Fundação Vanzolini

Gestão na auditoria: a importância e os principais passos para lidar com os riscos durante esse processo

Se você está buscando informações relevantes relacionadas à gestão na auditoria, está no artigo certo, e deve ficar até o final! Pois este texto vai guiá-lo na descoberta dos problemas , pensando nas possíveis dificuldades do auditor quanto à preparação de estratégias de diminuição de riscos.

Além disso, explicaremos a importância da gestão de riscos, por meio de dicas simples, para você lidar com as possíveis ameaças durante a auditoria, além de esclarecer quais são as principais certificações e quais capacitam os profissionais responsáveis.

Todo esse processo não beneficia somente os negócios da empresa, mas serve como um parâmetro para avaliar a competência do auditor. Portanto, se o seu objetivo é mais do que saber como proceder, mas realizar um serviço que te dará destaque, nos acompanhe!

Importância da gestão de riscos na auditoria

Antes de abordarmos os passos para identificação e avaliação de riscos, é importante compreender a importância desse processo. Isso porque a compreensão enriquece a leitura dos próximos tópicos, pois contextualiza a relevância de cada etapa.

Assim, é inegável reconhecer o papel crucial da auditoria em uma gestão de processos, uma vez que o procedimento dá assistência ao desenvolvimento, ou seja, assegura a confiabilidade e a eficácia dele.

No contexto do gerenciamento de riscos, a auditoria desempenha uma função ainda mais evidente: a de permitir a identificação e compreensão das possíveis ameaças, as quais têm o poder de corromper diversos aspectos da organização auditada.

A integridade da empresa, nesse caso, é a prioridade dos auditores, e, ao integrá-la na auditoria, podem sanar problemáticas de forma mais eficiente, como o melhor direcionamento de recursos, por exemplo. Além disso, há como focar nas áreas mais lesadas e, assim, elaborar processos para resolvê-las.

O primeiro passo: a identificação de riscos

Agora, vamos à ação! Afinal, como identificar os riscos?

A primeira orientação é: analise, detalhadamente, os processos, controles e atividades da organização em questão. Importante: foque nesse detalhadamente. A auditoria serve justamente para examinar os pormenores despercebidos durante o desenvolvimento normal das atividades.

Nesse contexto, os auditores devem estar a par dos objetivos e do funcionamento dos setores da empresa, para poderem identificar quais são as adversidades causadoras de impactos negativos em relação às metas e às práticas organizacionais. 

Os questionamentos acima norteiam o processo e podem ser feitos a partir de entrevistas com a equipe, revisão de documentação e análise de dados históricos. Os dois últimos métodos são, na verdade, indispensáveis.

A gestão na auditoria demanda informações precisas e deve se basear em fatos, não em achismos ou opiniões. Somente “achar que tal coisa não está dando resultado” não assegura a relevância da auditagem, e, por isso, a análise de dados faz-se fundamental.

Nesse caso, para os auditores, o sistema de gestão certificado é ideal para garantir mais eficiência e profissionalismo em sua prática.

Como medir o impacto da avaliação dos riscos?

Após a identificação dos riscos, os auditores devem avaliar o impacto potencial que essas ameaças podem acarretar para a empresa. Assim, os auditores atribuem uma classificação de risco, baseando-se nas chances de ocorrência deles e no impacto possivelmente causado, seja no financeiro da empresa ou em quaisquer outros âmbitos.

A avaliação permite a priorização dos riscos mais eminentes, portanto a determinação de quais carecem de mais atenção, tanto por parte da auditoria quanto por parte dos profissionais responsáveis.

Quantificar as ameaças em potencial ➨ qualificar tais potenciais ➨ a partir da consideração da probabilidade de ocorrência, bem como da magnitude das consequências.

Cada risco deve ser considerado, juntamente ao seu potencial em relação aos objetivos, operações ou recursos da empresa. Questões acerca da exposição financeira e dos recursos da organização para lidar com as adversidades devem ser igualmente consideradas por meio de:

Estratégias para lidar com riscos identificados

Pouco adianta a auditoria, se os responsáveis por ela não dispuserem de estratégias de intervenção, caso haja necessidade. Entre os métodos, estão:

As técnicas citadas representam um parâmetro geral, e o planejamento deve se pautar em riscos específicos presentes na organização auditada. Numa visão mais ampla, o objetivo da estratégia deve ser o de reduzir a ocorrência de ameaças e ou diminuir as más consequências, quando elas já ocorreram.

Acredita-se que a parte das estratégias é a mais importante em uma auditoria, afinal, ela não tem utilidade, se os problemas não forem solucionados. Diante disso, o profissional deve, obrigatoriamente, estar apto para intervir.

A Certificação IQNET Academy capacita auditores por meio de uma certificação internacionalmente reconhecida, destacando-o nessa área, permitindo mais confiança e conhecimento para garantir a qualidade de suas funções.

Importância da prática de gestão de auditoria

A gestão de auditoria é uma prática fundamental quando o assunto é auxiliar o desempenho organizacional. Na Vanzolini, você, auditor, pode se tornar líder na auditoria da ISO 9001, pois não basta exercer um cargo importante, é preciso fazê-lo da melhor maneira.

Ao identificar, avaliar e traçar estratégias de diminuição dos riscos e dos seus impactos, além dos benefícios à empresa, há o fortalecimento da credibilidade dos auditores. Nesse caso, essa soma garante resultados expressivos e significativos para ambos.

Por isso, dê um passo importante na sua carreira: com teoria e aplicação prática das técnicas, você vai se aprofundar na interpretação dos requisitos e conhecer todos os passos para planejar, executar e gerenciar equipes de auditores com o curso IQNet: ISO 9001 – Auditor Líder.

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

Conheça os cursos de Normas e Certificações da Fundação Vanzolini.

ENTRE EM CONTATO

Até o próximo!

