Fundação Vanzolini

Descubra a evolução do conceito de Qualidade e implemente o controle sistemático da melhoria contínua na sua empresa no curso Gerenciamento da Rotina e Ferramentas da Qualidade. Por meio de ferramentas básicas, como Kaizen e Ciclo PDCA, assim como da metodologia de análise e solução de problemas (MASP), você saberá como impactar a rotina dos trabalhos e aumentar a satisfação de seus clientes.

Veja tudo o que você vai aprender:

 

Obs.:
A realização deste curso está condicionada ao número mínimo de matrículas.
As vagas estão sujeitas à capacidade máxima da turma.

Conheça as principais tendências, certificações e perspectivas do gerenciamento de projetos: uma carreira em constante crescimento e boas oportunidades salariais

A área de gerenciamento de projetos pode não ser tão conhecida como a de administração de empresas, por exemplo, mas é muito promissora e perfeita para os profissionais com perfil dinâmico, de liderança e assertivo. E mais: que almeja uma boa remuneração.

Neste artigo, falaremos sobre a carreira, as principais certificações, metodologias e tendências da área, caso esteja planejando ou iniciando a carreira em questão.

Continue conosco e descubra novos horizontes desse campo em crescimento, e, quanto antes descobri-los, mais fácil será ocupar os melhores lugares nele.

O que é gerenciamento de projetos e quais as principais metodologias?

A gestão de projetos é a administração dos projetos de uma empresa, portanto, das atividades que possuem começo, meio e fim, cada uma com um objetivo em específico.

Em sua maioria, as ações se realizam em grupo e, segundo a definição do Project Management Body of Knowledge (PMBOK), guia referência da área, o propósito se relaciona à criação de um produto ou serviço, ou o alcance de um resultado.

Veja mais: conheça as vantagens de uma boa gestão de projetos

Quanto à prática do gerenciamento, as metodologias mais populares são:

Agile

Trata-se do método que divide os projetos em pequenos períodos e consiste em um trabalho simultâneo e colaborativo, cujo objetivo é entregar valor aos clientes, a partir da interação entre eles e os colaboradores.

Nesse sentido, a metodologia faz valer a adaptabilidade em vez da inflexibilidade, pois se apropria de testes de usuários e revisões regulares para ajustar os processos, conforme as necessidades.

Scrum

O Scrum faz parte do método Agile, com a diferença de ter como principal premissa a realização dos trabalhos, geralmente os mais complexos, em um curto período.

Os períodos são chamados sprints e duram entre duas a quatro semanas, nas quais a equipe se dedica para entregar o resultado almejado.

Na prática, há reuniões semanais para alinhar os desejos do cliente e reuniões diárias entre a equipe interna, para compartilhar as informações do andamento do projeto.

E, ao final da semana, completa-se com outra reunião com o cliente, o qual dá feedbacks em relação ao que foi feito, para o time poder melhorar e adaptar as próximas ações.

E, ao final da semana, completa-se com outra reunião com o cliente, o qual dá feedbacks em relação ao que foi feito, para o time poder melhorar e adaptar as próximas ações.

Waterfall

Diferentemente das duas metodologias acima, a Waterfall é inflexível e funciona linearmente, portanto cada etapa depende da entrega da etapa anterior. Sendo assim, não há trabalho simultâneo como no método Agile.

Outra diferença é o momento da revisão, pois, se houver ajustes, deve-se refazer todas as fases do gerenciamento. Isso significa que tudo precisa estar bem alinhado, claro e ajustado desde o início, por meio de documentação completa.

Outras tendências para ficar de olho

No Brasil, a metodologia Agile é conhecida como “gerenciamento ágil de projetos” e, atualmente, é uma tendência muito forte de gestão. Porém há outras práticas igualmente relevantes. Confira:

Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial pode ser usada como ferramenta de gerenciamento de projeto, mais precisamente com o intuito de otimizá-lo e torná-lo mais prático.

Então, o que demoraria mais de 10 horas para ser feito, com o uso do ChatGPT, por exemplo, esse tempo diminuiria para duas horas. No entanto, o profissional é e sempre será necessário, ok?

Quanto a isso, preparamos um artigo completo sobre como usar a IA a seu favor, veja:

Como utilizar o ChatGPT na gestão de projetos?

Gestão de projetos remotos

O trabalho remoto é um movimento cada vez mais forte e, como consequência, a gestão de projetos remotos se tornou necessária, sendo ela uma tendência promissora para o futuro.

Sabendo como executá-la, os resultados são de excelência e em nada perdem para a gestão presencial. Pelo contrário, em determinadas situações, trabalhos à distância conseguem ser mais ágeis e descomplicados.

Definição detalhada de execuções, metas, expectativas e regras comunicação clara e constante adoção de ferramentas eficientes de gestão  acompanhamento dos processos.

Certificações relevantes na área de gestão de projetos

Assim como em qualquer carreira, conhecimentos técnicos são fundamentais para aprimorar o desenvolvimento profissional. Além disso, certificações servem como uma escada para conquistar lugares de maior prestígio na carreira.

Quanto à área de gestão de projetos, conheça os cursos mais relevantes:

Como avançar na carreira de gestão de projetos?

Para se tornar um profissional na área, inicialmente se deve ter em mente que as habilidades essenciais são:

A partir das competências acima, o profissional precisa de qualificações. Infelizmente, principalmente para quem está no início da carreira, as certificações acima podem ser de difícil acesso.

A boa notícia é que, além das principais, há cursos mais acessíveis, de excelente qualidade e valia para conseguir boas oportunidades de crescimento.

Afinal, a área é promissora, está em constante crescimento e tem bons salários. Segundo o Vagas.com, um dos maiores sites de emprego do país, o salário médio é de R$ 5.000 a R$ 12.000, dependendo do nível de experiência e qualificação.

Por isso, potencialize os seus conhecimentos com os cursos de Gestão de Projetos da Fundação Vanzolini. Adquirindo habilitações fundamentais, as perspectivas profissionais são muito mais bem-sucedidas!

Até o próximo!

Saiba mais sobre cursos de Gestão de Projetos e de Operações da Fundação Vanzolini:

Básico em Gestão de Projetos – 24 horas

Easy PMP® – Preparatório para a Certificação do PMI®

Gerenciamento da Rotina e Ferramentas da Qualidade

Gestão da Qualidade e Gestão por Processos

Gestão de Operações

Gestão de Operações Portuárias

Gestão de Projetos

Gestão por Processos, Melhoria dos Processos

Gestão por Resultados e Indicadores de Desempenho

Melhoria de Eficiência nos Processos de Negócios

ENTRE EM CONTATO

Fontes:

Lucidchart

Scoreplan

Robson Camargo

Valor e Competência

Vagas

Robson Camargo

Strong

Alcance melhores resultados no fluxo produtivo da sua empresa, a partir de técnicas e metodologias que já têm eficiência comprovada na indústria. Com uma linguagem simples e com aprendizado na prática, você poderá identificar gargalos nos processos e oportunidades de melhoria, seja na adoção de novas tecnologias ou na capacitação de pessoas. 

