Fundação Vanzolini

Torne-se expert em segurança viária. Saiba como desenvolver, implementar e melhorar o sistema de gestão de segurança viária, usando os requisitos da ISO 39001. Você vai aprender como adotar um sistema integrado para controle, monitoramento, educação e prevenção de danos, a partir de requisitos de qualidade reconhecidos internacionalmente, com uma abordagem proativa e com foco na melhoria contínua.

Veja tudo o que você vai aprender:

Líder, conheça as mais efetivas práticas de gestão de riscos de TI e faça da segurança cibernética uma cultura forte entre a sua equipe

O roubo, manipulação e exposição de dados sigilosos são cada vez mais constantes e, para sua empresa não passar por nenhum desses transtornos, uma coisa é fundamental: a gestão de riscos de TI.

Caso seja um líder, saiba que pode influenciar a cultura de segurança, tomar decisões estratégicas e liderar equipes para proteger ativos digitais e mitigar riscos cibernéticos.

Essas estratégias de segurança garantem o sigilo de dados sensíveis, tanto pessoais como corporativos e de propriedade intelectual, e também impedem as más consequências dessas práticas. Neste artigo, saiba quais são as principais ações que devem ser tomadas o quanto antes!

O que é cibersegurança?

A cibersegurança trata da segurança na internet, mais precisamente de normas, práticas e diretrizes que protegem os sistemas, arquivos, programas, aplicativos, dados e demais aspectos relacionados ao digital.

Portanto, a segurança cibernética garante o sigilo e a integridade de todas as informações disponíveis digitalmente, tanto nos celulares quanto nos computadores, duas ferramentas muito presentes no cotidiano dos negócios.

Qual a importância da cibersegurança?

Apenas pela definição, percebeu como a segurança digital é importante? Um possível vazamento de dados pode prejudicar um negócio de forma irreversível, fazendo com que a empresa perca clientes e, acima de tudo, a confiabilidade de todos.

Porém, mais do que saber do que se trata, os líderes precisam criar estratégias e manterem-se sempre atualizados em relação a isso, pois os ataques ficam cada vez mais aprimorados e perigosos.

Não pense que o negócio que lidera não pode ser alvo de hackers, por exemplo, pois até mesmo empresas gigantes do mundo online são prejudicadas. Em 2019, a Netshoes pagou R$ 500 mil em indenização de danos morais, após 2 milhões de clientes terem suas informações pessoais expostas.

Então, se ainda não desenvolveu uma cultura relacionada à cibersegurança, não espere algo assim acontecer.

Exemplos de segurança na prática:

Os termos acima parecem estranhos? Ou então, já ouvir falar, mas não sabe como aplicá-los de forma efetiva? Confira os passos a seguir!

Gestão de riscos de TI: o que a liderança pode fazer?

Criar uma cultura de segurança

Estabelecer uma cultura de cibersegurança diz respeito a incentivar que ela seja uma prioridade no cotidiano da empresa, além de garantir que o funcionamento das atividades do negócio gire em torno da proteção online.

Para alcançar tal cultura, o líder deve proporcionar treinamentos regulares, manter a equipe em contato com profissionais da área, criar normas de acesso à internet, conscientizar os colaboradores das principais regulamentações de segurança cibernética e de sua importância.

E mais, os passos a seguir igualmente colaboram com a implementação da cultura de segurança. Confira! Mas antes, saiba mais sobre crimes cibernéticos para proteger ainda mais a empresa.

Investir em treinamento em segurança cibernética

Senhas seguras, navegação em sites, downloads, compartilhamento de arquivos e tudo o que envolve práticas na internet demandam cuidado e macetes que os especialistas conseguem fornecer. Portanto, investir em treinamento é essencial.

Quanto a isso, é válido salientar a relevância de que esses treinamentos sejam feitos regularmente. Assim, os líderes garantem informações e práticas sempre atualizadas, afinal as normas online de segurança estão em constante mudança.

