essas análises prévias são as chamadas pré-auditorias.

    3- Como é feita a pré-auditoria?

    Esse é o primeiro contato da equipe auditora com os responsáveis da organização que pretende se certificar, e serve para aproximar as duas instituições, a Organização e a Certificadora, diminuindo a ansiedade da organização. Na pré-auditoria são seguidas todas as etapas da auditoria de certificação: reunião de abertura, investigação, relato das não conformidades e reunião de encerramento. Caso a organização opte, o auditor da auditoria de certificação poderá ser o mesmo da pré-auditoria.

    A pré-auditoria tem como objetivo analisar criticamente a adequação do sistema de gestão da qualidade. Isso significa que os procedimentos e documentação (inclusive documentações legais) serão verificados em relação a sua adequação à norma de referência.

    Ao final da pré-auditoria, a organização recebe um relatório, contendo todos os itens que devem ser corrigidos, identificados na amostragem realizada na pré-auditoria.

     4- Qual é o prazo padrão entre a pré-auditoria e a auditoria de certificação fase 1 e fase 2?

    Não existem prazos formais definidos. A data da auditoria de certificação fase 1 normalmente é agendada na continuação dos trabalhos desenvolvidos pela pré-auditoria. Se a pré-auditoria e a auditoria de certificação fase 1 não detectaram problemas graves, demonstrando que o sistema está implementado, a auditoria de certificação fase 2 pode ser realizada a qualquer momento, necessitando, apenas, de confirmação da disponibilização de auditores que possam auditar esse tipo de negócio.  Se, ao contrário, a pré-auditoria detectar muitos problemas, que precisam de mais tempo para serem corrigidos, cabe apenas à organização definir o prazo necessário para estar preparado para a auditoria de certificação fase 2.

    Recomenda-se o prazo de um mês entre a auditoria fase 1 e a auditoria de certificação fase 2.

    5- No meu orçamento consta uma pré-auditoria de um dia. Eu acho que é pouco. Posso solicitar mais um ou dois dias de pré-auditoria?

    Sim. A carga horária definida no orçamento é a mínima necessária para avaliar os itens principais da norma. Caso a organização deseje uma análise mais aprofundada, a carga horária da pré-auditoria pode ser aumentada. Haverá um aumento proporcional no preço do evento.

    6- Posso optar por não realizar a pré-auditoria?

    Sim. A Fundação Vanzolini recomenda fortemente a realização da pré-auditoria, porém, se a organização tem muita segurança na adequação e conformidade de seu sistema de gestão, não há problema algum em realizar a auditoria de certificação fase 1 sem a pré-auditoria.

    7- O que é a auditoria de certificação fase 1?

    A auditoria de certificação fase 1 é uma atividade que tem como principais funções:

    a) verificar a documentação do sistema de gestão da qualidade;

    b) avaliar a localização da organização e as condições específicas do local, além de avaliar com o pessoal da organização o grau de preparação para a auditoria fase 2;

    c) analisar a situação e a compreensão da organização quanto aos requisitos da norma, em especial com relação à identificação e controle dos aspectos significativos, atendimento legal, auditoria interna e análise crítica do sistema de gestão;

    d) coletar informações necessárias em relação ao escopo do sistema de gestão;

    e) analisar a alocação de recursos para a Fase 2 e ajustar com a organização os detalhes da auditoria Fase 2.

    8- Quem faz parte da equipe auditora?

    A equipe auditora normalmente é formada por um ou mais auditores. Esses auditores são profissionais com experiência em auditorias e conhecimento no ramo de atividade da organização. Normas internacionais adotadas pela Fundação Vanzolini garantem que o auditor possui conhecimento do ramo do negócio a ser auditado.

    9- Se o auditor não achar desvios na pré-auditoria, já posso receber o certificado?

    Não. A pré-auditoria tem objetivo distinto da auditoria de certificação. A pré-auditoria tem como objetivo verificar se a organização atende a alguns requisitos principais do sistema de gestão e não tem abrangência de amostragem necessária para confirmar a implementação completa de todos os requisitos da norma de Sistema de Gestão da Qualidade.

    A verificação da implementação dos requisitos do Sistema de Gestão da Qualidade e das disposições planejadas é feita, em parte, na Auditoria de Certificação Fase 1 ( aprox. 20 %) e, em parte, na Auditoria de Certificação Fase 2 (aprox. 80%), que não podem ser dispensadas de forma alguma.

    10- Como saberei que áreas serão auditadas na pré-auditoria  e ou auditoria de certificação fase 1, auditoria de certificação fase 2 e auditoria de supervisão?

    Após o recebimento dos documentos solicitados, a equipe auditora elabora um plano de auditoria, contendo os processos a serem auditados e horários que serão avaliados. O plano é enviado com sete dias de antecedência, para que a organização possa se preparar para receber a equipe.

    11- Por que devem ocorrer auditorias de supervisão (acompanhamento) nas instalações da empresa?