Veja tudo o que você vai aprender:

No Brasil, as empresas têm buscado por uma prática mais sustentável e inclusiva, atentas e preocupadas com o impacto que geram na sociedade e no meio ambiente.

A chamada era ESG tem sido marcada por profundas transformações nos negócios. Longe de ser uma modinha ou onda passageira, a ESG – sigla em inglês que se refere às práticas de governança ambiental, social e corporativa (Environmental, Social and Governance) – tem ocupado o centro das decisões empresariais e ganhado projeção dentro e fora das organizações.

Então, para falar sobre a era ESG e sua importância nos negócios, vamos explorar como as empresas brasileiras estão liderando essa transformação no mercado, como a sustentabilidade se tornou um fator essencial para a sobrevivência e o sucesso dos negócios e como os investidores estão priorizando empresas que adotam práticas ESG, levando em consideração não apenas o desempenho financeiro, mas também a responsabilidade social e ambiental.

Acompanhe a leitura e fique por dentro!

A agenda ESG e a gestão sustentável

Para começar, vamos entender melhor do que se trata a agenda ESG que vem ditando as formas de consumo e de negócios.

A agenda ESG é um compromisso firmado pelas organizações para colocar os critérios de ESG em prática. Vale lembrar que a ESG é feita de três pilares: meio ambiente, social e governança.

Desse modo, a agenda ESG é um conjunto de ações, com foco em posicionar a empresa dentro das novas demandas da sociedade e da era pautada pela ESG.

Assim, as organizações devem fazer uma análise de como podem impactar positiva e negativamente cada um dos pilares da ESG e, então, elaborar e implementar políticas, ações e rotinas capazes de evitar riscos e absorver impactos.

Como falamos no início, a agenda ESG vai além de uma modinha e, atualmente, impacta toda a atuação e imagem da empresa, passando por suas ações ambientais, até a relação com stakeholders, a transparência frente ao mercado, o desenvolvimento de projetos sociais e a política empresarial, assumindo um papel essencial nas tomadas de decisões.

Nesse sentido, o conceito de sustentabilidade atravessa toda a estrutura organizacional e ultrapassa as margens do meio ambiente, incorporando uma gestão humana e financeira, benéfica para o planeta e para os negócios.

Um estudo da Consultoria Refinitiv mostrou que, das empresas listadas dentre as 500 maiores pela Standards & Poors, as organizações com bom desempenho em temas relacionados a ESG tiveram perdas menores durante a pandemia de COVID-19 em cerca de um terço, quando comparadas àquelas com piores desempenhos em indicadores ambientais, sociais e de governança. 

O relatório “Better Business, Better World”, da Comissão de Desenvolvimento Empresarial e Sustentável (BSDC, na sigla em inglês), também mostra que os negócios sustentáveis têm o potencial de gerar oportunidades econômicas de aproximadamente 12 trilhões de dólares e até 380 milhões de empregos por ano até 2030. 

Portanto, podemos compreender que a cultura da sustentabilidade – que envolve a gestão do negócio na era ESG – é fundamental para a saúde financeira e para a competitividade das organizações na atualidade.

A importância da ESG no mundo dos negócios

Mais do que uma tendência, a agenda ESG é uma realidade e as empresas listadas com boas práticas sustentáveis recebem mais atenção dos analistas financeiros. A ESG é importante para os negócios e não é possível negar.

Uma pesquisa da consultoria PWC, feita com 227 investidores profissionais e analistas de mercado em mais de 40 países, revelou que sustentabilidade e governança estão entre as cinco principais prioridades para a estratégia de investimentos.

No Brasil, para os investidores entrevistados, a prioridade máxima dos negócios deve ser a inovação, seguida por lucratividade e, depois, em terceiro lugar, por um dos pilares ESG, que é a governança. Em quinto, vem o compromisso das empresas com a redução das emissões de gases de efeito estufa.

Ainda segundo a pesquisa, em relação ao meio ambiente, o estudo mostrou que 74% dos investidores dizem que o gerenciamento de riscos regulatórios é um fator importante para incluir a sustentabilidade em suas decisões de investimento, mas o principal é a demanda dos clientes de que seus portfólios tenham um enfoque ESG (83%).

Como podemos ver, trata-se de uma mudança global na maneira de olhar, avaliar e fechar negócios, que considera o compromisso social e ambiental das organizações. Não é mera perfumaria, é uma responsabilidade cobrada e que dita as regras do mercado nos dias de hoje.

A ESG no mercado brasileiro

Por aqui, a tendência da era ESG também é realidade e muitas empresas estão se adaptando a essa nova configuração.

Cada vez mais, as organizações estão adotando políticas de redução de emissão de carbono, investindo em energias renováveis, promovendo a diversidade e inclusão e se comprometendo com a transparência e ética nos negócios.

No Brasil, assim como no mundo, a transformação ESG oferece oportunidades tanto para as empresas quanto para o mercado nacional.

As empresas que se adaptam e adotam práticas sustentáveis têm melhor posicionamento no mercado para garantir sua relevância e competitividade no longo prazo, enquanto contribuem para um futuro mais justo e sustentável.

Para engajar e medir os índices de sustentabilidade, há no Brasil instituições, como é o caso da B3, que, desde 2005, mantém um conjunto de índices para acompanhar o desempenho das companhias preocupadas com as melhores práticas de sustentabilidade.

Atualmente, existe também a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), que está definindo critérios para identificar fundos sustentáveis e dar segurança aos investidores.

De acordo com a Anbima, em fevereiro de 2021, o patrimônio líquido dos fundos na categoria sustentabilidade e governança foi de 1,07 bilhão de reais, quase o dobro de um ano antes. A captação líquida, por sua vez, foi de 307,9 milhões de reais no primeiro bimestre de 2021, crescimento de 787% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Por parte do poder público, o Governo Federal, por meio do Tesouro Nacional, articula a emissão de títulos públicos com selo ESG, com o objetivo de atrair investidores estrangeiros para a dívida pública brasileira.

Outra iniciativa da qual o Brasil faz parte é o Acordo de Paris, assinado por quase 200 países, com o objetivo de limitar o aumento médio da temperatura global em 1,5%. O Brasil assumiu compromisso de reduzir em 50% as emissões de gases de efeito estufa até 2030.

Assim, todas essas medidas têm levado as empresas brasileiras ao alinhamento com a agenda ESG, permitindo que se mantenham no páreo do mercado global, regido pelas novas culturas sustentáveis de comportamento e consumo.

Os benefícios das boas práticas ESG para as empresas

Como falamos ao longo deste artigo, a adoção de critérios ESG gera impactos positivos para a imagem e competitividade das empresas, agregando valor aos negócios.

De acordo com a consultoria McKinsey, as práticas de ESG e de uma gestão sustentável se relacionam com o fluxo de caixa de cinco maneiras:

1. Crescimento de receita

Uma proposta sólida de ESG ajuda a explorar novos mercados e expandir os já conquistados, além de atrair a preferência dos consumidores.

2. Redução de custos

Uma gestão sustentável, baseada em práticas que consideram os impactos ambientais, tende a gerar menores gastos com matérias-primas, água ou energia.