Estabelecer políticas de segurança claras

Após o treinamento, estabeleça políticas de gestão de riscos de TI, conforme as orientações dos especialistas. Como líder, não faça com que o treinamento seja em vão, portanto:

Dica bônus: Atualmente, saber sobre a Lei Geral de Proteção de Dados tornou-se uma regra básica, então, coloque-a em sua lista de afazeres, para  aprender sobre ela.

Conduza avaliações de risco

A empresa passou por alguma situação de risco ou adversidades com cibersegurança? Então não esqueça de fornecer essas informações ao profissional de TI.

Pedir a ele que identifique e avalie regularmente os riscos que a empresa enfrenta é outra excelente alternativa, que irá garantir a segurança dos dados da sua equipe.

Desse modo, sabe-se quais são os pontos de vulnerabilidade e consegue corrigi-los.

Realizar auditorias de segurança

Com todas as aplicações citadas acima, realizar auditorias de segurança é importante para avaliar se as medidas tomadas estão sendo suficientes. Nos casos em que não estão, é possível reaver melhorias.

As auditorias ainda servem para manter a empresa atualizada sobre as últimas tendências de ameaça, hackers, invasões, entre outros perigos. Nesses casos, o monitoramento das atividades e os relatórios de segurança são essenciais.

Contar com especialistas em segurança

Como vimos até aqui, a gestão de riscos em TI mantém os dados da empresa em segurança e, apesar da contratação de profissionais terceirizados, que tal contar com um especialista em segurança cibernética na equipe?

O trabalho deles pode tornar o dia a dia da empresa muito mais seguro, prático e ágil, pois podem tirar dúvidas e transmitir informações em tempo real.

Quem nunca precisou resolver um probleminha envolvendo a internet, não é mesmo? Caso o negócio já conte com um profissional de TI, é relevante que os líderes se certifiquem de oferecer a eles especializações em cibersegurança.

Uma opção de formação que combina teoria, prática e tecnologias avançadas para capacitar profissionais na área é o curso Cibersegurança com simulação e apoio de Inteligência Artificial, da Fundação Vanzolini.

Após saber a importância da proteção online, o próximo passo que te colocará à frente dos concorrentes é investir em conhecimento e certificações dessa área. Preparado?

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

Analista em Segurança Cibernética

Formação em Cibersegurança

Cibersegurança com simulação e apoio de Inteligência Artificial

ENTRE EM CONTATO

Fontes:

https://www.jota.info/tributos-e-empresas/mercado/vazamentos-de-dados-no-brasil-28012022

https://www.sap.com/brazil/products/financial-management/what-is-cybersecurity.html#:~:text=A%20ciberseguran%C3%A7a%20%C3%A9%20a%20pr%C3%A1tica,e%20dados%20de%20amea%C3%A7as%20cibern%C3%A9ticas.

https://www.kaspersky.com.br/resource-center/definitions/what-is-cyber-security

https://www.kaspersky.com.br/resource-center

https://www.kaspersky.com.br/resource-center/threats/cybercrime

Você conhece a certificação ISO 45001? Trata-se de uma norma internacional com foco em sistema de gestão para segurança no trabalho e saúde ocupacional.

Conheça os benefícios de obter esta certificação na sua empresa e tenha uma boa leitura!

Quais preocupações as empresas devem ter em relação à saúde ocupacional?

Um ambiente de trabalho apresenta diversos riscos aos funcionários e eles devem, por lei, serem levados em conta e gerenciados pelas organizações que os empregam.

Relacionamentos interpessoais, procedimentos operacionais, cultura organizacional e fatores ambientais são alguns exemplos de risco, por exemplo.

Todos esses aspectos influenciam nas atividades dentro de um escritório, uma fábrica, um hospital, entre outros ambientes.

Dessa forma, conforme matéria do Segs, a empresa deverá implementar um PGR (Programa de Gerenciamento de Riscos), visando o gerenciamento de riscos ocupacionais e das medidas de prevenção.

