Notícia

Hospital do Governo do Estado conquista um dos mais importantes selos de qualidade do País

Certificação Acreditado Pleno atesta que o Metropolitano atende aos padrões internacionais de qualidade e segurança assistencial

Crédito: 07/10/2020 16h24 – Atualizada em 07/10/2020 20h20
Por Mozart Lira (SESPA) https://agenciapara.com.br/noticia/22647/

 

A rede estadual de saúde do Pará conquistou uma das mais importantes certificações de qualidade de serviços de saúde do País. O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), do Governo do Pará, em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, foi auditado e obteve a certificação Acreditado Pleno, da Organização Nacional de Acreditação (ONA), que atesta que o Metropolitano atende aos padrões internacionais de qualidade e segurança assistencial dedicados aos pacientes.

Associada à ISQua, sigla em inglês para a Sociedade Internacional de Qualidade e Cuidados na Saúde, e atuando ao lado de instituições presentes nos Estados Unidos, Reino Unido, França e Canadá, a ONA é a mais respeitada entidade avaliadora dos serviços de saúde no Brasil. 

A organização avalia as unidades de saúde em três níveis de abrangência: Acreditado, Acreditado Pleno e Acreditado com Excelência. Antes de confirmar o título, a auditoria apura centenas de processos internos que envolvem o atendimento.

Para o secretário de Saúde do Pará, Romulo Rodovalho Gomes, a certificação proporciona aos pacientes e seus familiares a garantia de que os procedimentos realizados no HMUE são avaliados e validados e que seus profissionais são capacitados de forma contínua.

“Essa acreditação é uma importante conquista para a gestão de Saúde Pública do Pará. Isso demonstra o compromisso do Governo em buscar a melhor prestação de serviço para a população. O selo comprova que o hospital atende rigorosamente critérios de segurança e apresenta gestão integrada entre as atividades”, destacou o secretário de Saúde.

Para o diretor hospitalar, Itamar Monteiro, “a certificação mostra que é possível oferecer um serviço de saúde pública com qualidade e eficiência ao cidadão”. Ele acrescentou que o reconhecimento técnico consolida a posição estratégica do Metropolitano entre os 18 hospitais públicos mais importantes do Brasil.

Referência em trauma, o HMUE é também o único centro de tratamento de pacientes vítimas de queimadura em toda região Norte. Em 2019, a unidade recebeu o concorrido prêmio InovaSUS, conferido pelo Ministério da Saúde, pela implantação do primeiro laboratório tecnológico que produz próteses de baixo custo.

O Metropolitano também é o maior captador de órgãos e tecidos no estado do Pará. Ano passado, a unidade obteve autorização de 11 famílias para doação de órgãos. 

Em setembro deste ano, o hospital passou a ser signatário do Pacto Global da ONU (Organização das Nações Unidas), que reconhece a prática de princípios internacionais nas áreas de direitos humanos, relações de trabalho, meio ambiente e combate à corrupção.

A unidade também possui o selo Green Kitchen, que atesta práticas de qualidade na gestão da alimentação hospitalar oferecida aos pacientes.

Avaliação

Para alcançar a certificação, o HMUE foi avaliado em mais de 1.500 processos e rotinas de trabalho internas. Foram três dias de auditoria realizada pela Fundação Vanzolini, entidade associada à ONA.

“Isso significa que cada processo de atendimento realizado pelos profissionais do Metropolitano foi aferido na auditoria”, afirma a gerente de Qualidade, Paula Narjara do Amaral. A certificação, diz ela, elevou o nível de exigência por resultados e aumentou o engajamento entre os colaboradores. 

A gerente de Qualidade, Paula Narjara do Amaral, frisou que “cada profissional sabe exatamente o seu papel e a maneira correta de cuidar dos pacientes — desde a equipe assistencial até os colaboradores que realizam a higienização dos ambientes, todos têm responsabilidades iguais para cumprir tarefas seguindo protocolos rigorosos”. 

De acordo com Angelina Helena Francisco, uma das auditoras da Vanzolini, os processos realizados pelo hospital atendem aos padrões de qualidade preconizados pela ONA. “Isso é importante, pois agrega valor ao serviço e eleva o status entre pacientes, operadoras e profissionais de saúde”, explicou.

Diretor hospitalar, Itamar Monteiro dedicou a conquista a três colaboradores do Metropolitano que acabaram perdendo suas vidas para a Covid-19. “Essa missão tornou-se ainda mais difícil em meio a uma pandemia, que fragilizou e fragiliza a todos. Mas continuamos firmes e dedicamos esse momento ao Junot, Octávio e Zelita”.

Além do Metropolitano, dos sete hospitais públicos administrados pela entidade filantrópica no Pará, quatro detêm a mais alta certificação da ONA, Acreditado com Excelência. São eles: Hospital Oncológico Infantil, Hospital Público Estadual Galileu, Hospital Regional do Baixo Amazonas e Hospital Regional Público da Transamazônica — todos com a certificação Nível 3.

*Por Diego Monteiro (Ascom/HMUE)


Deixar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*