Fontes:

vicenzisantiago.com/auditoria-interna-e-gestao-de-riscos/

pwc.com.br/pt/estudos/servicos/auditoria/2023/o-papel-das-funcoes-de-gestao-de-riscos-controles-internos-e-auditoria-interna-nas-integracoes-de-MEA.html

acervodigital.ufpr.br/handle/1884/72376

portaldeauditoria.com.br/artigos/Auditoria-de-Riscos.asp

linkedin.com/pulse/guia-pr%C3%A1tico-para-auditoria-eficaz-de-gest%C3%A3o-riscos-lobo/?originalSubdomain=pt

Líder, conheça as mais efetivas práticas de gestão de riscos de TI e faça da segurança cibernética uma cultura forte entre a sua equipe

O roubo, manipulação e exposição de dados sigilosos são cada vez mais constantes e, para sua empresa não passar por nenhum desses transtornos, uma coisa é fundamental: a gestão de riscos de TI.

Caso seja um líder, saiba que pode influenciar a cultura de segurança, tomar decisões estratégicas e liderar equipes para proteger ativos digitais e mitigar riscos cibernéticos.

Essas estratégias de segurança garantem o sigilo de dados sensíveis, tanto pessoais como corporativos e de propriedade intelectual, e também impedem as más consequências dessas práticas. Neste artigo, saiba quais são as principais ações que devem ser tomadas o quanto antes!

O que é cibersegurança?

A cibersegurança trata da segurança na internet, mais precisamente de normas, práticas e diretrizes que protegem os sistemas, arquivos, programas, aplicativos, dados e demais aspectos relacionados ao digital.

Portanto, a segurança cibernética garante o sigilo e a integridade de todas as informações disponíveis digitalmente, tanto nos celulares quanto nos computadores, duas ferramentas muito presentes no cotidiano dos negócios.

Qual a importância da cibersegurança?

Apenas pela definição, percebeu como a segurança digital é importante? Um possível vazamento de dados pode prejudicar um negócio de forma irreversível, fazendo com que a empresa perca clientes e, acima de tudo, a confiabilidade de todos.

Porém, mais do que saber do que se trata, os líderes precisam criar estratégias e manterem-se sempre atualizados em relação a isso, pois os ataques ficam cada vez mais aprimorados e perigosos.

Não pense que o negócio que lidera não pode ser alvo de hackers, por exemplo, pois até mesmo empresas gigantes do mundo online são prejudicadas. Em 2019, a Netshoes pagou R$ 500 mil em indenização de danos morais, após 2 milhões de clientes terem suas informações pessoais expostas.

Então, se ainda não desenvolveu uma cultura relacionada à cibersegurança, não espere algo assim acontecer.

Exemplos de segurança na prática:

Os termos acima parecem estranhos? Ou então, já ouvir falar, mas não sabe como aplicá-los de forma efetiva? Confira os passos a seguir!

Gestão de riscos de TI: o que a liderança pode fazer?

Criar uma cultura de segurança

Estabelecer uma cultura de cibersegurança diz respeito a incentivar que ela seja uma prioridade no cotidiano da empresa, além de garantir que o funcionamento das atividades do negócio gire em torno da proteção online.

Para alcançar tal cultura, o líder deve proporcionar treinamentos regulares, manter a equipe em contato com profissionais da área, criar normas de acesso à internet, conscientizar os colaboradores das principais regulamentações de segurança cibernética e de sua importância.

E mais, os passos a seguir igualmente colaboram com a implementação da cultura de segurança. Confira! Mas antes, saiba mais sobre crimes cibernéticos para proteger ainda mais a empresa.

Investir em treinamento em segurança cibernética

Senhas seguras, navegação em sites, downloads, compartilhamento de arquivos e tudo o que envolve práticas na internet demandam cuidado e macetes que os especialistas conseguem fornecer. Portanto, investir em treinamento é essencial.

Quanto a isso, é válido salientar a relevância de que esses treinamentos sejam feitos regularmente. Assim, os líderes garantem informações e práticas sempre atualizadas, afinal as normas online de segurança estão em constante mudança.

Estabelecer políticas de segurança claras

Após o treinamento, estabeleça políticas de gestão de riscos de TI, conforme as orientações dos especialistas. Como líder, não faça com que o treinamento seja em vão, portanto:

Dica bônus: Atualmente, saber sobre a Lei Geral de Proteção de Dados tornou-se uma regra básica, então, coloque-a em sua lista de afazeres, para  aprender sobre ela.

Conduza avaliações de risco

A empresa passou por alguma situação de risco ou adversidades com cibersegurança? Então não esqueça de fornecer essas informações ao profissional de TI.

Pedir a ele que identifique e avalie regularmente os riscos que a empresa enfrenta é outra excelente alternativa, que irá garantir a segurança dos dados da sua equipe.

Desse modo, sabe-se quais são os pontos de vulnerabilidade e consegue corrigi-los.

Realizar auditorias de segurança

Com todas as aplicações citadas acima, realizar auditorias de segurança é importante para avaliar se as medidas tomadas estão sendo suficientes. Nos casos em que não estão, é possível reaver melhorias.

As auditorias ainda servem para manter a empresa atualizada sobre as últimas tendências de ameaça, hackers, invasões, entre outros perigos. Nesses casos, o monitoramento das atividades e os relatórios de segurança são essenciais.

Contar com especialistas em segurança

Como vimos até aqui, a gestão de riscos em TI mantém os dados da empresa em segurança e, apesar da contratação de profissionais terceirizados, que tal contar com um especialista em segurança cibernética na equipe?

O trabalho deles pode tornar o dia a dia da empresa muito mais seguro, prático e ágil, pois podem tirar dúvidas e transmitir informações em tempo real.

Quem nunca precisou resolver um probleminha envolvendo a internet, não é mesmo? Caso o negócio já conte com um profissional de TI, é relevante que os líderes se certifiquem de oferecer a eles especializações em cibersegurança.

Uma opção de formação que combina teoria, prática e tecnologias avançadas para capacitar profissionais na área é o curso Cibersegurança, da Fundação Vanzolini.

Após saber a importância da proteção online, o próximo passo que te colocará à frente dos concorrentes é investir em conhecimento e certificações dessa área. Preparado?