Este programa identifica os perigos e descreve as medidas para sua eliminação ou mitigação, tais como substituição de processos ou equipamentos perigosos; implantação de controles administrativos e de engenharia e, como último recurso, a utilização de equipamentos de proteção individual (EPI) adequados.

Além disso, as empresas que expõem seus funcionários a riscos ocupacionais devem elaborar e efetuar a implementação do PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional), que é um procedimento legal, estabelecido pela Consolidação das Leis do Trabalho.

Esse programa descreve as medidas de controle e os exames médicos periódicos (admissional, periódicos, etc.), para assegurar a efetividades das medidas implementadas para controle dos riscos identificados no PGR da organização.

Os benefícios e diferenciais da certificação ISO 45001

1) Mudanças na cultura da empresa

Quando se gerencia a segurança no trabalho e a saúde ocupacional, transforma-se também a forma como os trabalhadores enxergam sua posição na empresa e seu próprio trabalho.

Dessa maneira, isso pode resultar também em mudanças nas relações entre funcionários e gestores, bem como entre os funcionários e a própria empresa.

Além disso, um líder dedicado a implementar planos para melhorar a segurança de seus subordinados tem mais chance de ser admirado e respeitado por seus colaboradores, gerando também mais entrega e engajamento da equipe durante o trabalho.

Ainda, quando a empresa se preocupa com uma cultura de segurança ocupacional, os próprios colaboradores se tornam mais conscientes dos riscos de suas funções e passam a adotar cuidados extras que podem evitar acidentes.

2) Saúde e Segurança do Trabalho (SST): prevenção de riscos a acidentes e doenças ocupacionais

Pela legislação trabalhista, as empresas devem oferecer segurança às diferentes ocupações que carecem de cuidados. Isso significa oferecer todos os instrumentos necessários para mitigar ao máximo os riscos de um trabalho.

No entanto, nem sempre esses instrumentos são apenas na forma de equipamentos de proteção. Embora esses sejam essenciais, existem processos que podem ser implementados na garantia da qualidade do serviço prestado pelo colaborador.

3) Redução de custos e reconhecimento externo

Embora gerenciar a segurança no trabalho e a saúde ocupacional demande gastos naturais, a organização que se preocupar com esses aspectos economizará mais com a mitigação e prevenção de todos os riscos envolvidos, como a aposentadoria de um funcionário por invalidez, recontratações e indenizações de seguros.

Ou seja, implementar a ISO 45001 reduz custos, deixa os funcionários mais satisfeitos e produtivos e, ainda, pode gerar boas oportunidades de negócios, pois diversas empresas multinacionais verificam se seu futuro parceiro possui a certificação, de modo a identificar o risco de haver dissídios, que podem impactar negativamente na organização.

Assim, a empresa que obtém certificação internacional para o seu Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional inspira confiança, tanto para seus colaboradores, como para formalizar parcerias de negócios com outras empresas.

Quer saber como gerenciar um Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional (SGSSO) e conseguir uma certificação ISO 45001 para reduzir riscos de acidentes e doenças ocupacionais na sua empresa?

Conheça o curso Interpretação dos Requisitos ISO 45001:2018, EaD ao Vivo, com duração de 16 horas. Você poderá tirar suas dúvidas diretamente com o professor e fazer networking com os outros alunos!

Esse conteúdo foi útil para você? A Fundação Vanzolini oferece um amplo conjunto de cursos sobre Certificação, com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório sobre o assunto.

ENTRE EM CONTATO

Fontes:

Segs

Capacitação em cibersegurança é um dever do profissional de desenvolvimento de software: conheça as razões dessa afirmação  e como se destacar na área.

No desenvolvimento de software, deve-se considerar a segurança do início ao fim do projeto, pois criar uma ferramenta segura é a base de tudo e o princípio pelo qual os usuários a buscam.

Nesse contexto, deixar essa prática de lado pode arriscar todo o planejamento, assim, você deve voltar-se à capacitação em cibersegurança.

