Notícia

Economia Circular e os Sistemas de Produção Sustentável é tema de seminário da Fundação Vanzolini

Evento será realizado em plataforma digital, em 10 de dezembro, das 9h às 17h15

Apresentar e debater os conceitos e tendências relativos à economia circular, abordando os vários aspectos de concepção, projeto e desenvolvimento de produtos e processos com a implementação de estratégias sustentáveis de produção (sistemas de produção de ciclo fechado). Essa é a finalidade do Seminário Economia Circular e Sustentabilidade na Cadeia Produtiva, que chega a segunda edição e será realizado em plataforma digital on-line, em 10 de dezembro, das 9h às 17h15.

Vamos debater o tema da Economia Circular e dos Sistemas de Produção Sustentável com os engenheiros, especialistas, acadêmicos e líderes do setor público e da iniciativa privada”, reforça João Amato Neto  – professor titular sênior do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica  (Poli-USP) diretor-presidente da Fundação Vanzolini.

Coordenador do evento, ele explica que  “a transição de uma economia linear para um modelo circular de negócios (com base em sistemas de produção de círculos fechados) apresenta grandes desafios, mas, ao mesmo tempo, representa boas oportunidades para as empresas, governos, indivíduos e a sociedade como um todo”.

Especificamente nessa segunda edição, o Seminário terá seis temas principais: O Advento da Economia Circular e o Paradigma da Sustentabilidade; Mercados Verdes e projetos de impacto socioambiental; Desafios e Oportunidades de Economia Circular na Amazônia; Desempenho Ambiental de Produtos; Impactos das tecnologias transformadoras para um modelo de produção sustentável; e Gestão de resíduos sólidos e inclusão social.

Ao discorrer sobre o programa do Seminário, Amato destaca a dimensão social da sustentabilidade e da Economia Circular entre os aspectos mais relevantes: “Nos dias atuais quase metade da população mundial (mais de 3 bilhões de pessoas) vive com menos de US$ 2,50 por dia. E é justamente nos países mais pobres do planeta que, por exemplo, a questão do destino correto do lixo é extremante dramática”, afirma.

Realizado pela Fundação Vanzolini, com patrocínio do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo (9CREA/SP), o 2º Seminário Economia Circular e Sustentabilidade na Cadeia Produtiva tem como apoiadores o Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP; a Universidade Estadual do Amazonas-UEA /Fundação Universidade Estadual do Amazonas-FUEA; e a Alumni USP.

Exemplos

Permeando todos os temas, como vetor importante do processo de desenvolvimento, está a discussão sobre o modelo de industrialização, que influencia, inclusive, a resposta à questão: o que pretendemos para a sociedade atual e para novas gerações?

Para Amato, a reflexão avança, envolvendo questionamentos tais como “O que, em especial, esperam as populações que vivem em grandes centros urbanos em termos de qualidade de vida?”, ou, ainda, “É possível conciliar crescimento econômico com novos padrões de produção, de consumo e de investimento realmente sustentáveis do ponto de vista social e ambiental?”

E algumas respostas a tais questões já são vislumbradas e servem de estímulo nessa fase, definida pelo coordenador do Seminário como “processo de transição de paradigmas de produção”.

Do lado das empresas, por exemplo, ( consideradas “ilhas de excelência”) já é possível notar iniciativas e projetos em direção à Economia Circular, incorporando práticas de produção mais  limpa, com adoção de Análise de Ciclo de Vida para lançarem novos produtos, estímulos ao consumo consciente, reutilização de embalagens, seleção de materiais recicláveis no projeto do produto; até mesmo a concepção de novas plantas industriais. 

Na gestão pública, “é notável o interesse de alguns setores do governo em estimular as empresas para mudanças no seu modelo de negócio, seguindo os  requisitos da Economia Circular”, garante o diretor-presidente da Fundação Vanzolini.

Entre esses exemplos está um caso de sucesso que será apresentado no Seminário: o conceito de ecoparques baseado na simbiose industrial, da Natura na cidade de Benevides (PA). 

Outras questões também fomentam debates como mobilidade urbana, poluição, medidas eficazes de saúde pública etc. Nesse cenário, as questões sobre geração, destinação e tratamento do lixo são  fundamentais, afinal, em todo o planeta Terra são despejados cerca de 2,12 bilhões de toneladas de lixo todos os anos. “Numa projeção simples: em 2050 o planeta (com população estimada de 9 bilhões de habitantes) produzirá cerca de 2,7 bilhões de toneladas, e somente a cidade de São Paulo, diariamente, deverá gerar cerca de 26 mil toneladas”, informa o coordenador do Seminário.