    A finalidade das auditorias de supervisão é garantir que o sistema de gestão certificado continua atendendo aos requisitos da norma do Sistema de Gestão da Qualidade e as disposições planejadas. As auditorias de supervisão devem ser realizadas, no mínimo, uma vez por ano. A data das auditorias de supervisão não deve ultrapassar 12 meses, a partir da data de concessão do Certificado.

    12- Posso ter acesso ao currículo do auditor?

    Sim. Ao receber o plano de auditoria, o nome dos auditores é informado ao cliente. Basta consultar o endereço eletrônico citado na folha de rosto do plano de auditoria para que a organização possa acessar os currículos dos auditores.

    13- Quais são os possíveis resultados de uma auditoria de certificação fase 2.

    A equipe auditora, com base nas constatações da auditoria, pode tomar as seguintes decisões:

    • Recomendação da certificação (mediante apresentação de um plano de ação para as não conformidades menores eventualmente detectadas);
    • Recomendação da certificação com auditoria de follow-up (in loco ou documental) para as não conformidades menores críticas;
    • Recomendação da certificação com auditoria extra nos requisitos considerados críticos;
    • Não recomendação da certificação.

    14- Para a recomendação da certificação, é necessária uma auditoria documental ou in-loco para fechar as não conformidades menores? Em resumo, posso ser certificado com não conformidades menores, cujas ações de correção ainda não estejam finalizadas?

    Desde que não existam não conformidades maiores detectadas pela equipe auditora, é possível obter a certificação com não conformidades menores, ainda sem as ações de correção implantadas. A Fundação Vanzolini aceita para as não conformidades menores um plano de ação corretiva, não incorrendo em custos extras para o cliente.

    Na auditoria seguinte, será verificado o tratamento das não conformidades menores. Esse é um ponto importante que diferencia a metodologia da Fundação Vanzolini em relação às demais certificadoras.

    15- O que é a “recertificação”? Ela é obrigatória?

     Antes do término da validade do Certificado da organização, o Sistema de Gestão da Qualidade necessita ser reavaliado de forma completa, para que a certificação seja renovada. Esse evento é chamado de auditoria de “recertificação”. A auditoria de “recertificação” é obrigatória, se a organização pretende continuar certificada.

    16- O que é a Comissão Técnica?

    A Comissão Técnica é um grupo de pessoas devidamente qualificadas e independentes, que tem como função avaliar todo o trabalho da equipe auditora e confirmar ou não a conclusão das auditorias emitidas pela equipe de auditores.

    São objetivos da Comissão Técnica: garantir a confiabilidade, imparcialidade e qualidade de todo o processo.

    17- Essa Comissão se reúne de quanto em quanto tempo? Onde?

    A Comissão Técnica apresenta rapidez e agilidade nas suas decisões, analisando os relatórios de auditoria, semanalmente, nas instalações da Fundação Vanzolini. Como é uma Comissão formada por brasileiros e que se reúnem no Brasil, o processo de decisão é rápido, o que encurta o tempo entre a auditoria e a emissão dos Certificados.

    18- O que é IQNET e o que significa o certificado IQNET     ?

    A IQNET      é uma rede internacional de entidades certificadoras, estabelecida na Suíça, com a participação de certificadoras do mundo inteiro. As certificadoras que fazem parte da rede da IQNET      respondem por, aproximadamente, 30% dos certificados emitidos no mundo.

    A Fundação Vanzolini é membro pleno da IQNET  e é o único organismo de certificação brasileiro escolhido para fazer parte dessa entidade.

    Um certificado IQNET      significa um reconhecimento mundial, pois as principais certificadoras do mundo fazem parte da rede  e podem, caso seja necessário, emitir certificados conjuntos com base na análise feita pela Fundação Vanzolini no Brasil.

    20- O que significa acreditação junto à Cgcre?

    Ter a acreditação junto à Cgcre significa que existem os seguintes controles sobre a atuação da Fundação Vanzolini, dentre outros estabelecidos em norma:

    • Verificação contínua da capacitação das equipes auditoras por meio de auditorias periódicas;
    • Verificação contínua do cumprimento do dimensionamento mínimo para as auditorias, conforme regras definidas pelo IAF;
    • Verificação contínua sobre a isenção e postura ética do organismo certificador.

     Mais informações podem ser obtidas no site: www.inmetro.gov.br

     21- Posso usar a marca de certificação no meu produto?

    Não. Existem regras que devem ser seguidas no uso da Fundação Vanzolini e da marca de certificação. A Fundação Vanzolini define um procedimento que deve ser seguido pela organização certificada.

    Neste manual, no capítulo 11, trata-se especificamente das regras para uso da marca. Consulte!

    22- Sou obrigado a usar a marca da Fundação Vanzolini quando anunciar ao mercado minha certificação?