3. Redução de intervenções regulatórias e legais

As práticas ESG aliviam a pressão regulatória e reduzem riscos de ações adversas por parte do Governo, conferindo maior liberdade estratégica às empresas.

4. Elevação da produtividade

A satisfação dos colaboradores é atrelada ao retorno aos acionistas, e empresas com impacto social positivo tendem a ter maior facilidade em atrair e reter talentos.

5. Otimização de ativos e investimentos

Com a prática de ESG, há melhor retorno graças à alocação de capital em oportunidades mais promissoras e sustentáveis, como recursos renováveis e redução de desperdício.

Os desafios das empresas brasileiras na implementação de práticas de ESG

Ainda que a agenda ESG esteja em pauta e seja capaz de gerar vantagens competitivas, como citamos acima, as empresas brasileiras enfrentam alguns obstáculos para a implementação de práticas mais sustentáveis.

Os desafios surgem, sobretudo, porque os princípios da ESG estão relacionados a uma mudança de cultura, que vai muito além da implementação de um novo projeto. Trata-se, assim, de uma transformação na maneira de pensar e agir dentro das organizações.

Na pesquisa, “Visão do Mercado Brasileiro sobre os Aspectos ESG “, foram entrevistados 139 executivos, dos quais 84% são líderes e gestores de médias e grandes companhias, que atuam nos mais diferentes ramos de atividade, como Varejo, Indústria, Tecnologia, Educação e Instituições Financeiras.

Segundo o estudo, um dos cinco maiores desafios das organizações é a participação das pessoas: 67% dos entrevistados afirmam que a sensação é de que há ações concretas sendo realizadas em relação às boas práticas ESG, no entanto, elas acabam esbarrando em questões de engajamento, comunicação interna, métricas e indicadores, tecnologia para gerenciamento, além do fortalecimento da cultura voltada aos aspectos ESG da organização.

Empresas brasileiras bem-sucedidas na área de ESG

Mesmo diante dos desafios, temos bons exemplos de empresas brasileiras com sucesso na gestão sustentável. Entre as principais estão: Natura, Itaú, Ambev, Google, Grupo Boticário, Magazine Luiza, Bradesco, Unilever, Nestlé e Danone.

Estas são as dez empresas mais responsáveis em ESG do Brasil, de acordo com a nona edição do Ranking Merco Responsabilidade ESG no Brasil, que apresenta as 100 melhores empresas nesse quesito. A pesquisa de campo aconteceu entre julho e dezembro de 2022.

As empresas brasileiras representam metade do top 10 e são 43% das 100 melhores do ranking.

Além disso, das 15 companhias que entraram no ranking de 2022, seis são brasileiras: Eurofarma (54ª), Aché (58ª), Aurora Alimentos (63ª), Camil (72ª), Riachuelo (74ª) e Cemig (100ª).

As empresas brasileiras listadas desenvolvem ações de destaque nos três pilares da ESG, ambiental, social e de governança e, para comprovação, precisam apresentar relatórios e contar com certificações e selos de organizações acreditadoras.

ESG e Gestão da Sustentabilidade: para adotar práticas de ESG na sua empresa

Agora que você sabe mais sobre a importância da ESG e de uma gestão sustentável nessa nova era, saiba que pode contar com a nova formação da Fundação Vanzolini: ESG e Gestão da Sustentabilidade.

Em uma realidade na qual a responsabilidade social e o desenvolvimento sustentável são essenciais para o sucesso empresarial, o curso permitirá que o aluno tenha acesso aos caminhos para uma compreensão mais abrangente e prática das novas exigências do mercado relacionadas à agenda ESG.

Durante a formação, os participantes vão conhecer as melhores práticas de ESG e adquirir as competências necessárias para integrar esses conceitos em todas as áreas de sua organização.

Além disso, o curso possibilita uma análise da situação existente e cria modelos de governança com um plano de ação para o desenvolvimento sustentável da organização em questão. Outro diferencial é a compreensão do impacto das operações ESG nas operações financeiras.

Desse modo, os módulos incluem:

Pensando nas necessidades da atualidade, o curso é voltado aos gestores ou consultores, tomadores de decisão, embaixadores de sustentabilidade ou ESG, aos produtores do relatório de sustentabilidade, aos empreendedores ou autônomos neste ramo e a todos os interessados em implementar uma cultura ESG com ações concretas nos seus negócios – sem abrir mão do lucro.

Então, se você deseja se aprofundar em uma gestão sustentável e desenvolver uma agenda ESG sólida e eficiente, especialize-se na área e tenha os melhores resultados.

Acesse nosso site e conheça os cursos de Inovação da Fundação Vanzolini!

ENTRE EM CONTATO

Até o próximo :)

Fontes:

https://investalk.bb.com.br/noticia/o-que-e-esg

https://fiesc.com.br/pt-br/imprensa/esg-uma-nova-forma-de-fazer-negocios

https://www.meioemensagem.com.br

https://veja.abril.com.br/

Conheça as principais diferenças entre as metodologias ágeis e tradicionais, qual a melhor opção e como conseguir a mais visada certificação em gestão de projetos.

Metodologias ágeis ou tradicionais? Qual escolher? Essa é uma dúvida comum entre os gestores, pois tanto se fala na escolha entre as duas, que, no momento de optar por uma outra, os profissionais temem em optar pelo “pior.”

No entanto, adiantamos: nenhuma supera a outra, e a escolha deve partir considerando características do próprio projeto.

Neste artigo, citamos os princípios dos dois métodos e como tomar a melhor decisão, e mais: ao final, conheça a importância da certificação em gestão de projetos para se tornar um profissional de destaque, aquele que foca em resultado e os consegue!

Metodologias ágeis vs. tradicionais na gestão de projetos: qual a diferença?

Metodologias ágeis e tradicionais são abordagens distintas relacionadas à gestão de projetos. Nesse contexto, não há uma melhor ou pior, mas, sim, ambas com características e princípios diferentes, os quais devem ser considerados no momento da escolha entre elas.

Metodologias ágeis

Os princípios mais relevantes, portanto, os norteadores da prática das metodologias ágeis, são:

Consegue notar como a colaboração e a agilidade (por isso o nome) são concepções básicas dessa metodologia? Então! A interatividade com o cliente – e a partir dela – e as ações da equipe multidisciplinar colaboram com a rapidez e a eficácia do andamento do projeto.

Além disso, ainda há mais três principais características fundamentais para se compreender o funcionamento das metodologias ágeis:

1 – Flexibilidade:

No método ágil, o projeto pode passar por mudanças necessárias, que são percebidas durante as contínuas avaliações.

Um exemplo: se os colaboradores notarem que as ferramentas escolhidas não estão dando o resultado esperado, eles podem mudá-las. Em outros casos, a falta de resultados só seria percebida no final do projeto.

2 – Comunicação:

Devido ao princípio anterior, a comunicação é outro ponto indispensável, pois não há como realizar a medição de desempenho em projetos sem o diálogo constante, tanto entre os próprios membros da equipe, quanto da equipe com o cliente.