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

Formação em Cibersegurança

ENTRE EM CONTATO

Fontes:

https://www.jota.info/tributos-e-empresas/mercado/vazamentos-de-dados-no-brasil-28012022

https://www.sap.com/brazil/products/financial-management/what-is-cybersecurity.html#:~:text=A%20ciberseguran%C3%A7a%20%C3%A9%20a%20pr%C3%A1tica,e%20dados%20de%20amea%C3%A7as%20cibern%C3%A9ticas.

https://www.kaspersky.com.br/resource-center/definitions/what-is-cyber-security

https://www.kaspersky.com.br/resource-center

https://www.kaspersky.com.br/resource-center/threats/cybercrime

Aprenda a desenvolver, implementar e melhorar seu sistema de gestão de riscos de acordo com a ISO 31000.  A norma estabelece padrões rigorosos em todos os tipos de organização. Saiba como atuar em diferentes áreas, identificando, avaliando, priorizando e tratando os riscos, além de desenvolver uma postura proativa e eficiente na prevenção de danos.

Veja tudo o que você vai aprender:

 

Obs.:
A realização deste curso está condicionada ao número mínimo de matrículas.
As vagas estão sujeitas à capacidade máxima da turma.

A chamada era ESG tem sido marcada por profundas transformações nos negócios. Longe de ser uma modinha ou onda passageira, a ESG – sigla em inglês que se refere às práticas de governança ambiental, social e corporativa (Environmental, Social and Governance) – tem ocupado o centro das decisões empresariais e ganhado projeção dentro e fora das organizações.

No Brasil, as empresas têm buscado por uma prática mais sustentável e inclusiva, atentas e preocupadas com o impacto que geram na sociedade e no meio ambiente.

Então, para falar sobre a era ESG e sua importância nos negócios, vamos explorar como as empresas brasileiras estão liderando essa transformação no mercado, como a sustentabilidade se tornou um fator essencial para a sobrevivência e o sucesso dos negócios e como os investidores estão priorizando empresas que adotam práticas ESG, levando em consideração não apenas o desempenho financeiro, mas também a responsabilidade social e ambiental.

Acompanhe a leitura e fique por dentro!

A agenda ESG e a gestão sustentável

Para começar, vamos entender melhor do que se trata a agenda ESG que vem ditando as formas de consumo e de negócios.

A agenda ESG é um compromisso firmado pelas organizações para colocar os critérios de ESG em prática. Vale lembrar que a ESG é feita de três pilares: meio ambiente, social e governança.

Desse modo, a agenda ESG é um conjunto de ações, com foco em posicionar a empresa dentro das novas demandas da sociedade e da era pautada pela ESG.

Assim, as organizações devem fazer uma análise de como podem impactar positiva e negativamente cada um dos pilares da ESG e, então, elaborar e implementar políticas, ações e rotinas capazes de evitar riscos e absorver impactos.

Como falamos no início, a agenda ESG vai além de uma modinha e, atualmente, impacta toda a atuação e imagem da empresa, passando por suas ações ambientais, até a relação com stakeholders, a transparência frente ao mercado, o desenvolvimento de projetos sociais e a política empresarial, assumindo um papel essencial nas tomadas de decisões.

Nesse sentido, o conceito de sustentabilidade atravessa toda a estrutura organizacional e ultrapassa as margens do meio ambiente, incorporando uma gestão humana e financeira, benéfica para o planeta e para os negócios.

Um estudo da Consultoria Refinitiv mostrou que, das empresas listadas dentre as 500 maiores pela Standards & Poors, as organizações com bom desempenho em temas relacionados a ESG tiveram perdas menores durante a pandemia de COVID-19 em cerca de um terço, quando comparadas àquelas com piores desempenhos em indicadores ambientais, sociais e de governança. 

O relatório “Better Business, Better World”, da Comissão de Desenvolvimento Empresarial e Sustentável (BSDC, na sigla em inglês), também mostra que os negócios sustentáveis têm o potencial de gerar oportunidades econômicas de aproximadamente 12 trilhões de dólares e até 380 milhões de empregos por ano até 2030. 

Portanto, podemos compreender que a cultura da sustentabilidade – que envolve a gestão do negócio na era ESG – é fundamental para a saúde financeira e para a competitividade das organizações na atualidade.

A importância da ESG no mundo dos negócios

Mais do que uma tendência, a agenda ESG é uma realidade e as empresas listadas com boas práticas sustentáveis recebem mais atenção dos analistas financeiros. A ESG é importante para os negócios e não é possível negar.

Uma pesquisa da consultoria PWC, feita com 227 investidores profissionais e analistas de mercado em mais de 40 países, revelou que sustentabilidade e governança estão entre as cinco principais prioridades para a estratégia de investimentos.

No Brasil, para os investidores entrevistados, a prioridade máxima dos negócios deve ser a inovação, seguida por lucratividade e, depois, em terceiro lugar, por um dos pilares ESG, que é a governança. Em quinto, vem o compromisso das empresas com a redução das emissões de gases de efeito estufa.

Ainda segundo a pesquisa, em relação ao meio ambiente, o estudo mostrou que 74% dos investidores dizem que o gerenciamento de riscos regulatórios é um fator importante para incluir a sustentabilidade em suas decisões de investimento, mas o principal é a demanda dos clientes de que seus portfólios tenham um enfoque ESG (83%).

Como podemos ver, trata-se de uma mudança global na maneira de olhar, avaliar e fechar negócios, que considera o compromisso social e ambiental das organizações. Não é mera perfumaria, é uma responsabilidade cobrada e que dita as regras do mercado nos dias de hoje.

A ESG no mercado brasileiro

Por aqui, a tendência da era ESG também é realidade e muitas empresas estão se adaptando a essa nova configuração.

Cada vez mais, as organizações estão adotando políticas de redução de emissão de carbono, investindo em energias renováveis, promovendo a diversidade e inclusão e se comprometendo com a transparência e ética nos negócios.

No Brasil, assim como no mundo, a transformação ESG oferece oportunidades tanto para as empresas quanto para o mercado nacional.

