Notícia

Seminários dos 50 anos da Fundação Vanzolini

Seminários dos 50 anos da Fundação Vanzolini

Há 50 anos ajudando a pensar o Brasil

O que diferencia a Fundação Vanzolini como centro de excelência na formação de lideranças em administração empresarial é a sua origem. A Fundação Vanzolini foi criada em 1967, por engenheiros politécnicos da USP, que nos anos 50 implantaram o primeiro curso de Engenharia de Produção no país. Sob a liderança do professor Ruy Leme, a Fundação Vanzolini participou ativamente do processo de industrialização do país. Desde então seus cursos levam às empresas o conhecimento atualizado, gerado na universidade e delas trazem os questionamentos do dia a dia.

50 anos de ensino diferenciado

Ao completar 50 anos, a Fundação Vanzolini é reconhecida como referência internacional em Educação Continuada, Consultoria, Certificação e Gestão de Tecnologias em Educação, por empresas públicas e privadas, assim como profissionais em busca de elevados padrões de desempenho. A Fundação Vanzolini construiu a sua história contando sempre com um renovado quadro de excelência acadêmica formado por professores que partilham o seu conhecimento entre o Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP e a Fundação Vanzolini.

Seminários Produzindo o Futuro – Clique aqui e inscreva-se!

“Gestão de Sistemas de Saúde” e “Projetos Inovadores na Gestão Pública” são dois dos temas de extrema atualidade que serão abordados, em março, em um ciclo de palestras sobre problemas brasileiros, realizado pela Fundação Vanzolini para comemorar os 50 anos da instituição.

Segundo João Amato Neto, Presidente da Diretoria Executiva da Fundação Vanzolini e professor titular do Departamento de Engenharia de Produção da POLI-USP, “queremos contribuir com o debate nacional e alinhar a agenda das estratégias empresariais e políticas públicas, embasados no conhecimento e na experiência de nossos professores e de convidados de expressão. São cinco temas para os próximos 50 anos”.

O ciclo de palestras gratuitas vai abordar ainda questões sobre a formação profissional em “Educação Continuada” e “O papel da Fundação Vanzolini na relação Universidade-Empresa”. As dificuldades de integração do Brasil aos novos paradigmas de tecnologia e produção serão abordadas sob o tema “Inovação e Indústria 4.0”.

Veja abaixo a programação sobre o ciclo de palestras gratuitas comemorativo aos 50 anos da Fundação Vanzolini:

  • 1º Seminário: O papel da Fundação Vanzolini na Relação Universidade-Empresa

7 de março de 2017, das 8h30 às 10h30

Local: Auditório do Departamento de Engenharia de Produção da POLI – USP (Sala D2 015). Avenida Professor Almeida Prado, 531 – Prédio Engenharia de Produção.

Coordenador: João Amato Neto

Este painel aborda o importante tema das interações entre o ambiente empresarial, as universidades e as fundações a partir da experiência da Fundação Vanzolini, a primeira das fundações da USP. A Fundação Vanzolini surgiu de um núcleo de professores da Escola Politécnica da USP que introduziu no país a Engenharia de Produção. A Fundação Vanzolini participou ativamente da industrialização do Brasil e tornou-se referência internacional em educação continuada para profissionais em busca de elevados padrões de desempenho.

Programa

08h30 – Welcome Coffee

9h às 10h30

Marco Antônio Zago, magnífico Reitor da Universidade de São Paulo.

José Roberto Castilho Piqueira, diretor da Escola Politécnica da USP.

João Amato Neto, presidente da Diretoria Executiva da Fundação Vanzolini.

Fernando Laurindo, chefe do Departamento de Engenharia de Produção da POLI-USP.

Airton Grazzioli, curador das Fundações (Ministério Público).

10h30 Encerramento

  • 2º Seminário: Desafios da Educação Continuada

7 de março de 2017, das 10h30 às 12h30

Local: Auditório do Departamento de Engenharia de Produção da POLI – USP (Sala D2 015). Avenida Professor Almeida Prado, 531 – Prédio Engenharia de Produção.

Coordenador: Roberto Marx

A importância da educação continuada diante de uma nova revolução tecnológica. As consequências da automação e dos novos processos e modelos de negócios como movimentos capazes de destruir mercados e colocar em risco trajetórias profissionais. A globalização e o protecionismo. Como encontrar novos desenhos para a formação profissional, diante destes cenários.

Programa

10h30 – 12h30

Roberto Marx, diretor de Operações da Fundação Vanzolini e professor do PRO/EPUSP.

Beatriz Scavazza, coordenadora Executiva da GTE – Gestão de Tecnologia em Educação / Fundação Vanzolini.