Essa troca tem o papel de manter as coisas claras, além de bem alinhadas e definidas, por meio de feedbacks de ambos os lados. Assim, quanto mais comunicação, mais transparência, algo imprescindível na metodologia em questão.

3 – Controle:

A tomada de decisões é distribuída, portanto, não há uma hierarquia responsável pelo total controle do projeto. Nesse caso, a responsabilidade de tomar decisões relacionadas ao projeto é distribuída entre os membros da equipe, essa, que é multidisciplinar e autogerenciável.

Isso quer dizer que as equipes têm autonomia e organizam seus trabalhos de forma independente, organizando-o conforme decisões tomadas em grupo e consentida pelos líderes de tais grupos.

Métodos mais populares:

Para todas elas, a certificação em gestão de projetos deve ser priorizada, porque são abordagens diferentes e com conceitos importantes. Aprender somente na prática pode ser uma medida que põe o projeto em risco, então, opte pela devida capacitação.

Veja mais: Certificação PMP: ateste seus conhecimentos para atuar na gestão de projetos

Metodologias tradicionais

Os princípios das metodologias tradicionais, por sua vez, são:

Sequencial:

O projeto não acontece simultaneamente, ou seja, as etapas seguem uma sequência linear, e são iniciadas apenas se a última estiver finalizada.

Documentação extensiva:

Todas as fases são minuciosamente detalhadas, com a intenção de fornecer informações relevantes a todos os interessados e, assim, obterem uma visão ampla e qualificada do projeto. A comunicação das metodologias tradicionais, em geral, é facilitada por meio da documentação.

Rigidez:

Uma das principais diferenças entre os métodos ágeis e os tradicionais está na rigidez. Na abordagem tradicional, não há possibilidade de mudanças durante o desenvolvimento do projeto, portanto, se ele iniciou de uma maneira, deve terminar da mesma forma.

Entrega única:

O cliente não tem uma prévia do que será entregue. Ele só irá conhecer o projeto em sua versão final, sem possibilidade de mudanças ao longo do desenvolvimento, como citado anteriormente.

Controle:

O controle é centralizado e a equipe recebe ordens de uma equipe hierárquica superior, sem poder mudá-las.

Principal método:

Afinal, qual escolher?

Após conhecer melhor sobre as metodologias, saiba que somente poderá usufruir das vantagens de uma boa gestão de projetos, caso escolha e melhor para o seu projeto. Como irá definir esse ponto? Nós explicamos!

Ao saber qual projeto precisará executar, considere:

Complexidade

Os mais complexos podem se beneficiar de abordagens ágeis, pois permitem ajustes, facilitando o desenvolvimento.

Requisitos claros ou evolutivos

Se os requisitos são bem definidos no início, uma abordagem tradicional pode ser mais apropriada, já que elas não podem sofrer mudanças. Se forem evolutivos, métodos ágeis são mais flexíveis.

Envolvimento do cliente

Se a colaboração constante com o cliente é indispensável, tanto por exigência dele ou por uma cultura da empresa, as metodologias ágeis são as mais indicadas.

Tamanho e duração do projeto

Projetos menores e de curta duração podem se beneficiar da agilidade, enquanto projetos maiores e mais longos podem favorecer métodos tradicionais.

Ambos são métodos eficientes, e, considerando os pontos acima, com certeza trarão os resultados esperados.

Certificação em gestão de projetos: uma escolha indispensável

A certificação, assim como mencionamos, é um passo indispensável no sucesso das carreiras dos gestores. Capacitar-se é, na verdade, um processo pelo qual profissionais de todas as áreas passam, e algo tão importante quanto a gestão não pode ser diferente.

Na Vanzolini, você irá aprender:

Com a certificação de gestão de projetos, sua equipe estará apta para atuar, focando em resultados, e a desenvolver melhoria contínua nos produtos e serviços oferecidos, saindo na frente no que se refere à competitividade em seu setor.

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

​Conheça os cursos de Agile da Fundação Vanzolini.

ENTRE EM CONTATO

Fontes:

gaea.com.br/o-que-e-metodologia-agile-e-quais-tendencias-voce-deve-ficar-atento/

objective.com.br/insights/diferencas-metodologia-tradicional-e-agil/

rockcontent.com/br/blog/metodologias-de-gestao-de-projetos-ageis-e-tradicionais/

A área de Gestão de Projetos passou por mudanças significativas nos últimos anos. Devido ao desenvolvimento de novas tecnologias e a rapidez no compartilhamento de dados alcançados pela globalização, o planejamento e a execução de estratégias corporativas se tornaram mais dinâmicos. 

Assim, o mercado de trabalho começou a perceber que abordagens tradicionais de gestão de projetos nem sempre atingiam a eficácia necessária, por serem rígidas e bem definidas, não acompanhando a flexibilidade necessária em determinadas situações do atual cenário. 

O resultado da insistência na utilização de métodos tradicionais, quando não aplicáveis, é bem crítico, como atrasos nas entregas, despesas adicionais e até produtos fora de conformidade com as necessidades ou expectativas dos clientes. 

Atualmente, temos uma abordagem mais flexível e dinâmica, a Agilidade ou Agile. Uma inovadora metodologia de gestão, em consonância com o comportamento da sociedade. 

Hoje, a demanda por gerentes de projeto ágeis está aumentando rapidamente, oferecendo amplas oportunidades de crescimento profissional, em um campo dinâmico e em constante evolução. 

Veja, a seguir, as projeções e expectativas do mercado de trabalho para os próximos anos, além de conhecer diferentes cargos de atuação para investir seus conhecimentos!

O que faz um Gestor de Projetos?

Os gerentes de projetos são agentes de mudanças que precisam inspirar um sentimento de propósito nas pessoas, de acordo com o PMI (Project Management Institute) – uma das maiores e mais reconhecidas associações para profissionais de gerenciamento de projetos no mundo. 

Esses profissionais são responsáveis pelo acompanhamento de demandas específicas ou contínuas, do começo ao fim. Possuem um comportamento estratégico, organizando o planejamento e certificando-se de que todas as partes envolvidas estão executando suas ações, para que no final os objetivos estabelecidos sejam alcançados dentro do prazo, escopo e orçamento definidos.

Um Gestor de Projetos Ágil tem como base o PMBOK® (Project Management Body of Knowledge), um guia que descreve práticas recomendadas, diretrizes aceitas e até terminologias padronizadas no setor de gestão de projetos. 

O profissional atua diretamente com equipes multidisciplinares e multifuncionais, onde este contato refletirá em uma visão macro para gerenciar recursos. Sendo capaz de tomar boas decisões para eventuais falhas ou alterações de processo que demandem adaptações. 

Atualmente, a Gestão de Projetos é vista como uma das principais profissões do futuro, sendo suas habilidades cada vez mais valiosas, em um mercado onde as empresas precisam ser flexíveis, mantendo a eficiência para sobreviver.

Gestor de Projetos: um profissional altamente requisitado

Conforme citamos anteriormente, as empresas têm visto a posição como imprescindível para a sobrevivência organizacional. 