As empresas que se adaptam e adotam práticas sustentáveis têm melhor posicionamento no mercado para garantir sua relevância e competitividade no longo prazo, enquanto contribuem para um futuro mais justo e sustentável.

Para engajar e medir os índices de sustentabilidade, há no Brasil instituições, como é o caso da B3, que, desde 2005, mantém um conjunto de índices para acompanhar o desempenho das companhias preocupadas com as melhores práticas de sustentabilidade.

Atualmente, existe também a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), que está definindo critérios para identificar fundos sustentáveis e dar segurança aos investidores.

De acordo com a Anbima, em fevereiro de 2021, o patrimônio líquido dos fundos na categoria sustentabilidade e governança foi de 1,07 bilhão de reais, quase o dobro de um ano antes. A captação líquida, por sua vez, foi de 307,9 milhões de reais no primeiro bimestre de 2021, crescimento de 787% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Por parte do poder público, o Governo Federal, por meio do Tesouro Nacional, articula a emissão de títulos públicos com selo ESG, com o objetivo de atrair investidores estrangeiros para a dívida pública brasileira.

Outra iniciativa da qual o Brasil faz parte é o Acordo de Paris, assinado por quase 200 países, com o objetivo de limitar o aumento médio da temperatura global em 1,5%. O Brasil assumiu compromisso de reduzir em 50% as emissões de gases de efeito estufa até 2030.

Assim, todas essas medidas têm levado as empresas brasileiras ao alinhamento com a agenda ESG, permitindo que se mantenham no páreo do mercado global, regido pelas novas culturas sustentáveis de comportamento e consumo.

Os benefícios das boas práticas ESG para as empresas

Como falamos ao longo deste artigo, a adoção de critérios ESG gera impactos positivos para a imagem e competitividade das empresas, agregando valor aos negócios.

De acordo com a consultoria McKinsey, as práticas de ESG e de uma gestão sustentável se relacionam com o fluxo de caixa de cinco maneiras:

1. Crescimento de receita

Uma proposta sólida de ESG ajuda a explorar novos mercados e expandir os já conquistados, além de atrair a preferência dos consumidores.

2. Redução de custos

Uma gestão sustentável, baseada em práticas que consideram os impactos ambientais, tende a gerar menores gastos com matérias-primas, água ou energia.

3. Redução de intervenções regulatórias e legais

As práticas ESG aliviam a pressão regulatória e reduzem riscos de ações adversas por parte do Governo, conferindo maior liberdade estratégica às empresas.

4. Elevação da produtividade

A satisfação dos colaboradores é atrelada ao retorno aos acionistas, e empresas com impacto social positivo tendem a ter maior facilidade em atrair e reter talentos.

5. Otimização de ativos e investimentos

Com a prática de ESG, há melhor retorno graças à alocação de capital em oportunidades mais promissoras e sustentáveis, como recursos renováveis e redução de desperdício.

Os desafios das empresas brasileiras na implementação de práticas de ESG

Ainda que a agenda ESG esteja em pauta e seja capaz de gerar vantagens competitivas, como citamos acima, as empresas brasileiras enfrentam alguns obstáculos para a implementação de práticas mais sustentáveis.

Os desafios surgem, sobretudo, porque os princípios da ESG estão relacionados a uma mudança de cultura, que vai muito além da implementação de um novo projeto. Trata-se, assim, de uma transformação na maneira de pensar e agir dentro das organizações.

Na pesquisa, “Visão do Mercado Brasileiro sobre os Aspectos ESG “, foram entrevistados 139 executivos, dos quais 84% são líderes e gestores de médias e grandes companhias, que atuam nos mais diferentes ramos de atividade, como Varejo, Indústria, Tecnologia, Educação e Instituições Financeiras.

Segundo o estudo, um dos cinco maiores desafios das organizações é a participação das pessoas: 67% dos entrevistados afirmam que a sensação é de que há ações concretas sendo realizadas em relação às boas práticas ESG, no entanto, elas acabam esbarrando em questões de engajamento, comunicação interna, métricas e indicadores, tecnologia para gerenciamento, além do fortalecimento da cultura voltada aos aspectos ESG da organização.

Empresas brasileiras bem-sucedidas na área de ESG

Mesmo diante dos desafios, temos bons exemplos de empresas brasileiras com sucesso na gestão sustentável. Entre as principais estão: Natura, Itaú, Ambev, Google, Grupo Boticário, Magazine Luiza, Bradesco, Unilever, Nestlé e Danone.

Estas são as dez empresas mais responsáveis em ESG do Brasil, de acordo com a nona edição do Ranking Merco Responsabilidade ESG no Brasil, que apresenta as 100 melhores empresas nesse quesito. A pesquisa de campo aconteceu entre julho e dezembro de 2022.

As empresas brasileiras representam metade do top 10 e são 43% das 100 melhores do ranking.

Além disso, das 15 companhias que entraram no ranking de 2022, seis são brasileiras: Eurofarma (54ª), Aché (58ª), Aurora Alimentos (63ª), Camil (72ª), Riachuelo (74ª) e Cemig (100ª).

As empresas brasileiras listadas desenvolvem ações de destaque nos três pilares da ESG, ambiental, social e de governança e, para comprovação, precisam apresentar relatórios e contar com certificações e selos de organizações acreditadoras.

ESG e Gestão da Sustentabilidade: para adotar práticas de ESG na sua empresa

Agora que você sabe mais sobre a importância da ESG e de uma gestão sustentável nessa nova era, saiba que pode contar com a nova formação da Fundação Vanzolini: ESG e Gestão da Sustentabilidade.

Em uma realidade na qual a responsabilidade social e o desenvolvimento sustentável são essenciais para o sucesso empresarial, o curso permitirá que o aluno tenha acesso aos caminhos para uma compreensão mais abrangente e prática das novas exigências do mercado relacionadas à agenda ESG.

Durante a formação, os participantes vão conhecer as melhores práticas de ESG e adquirir as competências necessárias para integrar esses conceitos em todas as áreas de sua organização.