    Ao contrário de alguns organismos de certificação, a Fundação Vanzolini não obriga que a organização utilize o selo da Fundação Vanzolini em suas propagandas, ainda que recomende fortemente sua aplicação. A organização é livre para comunicar a certificação, dentro de regras internacionais e nacionais vigentes. Contudo, é vedada a criação de selo ou marcas próprias para este fim, podendo incorrer em violação de marcas já registradas.

     23- A Fundação Vanzolini pode fornecer consultoria para implementar o Sistema de Gestão da Qualidade?

    Não. Conforme regras internacionais e regras éticas internas da Fundação Vanzolini, não existe a possibilidade de fornecimento de serviços de consultoria para implementação de qualquer norma que a Fundação Vanzolini certifique.

    A Fundação Vanzolini também não recorre a subterfúgios para tal atividade como uso de organizações coligadas ou controladas.

    A Fundação Vanzolini atua como parceira das organizações de consultoria, reconhecendo, incentivando e até atualizando-as; nunca atua como concorrente.

    24- Quais são os critérios para escolher uma certificadora e avaliar as propostas?

     Na sua escolha, leve em consideração (não necessariamente nesta ordem):

    • Se o organismo de certificação é acreditado pela Cgcre ou organismo de acreditação signatário do acordo de reconhecimento mútuo (MLA) do International Accreditation Forum – IAF, e que atende, portanto, às normas e regulamentos que lhe permitam auditar e conceder certificações (acreditadas) de sistemas de gestão;
    • Competência dos auditores;
    • Se o organismo de certificação cumpre os critérios estabelecidos pelo IAF, quanto ao dimensionamento das auditorias e quanto à qualificação dos auditores, em relação ao escopo da certificação;
    • Não restringir a seleção e contratação pelo critério de menor preço, garantindo uma análise mais ampla, como teor inteiro da proposta, custos explícitos, impostos incluídos e histórico de certificações realizadas;
    • Avaliar se, na proposta comercial, o número de homens-dias para a realização dos serviços está compatível com o volume e a complexidade do serviço.

    25- Posso utilizar o símbolo da ISO e o nome “ISO” estampado em meus produtos?

    Não! O símbolo da ISO, e a marca “ISO” são marcas registradas que possuem regras próprias para a sua utilização. Por favor, verifiquem no link, informado abaixo, as regras de sua utilização, de forma a não incorrer em qualquer penalização:

    http://www.iso.org/iso/home/name_and_logo.htm

    26- No caso de outras dúvidas, a quem devo consultar?

    Fale conosco pela área de Contatos.

    CAP. 10 - CONFIDENCIALIDADE, IMPARCIALIDADE, TRANSPARÊNCIA, RESPOSTA ÀS RECLAMAÇÕES, AUDITORIA TESTEMUNHA, E AUSÊNCIA DE CONFLITO DE INTERESSE

    A Fundação Vanzolini, ao longo do processo de certificação, pode ter acesso às informações confidenciais relativas à organização (ex.: projetos, tecnologia, mercado de atuação, fornecedores, etc.) e aos seus processos produtivos e administrativos.

    Todo o pessoal que trabalha na Diretoria de Certificação da Fundação Vanzolini e também os auditores, que são profissionais contratados para um determinado serviço, assinam o código de conduta, que estabelece os procedimentos de trabalho, incluindo vários princípios relacionados ao sigilo, à confidencialidade e à ausência de conflito de interesse. A organização deve se comprometer também a adotar medidas que impeçam quaisquer ameaças à imparcialidade da equipe auditora.

    As informações sobre a organização não são reveladas a terceiros sem o consentimento, por escrito, do cliente. Caso a lei exija que tais informações sejam dadas ao conhecimento de terceiros, o cliente é formalmente informado, conforme estabelecido na lei.

    A organização deve informar ao organismo de certificação, sem demora, das questões que possam afetar a capacidade do sistema de gestão de continuar a atender aos requisitos da norma usada para certificação.

    A organização deve concordar e franquear o mesmo acesso dado ao auditor da entidade certificadora à equipe avaliadora do organismo acreditador, caso seu processo seja amostrado para auditoria testemunha. Se mudanças ocorrerem, deve oferecer uma justificativa apropriada.

    A organização deve demonstrar capacidade de resposta às reclamações sempre que acionada por partes interessadas ou organismo certificador.

    CAP. 11 - REGRAS PARA O USO DA MARCA

    – Fundação Vanzolini / IQNET

    A organização cujo Sistema de Gestão (Qualidade) possui os Certificados emitidos pela Fundação Vanzolini e IQNET está autorizada a usar a marca de certificação da Fundação Vanzolini/IQNET (selo), observando-se que:

    1. A marca de certificação da Fundação Vanzolini/IQNET de Sistema de Gestão deve ser usada:

    ● Com o nome da organização certificada (e da divisão, se necessário);
    ● Com o número do Certificado (opcional);
    ● Fazendo referência à norma aplicável;
    ● Dentro do período de validade do Certificado;
    ● dentro do escopo ou área certificado;
    ● Utilizado pela organização certificada (o responsável legal);
    ● Respeitando as regras quanto às cores, distâncias e tamanhos previstos neste documento.
    ● Sem qualquer mudança.

