Fundação Vanzolini

As tendências de negócios para 2023 têm como base a mudança de comportamento dos consumidores que ocorreu nos últimos anos, fortemente impulsionada pela pandemia.
(mais…)

Higiene, bem-estar e segurança são, mais do que nunca, questões fundamentais para a promoção e preservação da saúde física e emocional das pessoas. Estar em um ambiente limpo, higienizado e seguro traz sensação de comprometimento e cuidado.

(mais…)

A preocupação e o cuidado em oferecer aos colaboradores e frequentadores das unidades São Cristóvão e José Cristino do SBT (Sistema Brasileiro de Televisão) − empresa do Grupo Silvio Santos − um ambiente de trabalho com segurança sanitária e salubridade, no contexto da pandemia da Covid-19, foram reconhecidos pela Fundação Vanzolini com o selo A2S (Ambiente Seguro e Saudável). A conquista da certificação aconteceu a partir da observação dos locais de trabalho, que foram avaliados de acordo com protocolos, procedimentos e ações preventivas que já estavam sendo adotadas pelo SBT com o propósito de garantir a segurança sanitária das atividades, e que continuarão a ser praticadas na nova sede do SBT no Rio de Janeiro.

De acordo com a coordenadora do A2S – Ambiente Seguro e Saudável, Flávia Corrêa Ferreira, “o selo contribui com a sistematização dos processos de limpeza dos locais de grande circulação, com vistas a dar maior segurança aos usuários, clientes e colaboradores que acessam esses espaços. O objetivo é o público ter a tranquilidade e o conhecimento de que o local aplica uma gestão sanitária eficiente e responsável”.

Para Rodrigo Vicente da Silva, Engenheiro de Segurança do Trabalho do SBT, responsável pela engenharia de segurança do trabalho, “nós padronizamos toda rotina de limpeza com a criação de procedimentos – Instruções de Trabalho – que fornecem a diretriz para limpeza correta e eficiente de todos os ambientes. Realizamos higienização das superfícies a cada 2h, além do próprio funcionário higienizar seus pertences antes de entrar na empresa e de utilizar seu posto de trabalho (teclado, mouse, mesa e telefone)”, ressalta.

Entre os procedimentos adotados pela gestão da limpeza e sanitização estão a pulverização e nebulização periódicas; eliminação da varrição a seco; adoção de produto com ação bactericida e virucida com duração de proteção em até 6h (conforme laudo) e limpeza úmida para áreas internas; limpezas diárias divididas em terminal e concorrente com orientações específicas para cada higienização; e adoção de um calendário de treinamentos para a equipe de limpeza.

A conquista da certificação agregou ainda mais à gestão da limpeza a aplicação da metodologia 5S (Seiri (Classificação), Seiton (Ordem), Seiso (limpeza), Seiketsu (padronização), Shitsuke (Disciplina). Os materiais que não tinham mais utilidade passaram a ser descartados e os demais foram arquivados. Os funcionários limpam, organizam os postos de trabalho e retiram pertences pessoais que dificultam a higienização das mesas.

No layout, foram promovidas mudanças como a disponibilização de ganchos para pendurar bolsas e mochilas e de gaveteiros. Além disso, foram adquiridos palets, armários e caixas transparentes para que não haja equipamentos acondicionados diretamente no chão.

Para que os colaboradores do SBT colaborem com a manutenção da segurança sanitária foram adotadas soluções de comunicação visual. Painéis digitais, colocados em locais estratégicos, transmitem vídeos e orientam sobre como higienizar as mãos com álcool em gel, sabonete líquido e como utilizar a máscara.

As mesas dos refeitórios foram identificadas com placas que orientam o uso de apenas uma pessoa por mesa. E murais na recepção e espaço de café foram disponibilizados com orientações sobre distanciamento, higiene, proibição de compartilhamento de itens e uso de EPIs (Equipamento de Proteção Individual).

Além disso, em todas as placas orientativas foi disponibilizado um QR code que direciona o colaborador para uma Cartilha de Retomada das Atividades onde constam os protocolos de segurança, saúde e higiene para combate à pandemia.

“Postos de trabalho higienizados da maneira correta e organizados proveem maior segurança para o funcionário, de forma que ele se sinta apto a desenvolver as atividades de maneira produtiva e eficaz”, finaliza Silva.

A Base Nacional Comum Curricular foi construída para definir os parâmetros de uma educação integral, democrática e inclusiva no Brasil. O processo de sua elaboração contou com a contribuição da Fundação Vanzolini.

Inovar nas referências para a educação básica no Brasil. Priorizar a formação humana integral e o debate contemporâneo. Focar na construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva. Esse conjunto de propósitos está na BNCC, a Base Nacional Comum Curricular, como resultado de um processo de pesquisas e debates que implementou indicações já presentes na Lei de Diretrizes e Bases, de 1996.

A normatização foi construída por vários governos e não por acaso. Seria um trabalho gigantesco implementar uma lei para nortear os currículos da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio, dentro de parâmetros democráticos, com debate entre educadores, pesquisadores, alunos e sociedade. O processo alteraria os currículos consolidados de norte a sul do país, mas respeitando a bagagem histórica e cultural de estados e municípios. Estabeleceria critérios claros e balizadores da qualidade da educação, a começar da equidade no direito à aprendizagem para todos os alunos, das várias etnias e classes socioeconômicas.

A BNCC veio para definir as aprendizagens essenciais em todas as etapas e modalidades da educação básica. A Vanzolini contribuiu nos processos de sistematização da versão final do documento

A Vanzolini foi contratada pelo Ministério da Educação para fazer a gestão integrada de processos e consolidar a versão final da BNCC para a Educação Básica. Entre 2017 e 2019, a fundação mobilizou equipes multidisciplinares e atuou no apoio à gestão. Disponibilizou ferramentas online para todos os educadores brasileiros, com os conteúdos da Base. Criou programas de formação e realizou seminários por videoconferência. Para iniciar o processo de implementação, produziu 16 cursos EaD destinados a gestores, professores e conselhos de educação.

A Vanzolini organizou seminários e audiências públicas nas diversas regiões do país, para colher propostas que permitiram construir um “passo a passo’ da nova educação brasileira, disponibilizado no Portal do MEC. Também produziu séries de videoaulas, vídeos e animações gráficas, possibilitando localizar na Base as referências das aprendizagens essenciais.

UM TRABALHO DE FÔLEGO E LONGO ALCANCE

As soluções implementadas pela Fundação Vanzolini encurtaram distâncias num país continental e efetivaram a comunicação entre os diferentes atores da educação e da sociedade.

O conjunto de materiais produzido impactou no trabalho educacional de 184 mil escolas de Educação Básica, das redes particular e pública. Atingiu 2,2 milhões de professores, com reflexo na aprendizagem de quase 50 milhões de alunos.

As aprendizagens essenciais às crianças e jovens implementadas pela Base Nacional já influenciam positivamente o futuro de uma nova geração de brasileiros.