Não fique refém de suas emoções

Não fique refém de suas emoções

Em 2018, desejo-lhe toda maturidade emocional do mundo!

2018 ainda está no começo e será mais um ano de grandes desafios, então, você precisa estar no comando.

Não é hora para “mimimi”, “vítimas de plantão” e muito menos “explosão temperamental”. Chega de botar a culpa no outro sobre seus insucessos. Chega de vitimização. Isso tudo o desacredita!

É a hora de protagonizar e usar a assertividade para você planejar um 2018 e realmente ser eficaz, fazer o que tem que ser feito. Parece que o momento requer coragem, flexibilidade, inovação, adaptabilidade e foco para enfrentar as incertezas dos novos tempos.

Até o sinal de TV analógico foi desligado no Brasil neste fim de ano e tudo agora funciona no digital. Está na hora de você também desligar seu “sinal analógico” pois estamos na era da inteligência digital , e novamente as transformações exigem “pensar diferente” e repensar aqueles padrões de sucesso que nortearam-lhe até então.

Mas uma coisa não mudou: Para se sair bem nesse cenário, você precisa estar no comando de sua vida, dos seus pensamentos e do seu emocional. É preciso dar um breque nos pensamentos automáticos, naquele pensamento rápido e dar lugar ao pensamento devagar e reflexivo para iniciar sua tomada de consciência e tomar as rédeas de sua vida.

Desenvolva um emocional inteligente, ou seja, equilibre a razão e emoção para clarear sua mente e você estará no controle.

Afinal, o que é Inteligência emocional? Tanto se fala nessa competência como determinante para o sucesso na carreira profissional, como também para estabelecer e manter bons relacionamentos sadios.

Trocando em miúdos, a inteligência emocional é saber como lidar com seu emocional a seu favor e usar de habilidades sociais, como a empatia para compreender o emocional do outro, assim como a comunicação assertiva para adequar suas próprias reações emocionais ao contexto e focar na solução positiva dos problemas do cotidiano.

Troque tudo o que está atrapalhando sua vida para entrar em um novo ano de 2018!

Veja as quatro condições para você apossar de sua maturidade emocional e garantir melhores resultados em 2018.

1º) Não seja um analfabeto emocional 

Sabe aquelas pessoas que não têm a menor noção sobre seus próprios sentimentos???!!! Você já ouviu aquela expressão: “O mundo é dos espertos”. Pois é, fique esperto e tome consciência do seu emocional: use a “cabeça”, ou seja, use o pensamento reflexivo para perceber quando e porquê suas emoções de alegria, nojo, raiva, medo e tristeza aparecem e como você reage em cada situação. Por que isso? Simples, porque para você ter domínio sobre você e ficar no controle da situação, a primeira providência para ser inteligente e alfabetizado emocionalmente é: “Conheça-te a ti mesmo”. Conhece essa frase? Sim, é do filósofo Sócrates.

2º) Não dê tiro no escuro 

Conhece a frase: “Atirou no que viu e acertou no que não viu”? Pois é, seja estratégico. Traga sua emoções ao consciente, tenha a clareza delas e treine técnicas de autogestão. Aprenda exercícios de respiração, ressignificação de pensamentos, ou seja, aprenda e pratique técnicas que fortaleçam sua musculatura emocional, e quando a emoção aparecer você rapidamente identificará as formas mais adequadas e responsáveis para lidar com a situação e buscar a solução ganha-ganha do problema .

3º) Pare de só olhar para seu próprio umbigo

Sabe aquele tipo de gente que não vê um palmo além do seu nariz? Não faça ao outro o que você não quer que façam com você. Pessoas autorreferentes são egoístas e desagradáveis.

Use a empatia para conexões equilibradas e saudáveis. Você só tem a ganhar: cria melhor sintonia com as pessoas, administra melhor os conflitos, não se estressa facilmente e melhor ainda, você autorregula seu emocional e escolhe uma ação pertinente ao contexto, demonstrando que você tem inteligência emocional.

