Londres será inundada de espaços verdes com a proposta “Green Block” de WATG

Londres será inundada de espaços verdes com a proposta "Green Block" de WATG

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, propôs um desafio – transformar Londres em uma cidade parque que será conhecida como a primeira National Park City do mundo. O escritório de paisagismo de Londres coordenado por Demet Karaoglu, WATG, aceitou. Buscando responder ao desafio, eles trabalharam em conjunto com Daniel Ravel-Ellison, Guerrilla Geographer e Creative Explorer, tomando a frente na campanha para transformar Londres na primeira cidade parque do mundo.

Mas o que é Green Block?

O ‘Green Block’ é um conceito modular proposto pelo WATG para inspirá-los na tarefa de transformar a cidade rumo a um futuro mais sustentável. Altamente flexível e 100% reciclável, o “Green Block” é um material de construção vivo impregnado com sementes de flores selvagens nativas. O módulo não necessita de manutenção, possui um reservatório integrado de irrigação e sementes específicas de cada clima.

A inspiração do WATG parte da nossa imaginação de como será Londres no futuro, quando existirá uma quantia significativamente menor de carros e rodovias. Tendo isso em vista, este espaço seria devolvido para a população da cidade em forma de áreas verdes. “Como paisagistas, ficamos incrivelmente inspirados pelo compromisso da prefeita Khan com o meio ambiente da capital” comentou de John Goldwyn, vice-presidente de Planejamento e Paisagismo do WATG.

Como funciona o Green Block?

O WATG criou este módulo verde como um material de construção comum que pode ser utilizado em toda a cidade, do modo que os moradores acharem mais conveniente. Ele poderia ser aplicado inicialmente junto aos passeios urbanos, como em parklets, ou em áreas externas de bares bem como em escadarias, poderiam servir também para demarcar as ciclovias e para conectar os parques existentes da cidade, criando corredores ecológicos. Usado como uma parede verde, o bloco poderia ser utilizado para cercar terrenos em construção ou revestir edifícios. O sistema poderia ser uma ferramenta de reivindicação do espaço das vias asfaltadas redundantes para seus habitantes, ou para transformar áreas de estacionamento que geralmente se antecipam a chegada dos veículos autônomos.

O ‘Green Block’ está sendo prototipado e testado e espera-se que esteja pronto para uso no início do próximo ano. Daniel Raven-Ellison comenta: “Para construir um futuro mais sustentável para todos os londrinos, precisamos trabalhar em conjunto e alavancar nossas idéias e também os recursos para realizá-las”. Com o apoio total da prefeita Khan, as etapas para transformar Londres em uma Cidade Parque serão definidas já em 2018 e lançadas em 2019.

____________________

Receba os conteúdos e as novidades da Fundação Vanzolini no seu e-mail: Cadastre-se em nossa newsletter

Comentários