Até porque, atualmente, as ameaças vêm de todos os “lados” e estão cada vez menos perceptíveis, ou seja, por não serem facilmente detectadas, torna-se mais fácil cair em armadilhas cibernéticas.

Isso significa que os desenvolvedores devem compreender os diferentes tipos de ameaça que um software pode enfrentar, dos malwares aos ataques de negação de serviço, e o malefício mais frequente atualmente, a violação de dados.

Com isso, os profissionais devem, sim, abordar a segurança como uma prioridade fundamental, não somente como um acessório no desenvolvimento, mas sim como princípio.

Garantir que todas as etapas do desenvolvimento estejam conforme as premissas da cibersegurança é uma prática essencial, mas como colocá-la em vigor? Acompanhe!

Regras básicas para um desenvolvimento seguro

Há um conjunto de regras fundamentais para padronizar as boas práticas de criação e os desenvolvedores devem seguir tais diretrizes, para assegurar a confiabilidade dos softwares.

Nesse caso, algumas das regras, em geral, são:

Além das normatizações mais generalistas,  igualmente atente-se para:

Revisar o código

A revisão do código é uma ação importante no decorrer da criação, pois isso garante a adequação da configuração, fazendo com que ela seja resistente aos possíveis ataques.

A constante inspeção não deve ser subestimada, pois serve como um guia para a equipe responsável, que fica incumbida de realizar os testes mais comuns e certificar a confiabilidade da ferramenta.

Em resumo, o momento da revisão serve para encontrar brechas despercebidas ao longo do processo, que podem colocá-lo em risco. Esta prática é uma das mais abordadas em uma capacitação em cibersegurança.

Criar um ambiente seguro como um todo

Fornecer segurança por meio dos códigos é algo amplamente discutido, porém, às vezes, esquecido, refere-se a criar um ambiente físico seguro, além da seguridade digital.

Assim, deve-se estruturar um ambiente no qual não haja vestígios de vulnerabilidade nos espaços físicos em que a criação ocorre. Um exemplo, é implementar um sistema de controle de acesso aos setores responsáveis pelo desenvolvimento.

Além disso, ainda vale isolá-los para impedir o acesso de pessoas não autorizadas, para assim garantir a integridade de todas as fases do processo. Confiança deve, sim, estar inerente à cultura da empresa, mas, nesses casos, certas medidas são indicadas.

Focar na segurança dos métodos de transferência e armazenamento

Outra ação fundamental é a comunicação segura, isto é, definir diretrizes cujo papel seja o de garantir a transmissão segura de dados entre os sistemas. Basicamente, a comunicação divide-se em três níveis:

Leia mais: Segurança da informação: ISO 27001 Metodologia e boas práticas

Conheça duas abordagens eficientes que garantem a segurança do início ao fim

Nenhum processo relacionado à segurança deve ser descartado, devido à agilidade das ameaças veladas, então, todo cuidado é necessário. Por esse motivo, conheça duas abordagens responsáveis por auxiliar a manter a integridade e confiabilidade do software produzido.

KPIs

KPIs são métricas de avaliação de desempenho utilizadas para medir a performance de uma equipe, principalmente relacionada à gestão de projetos. Assim como há o processo de revisão de dados, a “revisão” do rendimento do time é igualmente necessária.

Isso porque, caso haja quaisquer comprometimentos responsáveis por prejudicar o andamento do programa, eles poderão ser ajustados, sendo esses ajustes o aperfeiçoamento de técnicas ou a escolha de metodologias mais eficazes, por exemplo.

Em relação à cibersegurança de softwares, os KPIs têm função de medi-la e, nos casos em que houver falhas, a equipe poderá saná-las por meio de métodos mais seguros.

SDL

O SDL (Security Development Lifecycle), ou, em português, Ciclo de Desenvolvimento Seguro, é um processo importante no desenvolvimento de softwares, pois atesta a segurança do projeto do início ao fim, a partir de: identificação e mitigação de vulnerabilidades de segurança; realização de revisões de código; testes de segurança e adoção de práticas seguras de codificação.

