Como preservar sua saúde física, mental e emocional

Como preservar sua saúde física, mental e emocional

Você conhece alguém que diz com certa frequência “estou estressado”, “estou exausto” ou “não aguento mais!”? Você é uma delas?

As vezes, pode ser apenas um cansaço que, com um final de semana bem vivido, longe do causador do stress ou uma boa noite bem dormida, se resolva.

Mas, dependendo dos efeitos, pode ser mesmo um stress já em um nível avançado ou mesmo a “Síndrome do Burnout”.

No período de 25 a 28 de junho aconteceu o 18º Congresso do Stress  – Viver melhor: trabalho stress e saúde, em Porto Alegre, organizado pela ISMA BRASIL – onde tive a honra e satisfação de contribuir com meu trabalho no treino das competências socioemocionais, com destaque para assertividade e inteligência emocional.

Por que esse evento faz a diferença na vida das pessoas?

Porque com a desaceleração da economia, o aumento do stress no trabalho, a insegurança em relação à estabilidade no emprego e os níveis epidêmicos de doenças crônicas têm sido um constante desafio enfrentado por gestores e trabalhadores.

Segundo a ISMA, avaliar os riscos e oportunidades específicos para um trabalho mais saudável e identificar os elementos essenciais para o sucesso de programas de bem-estar e saúde no local de trabalho que possam criar uma cultura centrada nas pessoas são ações preventivas imprescindíveis. Para os trabalhadores, os danos do excesso de stress extrapolam a esfera profissional, causando insatisfação e adoecimento. Para as empresas, elevam os custos com tratamentos médicos, absenteísmo e baixa produtividade.

Como preservar sua saúde física, mental e emocionalPor isso, o conceito de Saúde Total do Trabalhador foi um dos principais focos do 18º Congresso de Stress da ISMA-BR, 20º Fórum Internacional de Qualidade de Vida no Trabalho, 10º Encontro Nacional de Qualidade de Vida na Segurança Pública, 10º Encontro Nacional de Qualidade de Vida no Serviço Público e 6º Encontro Nacional de Responsabilidade Social e Sustentabilidade.

Como disse, tive duas contribuições no 18º congresso de stress, no primeiro dia participei do painel “Driblando o stress” e falei sobre o “Como fortalecer o emocional com uma postura assertiva”.

Pude discorrer sobre o ciclo das emoções aflitivas e como elas, principalmente medo e raiva, são produzidas em nosso organismo, com suas reações fisiológicas, mentais e comportamentais.

Mostrei que o ciclo pode ser bem administrado, porém o primordial nessa intervenção é desenvolver, no seu modelo mental, pensamentos assertivos para agir assertivamente consigo mesmo:

  • Pensamento consciente: para ter consciência das suas emoções com clareza;
  • Pensamento crítico: para ter coragem para criticar produtivamente sobre suas próprias escolhas emocionais;
  • Pensamento Racional:  para focar em fatos e dados, o mais próximo da realidade do evento provocativo;
  • Pensamento Positivo:  para ser generoso consigo e acreditar que existe solução não permitindo sua própria condenação por ter sido dominado por aquela emoção aflitiva;
  • Pensamento Pontual:  para enfrentar rapidamente o evento provocativo e não se deixar levar por estratégias defensivas;
  • Pensamento focado na solução: para resistir a vontade da vitimização e colocar a culpa no outro.

Como preservar sua saúde física, mental e emocionalCom esses pensamentos, seu sofrimento será rapidamente resolvido, o que lhe proporciona maior velocidade emocional e foco na solução.

Agindo assim, você administra o stress de forma positiva!

No segundo dia, coordenei uma “oficina de educação emocional assertiva”. Nela os participantes puderam vivenciar e discutir algumas técnicas para intervir no ciclo das emoções aflitivas e administrar melhor seu stress e a saúde emocional.

Mostrei que mediante técnicas de intervenção cognitiva comportamental e utilizando a assertividade como postura frente ao stress causado, uma pessoa pode brecar o ciclo e se sentir melhor, mais leve e mais bem resolvido.

A reação dos participantes foi extremamente positiva, o que me deixou feliz e acreditando que podemos sim juntar nossos esforços para sermos mais felizes.

Cuide bem de suas dores emocionais, e com a mesma prontidão que cuida das suas dores físicas.

Um abraço.

Por Vera Martins

Se você quiser se aprofundar nesse tema, conheça meus cursos na Fundação Vanzolini: Liderança Assertiva e Emocional Inteligente

Sobre a autora

Vera Martins – Professora dos cursos de Liderança Assertiva e Emocional Inteligente na Fundação Vanzolini. Educadora, mestre em Comunicação e Mercado e especialista em medicina comportamental. É autora dos livros: ‘Seja Assertivo!’ e ‘Emocional Inteligente’. Foi executiva em Gestão de Pessoas por 20 anos e, no momento atua como coach, professora, palestrante e consultora organizacional. É facilitadora em seminários e workshops sobre: Liderança Assertiva, Negociação Eficaz, Gestão de Conflitos, Líder Coach, Gestão Emocional do Time, Formação de Times e Ética nas Relações de Trabalho. Palestrante em congressos de recursos humanos, com vários artigos publicados em revistas, jornais e sites especializados.

Receba os conteúdos e as novidades da Fundação Vanzolini no seu e-mail: Cadastre-se em nossa newsletter

Comentários