Além disso, o curso possibilita uma análise da situação existente e cria modelos de governança com um plano de ação para o desenvolvimento sustentável da organização em questão. Outro diferencial é a compreensão do impacto das operações ESG nas operações financeiras.

Desse modo, os módulos incluem:

Pensando nas necessidades da atualidade, o curso é voltado aos gestores ou consultores, tomadores de decisão, embaixadores de sustentabilidade ou ESG, aos produtores do relatório de sustentabilidade, aos empreendedores ou autônomos neste ramo e a todos os interessados em implementar uma cultura ESG com ações concretas nos seus negócios – sem abrir mão do lucro.

Então, se você deseja se aprofundar em uma gestão sustentável e desenvolver uma agenda ESG sólida e eficiente, especialize-se na área e tenha os melhores resultados.

Acesse nosso site e conheça os cursos de Inovação da Fundação Vanzolini!

ENTRE EM CONTATO

Até o próximo :)

Fontes:

https://investalk.bb.com.br/noticia/o-que-e-esg

https://fiesc.com.br/pt-br/imprensa/esg-uma-nova-forma-de-fazer-negocios

https://www.meioemensagem.com.br

https://veja.abril.com.br/

Descubra o caminho para um futuro mais sustentável com este curso, que vai te direcionar a uma compreensão abrangente e prática. Em um cenário onde a responsabilidade social e o desenvolvimento sustentável são essenciais para o sucesso empresarial, aprenda as melhores práticas de ESG e adquira as competências necessárias para integrar estes conceitos em todas as áreas de sua organização. 

Veja tudo o que você vai aprender no curso:

Módulo 1 – Desenvolvimento Sustentável, Responsabilidade Social, Regulamentações ESG e Estruturas de Relatórios
Módulo 2 – Riscos e Oportunidades Ambientais
Módulo 3 – O Aspecto Social
Módulo 4 – ESG – Governança e a Gestão Sustentável
Módulo 5 – Trabalho Prático (desenvolvimento)
Módulo 6 – Apresentação do Trabalho Prático

Obs.:
A realização deste curso está condicionada ao número mínimo de matrículas.
As vagas estão sujeitas à capacidade máxima da turma.

A Fundação Vanzolini possui parceria exclusiva no Brasil, para a formação de auditores pela IQNET Academy, reconhecida internacionalmente.

Sustentabilidade e responsabilidade ambiental são conceitos cada vez mais presentes na indústria e no mundo corporativo.

Mais do que termos e palavras bonitas, sustentabilidade e responsabilidade ambiental devem ser ações e práticas organizacionais cotidianas.

Desse modo, as empresas devem adotar estratégias capazes de minimizar seu impacto no meio ambiente, e uma maneira eficiente das organizações demonstrarem seu compromisso com o meio ambiente é obtendo a certificação ISO 14001.

Esta é uma norma reconhecida internacionalmente para sistemas de gestão ambiental e, por meio da sua implementação, as empresas podem garantir processos importantes para identificar, medir e controlar seus efeitos ambientais e na comunidade.

Interessou-se pelo tema e quer saber mais sobre a certificação ISO 14001, além dos benefícios que ela é capaz de gerar para organizações e a sociedade em geral? Então, siga com a leitura deste artigo que preparamos!

Mudanças climáticas e a responsabilidade das organizações

Para começar nosso artigo sobre ISO 14001 e gestão ambiental nas empresas, vamos trazer um breve contexto da situação climática atual.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), até o início de outubro do ano passado, foram registrados 86 dias com temperaturas 1,5°C acima dos níveis pré-industriais, e setembro foi o mês mais quente já registrado, com temperaturas médias globais 1,8°C acima dos níveis pré-industriais.

Ainda de acordo com a ONU, as evidências científicas mais recentes, compiladas pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), indicam que as emissões de gases de efeito estufa precisam ser reduzidas em 43% até 2030, em comparação com os níveis de 2019.

Assim, a iniciativa é fundamental para limitar o aumento da temperatura a 1,5 grau Celsius até o final deste século e evitar os piores impactos da mudança climática, inclusive secas, ondas de calor e chuvas mais frequentes e severas.

Além das emissões diretas de gases de efeito estufa, também devemos considerar as alterações ambientais geradas pelo desmatamento, queimadas, poluição das águas, contaminação do solo entre tantos outros impactos que comprometem o equilíbrio dos ecossistemas e a capacidade de autorregulação da temperatura do planeta.

Diante desse cenário alarmante, o papel da responsabilidade ambiental das e organizações é crucial, já que, em geral, possuem uma capacidade de liderança social nas comunidades onde estão inseridas e também são responsáveis por processos que geram impactos ambientais significativos.

Mas como colocar em prática iniciativas sustentáveis eficazes e, assim, reduzir seu impacto ambiental? É aí que entra a certificação ISO 14001, traçando um caminho para obter melhores práticas. Siga com a leitura para saber como a norma pode ajudar sua empresa.

O que é a ISO 14001 e quais seus benefícios?

A Norma ABNT ISO 14001 é uma certificação que tem como foco especificar os requisitos para a implementação de um sistema de gestão ambiental eficiente em organizações de todos os portes, para que elas desenvolvam práticas sustentáveis em suas produções.

Dessa maneira, a ISO 14001 atesta que a empresa tem uma atitude ambientalmente correta, com medidas capazes de controlar os impactos ambientais e reduzir a geração de poluentes.

Por meio da obtenção da certificação, as organizações não só colaboram com a preservação do presente e do futuro, como também obtêm vantagens competitivas como a minimização de custos, evitando taxações e paradas de produção – atualmente impostas às empresas poluidoras.

Sendo assim, com uma abordagem mais consciente sobre riscos e ciclo de vida dos seus produtos, atividades e serviços – desde a extração da matéria prima até o destino pós-uso, passando pela redução das emissões de resíduos e correto aproveitamento e tratamento -, a empresa certificada se posiciona melhor no mercado e se alinha às novas demandas dos consumidores.