Paulo Lourenção, coordenador do Programa de Especialização em Engenharia da Embraer.

Alfredo Soeiro, Universidade do Porto e membro diretor da International Association for Continuing Engineerig Education.

12h30 Encerramento

  • 3º Seminário: Inovação e Indústria 4.0

14 de março de 2017, das 8h30 às 12h30

Local: Instituto de Engenharia

Endereço: Av. Dr. Dante Pazzanese, 120 – Vila Mariana.

Coordenador: Marcelo Schneck Pessoa.

A indústria 4.0 é uma questão estratégica para os países, pois implica diretamente na produtividade e na capacidade de viabilização da indústria no cenário mundial. Este é o tema deste Seminário que vai apresentar uma visão geral dos conceitos da indústria 4.0. Além dos impactos dessa nova indústria na sociedade, a necessidade de mão de obra qualificada e a questão da produtividade. Serão apresentados exemplos de pequenas empresas brasileiras de sucesso em alta tecnologia, e o caso Embraer, uma grande empresa brasileira que está adotando os conceitos da Indústria 4.0.

Programa

08h30 – Welcome Coffee

9h00

Abertura – Ethevaldo Siqueira, jornalista, escritor e consultor especializado em telecomunicações, eletrônica e novas tecnologias da informação.

Marcelo Schneck Pessôa, presidente do Conselho Curador da Fundação Vanzolini.

Mario Salerno, professor da Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP e ex-diretor do IPEA.

Glauco Arbix, coordenador Geral do Observatório de Inovação e Competitividade do Instituto de Estudos Avançados da USP, membro do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia.

10h30 – Intervalo

10h45

Eduardo Zancul, professor da Escola Politécnica (POLI/USP), no Departamento de Engenharia de Produção.

João Carlos Zerbini, gerente Corporativo de Tecnologia de Manufatura e Automação Industrial da Embraer.

Silvia Takey, diretora de Operações DEV Tecnologia.

Fernando Lopes, sócio da Mvisia. Engenheiro Mecatrônico, Poli-USP.

12h30 – Encerramento

  • 4º Seminário: Projetos Inovadores na Gestão Pública

21 de março de 2017, das 14h00 às 18h00

Local: Auditório István Jancsó (Brasiliana USP)

Endereço: Rua da Biblioteca, s/n – Cidade Universitária (USP).

Coordenador: Guilherme Ary Plonski.

Este Seminário abre espaço para a discussão qualificada e consequente de uma reivindicação generalizada da sociedade brasileira: a melhoria dos serviços públicos, expressa de forma contundente a partir das manifestações de junho de 2013. A cidadania clama por serviços públicos dignos nas três esferas da administração. O Seminário não se limita à crítica da situação vigente; o seu conteúdo é propositivo. A essência do encontro é a estratégia de incorporação da inovação na gestão pública, com abordagens contemporâneas e caminhos a seguir.

Programa

14h às 18h00

Guilherme Ary Plonski, diretor da área de Gestão de Tecnologias em Educação da Fundação Vanzolini. Professor da Poli e da FEA. Vice-diretor do Instituto de Estudos Avançados da USP.

Daniel Annenberg, secretário Municipal de Inovação e Tecnologia de São Paulo e vereador.

15h30 – Intervalo

15h45

Roberto Meizi Agune, coordenador da Unidade de Inovação da Subsecretaria de Parcerias e Inovação da Secretaria de Governo do Estado de São Paulo.

Evelyn Levy, consultora do Banco Mundial, do BID. Foi Secretária de Gestão do Ministério do Planejamento e diretora da Escola Nacional de Administração Pública.

18h00 – Encerramento

18h15 – Lançamento do livro “Sonetos”, do professor Pedro Luiz de Oliveira Costa Neto.

  • 5º Seminário: “Gestão de Sistemas de Saúde”

28 de março de 2017, das 13h30 às 17h

Local: Teatro Eva Herz (Livraria Cultura, Conjunto Nacional).

Endereço: Av. Paulista, 2073

Coordenador: João Amato Neto.

O Brasil está assistindo ao crescente envelhecimento da população. Isto vai representar um aumento significativo da demanda por cuidados, medicamentos, serviços e produtos de saúde. Hoje o setor responde por 8,3% do PIB brasileiro. Em 2015 os gastos do setor chegaram a R$ 480 bilhões. É preciso enfrentar a questão da qualidade dos serviços com a melhor capacitação dos gestores dos hospitais, unidades de pronto-atendimento, laboratórios, clínicas médicas e o setor público, principalmente no que diz respeito à gestão de suas operações.

Programa

13h30 às 15h00

José Joaquim do Amaral Ferreira, vice-presidente IQNet e diretor de Certificação da Fundação Vanzolini.

