Como manter a Sustentabilidade da Certificação PMP®

Como manter a Sustentabilidade da Certificação PMP®

Por André Ricardi

Como manter o reconhecimento do mercado quando uma certificação passa a ser procurada por milhares de profissionais, sem correr o risco de que os profissionais que a conquistaram se esqueçam da responsabilidade de ser certificado? Como uma certificação conquista o respeito do mercado? Por que os profissionais de uma determinada área se interessam por uma certificação? Por que as empresas se interessam por profissionais certificados, e por que confiam nesta certificação? Todas são perguntas com respostas importantes para entendermos a crescente procura por profissionais certificados como Project Management Professional (PMP®). Atualmente no Brasil já somos mais de 17.000 PMPs, e no mundo quase 730.000.

Se você já é PMP®, pergunte-se: Será que você tem agido de acordo com a proposta desta certificação? Se você ainda não é PMP®, e pretende ser, pergunte-se: Por que você gostaria de ser PMP®? Mas talvez a pergunta mais importante de todas seja: Como sustentar esta certificação como uma das mais respeitadas do mercado?

A seguir são apresentadas considerações que poderão ajudá-lo a responder estas perguntas, ou pelo menos para que possamos refletir a respeito e auxiliar na sustentabilidade da certificação.

Como uma certificação conquista o respeito do mercado?

Através dos resultados que os profissionais certificados atingem no seu ambiente de trabalho. Não há como comprar o respeito do mercado com relação a uma certificação profissional, mesmo que a organização que a concede tenha muito respeito e credibilidade, como é o caso do PMI® – Project Management Institute.

Certamente a imagem da organização que concede esta certificação influencia e facilita a conquista deste respeito, porém isso não a torna sustentável; é possível que exista uma procura inicial significativa mas, sem resultados consistentes, atingidos pelos profissionais certificados, a chance de se manter em evidência será pequena.

Por que os profissionais de uma determinada atividade profissional se interessam por uma certificação?

Esta resposta é fácil: Porque as empresas se interessam em contratar profissionais que são certificados, ou passam a exigir que os seus colaboradores conquistem a certificação.

A partir da conquista do respeito do mercado pela certificação, os profissionais passam a se interessar, sem dúvida, por conta da procura das empresas por profissionais certificados. Talvez em algumas áreas de negócios específicas outras certificações tenham mais procura, mas no geral o diferencial de ser PMP® ainda é maior no Brasil, e é provável que continue assim pelos próximos anos.

Por que as empresas se interessam por profissionais certificados, e por que confiam nesta certificação?

Justamente porque os profissionais que a detêm fazem a diferença, e quando as organizações não percebem isso em seus próprios colaboradores, começam a perder espaço para os concorrentes, que apostaram e investiram em contratar profissionais certificados.

Entretanto, é evidente que estes resultados não podem ser temporários, por mais que os projetos sejam empreendimentos temporários. Um gerente de projetos precisa lembrar-se que é importante apresentar desempenho suficiente para ser convidado a gerenciar os próximos projetos, e não apenas para terminar o que ele está gerenciando no momento.

A certificação pode representar o diferencial para ser contratado ou não, mas apesar de abrir as portas para quem a detém, ela não garante que o profissional continuará contratado. Para tal, é preciso provar que de fato a pessoa com PMP® faz a diferença.

Se você já é PMP®, pergunte-se: Será que você tem agido de acordo com a proposta desta certificação?

O primeiro conteúdo do PMI que eu tive contato foi o Código de Ética e Conduta Profissional do PMI®, ainda nos anos 90. À época, eu já era docente na área, e percebi neste código uma oportunidade de compartilhar com colegas e alunos valores e princípios que já pautavam minha carreira como gerente de projetos e como docente.

Infelizmente alguns “profissionais” procuram a certificação PMP® somente para aumentar a possibilidade de reconhecimento do mercado, servindo de instrumento para a sua contratação como gerente de projetos ou alguma função correlata. De fato, a certificação aumentará as chances de contratação, porém, como já foi dito, o verdadeiro diferencial serão os resultados que este profissional irá apresentar.

Se você já é PMP® sabe que é preciso seguir o Código de Ética e Conduta Profissional do PMI® para se manter certificado. Lembre-se: Alguém pode perceber que você não tem feito isso, e perder a certificação pode ser um meio doloroso de voltar a valorizá-la. Se nós, PMPs, não valorizarmos o que esta certificação representa quem o fará?

Se você não é PMP®, e pretende ser, pergunte-se: Por que você gostaria de ser PMP®?