    CAP. 12 - RECLAMAÇÃO E APELAÇÃO

    As reclamações dos clientes da Fundação Vanzolini podem ser documentadas e encaminhadas através do questionário de avaliação entregue ao final de cada auditoria realizada, ou mediante qualquer outro meio.

    Todas as reclamações são analisadas criticamente e são tomadas as devidas ações de melhoria e/ou ações corretivas.
    Caso a organização não concorde com as deliberações da Fundação Vanzolini, ela poderá iniciar um processo de apelação, dirigido ao nível competente da Fundação Vanzolini.

    Após análise, a decisão será informada à organização.

    É possível, também, entrar em contato diretamente pelo e-mail saccert@vanzolini.org.br.

    CAP.13 - SUSPENSÃO, CANCELAMENTO, REDUÇÃO OU AUMENTO DE ESCOPO, INCLUSÃO OU EXCLUSÃO DE SITES

    A Fundação Vanzolini possui regras claramente estabelecidas para suspensão ou cancelamento da certificação. Tais regras estão definidas nos contratos firmados entre as partes.

    A qualquer momento a organização poderá solicitar a redução ou aumento do escopo de certificação, devendo contatar a área comercial da Fundação Vanzolini.

    As inclusões ou exclusões de sites também podem ser realizadas durante a vigência do contrato, devendo a organização manifestar seu interesse junto à área comercial da Fundação Vanzolini.

    Importante: Em caso de suspensão, cancelamento ou término do contrato de certificação com a Fundação Vanzolini, a organização deve retirar de sua propaganda, sitio na internet ou outro meio de comunicação que tenha utilizado a marca e referência à Fundação Vanzolini da certificação do seu Sistema de Gestão. O direito de uso da marca de certificação termina na não renovação contratual ou anulação da concessão dos Certificados da Fundação Vanzolini e IQNET.

    CAP. 14 - CRITÉRIOS PARA REEMBOLSO DE DESPESAS DIRETAS

    Ao final da auditoria, o auditor líder apresentará à organização os comprovantes das despesas da equipe auditora, juntamente com o formulário “controle de despesas”, preenchido para aprovação. O valor total das despesas deverá ser reembolsado à Fundação Vanzolini que efetuará o reembolso ao auditor.

    Obter uma certificação sustentável para um empreendimento, como a Certificação AQUA-HQE™, é essencial para impulsionar qualquer negócio nas construções civis.

    Manter boas práticas ambientais permite que a empresa ganhe um bom destaque no mercado, já que os consumidores avaliam esse fator no momento da decisão de compra. A Certificação AQUA-HQE™ tem um desempenho prático real, e se destaca em comparação às demais certificações de sustentabilidade.

    O movimento sustentável tem ganhado cada vez mais relevância na vida e nas escolhas das pessoas. O apelo que os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável traz para proteger o meio ambiente e o clima, e também para garantir que as pessoas, em todos os lugares, possam desfrutar de paz e de prosperidade, já fazem parte do dia a dia das empresas e das pessoas.

    Para que a empresa possa mostrar que está de acordo com as práticas sustentáveis desde sua construção, é essencial buscar as certificações sustentáveis ideais para o seu tipo de negócio. Acompanhe a leitura para entender melhor sobre a Certificação AQUA-HQE™.

    Como obter certificações sustentáveis?

    Para iniciar o processo de escolha de uma certificação de sustentabilidade em construções, é importante ter em mente que existem vários tipos de certificações. Portanto, é fundamental realizar uma análise do seu negócio para entender qual se adequa mais às suas atividades.

    Ao realizar a escolha, é necessário avaliar o quanto a certificação está de acordo com as tendências mundiais. Dessa forma, analisar o quanto a certificação está alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e com os conceitos ESG são questões fundamentais no processo decisório.

    Durante a análise dos custos, atente também aos custos indiretos e aos benefícios e retornos que eles podem trazer. Em muitos casos, a adoção de uma certificação exigirá que a empresa realize mudanças em processos e, em alguns casos, na cultura da empresa.

    O que é sustentabilidade na construção civil?

    A sustentabilidade na construção requer que se adote uma visão global e multitemática, considerando a qualidade de vida, o desempenho econômico, governança e a redução dos impactos ambientais ao longo do ciclo de vida, incluindo as etapas de construção, uso e fim de vida dos empreendimentos.

    Certificação AQUA-HQE™ é uma das principais certificações de construção sustentável. Foi lançada no ano de 2008 pela Fundação Vanzolini e segue trazendo eficiência no cuidado com o meio ambiente em construções brasileiras até os dias de hoje.

    Certificação AQUA-HQE™ pode ser aplicada a edifícios, planejamento urbano e infraestruturas, em todas as fases do ciclo de vida – construção, renovação e uso.

