Por que a Economia Circular é uma competência de mercado atual para a Engenharia de Produção?

Por que a Economia Circular é uma competência de mercado atual para a Engenharia de Produção?

Nós somos a última geração da Estabilidade Relativa e perante de nós está, neste momento, o desafio de encontrar caminhos de solução para aprendermos a navegar corretamente na Infraestrutura Escalar da Internet e, ao mesmo tempo, liderar as próximas gerações na construção de um novo ambiente de paradigmas e modelos de negócios, mais justos e sustentáveis. O corpo de conhecimento representado pelo tema Economia Circular ganha a cada dia relevância na busca de soluções para esse conjunto de desafios, em lugar de temas já muito trabalhados.

Por que a Economia Circular é uma competência de mercado atual para a Engenharia de Produção?De forma pragmática, é muito simples e direto validar o senso comum dessa afirmação inicial, utilizando o Google Trends (uma das ferramentas de otimização de palavras chaves deste buscador. A imagem deste texto mostra a lógica que utilizamos.

No primeiro quadro, como termo de pesquisa, buscamos pela frequência de busca da expressão “economia circular” e observamos o seu aumento significativo, nos últimos 24 meses. No entanto, esses números são relativos e não absolutos, ou seja, o nível 100 representa sempre o maior número de eventos da série histórica.

Os próximos quadros mostram a comparação com outros termos de busca, para construir um referencial de comparação.

O segundo quadro da imagem, faz a comparação com o termo de pesquisa “ISO 9000”. O terceiro quadro, muito semelhante ao anterior, acrescenta os temos “pensamento enxuto” e “lean manufacturing”.

Os dois quadros são muito semelhantes e demonstram que o senso comum de que a Economia Circular é uma competência de mercado que está se tornando relevante, parece ser verdadeiro. Porque grandes temas da Engenharia de Produção estão sendo buscados na web com intensidade semelhante à da Economia Circular, mas com a diferença de que a última está subindo em relevância, como termo de busca.

O último quadro, compara todos com o termo de busca “pizza”, para um referencial absoluto – um percentual do número de pizzas entregues em casa em uma determinada região.

Muito bem. Nós mostramos, até este ponto, que o tema Economia Circular como representante de um corpo específico de conhecimento tem conquistado espaço no senso comum sempre ocupados por temas tradicionais consagrados da Engenharia de Produção: ISO 9000, Lean Manufacturing, Pensamento Enxuto….esqueci do Seis Sigma… percebia agora… mas não vou fazer outra figura, pois vocês entenderam a lógica da argumentação.

Mas não respondemos à pergunta inicial.

A resposta virá no próximo artigo, porque ela não é curta, simples, mas reveladora ao demonstrar como alinhar a Engenharia de Produção à representação e construção do Conhecimento Humano.

Se você tiver alguma pergunta, ficaremos muito felizes em ouvi-la e, mais ainda, em aprender com ela.

Obrigado.

Prof. Nelson Marinelli Filho

O Programa de Desenvolvimento de Competências em Economia Circular da Fundação Vanzolini foi pensado e estruturado com o objetivo formar lideranças empresarias para a liderar o processo de transição da Economia Linear para a Circular, no horizonte de 2018 a 2025.

Sobre o autor*

Nelson Marinelli Filho – Professor e coordenador da Fundação Vanzolini no Programa de Desenvolvimento de Competências em Economia Circular. Possui graduação em Engenharia Mecânica pela Universidade de São Paulo (1994), mestrado em Engenharia Mecânica pela Universidade de São Paulo (1997) e doutorado em Engenharia Mecânica pela Universidade de São Paulo (2002). Tem experiência na área de Engenharia Mecânica, com ênfase em Processos de Fabricação, Seleção Econômica, atuando principalmente nos seguintes temas: processos de fabricação mecânica, acoustic emission, dressing of grinding wheels, grinding e instrumentação.

*Os artigos assinados não necessariamente expressam a visão da Fundação Vanzolini.
As opiniões expressas no texto são de inteira responsabilidade do autor.

Receba os conteúdos e as novidades da Fundação Vanzolini no seu e-mail: Cadastre-se em nossa newsletter

Comentários