Portanto, entre a importância da ISO 14001 e seus benefícios para organizações e sociedade, podemos destacar:

Com a norma, as empresas dão um passo significativo em direção à responsabilidade ambiental, assegurando um futuro sustentável para elas mesmas e para as gerações futuras.

Mas como obter a certificação ISO 14001? As organizações podem contar com a Fundação Vanzolini, que possui cursos voltados para a norma e também possui parceria exclusiva, no Brasil, para a formação de auditores pela IQNET Academy, reconhecida internacionalmente.

 Veja a seguir os cursos oferecidos e prepare sua organização para conquistar um selo de respeito.

ISO 14001: cursos da Fundação Vanzolini para auditores e boas práticas de gestão ambiental

Para atender às demandas que visam as melhores práticas de gestão ambiental e proporcionar às  empresas mais consciência de suas responsabilidades, a Fundação Vanzolini oferece os seguintes cursos:

Curso de Interpretação dos Requisitos ISO 14001:2015

Voltada para diretores, gerentes, supervisores e técnicos que têm por objetivo entender e implantar a norma NBR ISO 14001:2015, a formação oferece informações relevantes e metodologias importantes para profissionais que estão ingressando em atividades de implantação e de manutenção de Sistemas de Gestão da Ambiental. Nesse sentido, os participantes vão aprender:

No conteúdo do programa, estão os seguintes temas:

IQNET: ISO 14001 – Auditor Interno

Este curso é especialmente recomendado para as empresas que:

Assim, a formação visa desenvolver as habilidades necessárias para os profissionais atuarem como auditores internos ambientais, com base nos aspectos técnicos e comportamentais, visando à manutenção de Sistemas de Gestão.

Para isso, o conteúdo do programa inclui:

1. Introdução às auditorias de Sistema de Gestão Ambiental;
2. Auditoria interna como um requisito da ISO 14001;
3. Desenvolvimento do processo de auditoria;
4. Educação e treinamento da equipe de auditoria;

4.1 Critérios para a qualificação dos auditores;
4.2 Funções e responsabilidades dos auditores;
4.3 Atitude do auditor.

5. Metodologia para realização das auditorias;

5.1 Planejamento e preparação;
5.2 Reunião de abertura;
5.3 Desenvolvimento: coleta de evidências;
5.4 Elaboração de não conformidades;
5.5 Elaboração do relatório final;
5.6 Reunião de encerramento.

6. Tratamento de ações corretivas;
7. Conclusões;
8. Estudo de caso (simulação de uma auditoria ambiental: análise de documentos, coleta de evidências, elaboração de não conformidades e apresentação de relatório final).

IQNET: ISO 14001 – Auditor Líder

Por fim, a Fundação Vanzolini conta com o curso de formação de auditor líder. Nesse caso específico, há um pré-requisito e o participante deve apresentar o certificado de conhecimento da norma ISO 14001, com carga horária mínima de 16 horas.

Caso não tenha, será necessário realizar uma prova no primeiro dia do curso, para medição de seu conhecimento. Nesta formação, o objetivo é:

Para isso, o conteúdo do programa conta com:

1. Introdução ao processo de auditoria de Sistemas de Gestão Ambiental;
2. Revisão dos requisitos aplicáveis da ISO 14001;
3. Definição, objetivo e tipos de auditorias. Diferenças entre auditorias internas e externas;
4. Requisitos da ISO 19011;
5. Gestão do programa de auditoria;
6. Planejamento e execução de auditoria;

6.1 Planejamento de auditoria;
6.2 Desenvolvimento de auditoria;
6.3 Ferramentas do auditor;
6.4 Comportamento do auditor;
6.5 Coleta e verificação de informações;
6.6 Elaboração e classificação de não conformidades;
6.7 Elaboração do relatório de auditoria.

7. Conclusão e acompanhamento da auditoria;
8. Competência e avaliação dos profissionais participantes da auditoria;
9. Atendimento legal ambiental: requisitos de legislação;
10. Sistema de Eco-Gestão. Comparação com a ISO 14001;
11. Exercícios práticos (mínimo 24h).

Com os conhecimentos, teorias, práticas e metodologias oferecidas com excelência pela Fundação Vanzolini, sua empresa estará no hall das marcas que se preocupam com o impacto ambiental gerado e realizam ações fundamentais para minimizar danos e riscos.

Uma postura que faz a diferença em tempos de crise climática e transformações da maneira de produzir e consumir, não é mesmo?

Então, para saber mais sobre os cursos voltados para ISO 14001, acesse nosso site.  

Até o próximo tema!

Fontes:

brasil.un.org

agenciabrasil.ebc.com.br/internacional

Desenvolva estratégias de gerenciamento de projetos, personalizadas para atender às necessidades de cada área de negócio. Utilizando uma variedade de ferramentas, como o ChatGPT e outras de Inteligência Artificial, além de conceitos como SCRUM, KANBAN e as práticas mais recentes do PMBOK®️ 7ª Edição. Neste treinamento você vai aprender a otimizar a execução do projeto, garantindo resultados superiores e uma entrega de valor excepcional!

Veja tudo o que você vai aprender:

Obs.:
A realização deste curso está condicionada ao número mínimo de matrículas.
As vagas estão sujeitas à capacidade máxima da turma.

Na gestão de projetos, o sucesso muitas vezes depende de um planejamento minucioso e eficiente. Nesse contexto, as práticas de planejamento de projetos tornam-se fundamentais para o sucesso de qualquer empreendimento. Desde a concepção inicial até a conclusão, um cronograma bem gerido é crucial para garantir que os objetivos sejam atingidos de maneira eficaz e eficiente. 

Este artigo detalha as melhores práticas em gestão de cronograma de projetos, abordando aspectos como gestão de tempo, metodologias de cronograma e técnicas para um planejamento eficiente de projetos.

A importância do planejamento inicial

O planejamento inicial é o alicerce sobre o qual todo o projeto é construído. Um planejamento de projetos bem estruturado e detalhado pode prevenir muitos desafios e obstáculos futuros. 