Se for somente para aumentar sua empregabilidade, provavelmente você já percebeu que apenas isso não garantirá o seu futuro. Infelizmente alguns colegas que detêm a certificação não se esforçam por manter o compromisso que assumiram quando a conquistaram, ou seja, esqueceram da proposta ética e profissional que está por trás desta sigla, PMP®. Eles se esqueceram de que, se os próprios PMPs não respeitarem a proposta básica da certificação, o mercado gradativamente irá deixar de respeitá-la, e todo o esforço e dedicação para consegui-la terá sido em vão. Felizmente este grupo é minoria, e até o momento não conseguiram denegrir a imagem dos verdadeiros PMPs.

Se você está iniciando a preparação, ou já está engajado em consegui-la há algum tempo, leia e reflita com carinho sobre a real proposta de ser PMP®. Pense que, uma vez PMP®, você é corresponsável em manter a importância e a credibilidade da certificação. Se for o caso, mude seu comportamento desde já, pois, acredite, vale a pena ser ético e profissional no seu dia a dia, mesmo que os outros e o ambiente de uma maneira geral não o sejam.

Como sustentar esta certificação como uma das mais respeitadas do mercado?

Sendo um profissional de fato, e não apenas o detentor de uma certificação.

Sendo um profissional ético, que apresenta bom desempenho, mas respeitando os seres humanos envolvidos, e “jogando limpo”. Acredite: Você não precisa utilizar-se de estratégias questionáveis para ter sucesso na sua carreira, mesmo que o ambiente o induza a acreditar nisso.

Vale a pena ser um profissional respeitado, e não apenas um profissional certificado. Faça parte do time dos que valorizam e respeitam esta certificação, pois assim ela se manterá sustentável no futuro. Nós, PMPs, seremos os maiores beneficiados.

Acima de tudo, é preciso acreditar que é possível tornar-se um ser humano diferenciado, e ter sempre em mente que os princípios éticos devem sustentar o comportamento diário de todos os profissionais, que nunca deveriam esquecer que na sua essência são humanos, ou pelo menos deveriam ser.

Agradecimento: à autora Kim Heldman, que já me inspirava antes mesmo de ter sido convidado a revisar a tradução de seu livro. Kim me instigou como seu leitor a entender que a proposta do PMI® não está longe de nossa realidade e nem mesmo é impossível de ser colocada em prática, muito pelo contrário. Não se trata de surrealismo. Podemos sim mudar nosso comportamento, a fim de sermos cada vez mais profissionais e eficientes, sem deixar a ética, a responsabilidade e o respeito de lado. Basta vontade e atitude!

A Fundação Vanzolini possui um novo curso para quem deseja obter a Certificação PMP®. Acesse o site e saiba mais sobre o Easy PMP® – Preparatório para a Certificação do PMI®.

Sobre o autor

André L. F. Ricardi

Instrutor da Fundação Vanzolini nos cursos Easy PMP® – Preparatório para a Certificação do PMI® e Easy Life Canvas – Facilitando o planejamento e a gestão de seus projetos. PMP Diretor de Programa no Project Management Institute | PMI – Capítulo São Paulo. Especialista em gerenciamento de projetos há mais de 21 anos, com atuação em projetos nacionais e internacionais em empresas financeiras, de logística, comércio exterior e indústria, destacando entre elas Santander/Banespa, König, Hexa Solution, Wilson Logistics, Leschaco, Santander, Verano, Perrotti Partners, Bradesco, Capgemini e METSO.

Participou em mais de 33 projetos, sendo em 23 deles como gerente de projetos ou líder. Utiliza os conceitos do Guia PMBOK® desde sua primeira versão. Autor do método Preparatório PMP® utilizado pela EasyBOK e dos workshops EasyDay, EasyWeek e EasyExpert. Autor do livro “EASYBOK: Um Guia de Sobrevivência para o Gerente de Projetos”. Revisor técnico do livro “Gerência de Projetos – Guia para o Exame Oficial do PMI”, da autora Kim Heldman. Edições de 2009 e 2014.

Organizador da Coleção Grandes Especialistas Brasileiros em Gerenciamento de Projetos (14 volumes), publicada pela Editora Elsevier em 2014. Pós-graduado em “Docência no Ensino Superior” e Bacharel em análise de sistemas, atua como professor há 28 anos, sendo há 13 anos em pós-graduação e há 20 em graduação.

É coordenador dos cursos de pós-graduação “Gerenciamento de Projetos — Práticas do PMI” e “Gestão Estratégica de Portfólio de Projetos e PMO” do SENAC, e de eventos como: PMDome®, PMRank®, PMTools, IPEMAC e Congresso Six Sigma Brasil. Atuou como docente na FGV, FATEC-SP, MACKENZIE, FECAP, INPG, Impacta e Cruzeiro do Sul.

Receba os conteúdos e as novidades da Fundação Vanzolini no seu e-mail: Cadastre-se em nossa newsletter

Comentários