Por isso, conforme os dados do estudo “Talent Gap: Ten-Year Employment Trends, Costs and Global Implications”, publicado pelo Project Management Institute (PMI) em 2021, 2,3 milhões de pessoas serão necessárias, por ano, para preencher posições de gestão de projetos que são esperadas para abrir até 2030, o equivalente à 25 milhões de novos profissionais em 10 anos. 

Ainda de acordo com o Instituto, até 2027 o mundo contará com 87,7 milhões de profissionais trabalhando com gestão de projetos, uma crescente de 33% da área.

Em um mercado com números tão altos de profissionais atuantes, você pode estar se perguntando se ainda há espaço para novos talentos. A resposta é sim! 

Tendo um cenário econômico global turbulento, com empresas alcançando crescimentos abaixo do projetado, o Gestor de Projetos é visto como uma alternativa para evitar maiores perdas nas empresas. Para, assim, manterem o seu espaço no mercado e continuarem competitivas em relação à concorrência.

Além disso, com o aumento das metodologias ágeis, os gerentes de projeto não estão mais limitados a indústrias como construção e manufatura. Segundo informações divulgadas no relatório “Tendências Globais de Emprego – Gestão de Projetos 2023”, realizado pelo PMI, confira os principais setores em ascensão no mundo, os locais com maiores demandas para Gestores de Projetos:

Outro ponto que podemos destacar é que os Gestores de Projetos estão conquistando ótimas remunerações, por conta da alta demanda de vagas e a baixa oferta de profissionais qualificados. 

Dessa forma, a capacitação e desenvolvimento contínuo de conhecimento têm sido importantes para o setor. Segundo a pesquisa realizada pelo PMI sobre salários, profissionais que têm o certificado de PMP® (Project Management Professional) do PMI ganham 16% a mais, em comparação com aqueles que não têm.

As carreiras que um Gestor de Projetos pode seguir

Agile Scrum Master

O Scrum Master é o responsável por gerenciar o projeto de acordo com a metodologia Scrum. 

Sua função é garantir que todos da equipe estão seguindo os padrões ágeis em suas tarefas, que os processos estão atendendo aos objetivos definidos, de acordo com cada uma das partes (ex. clientes, empresa, funcionários) e que cada membro do time entenda suas responsabilidades dentro do todo. 

Costuma ser um profissional com ótima comunicação, visão analítica, escuta ativa, facilitador e agente de mudanças.  

Product Owner

O Product Owner é conhecido como “a voz do cliente” dentro do time. É responsável por transformar ideias em produtos tangíveis e, posteriormente, garantir a qualidade nas entregas, de acordo com o que foi definido para o projeto. 

Em sua rotina de gestão, utiliza o Scrum para organizar as demandas e obter o melhor resultado possível, com o menor tempo e custo. 

Além disso, é responsável por administrar o Product Backlog, o local onde novas funcionalidades, bugs ou melhorias são listadas e priorizadas, conforme a importância da função para os usuários, o tempo de desenvolvimento e outras dependências.

Agile Coach

O Agile Coach tem a responsabilidade de otimizar processos e agilizar a melhoria dos produtos em desenvolvimento, pensando no que, de fato, vai ao encontro dos objetivos e necessidades do cliente. 

Sua atuação independe do tamanho do time ou do segmento da organização. Contudo, apesar de sua função parecer similar à do Scrum Master, seu papel não está atrelado ao Scrum e a nenhum outro framework

O Agile Coach reúne conhecimento de diversas metodologias e frameworks. Dentre suas principais responsabilidades estão a organização de prazos, estimativas e previsões, o apoio às pessoas que se encontram em cargos de liderança e o acompanhamento completo de todos, para que o progresso da equipe e ou empresa seja contínuo, seguindo um fluxo de trabalho sem interrupções de projeto. 

Tendo habilidades tão amplas e importantes, o profissional desempenha um papel de coaching, prestando consultoria com análise de toda a empresa, para entregar treinamentos que ensinem a organização na aderência de práticas ágeis.

Soft Skills essenciais para um Gestor de Projetos

Além do conhecimento técnico sobre a gestão de um projeto (iniciação, planejamento, execução, monitoramento e controle e encerramento) e também sobre processos ágeis, o Gestor de Projetos deve desenvolver algumas habilidades comportamentais, ou soft skills, para um maior êxito em suas interações.

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

ENTRE EM CONTATO

Até o próximo! 

Na gestão de projetos, o sucesso muitas vezes depende de um planejamento minucioso e eficiente. Nesse contexto, as práticas de planejamento de projetos tornam-se fundamentais para o sucesso de qualquer empreendimento. Desde a concepção inicial até a conclusão, um cronograma bem gerido é crucial para garantir que os objetivos sejam atingidos de maneira eficaz e eficiente. 

Este artigo detalha as melhores práticas em gestão de cronograma de projetos, abordando aspectos como gestão de tempo, metodologias de cronograma e técnicas para um planejamento eficiente de projetos.

A importância do planejamento inicial

O planejamento inicial é o alicerce sobre o qual todo o projeto é construído. Um planejamento de projetos bem estruturado e detalhado pode prevenir muitos desafios e obstáculos futuros. 

Durante essa fase, é crucial estabelecer objetivos claros e realistas, definir escopos, alocar recursos adequadamente e antecipar potenciais riscos. Aqui também deve-se incluir a definição de KPIs (Key Performance Indicators), que ajudarão a medir o progresso do projeto.

Estratégias para um planejamento eficaz

Para garantir um planejamento eficiente de projetos, algumas estratégias-chave devem ser adotadas:

Gestão de tempo em projetos

A eficaz gestão de tempo em projetos é crucial para manter o projeto dentro do cronograma. As técnicas a serem consideradas incluem:

Adotando metodologias ágeis para maior flexibilidade

Nas metodologias ágeis, destacam-se Scrum e Kanban, por sua capacidade de se adaptar a ambientes empresariais dinâmicos. O Scrum organiza o projeto em ciclos denominados ‘Sprints’, que focam em objetivos específicos e breves, promovendo entrega contínua e flexibilidade para ajustes rápidos. 

Já o Kanban utiliza um sistema visual de quadros e cartões para monitorar o fluxo de trabalho, identificando e solucionando gargalos de forma eficiente. Essa abordagem ágil é ideal para projetos que requerem adaptação constante a mudanças no escopo ou nas prioridades.

Comunicação eficaz na equipe para alinhamento de objetivos

Uma comunicação clara e constante é essencial para alinhar a equipe com os objetivos do projeto. Por meio de reuniões regulares, uso de ferramentas colaborativas online e atualizações frequentes, mantém-se a transparência e o alinhamento entre todos os membros e stakeholders

Essa comunicação efetiva cria um ambiente propício para a rápida identificação e resolução de problemas, fortalecendo a cultura de confiança e cooperação dentro da equipe.