Durante essa fase, é crucial estabelecer objetivos claros e realistas, definir escopos, alocar recursos adequadamente e antecipar potenciais riscos. Aqui também deve-se incluir a definição de KPIs (Key Performance Indicators), que ajudarão a medir o progresso do projeto.

Estratégias para um planejamento eficaz

Para garantir um planejamento eficiente de projetos, algumas estratégias-chave devem ser adotadas:

Gestão de tempo em projetos

A eficaz gestão de tempo em projetos é crucial para manter o projeto dentro do cronograma. As técnicas a serem consideradas incluem:

Adotando metodologias ágeis para maior flexibilidade

Nas metodologias ágeis, destacam-se Scrum e Kanban, por sua capacidade de se adaptar a ambientes empresariais dinâmicos. O Scrum organiza o projeto em ciclos denominados ‘Sprints’, que focam em objetivos específicos e breves, promovendo entrega contínua e flexibilidade para ajustes rápidos. 

Já o Kanban utiliza um sistema visual de quadros e cartões para monitorar o fluxo de trabalho, identificando e solucionando gargalos de forma eficiente. Essa abordagem ágil é ideal para projetos que requerem adaptação constante a mudanças no escopo ou nas prioridades.

Comunicação eficaz na equipe para alinhamento de objetivos

Uma comunicação clara e constante é essencial para alinhar a equipe com os objetivos do projeto. Por meio de reuniões regulares, uso de ferramentas colaborativas online e atualizações frequentes, mantém-se a transparência e o alinhamento entre todos os membros e stakeholders

Essa comunicação efetiva cria um ambiente propício para a rápida identificação e resolução de problemas, fortalecendo a cultura de confiança e cooperação dentro da equipe.

Monitoramento e ajuste do cronograma para eficiência do projeto

O acompanhamento contínuo do progresso do projeto é vital para seu sucesso. Essa prática envolve revisões periódicas do avanço em relação aos objetivos estabelecidos, permitindo a rápida identificação de desvios ou atrasos. Ferramentas de dashboard e softwares de gestão de projetos são fundamentais nesse processo, oferecendo visões claras da evolução das tarefas e insights para ajustes no cronograma e na alocação de recursos. Esses instrumentos garantem que o projeto prossiga de maneira eficaz, cumprindo seus objetivos dentro do prazo e orçamento previstos.

Avaliação Pós-Projeto

Após a conclusão de um projeto, é crucial realizar uma avaliação. Isso inclui revisar o que funcionou bem e o que pode ser melhorado, permitindo o aprimoramento contínuo das práticas de planejamento de projetos.

Um planejamento de projetos eficiente e uma gestão de cronograma bem executada são essenciais para o sucesso de qualquer projeto. 

Adotando melhores práticas, desde a fase de planejamento inicial até a avaliação final, organizações podem garantir a entrega de projetos dentro do prazo, do orçamento e com os resultados esperados. Investir tempo e recursos no planejamento e na gestão eficaz do projeto é a chave para alcançar resultados excepcionais e sustentar o sucesso a longo prazo.

Aprofundando na aplicação das metodologias ágeis

A aplicação das metodologias ágeis, especialmente na gestão de projetos ágeis, vai além da organização de tarefas. No Scrum, os ‘Sprints’ representam ciclos de trabalho focados em objetivos específicos, criando uma cultura de resultados rápidos e adaptabilidade. 

O Kanban, com seu fluxo contínuo, otimiza a entrega do projeto ao permitir uma visualização clara do progresso das tarefas. Além disso, ambas as metodologias enfatizam revisões e feedbacks constantes, incentivando a melhoria contínua e a adaptação às mudanças do mercado.

Estratégias eficazes para comunicação em equipe

Para uma comunicação eficiente em equipe, é crucial estabelecer rotinas de check-ins e utilizar plataformas acessíveis, uma prática comum na gestão de projetos. Isso inclui reuniões diárias de alinhamento e sessões semanais de revisão. 

Ferramentas como Slack ou Microsoft Teams podem aumentar a eficiência da comunicação. Além disso, criar um ambiente onde o feedback é incentivado fortalece a equipe e permite que ela esteja alinhada aos objetivos do projeto, o que é essencial para o sucesso dos kpis na gestão de projetos.

Monitoramento contínuo e ajuste do cronograma

O monitoramento contínuo do cronograma do projeto envolve a preparação para ajustes proativos, incluindo a realocação de recursos e a redefinição de prioridades. 

O uso de ferramentas de gerenciamento de projetos, como Microsoft Project ou Jira, oferece rastreamento do progresso e visualização holística do projeto, facilitando a tomada de decisões informadas e oportunas. 

Esse processo é vital para a gestão eficaz do projeto, garantindo que os objetivos sejam alcançados de forma relevante e eficiente.

Implementar práticas eficazes de gestão de cronograma de projetos, ancoradas no uso de metodologias ágeis, comunicação eficiente e monitoramento contínuo é crucial para o sucesso de qualquer projeto na gestão de projetos

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

Saiba mais sobre os cursos de Gestão de Projetos da Fundação Vanzolini

ENTRE EM CONTATO

Curso Gestão de Operações: saiba como a capacitação auxilia no aumento da eficiência, lucros e produtividade da empresa. E mais, conheça as vantagens de aplicar a TI na gestão empresarial

Com tantas demandas de um gestor, pensar em fazer um curso de Gestão de Operação parece não estar na lista de afazeres, não é mesmo? Isso porque, às vezes, a capacitação fica em segundo plano, pois o profissional parece dar conta de suas atividades sem precisar de mais certificações.

No entanto, o quanto a sua empresa está atualizada em relação à tecnologia da informação (TI)? Se a resposta for pouco ou nada, saiba que está perdendo tempo e, com isso, muito lucro.

Atualmente, as duas empresas mais valiosas do mundo, Apple e a Microsoft, são do ramo da tecnologia, sinalizando a relevância desse setor do ramo empresarial e até mesmo social. Então, mesmo que a sua empresa não faça parte desse ramo, saiba que ainda sim ela pode se beneficiar com a TI.