    A visão global e multitemática da Certificação AQUA-HQETM combina qualidade de vida, respeito ao meio ambiente, desempenho econômico, gestão e governança, para uma vida sustentável consistente com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e com os princípios ESG das Nações Unidas.

    Mais de 230 mil projetos já foram certificados no mundo e, no Brasil, mais de 14 milhões de m² construídos já obtiveram a certificação AQUA-HQE™.

    Quais os benefícios das certificações sustentáveis para a construção civil?

    As certificações de construções sustentáveis representam um grande diferencial para o seu projeto, fortalecendo a credibilidade da empresa responsável pelas operações, além de atestar a responsabilidade social e ambiental do empreendimento.

    De acordo com dados divulgados pelo Conselho Brasileiro de Construção Sustentável, a construção civil é responsável globalmente por 30% da geração de lixo sólido, 20% do consumo de água e 35% de todo o consumo de energia, desde a extração das matérias primas, construção, uso e fim de vida dos empreendimentos.

    Logo, as certificações sustentáveis são essenciais para a preservação do planeta, já que estabelecem normas que auxiliam na redução dos impactos negativos causados pelas obras no meio ambiente.

    Como a certificação AQUA-HQE™ pode impulsionar negócios sustentáveis?

    Certificação AQUA-HQE™ é capaz de impulsionar negócios sustentáveis de diversas formas, trazendo benefícios tanto ao empreendedor quanto ao consumidor. Confira a seguir algumas destas vantagens:

    Valor agregado ao empreendimento

    O principal benefício da Certificação AQUA-HQE™ é a garantia de um empreendimento de alta qualidade ambiental, auxiliando na conservação dos recursos naturais.

    O certificado oferece a garantia de que o projeto será realizado visando os menores impactos possíveis no meio ambiente, promovendo maior qualidade de vida para a geração atual e as futuras.

    Representa um grande diferencial no mercado

    As organizações se beneficiam bastante em relação à diferenciação do portfólio, como  um melhor relacionamento com os órgãos ambientais e comunidades, além de também promover uma aceleração nas vendas.

    Os consumidores estão prestando cada vez mais atenção na agenda ambiental das empresas, tornando essa temática um dos fatores principais para a decisão de compra.

    Gera economia

    De acordo com diversos empreendedores da área, um projeto realizado com a Certificação AQUA-HQE™  ainda costuma sair mais barato em comparação aos projetos que não possuem a certificação, pois é a única que requer um sistema de gestão do empreendimento, para garantir o planejamento, controle e monitoramento, desde as fases iniciais e ao longo de todo o ciclo, permitindo as escolhas mais sustentáveis e econômicas para o projeto e para o processo de execução.

    Cases da Certificação AQUA-HQE™

    Até o mês de setembro de 2023, a Fundação Vanzolini tinha o total de 927 edifícios certificados. Confira os dados:

    Além disso, também foram certificados:

    Resultando em 16,3 milhões de m² certificados. Isso inclui edifícios residenciais e não residenciais, bairros e loteamentos e até mesmo infraestruturas portuárias.

    Como obter a certificação AQUA-HQE™?

    Para obter a Certificação AQUA-HQE™, os empreendimentos em construção e em operação devem passar por rigorosas auditorias periódicas, a fim de garantir o cumprimento de todas as normas.

    Os empreendimentos são avaliados pelos parâmetros, considerando desempenho do edifício e critérios de gestão e governança. Isso garante melhor adequação entre cada critério diferente e o modelo de negócio.

    Um dos segredos do sucesso em obter a certificação AQUA-HQE™ é começar cedo. Por exemplo, para empreendimentos no ciclo construção, a Certificação AQUA-HQE™ deve ser considerada logo no início do processo de desenvolvimento do projeto.

    Conforme o projeto evolui, o empreendedor deve realizar uma autoavaliação dos requisitos. Essa autoavaliação é muito importante no processo de aprendizagem, aquisição do conhecimento e identificação de lacunas no projeto.

    No final de cada etapa, a autoavaliação é submetida a auditorias de terceira parte independente, realizadas pela Fundação Vanzolini.

    No caso dos edifícios em fase de construção, as análises passam por três etapas: fase pré-projeto, projeto e execução. Nos prédios em operação, podem ser realizadas de três a quatro auditorias, em ciclos de três a cinco anos.

    AQUA-HQE™: garantindo a sustentabilidade do negócio

    O movimento sustentável é irreversível e tem se refletido cada vez mais em políticas públicas, regulamentações, normas e nas necessidades e expectativas das pessoas.

    Assim, na hora de escolher a certificação, escolha uma certificação que ajude sua empresa a estar na corrente principal da sustentabilidade e a prever as mudanças que vem por aí. É essencial que os negócios sigam as práticas ESG, promovendo maior responsabilidade social e ambiental.

    Para garantir uma alta qualidade ambiental em construções, é fundamental dar início ao processo de obtenção da certificação AQUA-HQE™, para beneficiar tanto o empreendedor quanto os consumidores.

