Indústria 4.0 para o Brasil e para você

Indústria 4.0 para o Brasil e para você

A quarta revolução industrial traz para a indústria brasileira a oportunidade de alcançar novos padrões de competitividade. Todos os profissionais relacionados à tecnologia industrial têm a chance de participar desse movimento através da especificação, projeto, implantação ou manutenção de iniciativas alinhadas a seus conceitos. Você está preparado para isso?

Tecnologias inovadoras ainda pouco exploradas pela manufatura, aliadas a preços cada vez mais acessíveis de software e hardware, desenham um cenário onde patamares de produtividade, eficiência e flexibilidade antes impossíveis, podem finalmente ser alcançados.

Para atingi-los, porém, são necessários novos conhecimentos e novas organizações das equipes de tecnologia, com pessoas preparadas para esse novo cenário. A multidisciplinaridade das equipes e dos indivíduos envolvidos em qualquer iniciativa alinhada à Indústria 4.0 é um ponto chave para seu sucesso.

Indústria 4.0 é apenas um dos nomes desse movimento que está atingindo todas as organizações industriais, governos e empresas de tecnologia do mundo. O nome vem da iniciativa alemã “Industrie 4.0” que, assim como outras iniciativas mundiais, como a norte-americana “Industrial Internet” e a brasileira “Manufatura Avançada”, aponta para perspectivas operacionais revolucionárias através do emprego de novas ferramentas e tecnologias.

Você sabia que há chances de financiamento de até 2/3 do valor de um projeto para Indústria 4.0? Poucas pessoas sabem. O Brasil, mesmo com iniciativas governamentais como as do BNDES e da EMBRAPII que possibilitam o acesso a tais recursos, ainda está bastante atrasado com relação aos pioneiros Alemanha e Estados Unidos. Pesquisas recentes mostram que nossos empresários esperam atingir níveis de digitalização comparáveis aos desses países em poucos anos. Não há dúvidas de que isso é um grande desafio para o país, mas é também uma grande oportunidade.

Aproveitando as experiências do exterior, podemos encontrar o caminho brasileiro da quarta revolução industrial, modelando o projeto nacional e criando as adaptações necessárias para satisfazer as características únicas de nosso parque industrial.

As diversas iniciativas existentes buscam fortalecer os parques industriais regionais. Muitas delas têm uma motivação em comum: retomar a capacidade de manufatura dos países ocidentais depois de mais de duas décadas de terceirização dessa função para países do oriente. Outras, porém, já são a resposta de países asiáticos a essa ameaça, como “Made in China 2025”, por exemplo.

Apesar de serem iniciativas diferentes, algumas até com interesses conflitantes, todas apostam no uso intensivo de tecnologia e compartilham algumas propostas comuns que merecem atenção. Podemos listar algumas dessas propostas e tecnologias, como:

  • Impressoras 3D;
  • Cloud Computing;
  • Realidade Aumentada;
  • Integração dos Três Eixos;
  • Cyber-Physical Systems(CPS);
  • Convergência entre IT e OT;
  • Machine Learning/ Inteligência Artificial;

Essas tecnologias e propostas, porém, não são igualmente aplicáveis a qualquer tipo de indústria. Sua adoção, assim como seu modelo de implantação, deve estar alinhada com as necessidades do negócio e características de cada mercado. Vale ainda ressaltar que sua aplicação não é exclusiva para novas plantas ou áreas, mas principalmente, realizada em fábricas existentes, adaptando-se às tecnologias mais antigas.

Qual é a sua realidade? Quais dessas tecnologias e conceitos podem ser aplicados na sua empresa e de que forma?

Busque informação e seja um profissional decisivo para sua empresa e para a indústria brasileira, participando da quarta revolução industrial!

Por Carlos Eduardo Gurgel Paiola – Mestre em engenharia de automação e controle e graduado em engenharia elétrica pela Poli/USP – Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Tem experiência em projetos de integração de sistemas e atua com softwares líderes de mercado para automação e gestão industrial. É autor de artigos sobre gestão de operações, supervisão e controle e normas ISA (The International Society of Automation) em revistas e congressos técnicos e científicos. É sócio e diretor da área comercial da Aquarius Software. É também diretor da ISA São Paulo Section e fundador da seção estudantil Poli/USP. Professor do curso de Indústria 4.0: Conceito, Método e Aplicação Prática.

____________________

O curso de Indústria 4.0: Conceito, Método e Aplicação Prática, da Fundação Vanzolini, foi pensado e estruturado com o objetivo capacitar profissionais de diversas áreas da indústria a participar de iniciativas de Indústria 4.0

____________________

Receba os conteúdos e as novidades da Fundação Vanzolini no seu e-mail: Cadastre-se em nossa newsletter

Comentários