Spoiler: os benefícios vão do aumento da produtividade aos lucros! Continue conosco e saiba mais sobre a tendência.

O papel transformador da tecnologia da informação nas operações empresariais

Se bem utilizada, a TI tem papel fundamental para transformar e impulsionar a eficiência operacional de uma empresa. Nesse caso, cabe ao gestor a função de usá-la conforme as necessidades do seu setor e equipe, e, assim, alcançar benefícios como:

Maior produtividade

Existem programas, aplicativos e demais softwares para todas as operações empresariais possíveis, permitindo que as execuções das atividades sejam automatizadas.

Significa, então, que o tempo dos funcionários, assim como suas tarefas, serão otimizados a ponto de se tornarem mais produtivas, pois é o que acontece quando se economiza tempo sem precisar abdicar da qualidade da entrega do trabalho.

Saiba mais: Como alcançar uma gestão de operações produtiva?

Mais interação com os avanços dos setores

Há anos a tecnologia está presente em todos os setores, nichos e departamentos, e cada vez mais se faz presente, mas, mais do que isso, ela se torna indispensável para os gestores, cujo papel é colocar sua empresa sempre à frente das demais.

Isso é fato: o líder que não se atualiza em relação aos avanços tecnológicos e não aproveita dos seus benefícios tende a se prejudicar e ficar em desvantagem, diante de seus concorrentes.

Quer uma prova? Os cursos Gestão de Operações mais atuais tem enfoque em tecnologia, e não é à toa!

Aumento da agilidade dos processos

Quando se soma a automatização à otimização e ao aumento da produtividade, o resultado é a maior agilidade nas operações da empresa. E, ao ter isso tudo, os negócios crescem exponencialmente, com mais rapidez.

Com a TI, determinados processos, independentemente dos tipos de operações realizadas, deixam de ser “truncados” e são mais ágeis, descomplicados, fluentes e viáveis. Os gestores sabem da importância de um bom desenvolvimento de atividades e priorizam que elas sejam feitas o mais facilmente possíveis, concorda?

Possível redução de custos

Outro ponto no qual a tecnologia da informação é relevante consiste na possível redução de custos. Nesse caso, a diminuição dos gastos provém de:

Mais eficiência

Com tudo o que foi mencionado até aqui, podemos perceber como a eficiência aumenta com o bom uso da tecnologia de informação, afinal: produtividade + agilidade + estar à frente dos concorrentes + redução de custos = melhor desempenho e eficácia do trabalho.

Assim, a gestão empresarial se beneficia de todas as maneiras, e o trabalho dos responsáveis é mais reconhecido, pois o sucesso se torna evidente.

Decisões estratégicas: a influência da Tecnologia da Informação

A TI influencia na tomada de decisões dos gestores a partir do momento em que, com ela, eles têm acesso rápido e preciso aos dados necessários para enxergar as possíveis consequências futuras das decisões.

Essa perspectiva faz com que a deliberação dos próximos passos seja feita estrategicamente, diminuindo os riscos, falhas e lacunas do planejamento. Além disso, a visão abrangente do cenário resulta na antecipação de tendências relevantes para os negócios.

O acesso à informação faz parte dos encargos dos gestores e as possibilidades trazidas pela tecnologia da informação são facilitadores, quando o assunto é traçar planos e metas embasados em dados eficientes e fundamentais.

Lembre-se de que uma escolha (boa ou má) pode mudar o rumo da empresa, dessa forma, tomá-la com prudência irá garantir o sucesso da gestão e dos negócios.

Otimização de processos: como fazer?

Após conhecer todos os benefícios, gostaria de saber de casos práticos nos quais a TI otimiza e aprimora processos operacionais? Bom, por se tratar, acima de tudo, de uma estratégia, é preciso conhecer as especificidades da empresa.

Primeiramente, é importante se conscientizar de que há vários tipos de gestão de operação: de produção, logística, serviços, qualidade, processos, desempenho, recursos, entre outros. Sendo assim, oferecer fórmulas genéricas não é o mais indicado.

O ideal, nesse caso, é a capacitação profissional dos responsáveis com cursos de Gestão de Operações.

Atualmente, a Vanzolini é uma das maiores e mais importantes instituições de capacitação nesse setor e, no nosso curso, o profissional aprenderá:

Participe do curso mais atualizado de gestão de operação integrado a TI e garanta o sucesso organizacional da empresa. Os negócios nunca param, então permita que eles trabalhem a seu favor por meio da tecnologia!

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

Conheça os cursos de Gestão de Operações da Fundação Vanzolini.

ENTRE EM CONTATO

Fontes:

https://deltime.com.br/a-tecnologia-da-informacao-e-sua-importancia-na-gestao-empresarial/

https://mgtek.com.br/lages/blog/operacoes-de-ti/

https://decisaosistemas.com.br/tecnologia-na-gestao-das-empresas/

https://olhardigital.com.br/2023/08/01/pro/as-10-empresas-mais-valiosas-do-mundo-em-2023/

A minimização de riscos dentro do ambiente hospitalar é de extrema importância, principalmente, quando se trata da vida do paciente. Ações simples como o cumprimento de protocolos podem fazer toda diferença e evitar falhas. Requisito para Acreditação, o tema gerenciamento de riscos integra a série de webinars promovidos pela ONA com o objetivo de divulgar as alterações no Manual para Organizações Prestadoras dos Serviços de Saúde (OPSS) 2022.

No encontro – que acontecerá ao vivo no YouTube da Organização dia 25 de agosto, às 19h – a Fundação Vanzolini será representada pela professora dos cursos de Lean Health Care: Otimizando processos na saúde e Formação em HFMEA e Ferramentas para Gestão de Riscos na Saúde, Ana Maria Saut, e por Juliana N. Franco Buani, avaliadora na Fundação, que conversam sobre o tema com a mediadora Adriana Torres, Analista de Qualidade da ONA.

Para participar do encontro, acompanhe nossas redes sociais e o YouTube do ONA.