    Você já conhece a certificação AQUA-HQE™? Leia até o final e compreenda o que é esse importante selo de compromisso com a sustentabilidade ambiental.

     

    A sustentabilidade tem sido cada vez mais a temática central de debates relevantes na esfera social e no mundo corporativo. Por isso, é tão importante você conhecer a certificação AQUA-HQE™ e como ela pode ajudar a sua empresa a suprir essa demanda.

    Considerando as atuais preocupações a respeito das mudanças climáticas, a utilização em larga escala de recursos naturais e a poluição, pode-se dizer que estamos vivendo em uma era crítica, na qual a pauta sustentável deve ser prioritária.

    Especialmente no ramo da construção civil, que é responsável por uma alta geração de resíduos e uma utilização considerável de energia, água e outros recursos naturais, é extremamente importante para as empresas do setor ter o “selo verde” da certificação AQUA-HQE™.

    Para garantir que a sua empresa consiga desenvolver suas atividades com menor agressão ao meio ambiente, acompanhando a demanda verde do mercado, leia este artigo até o final para ficar por dentro do assunto! Boa leitura!

     

    A Certificação AQUA-HQE™

    A certificação AQUA-HQE™, sendo uma das certificações ambientais mais importantes do mundo, demonstra um compromisso significativo com a sustentabilidade e a responsabilidade ambiental na indústria da construção.

    Em 1974, pioneira no setor, foi criada a Associação Qualitel, responsável por promover a qualidade ambiental em edifícios residenciais na França. Mais tarde, em 1996, é fundada a Associação HQE a qual formulou indicadores de desempenho em conforto, saúde e baixo impacto ambiental que posteriormente se tornariam uma certificação de edifícios.

    Em 2005, foi certificado o primeiro edifício comercial sob a marca HQE e, desde 2006, a Associação HQE colabora com o Qualitel para promover a certificação de edifícios residenciais.

    No Brasil, a partir de 2007, em parceria com o Certivéa/CSTB e Cerqual/QUALITEL da França, tais critérios de desempenho foram adaptados para o país pelo Departamento de Engenharia de Produção e de Construção Civil da Escola Politécnica da USP e profissionais do mercado, sob coordenação da Fundação Vanzolini, em termos de clima, cultura, regulamentação e normas técnicas brasileiras, sem deixar de lado os critérios internacionalmente aceitos para destacar tais construções.

    Foi lançado em 2008, no salão nobre da FIESP, com emissão dos dois primeiros certificados por ocasião da FEICON 2009.

    Para obter o selo de responsabilidade ambiental, os empreendimentos passam por auditorias periódicas, que avaliam sua conformidade com os referenciais técnicos da norma.

    No caso de edifícios em construção, as análises acontecem em três etapas: pré-projeto, projeto e execução. Já em edifícios em operação, as avaliações ocorrem na admissão e, a seguir, anualmente, em ciclos de três a cinco anos, renováveis

    As auditorias presenciais e independentes, realizadas pela Fundação Vanzolini são um fator crucial para garantir a conformidade dos empreendimentos com os requisitos da certificação.

     

    Quais as vantagens da certificação AQUA-HQE™?

    Estamos vivendo em um período de preocupação constante com a conservação de recursos naturais, mas como exatamente a certificação AQUA-HQE™ pode ajudar nesse contexto?

    À medida que os esforços pela proteção da natureza aumentam no mundo inteiro, cria-se uma tendência também no mercado, o que expõe uma demanda por comprovações de que a empresa está ciente e colaborando com as necessidades de conservação ambiental.

    É aí que entra a certificação AQUA- HQE™ (Alta Qualidade Ambiental). Ela é uma garantia que evidencia e comprova o compromisso da empresa com a sustentabilidade.

    O selo AQUA-HQE™ proporciona benefícios tanto para o meio ambiente quanto para os empreendedores e comunidade. Alguns dados indicam:

    As construções certificadas também têm menor demanda de infraestrutura urbana, hídrica, energética e de gestão de resíduos e oferecem mais conforto e saúde aos ocupantes, além de maior facilidade e menores custos de conservação e manutenção.

    Confira as principais vantagens obtidas por meio da adoção desse selo:

     

    Para o meio ambiente

    As edificações certificadas reduzem a pressão sobre a infraestrutura urbana, bem como sobre as infraestruturas de geração e fornecimento de energia e água, e de disposição de resíduos sólidos e líquidos.

    A diminuição das emissões de gases de efeito estufa e poluentes contribui para um ambiente mais limpo e saudável.

    Além disso, esse selo ambiental promove a gestão responsável de resíduos, reduzindo impactos negativos na vizinhança e valorizando a utilização eficiente de materiais de construção. Em resumo:

     

    Para o empresário

    Para os empreendedores, ela representa uma comprovação sólida de alta qualidade ambiental em suas edificações, permitindo uma diferenciação significativa no competitivo mercado da construção.

    Além disso, essa certificação pode impulsionar a velocidade das vendas, melhorar a imagem da empresa e estabelecer um relacionamento mais forte com órgãos ambientais e comunidades locais.

