A pior escolha que podemos fazer para a nossa carreira

Artigo José Renato
Meu avô costumava falar: “somos do tamanho dos nossos sonhos”

E ainda completava: “… e olha que sonhar não custa nada”

Por isso, ele costumava sugerir para mim: “sonhe ser o mundo”.

Confesso que não dava muito importância, pelo menos a devida.

Diante sua insistência, certa vez resolvi questioná-lo.

– Vô, mas se não conseguir ser o mundo, não irei me frustrar?

Retirando os óculos, ele arrematava, “o esforço que você irá aplicar para realizar seu sonho irá garantir que não se sinta frustrado”.

Pois é…

Talvez não seja tão fácil assim.

Mas ele também não falou que seria.

Todos nós buscamos e nos esforçamos para alcançar aquilo que almejamos.

Atingir irá depender de outras coisas.

Com o passar dos anos nossos sonhos podem se modificar.

E isto não tem relação alguma com o fato de estarmos perto ou longe deles.

É simplesmente uma questão de evolução.

Crescemos e passamos a dar mais valor para outras coisas.

Isto é humano.

Que saudade, por exemplo, eu tenho de esperar o almoço da minha mãe.

Pequenas coisas que nos enchem de lembranças inesquecíveis.

Em alguns momentos de nossas vidas, as coisas mais simples passam a serem as mais importantes.

Quase sonhos.

O tempo nos dá esta sabedoria.

E o que podemos fazer para isso?

Manter nossos valores, talvez seja o caminho.

Aqueles que sempre farão com que mantenhamos os pés nos chão.

No mundo corporativo vale a mesma regra.

Todos nós possuímos sonhos para nossa carreira.

Com o passar dos anos podemos fazer com que muitos deles sejam realizados.

Muitos deles não dependem de nós.

Muitos deles dependem de nós.

Manter os nossos valores dependem de nós.

E são estes que irão nos perpetuar.

As decisões que tomamos irão avalizar isso.

E, Graças a Deus, temos o livre arbítrio sempre ao nosso lado.

Ao abrirmos mãos dele, estamos dando maior relevância à conquista fácil.

Sem suor, sem esforço…

E resgatando o que meu avô dizia: “o esforço que você irá aplicar para realizar seu sonho irá garantir que não se sinta frustrado”

Sem esforço, a frustração virá.

Vem fácil, pode ir fácil.

E você? Trocaria algum valor seu por sucesso profissional?

A resposta pode ser obvia.

Agir de acordo com ela, é o desafio.

Mas é sempre uma questão de escolha.

Por José Renato Santiago

____________________________________

Sobre o autor
José Renato Sátiro Santiago Junior – Professor da Fundação Vanzolini no MBA Executivo em Gestão de Operações – Produtos e Serviços, na pós-graduação em Gestão de Projetos em Tecnologia da Informação e no curso de capacitação de Aplicações para Gestão Estratégica do Conhecimento. Grande experiência no desenvolvimento de atividades relacionadas à Administração de Empresa, Gestão de Pessoas, Gestão de Projetos, Inovação e Gestão do Conhecimento. Atuação por mais de 20 anos em empresas nacionais e multinacionais nos segmentos de Óleo e Gás, Engenharia, Telecomunicações, Construção, Farmacêutico, Eletro-Eletrônico e Bens de Consumo. Mestre e doutor em Engenharia pela USP com pós-graduação em Marketing pela ESPM. Autor de dezenas de livros e artigos, dentre os quais se destacam, “Gestão do Conhecimento – A Chave para o Sucesso Empresarial.”, “Capital Intelectual – O Grande Desafio das Organizações.” e “Buscando o Equilíbrio”. Professor da FIA e PUC em cursos de MBA (Master of Business Administration). Administrador do site Boletim do Conhecimento onde publica artigos e ideias cujo tema central é o Mundo Corporativo, com cerca de mais de 10.000 leitores semanais.

Comentários