4º) Não seja um troglodita, um hipócrita ou um Zé ninguém

O troglodita cria encrencas por todo lado; o hipócrita é dissimulado e não cria nenhuma relação confiável; o Zé ninguém não tem boca para nada, guarda tudo dentro do emocional. Os três acumulam lixo emocional e por isso não possuem o equilíbrio necessário para uma convivência saudável e madura.

Desenvolva sua habilidade social e utilize um comportamento assertivo para se comunicar de forma respeitosa e focada na compreensão do outro e na solução do problema em questão.

Veja mais algumas dicas para você praticar agora e se tornar mais maduro e dono de si mesmo:

  1. Você reclama muito? Se sim, saiba que isso é muito chato. Troque a reclamação pela ação solucionadora, ou seja, foque na solução e não no problema. Você se sentirá aliviado e sem pendências.
  2. Você é do tipo “crítico” que só vê defeito no outro? Drible seu cérebro e pare de olhar somente ao que você não gosta nas pessoas. Dirija seu olhar às qualidades das pessoas. Reconheça o que é bom no outro e assim você criará uma “liga emocional positiva”.
  3. O medo te pega quando na verdade você gostaria de ser corajoso e tomar uma decisão? Troque o medo de correr riscos pela ação responsável, fazendo uma análise dos riscos e escolhendo o melhor comportamento. Avalie seu medo em uma determinada situação perguntando-se:

O que de pior pode acontecer se você:
a) não conseguir enfrentar a situação
b) se você conseguir enfrentar a situação

O que de melhor pode acontecer se você:
a) conseguir enfrentar a situação?
b) não conseguir enfrentar a situação?

  1. As vezes a inflexibilidade enrola sua mente a tal ponto de se sentir totalmente enrijecido? Pratique a flexibilidade e deixe fluir novas emoções positivas. Esteja disponível para aprender e encarar o novo com mais coragem.
  2. Não evite a tristeza, tentando ser feliz! Sinta e curta a tristeza, pois é dela que surgem os aprendizados mais profundos, com o uso do pensamento reflexivo.
  3. Fique atento aos padrões comportamentais que você utiliza para expressar suas emoções aflitivas, pois, se funcionarem como estratégias de defesa, podem se tornar os maiores impeditivos à mudança de hábitos emocionais que precisam ser mudados.
  4. Faça uma coisa muito, mas, muito importante: Aceite a si mesmo, tal qual e como você é. E nem pense em ser outra pessoa. A autoaceitação lhe dará mais autoconfiança, mais autoestima e mais fluidez para viver suas emoções.

Desejo-lhe um 2018 com muitas mudanças positivas e uma evolução para a felicidade que merece através da maturidade emocional.

Deixe seu comentário e sua dúvida para que possamos debater o assunto! 😉

Vera Martins

Se você quiser se aprofundar nesse tema, conheça meus cursos na Fundação Vanzolini: Liderança Assertiva e Emocional Inteligente

Sobre a autora

Vera Martins – Professora dos cursos de Liderança Assertiva e Emocional Inteligente na Fundação Vanzolini. Educadora, mestre em Comunicação e Mercado e especialista em medicina comportamental. É autora dos livros: ‘Seja Assertivo!’ e ‘Emocional Inteligente’. Foi executiva em Gestão de Pessoas por 20 anos e, no momento atua como coach, professora, palestrante e consultora organizacional. É facilitadora em seminários e workshops sobre: Liderança Assertiva, Negociação Eficaz, Gestão de Conflitos, Líder Coach, Gestão Emocional do Time, Formação de Times e Ética nas Relações de Trabalho. Palestrante em congressos de recursos humanos, com vários artigos publicados em revistas, jornais e sites especializados.

Receba os conteúdos e as novidades da Fundação Vanzolini no seu e-mail: Cadastre-se em nossa newsletter

Comentários