Importância da capacitação em cibersegurança

Até aqui, citamos processos fundamentais de segurança cibernética, mas, na prática, para garantir a seguridade das ferramentas desenvolvidas,  a capacitação é necessária.

Conhecer a teoria por cima, assim como as definições citadas neste artigo, faz com que os profissionais descubram caminhos para o melhor exercício de suas ocupações. No entanto, a capacitação em cibersegurança será, de fato, o guia definitivo para não correr riscos.

Na área da tecnologia, atualizar-se em relação às práticas de trabalho deve ser encarado como uma obrigação, e não como um diferencial. Afinal, todos os dias são termos, métodos, técnicas e até ameaças diferentes.

Pensando nisso, a Vanzolini desenvolveu o curso de Analista em Segurança Cibernética. Destaque-se na Era da IA com uma formação completa para você se tornar líder de segurança cibernética nas organizações, conhecendo métodos modernos para aplicar a IA na defesa de ameaças virtuais cada vez mais sofisticadas.

Clique no link em destaque e receba o programa completo, com Inovação e Tendências Futuras, para mantê-lo sempre atualizado conforme as demandas!

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

Conheça os cursos de Segurança ​de Dados da Fundação Vanzolini.

ENTRE EM CONTATO

Até o próximo!

Fontes:

trt4.jus.br/portais/media/175722/guia-desenvolvimento-seguro-2018.pdf

blog.convisoappsec.com/seguranca-no-desenvolvimento-de-softwares/

Quer aprender a proteger seus dados e sistemas contra ameaças cibernéticas? Este minicurso gratuito de cybersegurança é perfeito para você! Durante quatro aulas dinâmicas e informativas, você será introduzido ao fascinante mundo da cibersegurança, explorando desde os conceitos fundamentais até as práticas mais avançadas de proteção.

Conteúdo das Aulas:

Aula 01: Fundamentos de Segurança e Aspectos Jurídicos e Éticos
Desvende os segredos da segurança da informação.
Conheça os fundamentos essenciais e as responsabilidades legais e éticas.
Explore casos práticos e descubra como proteger dados de forma ética.

Aula 02: Gestão de Riscos, Compliance e Governança de TI
Domine a arte da gestão de riscos e compliance.
Descubra estratégias eficazes de governança de Tecnologia da Informação.
Aprenda a manter a conformidade com normas e regulamentos.

Aula 03: Gestão de Incidentes e Planejamento da Segurança
Prepare-se para a resposta eficaz a incidentes.
Desenvolva planos de segurança sólidos.
Aprimore suas habilidades de gestão de incidentes.

Aula 04: Gerenciamento de Equipes e Tendências Futuras
Liderança eficaz na segurança da informação.
Explore tecnologias emergentes e desafios futuros.
Descubra estratégias para manter sua equipe à frente das tendências.

Certificação: Você receberá uma certificação ao concluir o minicurso.

Bolsas de Estudo: Ao completar o curso, você pode ganhar bolsas de até 50% de desconto no curso de Analista em Cibersegurança.
Serão disponibilizadas três bolsas de estudos de 50%, 30% e 10%, respectivamente para o primeiro, segundo e terceiro aluno(a) que concluir o minicurso com nota 10 de aprovação. Importante ressaltar que as bolsas só serão concedidas após a viabilização da turma. A divulgação dos vencedores será no dia 27 de fevereiro de 2024.

Garanta sua vaga agora e esteja pronto para enfrentar os desafios da cibersegurança!

Entenda como a otimização de processos é fundamental na Gestão da Qualidade Total (TQM) e como ela pode transformar suas operações.

No competitivo mundo dos negócios de hoje, ter operações eficientes e de qualidade é crucial para o sucesso de qualquer empresa. A Gestão da Qualidade Total (TQM) é uma abordagem importante, que foca em melhorar continuamente e otimizar processos em todas as partes de uma organização. 

