Notícia

Parque Eco-Tecnológico Damha de São Carlos recebe certificação AQUA

O Parque Eco-Tecnológico Damha de São Carlos (SP) acaba de receber a certificação Processo AQUA (Alta Qualidade Ambiental) – Bairro Sustentável – fase programa da operação, conferida pela Fundação Vanzolini. Com isso, o inovador empreendimento da Damha Urbanizadora, gerido pelo Instituto Inova, torna-se o primeiro e único parque tecnológico privado de terceira geração do País, desenvolvido para abrigar a implantação de empresas de base tecnológica, a obter o certificado, que atesta que o empreendimento é sustentável.

“Com esta certificação, esperamos oferecer a sustentabilidade de fato a todos que procuram estabelecer sua empresa em um empreendimento diferenciado, confirmando o compromisso da Damha com um desenvolvimento sustentável. O nosso parque tecnológico tem muitos diferenciais, principalmente por incorporar as questões de sustentabilidade às edificações empresariais, de modo a minimizar os impactos e colaborar com a preservação do meio ambiente”, explica José Paranhos, Diretor Superintendente da Damha Urbanizadora.

O referencial técnico para bairros e loteamentos do Processo AQUA serviu como critério para certificar, na fase programa da operação, o Parque Eco-Tecnológico. Segundo o professor Manuel Martins, coordenador do Processo AQUA, “a inserção do Parque Eco-Tecnológico junto ao Parque Eco-Esportivo Damha tem tudo para contribuir na formação de um bairro sustentável, inclusive com matas cuja proteção ambiental já está estabelecida. O lugar vai reunir espaços de lazer, conscientização ambiental, esportes e moradia, que se integram a um complexo empresarial e a um centro comercial”.

A Certificação AQUA comprova a Alta Qualidade Ambiental do Empreendimento, expressa em 17 categorias de desempenho, distribuídas em três importantes temas: integração e coerência do bairro; recursos naturais, qualidade ambiental e sanitária; integração na vida social e fortalecimento das dinâmicas econômicas. Esses desempenhos são obtidos por meio das ações do Sistema de Gestão do Bairro Sustentável (SGB), que tem como objetivo organizar a condução do empreendimento, controlando todos os processos.

O empreendimento também é o pioneiro em possuir um sistema de gestão integrado, que alia a norma de gestão ambiental ISO 14001 ao referencial técnico de certificação AQUA. Isso garante a sustentabilidade, tanto na operação do parque como em todas as etapas relacionadas às obras futuras e o entorno. 

As exigências de um CEP sustentável

Localizado na Rodovia SP 318, Km 234, em São Carlos, o parque tem uma área aproximada de 400 mil m², dividida em duas áreas distintas, denominados Condomínios I e II. A primeira, com 93.243,00 m², possui 72 unidades imobiliárias, divididas em 6 quadras. A segunda possui 154.405,50 m², com 71 unidades imobiliárias, divididas em 5 quadras.

As empresas interessadas em se instalar no local devem observar algumas regras referentes à preocupação com o meio ambiente. Dentro do condomínio empresarial foi estabelecido que todos os futuros empreendimentos devem possuir, no mínimo, nove itens de sustentabilidade a serem analisados pela equipe de gestão. “O Parque Eco-Tecnológico Damha será um importante instrumento de desenvolvimento regional sustentável, conciliando crescimento econômico, com inclusão social e proteção ambiental”, comenta o Dr. José Octavio Paschoal, presidente do Instituto Inova.

Uma das exigências é o de desenvolver o projeto arquitetônico considerando as características específicas do local, orientação e volumetria da construção, aproveitamento dos recursos naturais gerando energia solar, insolação, iluminação e ventilação adequadas. O controle do consumo de água e o reaproveitamento da água de chuva também estão previstos nas normas construtivas. A economia da energia elétrica é outra ação obrigatória por parte das empresas, que devem implantar um sistema adequado de iluminação artificial.

Além destas, outras medidas que deverão ser incorporadas estão ligadas à gestão dos resíduos, descarte de materiais e gestão eficiente de transporte e mobilidade. “Contemplamos a utilização de veículos elétricos de golfe para o transporte interno de funcionários e o uso comunitário de bicicletas feitas de PET”, esclarece o consultor de construção sustentável, Luiz Henrique Ferreira, diretor da Inovatech Engenharia, empresa responsável pelo desenvolvimento dos elementos de sustentabilidade do parque.