Monitoramento e ajuste do cronograma para eficiência do projeto

O acompanhamento contínuo do progresso do projeto é vital para seu sucesso. Essa prática envolve revisões periódicas do avanço em relação aos objetivos estabelecidos, permitindo a rápida identificação de desvios ou atrasos. Ferramentas de dashboard e softwares de gestão de projetos são fundamentais nesse processo, oferecendo visões claras da evolução das tarefas e insights para ajustes no cronograma e na alocação de recursos. Esses instrumentos garantem que o projeto prossiga de maneira eficaz, cumprindo seus objetivos dentro do prazo e orçamento previstos.

Avaliação Pós-Projeto

Após a conclusão de um projeto, é crucial realizar uma avaliação. Isso inclui revisar o que funcionou bem e o que pode ser melhorado, permitindo o aprimoramento contínuo das práticas de planejamento de projetos.

Um planejamento de projetos eficiente e uma gestão de cronograma bem executada são essenciais para o sucesso de qualquer projeto. 

Adotando melhores práticas, desde a fase de planejamento inicial até a avaliação final, organizações podem garantir a entrega de projetos dentro do prazo, do orçamento e com os resultados esperados. Investir tempo e recursos no planejamento e na gestão eficaz do projeto é a chave para alcançar resultados excepcionais e sustentar o sucesso a longo prazo.

Aprofundando na aplicação das metodologias ágeis

A aplicação das metodologias ágeis, especialmente na gestão de projetos ágeis, vai além da organização de tarefas. No Scrum, os ‘Sprints’ representam ciclos de trabalho focados em objetivos específicos, criando uma cultura de resultados rápidos e adaptabilidade. 

O Kanban, com seu fluxo contínuo, otimiza a entrega do projeto ao permitir uma visualização clara do progresso das tarefas. Além disso, ambas as metodologias enfatizam revisões e feedbacks constantes, incentivando a melhoria contínua e a adaptação às mudanças do mercado.

Estratégias eficazes para comunicação em equipe

Para uma comunicação eficiente em equipe, é crucial estabelecer rotinas de check-ins e utilizar plataformas acessíveis, uma prática comum na gestão de projetos. Isso inclui reuniões diárias de alinhamento e sessões semanais de revisão. 

Ferramentas como Slack ou Microsoft Teams podem aumentar a eficiência da comunicação. Além disso, criar um ambiente onde o feedback é incentivado fortalece a equipe e permite que ela esteja alinhada aos objetivos do projeto, o que é essencial para o sucesso dos kpis na gestão de projetos.

Monitoramento contínuo e ajuste do cronograma

O monitoramento contínuo do cronograma do projeto envolve a preparação para ajustes proativos, incluindo a realocação de recursos e a redefinição de prioridades. 

O uso de ferramentas de gerenciamento de projetos, como Microsoft Project ou Jira, oferece rastreamento do progresso e visualização holística do projeto, facilitando a tomada de decisões informadas e oportunas. 

Esse processo é vital para a gestão eficaz do projeto, garantindo que os objetivos sejam alcançados de forma relevante e eficiente.

Implementar práticas eficazes de gestão de cronograma de projetos, ancoradas no uso de metodologias ágeis, comunicação eficiente e monitoramento contínuo é crucial para o sucesso de qualquer projeto na gestão de projetos

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar a sua carreira.

Saiba mais sobre os cursos de Gestão de Projetos da Fundação Vanzolini

ENTRE EM CONTATO

Medição de projetos: como fazê-la? Saiba como medir e reportar eficientemente o desempenho de projetos e mais dicas de ferramentas

A medição de projetos é parte imprescindível da execução, pois se trata do momento em que os envolvidos podem refletir sobre o que deu ou não deu certo. Porém, a análise do desempenho não pode, em nenhuma hipótese, ser feita sem planejamento.

Sim, até mesmo a fase da medição e reporte do desempenho necessita de estruturação, caso contrário, eles não surtirão o efeito necessário para obterem sucesso.

A seguir, mostraremos como os gerentes podem (e devem!) executar essa fase primordial do projeto. Confira!

Medição de projetos: escolha os indicadores de desempenho

KPI

O KPI, ou Key Performance Indicator, consiste na nossa maior indicação de mensuração de desempenho de projetos, pois eles são eficazes no quesito avaliação e tomada de decisão.

Em resumo, estabelecer KPIs é essencial não somente para acompanhar o projeto, mas, sim, para realizá-lo eficientemente, ampliando os resultados positivos, a partir da compreensão de seu funcionamento.

Assim, as metas são mais bem  estabelecidas à medida que o projeto avança e os resultados favoráveis aumentam, pois se percebe os possíveis erros em tempo de arrumá-los.

Afinal, quais são os KPIs?

Primários:

Indicam o desempenho de todas as estratégias e, por isso, são considerados os principais. Veja exemplos:

Secundários:

Diferentemente dos primários, os indicadores secundários são mais detalhados e referem-se a cada parte do projeto em particular. Nesse caso, sinalizam se os métodos primários estão sendo bem-sucedidos. Exemplos:

Práticos:

Por último, práticos são os dados utilizados para alterar ou manter as tarefas realizadas diariamente, tratam-se de informações orientadoras relacionadas ao cotidiano. O indicador prático serve para medir as estratégias primárias e secundárias de forma mais clara e concisa. Exemplos:

Para saber mais sobre como funciona e escolher qual o KPI ideal para o seu projeto, leia: Definição e monitoramento de KPIs na gestão de projetos

ChatGPT

O Chat GPT se trata de uma Inteligência Artificial (IA) com foco em texto. Mas o que os profissionais precisam saber é que o ChatGPT pode ser usado para auxiliá-los na Gestão de Projetos.

Gostaria de saber como? Aqui estão algumas dicas relacionadas à medição de projetos:

Ficou claro como essa IA consegue auxiliar tanto no desempenho como no reporte dos resultados? Então, está mais do que na hora de usá-la a favor da sua qualificação profissional! Falando nisso…

Veja mais: Qualificação profissional em Gestão de Projetos

Bônus: ferramentas de gerenciamento de projetos:

As ferramentas acima possuem uma variedade de recursos e dão ao gerente muitas possibilidades, como a gestão de tarefas, monitoramento de progresso, análise orçamentária, compartilhamento de documentos, comunicação da equipe, gráficos interativos, dashboards, entre outras facilidades.

Comunicação efetiva dos resultados: como fazer?

Tão importante quanto a medição de projetos é a comunicação do resultado às equipes e demais partes interessadas. No entanto, mostrá-los apenas por meio de dados e gráficos soltos e sem contexto não é, nem de longe, uma comunicação efetiva, então, confira como fazê-la da melhor maneira:

Conheça a equipe

Conhecer a audiência é o primeiro passo para qualquer feedback, afinal o tom, os termos, a postura, as discussões relevantes e o que mais envolve o discurso depende das pessoas com quem irá falar.

Seja claro e direto

Vá direto ao ponto! Assim, sua mensagem ficará clara a todos os interessados. Quanto mais “enrolar”, mais margem se dará para más interpretações. Torne a comunicação breve, apenas com o que realmente for relevante.