    Ao mesmo tempo, também leva a economias de recursos durante a fase de construção e operação, contribuindo para uma abordagem mais sustentável. Destaca-se:

     

    Para os usuários

    Os benefícios para os usuários finais também são notáveis. A economia de água e energia não apenas reduz os custos operacionais, mas também fortalece o compromisso ambiental dos moradores.

    Com taxas de condomínio potencialmente mais baixas, os custos de manutenção também podem ser minimizados, garantindo a conservação das edificações a longo prazo.

    Além disso, as propriedades certificadas oferecem ambientes mais saudáveis, juntamente com sistemas da edificação mais eficientes e confiáveis. Esses aspectos contribuem para aumentar o valor patrimonial e a qualidade geral de vida dos moradores. Resumindo:

    Esses aspectos refletem um compromisso abrangente com a sustentabilidade, resultando em uma melhoria notável, tanto nas construções quanto na qualidade de vida das comunidades e do ambiente circundante.

     

    Certificação AQUA- HQE™ e sua relevância para o ESG

    Quando falamos em sustentabilidade, um conceito muito utilizado ultimamente é o ESG – sigla para sustentabilidade ambiental, social e de governança corporativa, que é a filosofia de alinhar os esforços por melhorias contínuas nas relações sociais e ambientais.

    Em outras palavras, as adaptações buscadas para a conservação do meio ambiente trazem benefícios diretos e indiretos também para as relações interpessoais, especialmente nas corporações e no ambiente de trabalho.

    Para obter a certificação AQUA, a empresa deve atender a uma série de requisitos relacionados às boas práticas sustentáveis, no que diz respeito ao compromisso de manter uma operação responsável dentro dos critérios ESG.

    Ao adotar medidas que promovam eficiência energética, uso responsável de recursos e redução de impactos ambientais, as organizações também fortalecem sua posição em termos de governança corporativa e responsabilidade social.

    Isso cria um ciclo virtuoso, em que as melhorias na sustentabilidade ambiental têm reflexos positivos nas relações sociais e na governança corporativa, contribuindo para um mundo mais equilibrado e ético.

     

    Conclusão

    Em um mundo cada vez mais preocupado com a sustentabilidade, a certificação AQUA-HQE™ é um importante instrumento para promover ações responsáveis e comprometidas com o meio ambiente.

    Adaptada pela Fundação Vanzolini ao clima, cultura, regulamentações e normas técnicas brasileiras, mantendo os fundamentos e indicadores internacionais, esse selo representa um compromisso genuíno com a sustentabilidade e a responsabilidade ambiental na indústria da construção.

    A Fundação Vanzolini, como único órgão de certificação internacional AQUA-HQE™ no Brasil, desempenha um papel crucial ao proporcionar às empresas a oportunidade de serem líderes na adoção de abordagens responsáveis.

    Para saber mais sobre como tornar sua empresa parte desse movimento e obter a Certificação AQUA-HQE™, entre em contato com a Fundação Vanzolini.

    O Business Agility está presente em todas as partes de um negócio. Diferentemente do que se imagina, a agilidade está focada nas pessoas. Quer saber mais sobre o assunto? Siga com a gente nesta leitura.

     

    O que é Business Agility?

    A agilidade dos negócios é um processo contínuo, não é uma metodologia ou uma técnica para ser aplicada uma única vez. Ela está relacionada à capacidade que a organização tem de criar, alavancar mudanças e gerar valor.

    Porém, a percepção de valor é diferente para cada pessoa e, dessa forma, a capacidade de adaptação acaba sendo um aspecto primordial nesse processo.

    A agilidade pode ser entendida como um modo de pensar e, assim, ser estabelecida de diversas maneiras, usando diferentes abordagens, estruturas e modelos operacionais.

    Apesar do Business Agility ter essa característica de ampla personalização, existem algumas estruturas que foram testadas e são comprovadamente efetivas. Por isso, é importante conhecê-las para um melhor resultado em sua organização.

    Um exemplo que podemos citar é a definição em cinco domínios feita pelo Business Agility Institute. Veja a seguir:

    Utilizar os conceitos de Business Agility pode ser relevante para melhorar o dia a dia não somente de áreas que executam projetos, como a área de Tecnologia e o Marketing, mas também nos times de Recursos Humanos, Finanças, Controladoria e outros.

     

    Mundo VUCA x Mundo BANI

    Conceitos criados para definir, de modo geral, o comportamento dos indivíduos. O VUCA surgiu em 1980, após a Guerra Fria, período em que o mundo era visto como Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo. Essas características foram a base das estratégias corporativas de muitos negócios, durante muito tempo.

    Contudo, a partir de 2020, após o início da pandemia da Covid-19, novas definições foram listadas, surgindo assim o Mundo BANI – Frágil, Ansioso, Não linear e Incompreensível.

