Notícia

Professor Erik Rego fala sobre implementação de conta de luz pré-paga no Brasil

Com um modelo que guarda semelhanças com o sistema de cobrança de telefonia, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) já deu o primeiro passo para a implantação do sistema de pré-pagamento e pós-pagamento eletrônico de energia elétrica no país, a partir de 2015. A resolução com as normas da nova modalidade de serviço foi publicada no Diário Oficial da União.

Neste sistema, o consumidor poderá ter a energia cortada em poucos dias após o atraso do pagamento, porém, a distribuidora terá que colocar à disposição no mínimo 20 quilowatts/hora (kWh) em créditos de emergência – o equivalente a cerca de três dias de consumo – que serão descontados dos consumidores na próxima recarga.

O professor do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP e vice-coordenador da Pós-graduação em Administração Industrial (CEAI) da Fundação Vanzolini, Erik Eduardo Rego, diz que o modelo corre o risco de fracassar, pois, atualmente, o consumidor de baixa renda que tem problemas de pagamento, muitas vezes consegue impedir o corte de energia com ações de órgãos de defesa do consumidor. A nova medida, portanto, não motivaria este tipo de consumidor a fazer a migração para a opção pré-paga.

Clique aqui e confira a matéria na íntegra.

Fonte: Duke Energy