Neste artigo, vamos explorar como a TQM pode ajudar a melhorar as operações de uma empresa. Vamos falar sobre a importância de cursos de gestão de operações, dar dicas úteis para melhorar processos operacionais e explicar como os KPIs operacionais são importantes para medir o sucesso. Com a TQM, as empresas podem não apenas atingir seus objetivos atuais, mas também se preparar para o futuro.

A essência da Gestão da Qualidade Total

A TQM é mais do que um conjunto de práticas, é uma filosofia que se concentra na melhoria contínua em todas as áreas de uma organização. No centro da TQM está a otimização de processos, que envolve a avaliação e o aperfeiçoamento contínuo de todas as operações, para alcançar maior eficiência e qualidade. Essa abordagem melhora o desempenho operacional e também aumenta a satisfação do cliente e a competitividade no mercado.

Implementando TQM por meio da otimização de processos

Para implementar efetivamente a TQM, é essencial focar na otimização de processos. Isso envolve a identificação de ineficiências, a eliminação de desperdícios e simplificação de procedimentos. 

Utilizar metodologias como Lean, Six Sigma e Kaizen pode ser extremamente benéfico para esse propósito. Além disso, o treinamento e a capacitação dos funcionários são cruciais, e, para isso, os cursos de gestão de operações oferecidos pela Fundação Vanzolini podem ser um recurso valioso.

O papel dos KPIs na medição da otimização de processos

Os KPIs operacionais são indicadores-chave no processo de otimização. Eles fornecem uma medida quantitativa do desempenho e são essenciais para avaliar a eficácia das estratégias de TQM implementadas. Através de KPIs bem definidos, as organizações podem rastrear o progresso, identificar áreas para melhoria e medir o impacto das mudanças nos processos operacionais.

Melhoria contínua: uma jornada sem fim

A otimização de processos na TQM não é um destino, mas uma jornada contínua de melhorias. Envolve uma avaliação constante e ajustes regulares para se adaptar às mudanças no ambiente de negócios e às novas tecnologias. 

Para obter orientações sobre como aprimorar constantemente os processos operacionais, os profissionais podem se beneficiar das dicas de processos operacionais disponíveis no site da Fundação Vanzolini.

Capacitação em TQM e otimização de processos

Ao liderar com sucesso iniciativas de TQM e otimização de processos, a capacitação é fundamental. Cursos especializados, como os oferecidos pela Fundação Vanzolini em gestão da qualidade e gestão por processos, podem equipar os profissionais com as habilidades e conhecimentos necessários para implementar essas práticas eficientemente.

Integrando tecnologia na otimização de processos

A otimização de processos se beneficia enormemente do uso de tecnologias avançadas. Softwares de gestão de processos e ferramentas analíticas permitem um monitoramento mais preciso e em tempo real, facilitando a identificação rápida de áreas que necessitam de melhorias. A integração de sistemas automatizados, como ERP e CRM, pode simplificar fluxos de trabalho e aumentar a eficiência operacional, alinhando-se aos princípios da TQM.

Cultura organizacional e TQM

Para que a TQM e a otimização de processos sejam bem-sucedidas, é necessária uma mudança na cultura organizacional. Isso implica em promover uma mentalidade de melhoria contínua entre os funcionários e encorajar a inovação. Uma cultura organizacional que valoriza feedbacks, aprendizado contínuo e capacitação em cibersegurança é crucial para sustentar a implementação bem-sucedida.

Desafios na implementação da TQM

Embora a TQM ofereça inúmeros benefícios, sua implementação não está isenta de desafios. Pode haver resistência à mudança, dificuldades na adaptação a novos processos e necessidade de investimento significativo em treinamento e tecnologia. Superar esses obstáculos requer liderança forte, comunicação eficaz e um compromisso firme com os objetivos de longo prazo da organização.

A TQM e a otimização de processos são mais do que práticas operacionais, elas são a base para um desempenho excepcional e sustentável das organizações. Ao adotar essas práticas, as empresas melhoram suas operações diárias e também fortalecem sua posição no mercado. 