    Essa mudança fez com que as empresas precisassem adaptar o seu modo de pensar, tanto sobre questões internas como externas. Tornou-se necessário a implementação de mais agilidade em suas estruturas.

     

    “O maior desafio para a adoção de práticas ágeis em uma organização é a falta de preparo das pessoas que não fazem parte do time (que não receberam treinamento). Elas acabam não entendendo qual é o valor (da agilidade).”

    — Rodrigo Silva, especialista em agilidade e professor da Fundação Vanzolini.

     

    Implementação do Business Agility

    Existem alguns pontos que impactam a eficiência da agilidade nos negócios, como manter uma estrutura tradicional e hierárquica, na qual os líderes não estão acessíveis. Ter uma cultura com processos engessados e pessoas desengajadas em melhorias.

    Esses exemplos apontam a necessidade do desenvolvimento de uma inteligência organizacional, para que não existam entraves na adoção de práticas ágeis.

    Após esse alinhamento cultural, a agilidade empresarial poderá ser praticada de diversas maneiras, confira algumas:

     

    Métodos e Frameworks Ágeis

    Conheça aqui as opções de métodos, ferramentas e frameworks para implementação de Business Agility e Práticas Ágeis:

     

    Design Thinking

    Mais do que um método para a resolução de problemas, o Design Thinking é um processo centrado em pessoas. Dividido em seis etapas principais, nas quais se busca entender o problema e explorar maneiras de solucioná-lo, até materializar a implementação efetivamente.

     

    Scrum

    Frequentemente, o Scrum é o primeiro framework que os times inserem em suas equipes. Pode ser usado para a resolução de projetos simples até os complexos. Sua estrutura é dividida entre: papéis, na qual  é definida a responsabilidade de cada membro; cerimônias, que engloba as reuniões, o planejamento e a execução; e os artefatos, listas de requisitos do produto e do sprint, até a finalização do projeto.

     

    Kanban

    Pode ser definido como um quadro dividido em colunas, em que cada uma delas representa uma etapa do processo. É um framework bastante adaptável, contudo, a base mais comum está dividida em: To Do, itens que ainda precisam ser realizados; Doing, processos que estão em desenvolvimento; e Done, etapas que já foram concluídas.

    Além disso, o Kanban é capaz de fornecer diversas métricas para serem analisadas e melhorias a serem implementadas.

     

    Nexus

    O framework ideal para momentos em que é necessário a integração de vários times que estão trabalhando no mesmo projeto. Há apenas um backlog geral, no qual as demandas, posteriormente, serão divididas em “pequenos projetos” para cada equipe.

    As informações de andamento são compartilhadas entre as equipes por meio de seus respectivos Scrum Masters.

     

    SAFe

    Esse framework, por sua vez, possui uma estrutura que possibilita ir além do gerenciamento de projetos. Com uma visão geral de todos os papéis dentro da organização, é usado para organizar, de forma ágil, a empresa por completo.

     

    Disciplined Agile

    É um kit de ferramentas focado em entender o contexto atual da situação. Feito para otimizar os processos de decisão, fornece orientações para ajudar tanto pessoas, como times e organizações. Incentiva o trabalho colaborativo.

     

    Webinar | Business Agility – Como Gerar Valor através de Práticas Ágeis na Organização?

    Assista agora mesmo, na íntegra, o Webinar “Como Gerar Valor através de Práticas Ágeis na Organização?”, no qual o professor Rodrigo Silva explica, em detalhes, o que é o Business Agility e a importância da implementação em sua empresa.

    Ao longo da apresentação, Rodrigo traz diversos exemplos, aplicando os conceitos explicados a diversos setores.[vc_video link=”https://www.youtube.com/watch?v=DIcssQ5o3po”]

    Potencialize o valor intangível da sua empresa

    Adaptar-se aos novos comportamentos da sociedade é necessário e, para isso, implementar a agilidade nos negócios é o primeiro passo para um melhor desenvolvimento e aceitação do público. Não fique para trás.

     

    Aprenda com especialistas no assunto! Conheça os cursos de Agile da Fundação Vanzolini.

     

    Agile Business Analysis
    Agile Coach
    Agile Scrum – Product Owner
    Agile Scrum Foundation – Preparatório para a certificação EXIN
    Agile Scrum Master – Formação para um verdadeiro Scrum Master
    Como potencializar a agilidade organizacional com OKRs
    Introdução ao Agile Scrum Master
    Introdução ao Agile Scrum – Product Owner
    Kanban Foundation
    Management 3.0 – Foundation (com certificação internacional)
    Trilha Agile (com Scrum Foundation)

     

    ENTRE EM CONTATO

    O webinar destacou a importância de aprimorar os padrões de atendimento ao cliente e construir relacionamentos duradouros para profissionais e empresas. A ênfase foi dada à crescente digitalização do mundo e a aplicação generalizada da estratégia de Customer Success. Conforme observado pela Exame, essa abordagem visa otimizar resultados e garantir a satisfação dos clientes em diferentes setores e modelos de negócio.