Notícia

Porque investir na gestão sustentável

Quando falamos em sustentabilidade no contexto corporativo, este conceito deve estar embutido na estratégia das companhias. Elas precisam compreender que provocam impactos socioambientais e que necessitam, de alguma maneira, criar medidas para eliminar ou minimizar estes efeitos. É necessário buscar um equilíbrio de resultados econômico/financeiros com respeito ao meio ambiente e promoção do desenvolvimento social.

Ainda não existem muitas leis que obrigam as empresas a aplicarem regras e conceitos sustentáveis em seus negócios. As medidas socioambientais acabam sendo instaladas porque o universo corporativo criou a consciência que, de algum modo, tem esta responsabilidade de garantir “ecoserviços” essenciais às gerações futuras, como solo fértil, clima equilibrado e água potável.

“Existem sistemas formais de gestão ambiental, a mais conhecida delas é a NBR ISO14001. Ela provém recursos e determina diretrizes, acompanhando isto periodicamente. Já temos também indicadores de sustentabilidade em bolsas de valores pelo mundo e índices sustentáveis empresariais aqui no Brasil. Há, inclusive, iniciativas que dão visibilidade a organizações que têm se preocupado com a causa”, explica Clovis Armando Alvarenga Neto, professor da Fundação Vanzolini e da Universidade de São Paulo.

Existem diversos caminhos para uma empresa desenvolver uma cultura sustentável. O primeiro passo em comum é romper algumas barreiras e inserir o compromisso ambiental na estratégia da companhia. Em segundo, é determinante um grande líder (porta-voz) no ambiente de trabalho que passe a mensagem e engaje os demais colaboradores nesta causa. O CEO, preferencialmente, deve ser o protagonista destas ações para que estes objetivos e metas entrem efetivamente no planejamento. “Os líderes precisam educar todos os funcionários nesta causa, além de tentar envolver os chamados stakeholders – clientes, fornecedores, comunidades envolvidas, etc. –, e dizer para este público quais são os valores e práticas do dia a dia”, indica Ricardo Voltolini, diretor-presidente da Ideia Sustentável, consultoria de sustentabilidade.

Compromisso social

Se as empresas estão reagindo e se reformulando pró-sustentabilidade é porque respondem também à pressão da sociedade. Elas entenderam que se os recursos naturais ficarem escassos e se as mudanças climáticas se intensificarem, o planeta e, por consequência, os negócios, irão se prejudicar. O aumento do interesse do público em geral no tema também aumentou bastante, refletindo na cultura e nos valores, principalmente, das grandes companhias.

“Grandes empresas implicam em maiores impactos. Esta tendência verde já vem forte há mais de 10 anos e a questão da sustentabilidade já entra em um dos cinco principais pilares da estratégica destas corporações”, conta Voltolini. De acordo com ele, este conceito já está absorvido porque ao longo do tempo, as organizações já vêm desenvolvendo processos e cuidado de ecoeficiência e descarte do lixo, por exemplo.

Fonte: Catho