A chave para o sucesso contínuo na TQM reside na capacidade de se adaptar, inovar e evoluir constantemente, garantindo, assim, que a empresa não apenas atenda, mas exceda as expectativas dos clientes e stakeholders.

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

Conheça os cursos de Qualidade da Fundação Vanzolini.

ENTRE EM CONTATO

Conheça os padrões ISO de segurança e conquiste a confiança de seus clientes ao seguir as principais normas de proteção de informações.

Os padrões ISO de segurança se referem ao termo International Organization for Standardization, entidade responsável por desenvolver e publicar padrões de processos que visam qualidade, segurança e eficiência de serviços, produtos e sistemas. 

Neste artigo, falaremos sobre as ISO 27001 e 27701, que têm como atribuições zelar, principalmente, pela segurança e sigilo de dados cibernéticos de empresas públicas ou privadas. 

Recentemente, dados do Facebook, ChatGPT, de órgãos de saúde e de uma determinada empresa do ramo imobiliário sofreram com o vazamento de dados. As organizações, além de arcar com prejuízos financeiros, devido aos danos morais, ainda perdem a confiança e credibilidade. Por fim, a perda de clientes é uma das piores consequências. 

Para tornar sua empresa segura a todos, continue lendo este artigo e saiba como não passar por nenhuma dessas situações que levam uma instituição a perder sua credibilidade e confiabilidade. 

ISO 27001 e 27701: qual a diferença?

A ISO 27001 é uma certificação destinada a empresas de instituições públicas ou privadas que prezam pela segurança da informação, conforme os padrões do Sistema de Gestão de Segurança da Informação (SGSI). 

A SGSI, por sua vez, é um conjunto de políticas, normas e protocolos processuais voltados para gerenciar os riscos e reduzir os danos causados pela falta de segurança dos dados de uma organização. Nesse sentido, a ISO oferece maior segurança, confidencialidade e integridade no armazenamento de informações. 

Quanto a ISO 27701, é uma extensão da 27001. Enquanto a 27001 diz respeito ao Sistema de Gestão e Segurança de Informação, a 27701 se refere ao Sistema de Gestão de Privacidade da Informação (SGPI). Portanto, a 27701 protege, exclusivamente, dados pessoais dos clientes, funcionários e demais parceiros. 

Qual escolher? 

Ambas certificações são importantes, pois como citamos, uma complementa a outra e são imprescindíveis no quesito segurança cibernética. Nesse caso, o ideal é iniciar pela 27001, visto que a 27701 é uma extensão da primeira e não pode ser implementada sem ela. Ao optar pelas duas, você terá a certeza de que está no caminho mais seguro, sem deixar lacunas na proteção dos dados da instituição. 

Para quem é o padrão ISO de segurança 27001/27701

A certificação é ideal para instituições que lidam com informações importantes e sensíveis (sigilosas ou não), dados pessoais e empresariais de clientes, pessoas físicas ou jurídicas, informações financeiras, de propriedade intelectual, etc. 

As principais organizações que buscam pela certificação ISO são: 

Embora as instituições acima sejam as que mais comumente procurem pela certificação, qualquer empresa preocupada em oferecer segurança aos seus clientes pode obtê-la, pois a ISO 27001 possui muitos benefícios em relação a isso. 

Por que as certificações são importantes? 

Existem vários casos de vazamento de dados, incluindo de empresas gigantes como a Meta (Facebook, Instagram e WhatsApp). Em 2021, ocorreu uma divulgação indevida de dados que afetou 533 milhões de pessoas, em 106 países. 

Após esse episódio, a companhia deverá pagar mais de R$70 milhões em danos morais. E, além do prejuízo financeiro, os usuários passaram a não confiar mais nos aplicativos. 

Se tal situação ocorre com uma das maiores e mais importantes organizações tecnológicas do mundo, pode-se dizer que todos estão suscetíveis à insegurança. Por isso, atender aos padrões ISO de segurança é uma indicação de que a empresa: 

Como consequência a todos os aspectos citados, as empresas aumentam a confiança dos clientes e podem aumentar sua demanda, pois, com os casos frequentes de vazamento, os parceiros optam por quem cuida da segurança cibernética. 