Os números são expressivos e comprovam a relevância do tema: “No Brasil se produz em média 79 milhões de toneladas de resíduos sólidos ao ano. Desse total, 32 milhões são depositados de modo irregular em lixões, nas ruas e no meio ambiente. Somente na cidade de São Paulo, por exemplo, são gerados, em média, 20 mil toneladas de lixo diariamente (entre resíduos domiciliares, resíduos de saúde, restos de feiras livres, podas de árvores, entulho etc.). Só de resíduos domiciliares são coletadas cerca de 12 mil toneladas/dia”, garante Amato, que defende , a adoção de ações orquestradas entre as esferas pública e privada.

“Para ele, deveria haver, por parte dos governos (municipal, estadual e federal), uma orientação estratégica que definisse  uma nova lógica de logística reversa de coleta dos resíduos, assim como estímulos à separação de materiais na origem nos condomínios residenciais e comerciais. “Isso já é,  realidade em muitas cidades de países estrangeiros”, reforça Amato.  Também é necessário grande esforço educacional para mudar a mentalidade da população  quanto à produção e destinação (descarte) do lixo, provocando uma mudança radical de comportamento nos hábitos dos consumidores.

Sobre a Fundação Vanzolini:

Há mais de 50 anos, a Fundação Vanzolini contribui para fomentar o desenvolvimento sustentável do Brasil. Criada e gerida por professores do departamento de Engenharia de Produção da POLI-USP, elabora, aplica e dissemina os conhecimentos da Engenharia no cotidiano de pessoas, empresas, instituições e governos, colaborando com soluções para desafios econômicos, ambientais, técnicos e sociais do país. 

Serviço

 

Seminário Economia Circular e Sustentabilidade na Cadeia Produtiva

10/12/2020

Realização: Fundação Vanzolini e CREA/SP –  

Coordenação: Prof. João Amato        

Evento on-line e Gratuito – Horário: 09h00 as 17h00

Inscrições em https://www.sympla.com.br/2-edicao-seminario-economia-circular–e-sustentabilidade-na-cadeia-produtiva__1049158

 

PROGRAMA PRELIMINAR

Horário

Conteúdo

Palestrantes

09h00 as 09h40

Abertura Oficial

Prof. João Amato Neto – Presidente da Diretoria Executiva da FCAV

Prof.ª Dra. Patrícia Faga Iglecias Lemos 

Prof.ª Marly Monteiro de Carvalho – Chefe do Departamento de Engenharia de Produção – Poli/PRO 

Francisca Ramos de Queiroz Chefe da UGI-Oeste CREA/SP 

09h40 as 10h00

Painel 1CREA/SP 

O que faz o CREA/SP: Francisca Ramos de Queiroz Chefe da UGI-Oeste CREA/SP

10h00 as 11h00

Painel 2 – O Advento da Economia Circular e o Paradigma da Sustentabilidade

Prof. João Amato Neto – Presidente da Diretoria Executiva da Fundação Vanzolini 

Profª. Marly Monteiro de Carvalho – Chefe do Departamento de Engenharia de Produção – Poli/PRO 

11h00 as 11h10

Intervalo

11h10 as 12h30

Painel 3 – Mercados Verdes e Impactos Sócioambiental

Ronaldo Stabile – ReUrb

Carlos Ohde – Diretor de Inovação e Novos Empreendimentos na Flextronics

12h30 as 14h00

Almoço

14h00 as 15h00 

Painel 4 – Desafios e Oportunidades de Economia Circular na Amazônia

Cleinaldo Costa – Reitor da Universidade Estadual do Amazonas – UEA

Priscila Matta – Gerente de  Sustentabilidade do Programa Amazônia da Natura 

15h00 as 16h00

Painel 5 – Desempenho Ambiental de Produtos – Análise do Ciclo de Vida 

Prof. Gil Anderi da Silva – Associação Brasileira de Ciclo de Vida – ABCV (a confirmar) – Prof. Sênior 

Fábio Cirilo –   Gerente de Sustentabilidade e Energia na Votorantim Cimentos

16h00 as 16h10

Intervalo

16h10 as 17h00

Painel 6 – Impactos das tecnologias transformadoras para um modelo de produção sustentável

Prof. Antônio de S. Limongi França LF1 Inovação e FCAV

Ilana Racowski – Faculdade de Tecnologia Termomecânica

Profa. Roberta Souza Pião – PRO/Poli/USP – Abordagem: Gestão de resíduos sólidos e inclusão social  

17h15

Encerramento 


Deixar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*