Ana Maria Malik, presidente da ALASS, Associação Latina para a Análise de Sistemas de Saúde.

Fernando Berssaneti, professor da Fundação Vanzolini (mediador).

15h – Intervalo

15h15 às 17h00

Arthur Chioro, médico sanitarista e professor, ex-ministro da Saúde.

Ruy Bevilacqua, superintendente do Hospital Beneficência Portuguesa.

Vivien Rosso, superintendente Geral do Hospital AC Camargo.

Mauro Spinola, professor da Fundação Vanzolini (mediador).

Conclusões e recomendações – João Amato Neto, diretor Presidente da Fundação Vanzolini.

17h às 17h45 – Intervalo

18h às 19h – Vanzolini em Concerto

Regência do maestro Edmundo Villani-Côrtes

Encerramento das comemorações dos 50 anos da Fundação Vanzolini

Clique aqui e inscreva-se!


7 comentários para “Seminários dos 50 anos da Fundação Vanzolini”


Edson Pereira da Silva

Mestrando em Engenharia de Produção UNIP e Docente na Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen, tenho interesse no 3º Seminário: Inovação e Indústria 4.0, tema este que é objeto de minha pesquisa para o mestrado.

Responder

Flavio Salles

O esforço Brasileiro para a recuperação Macro Econômica do país, não só depende do governo, mas também passa pelo povo; esforço este que sem dúvida se faz extremamente necessário, pois o Brasil e seu povo merecem!
Dentro deste aglomerado de esforços vislumbrados ao nosso redor, muito se tem feito através de associações de classe e representações da indústria, comércio e serviços, com destaque para as nossas classes e entidades representativas no Estado de São Paulo; FIESP, CIESP, SENAI, CNI, SEBRAE.
Neste ambiente otimista e exaustivo, mas rico em inovação e trabalho, a FUNDAÇÃO VANZOLINI não poderia deixar de marcar a sua presença Criativa e Empreendedora, através de seus colaboradores e aficionados, cedendo as suas mentes individuais para em conjunto, proceder à criação de mentes grupais comuns em seus pensamentos, arregimentando ações voltadas ao rumo norte da reconstrução do parque industrial e criação de novos empregos na indústria e serviços, neste nosso Brasil do século 21.
O Destaque na Fundação Vanzolini se dá no momento de seu jubileu de cinquenta anos, reunindo professores, pesquisadores, estudantes, administradores, enfim, todos arregimentados para criar novas formas e canais de atuação com a comunidade produtiva em geral, afins ou não, retomando a força da produção, da reconstrução da qualidade de vida, da educação tecnológica e porque não dizer da volta ao otimismo generalizado, tanto sonhado nos últimos tempos caracterizados pelo apelo à justiça e à melhoria de desempenho das complexas operações nos campos legais, financeiros e contribuintes, retomando a mútua confiança nas pessoas como seres humanos responsáveis para com a sociedade, deixando de lado os egoísmos e resplandecendo os critérios de responsabilidade social, não destrutivos; mas construtivos em larga escala.
Imbuídos deste espírito criador, a Fundação Vanzolini sinaliza os próximos cinquenta anos, com passos gigantes sob a batuta de destaques de líderes emergenciais, que identifico somente pelos nomes, sem citar títulos ou cargos, pois estas mentes não dividem ideias e não dependem de posições ou títulos outorgados, mas somente somam ideias e multiplicam ações inovadoras.
A estes nomes, vislumbra-se a criação de uma unidade virtual de negócios estratégicos e avançados, ideias e ações contaminantes criativas que deverão atingir a todos com o devido tempo e arregimentar os demais colaboradores a somarem e multiplicarem, pois já vislumbramos os promissores resultados embora ainda não palpáveis, pois são embrionários, mas claro, por pouco tempo.
Marcelo Schneck Pessôa João Amato Neto Roberto Marx
Beatriz Scavazza Glauco Arbix Eduardo Zancul
Guilherme Ary Plonski José Joaquim do Amaral Ferreira
Fernando Berssaneti Luís Fernando Pinto de Abreu
Mary Laporta Marilene Vasconcelos

Flavio Salles
Consultor Vanzolini P&D e
Desenvolvimento Estratégico de Negócios

Responder

Rafael

Boa tarde,
Eu queria me inscrever simplesmente pelo interesse de conhecer um pouco mais já que futuramente quero cursar Engenharia de Produção, mas há campos obrigatórios a ser preenchidos que eu não tenho como preenchê-los, por exemplo, “Empresa”.
Como faço para me inscrever?

Obrigado pela atenção.

Responder

Deixar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*