Notícia

Estudo desenvolvido por aluna aborda desafios e perfil gerencial feminino na liderança de negócios

Estudos revelam que 53% dos empreendedores no Brasil são mulheres. No entanto, elas continuam enfrentando barreiras impostas pela sociedade em função da discriminação do gênero. Em cima desse tema, Paola Steinle Martins, recém-formada no curso de Especialização em Administração Industrial (CEAI) da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (POLI-USP), operacionalizado pela Fundação Vanzolini, construiu seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) sob a orientação do professor Dr. Marcelo Hiroshi Nakagawa.

Com o título “Mulheres Empreendedoras – Criação e desenvolvimento de empresas: o desafio e o perfil gerencial de mulheres na liderança de negócios”, a estudante desenvolveu uma pesquisa com 20 mulheres empreendedoras do Estado de São Paulo e, nos resultados, discute-se o processo de criação de empresas, a partir das barreiras e razões para iniciar os negócios, assim como a forma como essas profissionais administram suas organizações. “As mulheres tendem a adotar um estilo de liderança voltado às pessoas, porém, com doses moderadas de rigidez”, diz Paola.

De acordo com o TCC, atualmente as mulheres empreendedoras têm desempenhado um papel socioeconômico importante, já que constituem a maior parte da força de trabalho de vários continentes. “Na América Latina, por exemplo, a percentagem de mulheres economicamente ativas é de 49%”, aponta.

O incremento do número de empreendedoras nas duas últimas décadas motivaram o interesse de pesquisas sobre o exercício da mulher nesse papel. Dados do Global Entrepreneurship Monitor (GEM) ressaltam que, em 2009, no Brasil, 53,4% dos empreendimentos por oportunidade são de mulheres. Também em outros países, o empreendedorismo feminino tem aumentado e o resultado é que as mulheres estão iniciando empresas a uma taxa 1,5 vez maior que os homens.

Estudos demonstraram, ainda, que as mulheres abrem empresas por diferentes motivos: desejo de realização e independência, percepção de oportunidade de mercado, dificuldades em ascender na carreira profissional em outras empresas, necessidade de sobrevivência e como uma maneira de conciliar trabalho e família.

Questionada sobre o tema escolhido, Paola Martins diz que seu “objetivo era investigar as barreiras enfrentadas por mulheres empreendedoras na liderança dos negócios e o perfil gerencial adotado por elas, a fim de conhecer e comparar com o modelo masculino de gestão”.

O artigo de Paola Steinle Martins é um dos 11 selecionados da turma de 2011 do CEAI. Eles estarão no livro “Teoria & Prática da Administração Industrial: Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) Selecionados”, cujo lançamento está previsto para este mês. Em breve divulgaremos mais informações.