Design Sprint: entenda como funciona essa metodologia e suas vantagens

Curadoria: Roberto Marx
Revisado: Luisa Pierson

Em mundo onde a tecnologia cresce substancialmente a cada ano, é preciso estar sempre atualizado sobre as novas modalidades e tendências de mercado. Adquirir novas ferramentas para otimizar serviços e garantir resultados promissores é apenas uma das muitas vantagens que a tecnologia oferece.

Tratando-se da elaboração da prototipação de soluções e entrega estimada de determinado projeto, conhecer as vantagens do Design Sprintpode ajudar na agilidade em obter soluções para determinado problema.

Quer saber como? Então, leia o post até o final, conheça a metodologia do Design Sprint e saiba as vantagens desta ferramenta para o seu negócio.

Design Sprint: o que é e para que serve?

Antes tudo, podemos definir que Design Sprint é um método para desenvolvimento criado pelo Google. Focada apenas no usuário, esta metodologia é ágil, prática e colaborativa.

O Design Sprint pode ser considerado um “mix” que envolve conceitos de Design Thinking e demais metodologias que focam em criar e prototipar determinadas soluções, em um prazo de cinco dias.

Sendo assim, a sua principal função é fornecer ações preventivas contra possíveis falhas, antecipando, assim, as melhorias, em um prazo muito menor.

Por ser uma excelente ferramenta para solucionar certos tipos de desafios, as entregas de um Design Sprint podem variar bastante e, geralmente, são definidas no começo do Sprint, para que as metodologias a serem usadas possam ser efetivas.

Dessa forma, podemos destacar algumas vantagens do Design Sprint, como por exemplo:

– Business Modelo Canvas;

– Conceito Design;

Concept Backlog;

– Fluxos;

– Layouts;

– Modelo de Negócios;

– Protótipos testados.

Além das entregas citadas acima, o Design Sprint pode ser utilizado para verificar se vale a pena seguir uma determinada ideia ou não, editando-a para algum tipo de lançamento ou para alinhar expectativas e derivados conhecimentos em um grupo interdisciplinar, por exemplo.

Caso você queira saber mais sobre o assunto, acesse o nosso blog e fique por dentro das novidades.

Como o Design Sprint funciona

Para que os processos sejam eficazes, é necessário ressaltar que a metodologia do Design Sprint é participativa. Dessa forma, todos os integrantes de equipes multidisciplinares precisam colaborar de forma unânime, em um prazo de 40 horas, ao longo dos cinco dias de trabalho massivo.

Durante esses dias, são aplicadas estratégias de negócios, inovação, Ciência Comportamental, Design Thinking e demais ações pertinentes, para que ideia seja completamente efetiva.

Assim, quando já existe a definição de um problema que precisa ser solucionado, o time escolhido é reunido em um local adequado para desenvolver a questão. Existem algumas etapas para cada processo. Veja, a seguir:

1. Unpack

Unpack significa desempacotar, em português. Assim, no Design Sprint é o mesmo que externar todo o conhecimento para o ambiente de discussão, acerca da ideia inicial.

Sendo assim, a participação de todos é essencial para que o programa obtenha sucesso.

2. Sketch

No segundo de dia projeto, os participantes do Design Sprint precisam externalizar as suas ideias, de forma visível, sejam escrevendo, rabiscando ou calculando. A intenção dessa fase é buscar o número máximo de resoluções para o devido problema sem especulação com a equipe inicialmente.

3. Decide

Chegando ao terceiro dia, o grupo precisará recolher as melhores respostas e propostas e escolher as mais consideráveis. Contudo, o objetivo da coleta de ideias é justamente para optar por apenas uma delas.

A tarefa de filtrar alternativas, refiná-las e atender a que melhor alcança a demanda do projeto é o objetivo principal do terceiro dia, a fim de garantir os próximos passos para a construção do protótipo.

4. Prototype

O quarto dia é o momento de fazer o protótipo escolhido, com a maior produtividade possível. Dessa forma, é importante atentar-se na seleção de ferramentas para o protótipo que mais se ajustam à rotina de trabalho.

Porém, antes de tudo, realizar um cronograma com as atividades que serão realizadas durante o dia é muito importante, incluindo também a divisão de tarefas entre os integrantes do grupo.

Assim, o trabalho será rentável, visando que o objetivo do projeto é montar o protótipo até o final do dia estabelecido.

5. Test

Aqui se encontra o último dia, onde o produto será testado com os potenciais usuários em sessões individuais. Assim, o protótipo será apresentado para que o usuário analise e forneça um feedback, demonstrando o seu interesse ou no que precisa ser melhorado.

Logo, a equipe reúne-se para conversar e debater sobre os feedbacks ditos pelos usuários, analisando se o projeto é de fato viável ou não.

Partindo desse ponto, pode-se entender que o modelo já estudado e testado poderá ser o pontapé inicial para a elaboração do produto final acabado com as expectativas alcançadas.

Quando não usar o Design Sprint

Sabemos que o Sprint tem dois objetivos claros. São eles:

– Definir o que fazer para resolver determinada demanda ou dor do usuário;

– Definir a maneira mais adequada de entregar o projeto ao usuário;

Portanto, se esses dois itens já estão claros e definidos, as vantagens do Design Sprint são desnecessárias.

Além disso, o uso da ferramenta também não é recomendado para quando um determinado assunto for completamente desconhecido. Nesses casos, o indicado é gerar o conhecimento necessário para que as necessidades surjam.

Portanto, o ideal é não usar o Design Sprint quando:

1. O escopo estiver muito fechado ou amplo demais;

2. Houver a necessidade de pesquisas sobre um assunto inteiramente desconhecido.

Conforme verificamos, as vantagens do Design Sprint são extremamente necessárias para processos específicos que contam com tempo determinado, etapas, time pré-definido e metodologias diversas, além de, geralmente, iniciar com um desafio bem recortado. Feedback, o trabalho em equipe e o aprendizado são as partes mais importantes de todo o processo.

Assim, tirar algo do papel e torná-lo em algo testável para aprender a dinâmica de todo o processo é o que realmente conta para corrigir os erros e otimizar tempo em projetos futuros.

Agora que você já sabe que é o Design Sprint e a sua funcionalidade, baixe agora o nosso e-book e fique por dentro de outras dicas úteis para o seu negócio.

**Palavras-chave: Design Sprint, vantagens do Design Sprint, metodologia do Design Sprint


Quer aprimorar o seu conhecimento e dar aquele salto na sua carreira profissional?

Clique aqui e saiba como!

Fundação Vanzolini – Mais de 50 anos Proporcionando Educação de Alto Nível!

Local:   Av. Paulista, 967 – 3º andar – Bela Vista, São Paulo – SP

Telefone:  (11) 3145-3700

Whatsapp: (11) 97508-2809

Comentários