Enfatize as conquistas

Manter a audiência engajada é fundamental e o gerente do projeto pode engajá-la ao enfatizar as conquistas. Caso contrário, somente feedbacks negativos podem prejudicar o desempenho dali em diante. Além disso, falar sobre as conquistas é um modo de manter o que está dando certo.

Contextualize os resultados

Ao mostrar os resultados, detalhe como ele surgiu, quais foram os passos, como foi o desenvolvimento do projeto, por quais meios, quais processos foram executados, o que deu certo, o que não deu certo, por quais motivos, etc.

Dados sem embasamento não farão sentido, então, contextualize-os!

Apresente empaticamente as soluções de problemas

Algo deu errado? Seja direto sobre isso, mas de forma empática. Apresente possíveis soluções aos colaboradores e também peça auxílio quanto a resolução de problemas. Jamais esconda os eventuais desafios e obstáculos.

Tudo o que mencionamos neste artigo é muito relevante em relação à medição de projetos, mas, se reconhece que essa parte da execução é um problema, não hesite! Qualifique-se em gestão de projetos e comande programas de referência em sua área.

Saiba mais sobre cursos de Gestão de Projetos e de Operações da Fundação Vanzolini:

Básico em Gestão de Projetos – 24 horas

Easy PMP® – Preparatório para a Certificação do PMI®

Gerenciamento da Rotina e Ferramentas da Qualidade

Gestão da Qualidade e Gestão por Processos

Gestão de Operações

Gestão de Operações Portuárias

Gestão de Projetos

Gestão por Processos, Melhoria dos Processos

Gestão por Resultados e Indicadores de Desempenho

Melhoria de Eficiência nos Processos de Negócios

ENTRE EM CONTATO

Fontes:

top10.com

textecnologia.com.br

nomus.com.br

O principal ativo de uma organização são as pessoas. Por isso, cada vez mais as empresas têm investido em culturas corporativas que estimulem o bem-estar de seus funcionários. Segundo um estudo feito pela Universidade da Califórnia, um colaborador feliz é, em média, 31% mais produtivo, três vezes mais criativo e vende 37% mais, em comparação com os demais.

Para obter resultados como estes, a liderança carrega um papel extremamente importante: a inspiração de suas equipes. A chance de um funcionário se comprometer com uma liderança inspiracional é de 73%, mas, sem isso, cai para 9%, aponta pesquisa da Gallup (empresa de pesquisa norte-americana).

Como vimos, a responsabilidade de um líder vai além do gerenciamento de tarefas e processos, ou da administração das pessoas. Embora estas estejam no seu escopo de funções, a habilidade de inspirar suas equipes o torna capaz de atingir resultados ainda melhores. Veja a seguir como desenvolver uma Liderança Inspiradora!

Características de um Líder Inspirador

Um líder inspirador é capaz de motivar e influenciar positivamente sua equipe. Carrega em seu discurso e atitudes um propósito ou ideal, que é capaz de incentivá-las a usar o máximo de suas capacidades para superar os desafios e atingir os objetivos. As particularidades desse perfil de liderança podem ser desenvolvidas. Então, para te ajudar nesse processo, elencamos as principais características necessárias para a Liderança Inspiradora.

Compromisso

O primeiro passo para inspirar uma equipe é ter valores éticos e a cultura organizacional muito bem definidos. É preciso estar muito claro para o líder quais são os seus objetivos e quais ações são necessárias para atingi-los. Assim, é possível dividir as responsabilidades com cada membro da equipe. Além disso, o líder deve ser um exemplo a ser seguido. Seu comprometimento precisa transparecer por meio das próprias atitudes.

Empatia

A capacidade de se colocar no lugar do outro, reconhecendo suas necessidades, limitações e capacidades é essencial para a construção de uma liderança humana e próxima. As pessoas tendem a se sentir motivadas a trabalhar, quando se sentem compreendidas.

Confiança

Esse aspecto possui dois benefícios: a confiança em si mesmo e a confiança na equipe. A autoconfiança em suas decisões trará ao líder uma posição de credibilidade, o que, por consequência, refletirá na disposição da equipe em ser liderada por aquela pessoa. Construindo, assim, um relacionamento muito mais efetivo. O outro ponto está na confiança do líder em delegar as responsabilidades aos seus subordinados, sem construir entraves no processo, em uma tentativa de maior controle. Quando há uma confiança mútua na equipe, o engajamento tende a ser maior em direção aos objetivos traçados no início.

Comunicação

No entanto, a principal habilidade para colocar todas as outras características em prática é ter uma boa comunicação. É necessário saber como passar as ideias, ordens e tarefas sem criar ruídos e sentimentos equivocados. Quando o funcionário entende seu propósito, se sente valorizado, pertencente e confiante, ele sente que vale a pena dedicar-se ao máximo no trabalho.

Benefícios da Liderança Inspiradora para a empresa

O reflexo positivo para os funcionários são inúmeros e, acredite, para a empresa também. Confira a seguir:

2 exemplos de Líderes Inspiradores

Luiza Trajano

Presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza, Luiza Trajano é filha de uma das fundadoras do império varejista. Ainda enquanto era apenas uma pequena loja no interior de São Paulo, Luiza trabalhou em diversos cargos e pode aprender tudo sobre a essência da marca. Enquanto liderança, foi responsável pelo reposicionamento de marca até chegar na Magalu que conhecemos hoje. Assumiu uma postura de líder inspiradora. Sua trajetória proporcionou o desenvolvimento de uma comunicação aberta e empática, tanto com os clientes como com os trabalhadores. Valorizando o aprendizado, envolvimento e motivação de todos.

Bill Gates

Fundador da Microsoft, podemos dizer que o Bill Gates é uma inspiração de liderança não somente por esse grande feito. Ele dedica boa parte do seu tempo e dos seus esforços a projetos filantrópicos, sobretudo pautados em questões como saúde, educação e sustentabilidade. Essa atitude faz com que ele seja uma inspiração para seus liderados por meio do exemplo. Segundo o empresário, o sucesso vem por oferecer as ferramentas adequadas e também por proporcionar um ambiente em que as pessoas se orgulhem de fazer parte.

O impacto duradouro da Liderança Inspiradora

Ser um líder inspirador vai além de ter uma equipe produtiva ou proporcionar uma rotina de tarefas organizada. Suas atitudes refletem no ambiente de trabalho e, por consequência, no bem-estar pessoal de cada uma das pessoas. Quando pensamos em estratégias a longo prazo para administração das empresas, investir em cultura organizacional é a melhor opção, assim, incentivar a Liderança Inspiradora faz parte do caminho para o sucesso. Quando os líderes abraçam a missão de inspirar, desbloqueiam o potencial máximo dos colaboradores, tornando-os mais produtivos, criativos e comprometidos. Esses líderes não apenas alcançam metas, como também deixam um legado de positividade, crescimento e desenvolvimento.

Capacitação para Líderes

Para colocar em prática tudo o que apresentamos anteriormente, é preciso investir no treinamento e desenvolvimento dessa mentalidade. Cursos de Autoconhecimento e também de Liderança e Gestão de Pessoas são ótimas alternativas para iniciar o processo de transformação organizacional. Além disso, os Treinamentos In Company são ideais para as empresas que desejam um conteúdo personalizado ao seu dia a dia, levando em conta os desafios da própria equipe.