Ou seja: menos críticas e imprevistos e mais parceiros interessados no trabalho da instituição! 

Leia mais: Proteção a fraudes: saiba mais sobre as normas ISO/IEC 27001 e 27701

Como conseguir a certificação ISO 27001?

A Fundação Vanzolini é uma certificadora da norma ISO 27001. Além disso, a Fundação ainda oferece um curso de interpretação dos requisitos. Isso porque as normas possuem exigências a serem cumpridas. 

Os cursos de Interpretação dos Requisitos ISO 27001:2022 têm como objetivo:

O conteúdo programático do curso consiste em: 

Quanto ao curso referente às normas ISO 27701, confira os principais conteúdos abordados:

Leia mais: Como funciona a manutenção das certificações ISO 27001 e 27701

Atender às normas, em um primeiro momento, pode parecer uma tarefa complicada para as equipes despreparadas. Então, cursos relacionados a elas são fundamentais para o processo transcorrer da melhor forma e também rapidamente. 

Entre em contato e esteja nos padrões ISO de segurança. Com todas as ferramentas em mãos, a empresa estará pronta para receber a certificação e conquistar a confiança dos clientes e demais parceiros. 

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

Conheça os cursos de Segurança de Dados da Fundação Vanzolini.

Auditoria remota – como fazer e responder a auditorias remotas

Gestão de Riscos: Metodologia e boas práticas – ISO 31000

Interpretação dos Requisitos ISO 37001:2016

LGPD na prática: Como implantar a Lei Geral de Proteção de Dados na sua empresa

LGPD para áreas Administrativas e Financeiras

LGPD para áreas com Relacionamento com Clientes ou Fornecedores

LGPD para área Compliance

LGPD para área de Recursos Humanos

LGPD para área de Tecnologia da Informação

LGPD para área Jurídica

LGPD para DPO ou Encarregado de Dados

Segurança da Informação e Privacidade de Dados Pessoais, conforme a norma internacional ISO 27701:2019

IQNET: ISO 27001 – Auditor Líder

Interpretação dos Requisitos ISO 27001:2022

Sistema de Gestão de Ativos – Requisitos ISO 55001

Sistema de Gestão de Compliance – Como um sistema de gestão pode apoiar as organizações na cultura positiva do Compliance ISO 37301

ENTRE EM CONTATO

Webinar com o professor Douglas Domingues, sobre como profissionais que atuam em Gestão de Relacionamento com o Cliente – que reúne as áreas de Vendas, Relacionamento, Key Account Management, Customer Success, Customer Marketing e Atendimento – podem utilizar o ChatGPT como ferramenta para facilitar a execução das principais tarefas do seu dia a dia, sejam elas estratégicas ou operacionais – e seu papel na gestão do negócio.

Os principais temas a serem abordados são:

Se interessou pelo assunto? Venha conversar com a gente no webinar! Contamos com a sua presença!

Lidere com confiança na era da Inteligência Artificial! Esta é a formação completa para você se tornar líder de segurança cibernética nas organizações, conhecendo métodos modernos para aplicar a IA na defesa de ameaças virtuais cada vez mais sofisticadas. Prepare-se para a nova era da proteção digital e dê um salto na sua carreira! 

Veja tudo o que você vai aprender:

 

Obs.:
A realização deste curso está condicionada ao número mínimo de matrículas.
As vagas estão sujeitas à capacidade máxima da turma.

A atuar de forma mais estratégica na gestão de dados, com foco na segurança e na privacidade. Ao conhecer a norma ISO 27701:2019 você aprenderá sobre padrões internacionais de proteção de dados, além de se preparar para apoiar organizações na adequação de processos para conformidade com a LGPD.

Veja tudo o que você vai aprender:

 

Obs.:
A realização deste curso está condicionada ao número mínimo de matrículas.
As vagas estão sujeitas à capacidade máxima da turma.

Produtos Relacionados