Este conteúdo foi útil para você? Aprenda mais sobre o assunto: a Fundação Vanzolini oferece cursos com especialistas na área, para você ampliar o seu repertório e transformar sua carreira.

Conheça os cursos de Liderança e Soft Skills da Fundação Vanzolini.

Autoconhecimento, Liderança e Gestão de Pessoas

Inteligência Emocional: Como usar a razão para equilibrar a emoção

Liderança Assertiva: Um Estilo que Constrói Relações Maduras com Foco em Resultados

Liderança e Gestão de Pessoas

Liderança Eficaz em Negócios Digitais

Liderança Feminina

ENTRE EM CONTATO

Vanzolini Play na gestão: como a plataforma de cursos on-line pode se integrar de forma eficaz com diversas metodologias de gestão, além de ajudar você a crescer na carreira de gestor.

Se você é responsável pelo gerenciamento de um projeto ou uma equipe, precisa saber como funciona e quais são as vantagens da Vanzolini Play na gestão.

Mas, afinal, o que é Vanzolini Play?

Trata-se de uma plataforma de cursos on-line com assinatura anual, isto é, um streaming de aprendizagem, no qual o aluno tem acesso aos diversos cursos disponíveis no site.

Não precisa escolher apenas um curso! Basta realizar a assinatura e, assim como em qualquer streaming, ter acesso a todo o conteúdo ofertado.

Então, se alguma vez ficou em dúvida sobre qual curso investir, e por isso não fez nenhum, esta é uma oportunidade bem interessante. Continue para saber mais!

Vanzolini Play na Gestão: como ela auxilia?

A Vanzolini Play na gestão é uma peça-chave, por possuir as principais certificações de metodologias de gerenciamento de projetos e de pessoas.

O mercado de gestão precisa estar  em constante desenvolvimento para poder caminhar com as demais evoluções do setor empresarial e tecnológico.

Portanto, é importante que os profissionais estejam igualmente atualizados, caso contrário, há grandes chances de ficarem para trás em suas carreiras.

Dessa forma, a plataforma irá auxiliá-los, dando todas as ferramentas, ou seja, os conhecimentos práticos e teóricos imprescindíveis em relação às metodologias de gestão.

Saiba como isso funciona na prática:

Quais as áreas dos cursos?

A gama de cursos é grande e envolve a área de Inovação, Novas Tecnologias para Negócios, Gestão de Pessoas e Soft Skills, Operações e Processos e Gestão de Projetos.

Confira algumas (das muitas) opções disponíveis:

Como funciona a Vanzolini Play?

O funcionamento é simples e funcional, além de prático e com muitas vantagens. A plataforma Vanzolini Play foi desenvolvida para suprir as necessidades de profissionais ocupados, porém, apesar de não disporem de muito tempo, visam crescer na carreira o quanto antes.

Pensando nisso, as aulas disponíveis são todas gravadas e o aluno as assiste onde quiser, nas datas e horários que melhor se encaixarem no seu dia a dia.

Afinal, com a rotina de trabalho, casa, família e demais compromissos, sabemos como é difícil comprometer-se toda semana em horários fixos. Além disso, estudar no conforto de casa poupa seu tempo, e você pode usá-lo para descansar após um dia cheio.

E mais:

Metodologia de gamificação: De colaborador à CEO

A metodologia de muitos dos cursos se faz por meio da gamificação. Basicamente, em vez de apenas estudar os conteúdos, a plataforma possui uma dinâmica que coloca o aluno em uma jornada semelhante à carreira profissional real, na empresa fictícia chamada de “PlayCorp”.

Nela, o aluno começa como colaborador e evolui de acordo com o desempenho nas atividades propostas, que, quando bem efetuadas, permitem as promoções de cargo. Desse modo, começa como auxiliar, passa para analista júnior, pleno, sênior, supervisor, coordenador, gerente, diretor, até chegar ao cargo de CEO.

Essa prática mantém o estudante engajado e melhora as atividades profissionais, na prática, agregando conhecimento antes mesmo da conclusão do curso. Até porque, a teoria é importante, mas a prática é essencial.

Veja mais: A Vanzolini Play e o lifelong learning

Quais são as vantagens de um streaming de aprendizagem?

Atualização de conhecimentos

A plataforma serve para profissionais que desejam acompanhar as mudanças e avanços em suas indústrias – ou setores – e procuram por cursos on-line que ofereçam conteúdos atualizados.

Na hora de escolher um curso, esteja atento à grade curricular. Ela precisa abordar temáticas relevantes e atuais, pois, caso contrário, não valerá a pena investir seu tempo e dinheiro nele.

Nesse caso, não se preocupe, a Vanzolini garante a total relevância das aulas, bem como a vasta experiência dos professores.

Explorar novas áreas

Alguns indivíduos buscam cursos on-line para explorar novas áreas de interesse, adquirindo conhecimentos em um campo diferente do que estão acostumados. Além disso, também pretendem expandir as áreas correlatas da sua atuação, melhorando a atuação profissional.

Flexibilidade de horários

Cursos on-line oferecem a conveniência de serem acessados a qualquer hora e de qualquer lugar, permitindo que as pessoas ajustem seus estudos conforme suas rotinas diárias.

Comprovação de habilidades

Os certificados emitidos, após a conclusão dos cursos, servem como comprovantes formais das habilidades e conhecimentos adquiridos, podendo ser incluídos em currículos e perfis profissionais.

Custos mais baixos

Em geral, cursos on-line costumam ser mais acessíveis financeiramente do que cursos presenciais, tornando-os uma opção atraente para pessoas que buscam qualidade a um preço mais baixo.

Porém, a vantagem na Vanzolini Play é o acesso liberado aos vários cursos disponíveis, o que torna o custo x benefício ainda melhor.

Variedade de opções

Há uma ampla variedade de cursos on-line disponíveis, em diversos temas e níveis de dificuldade, permitindo que as pessoas escolham aqueles que melhor atendam às suas necessidades.

Autodidatismo

Pessoas que gostam de aprender de forma autônoma e que têm disciplina para estudar por conta própria encontram nos cursos on-line uma excelente oportunidade para se capacitar.

Validação de conhecimentos

Para algumas áreas profissionais ou setores específicos, a obtenção de certificados é uma exigência ou um critério para promoção, ou reconhecimento, como os profissionais de Lean Seis Sigma.

A Vanzolini Play na gestão pode fazer parte do seu crescimento profissional, não importando qual for o objetivo, desde se recolocar no mercado de trabalho, subir de cargo, mudar de área ou melhorar o desempenho.

Para ter acesso aos mais de 30 cursos que a plataforma de streaming da Fundação Vanzolini oferece, assine a VANZOLINI PLAY e comece sua jornada.

ENTRE EM CONTATO

Fontes:

https://vanzolini.org.br/blog/educacao/vanzolini-play-novo-jeito-de-estudar/

https://vanzolini.org.br/blog/educacao/plataforma-vanzolini-play/