Notícia

ESCOLAS SUSTENTÁVEIS

A Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE), responsável pela rede física escolar da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo, obteve certificação pelo Processo AQUA em duas de suas escolas na capital, a Escola Estadual Bairro Luz (Centro) e a Escola Estadual Vila Brasilândia (Zona Norte). O principal benefício da certificação sustentável – atestada pela Fundação Vanzolini – é comprovar de maneira inequívoca que as escolas não agrediram o meio ambiente durante as obras e a operação, economizando água, energia e gerando poucos resíduos. Além disso, as escolas certificadas têm níveis de conforto ambiental e soluções arquitetônicas projetadas com foco na saúde dos alunos.


 


A certificação das escolas é uma grande conquista da FDE que, após anos de investimento em sustentabilidade nas construções, conseguiu obter o reconhecimento de uma certificação internacional. ?O Processo AQUA levou a FDE a repensar o projeto de maneira global, com a possibilidade de avaliar o impacto de cada solução sustentável no edifício como um todo?, explica Luiz Henrique Ferreira, diretor da Inovatech Engenharia, consultoria líder para certificação AQUA, e consultor da FDE em seus projetos sustentáveis. Por exemplo, a utilização de brises nas fachadas é prática comum na FDE e, com o AQUA, a equipe fez uma avaliação do desempenho destes em relação ao conforto térmico e iluminação natural. Isso levou a algumas alterações no projeto em busca de melhores índices de desempenho. Uma outra mudança aconteceu no tratamento acústico das escolas, que demandou uma análise mais global dos impactos dos ruídos, tais como a interferência de quadras poliesportivas próximas às salas de aula.


 


?É muito interessante trabalhar com a FDE, pois os responsáveis pelos projetos e especificações técnicas formam uma equipe extremamente competente e comprometida com a sustentabilidade. Isso nos permitiu explorar a fundo as soluções técnicas de arquitetura e de projeto, para atender ao referencial AQUA?, declara Ferreira. ?A FDE não mediu esforços para conseguir atingir a alta qualidade ambiental das escolas?, ressalta.


 


Segundo Selene Augusta de Souza Barreiros, engenheira e Gerente de Orçamentos e Especificações da FDE, ?participar do processo de certificação AQUA tem sido muito estimulante. Relacionar conhecimentos e interesses com pessoas de alto nível, em prol de uma causa comum e universal, é uma oportunidade única. Saber que tudo isto irá para a escola e será disseminado entre as crianças é gratificante?, afirma ela.   


           


A Fundação já possuía um programa que visava o baixo impacto ambiental nos canteiros de obra, além de reaproveitamento de água da chuva, adotado em uma escola em Perus (SP), no início de 2008, com apoio da Inovatech, na época. ?A questão da facilidade e baixo custo de manutenção também sempre foi um item importante para a entidade. Dessa maneira, o processo AQUA serviu para integrar diversas ações que estavam sendo conduzidas de maneira isolada?, avalia Ferreira.


 


Uma peculiaridade da Escola Bairro Luz foi a sua localização, no Centro de São Paulo, em uma área de preservação histórica, o que levou a FDE a ter uma grande preocupação com o impacto que geraria no entorno, quesito que inclusive foi certificado pela Fundação Vanzolini durante a auditoria. ?Foi necessária uma análise mais cuidadosa para que fossem avaliados os reais impactos da implantação da escola na área e tomadas as medidas para minimizá-los. Mas não houve nenhuma implicação significativa no processo de certificação, uma vez que todas as providências haviam sido tomadas pela equipe antes da auditoria?, destaca Ferreira.


 


Além disso, a grande visibilidade do centro histórico poderá ser um fator amplificador da importância das ações sustentáveis dentro da escola. ?Isso dependerá muito do que os governantes farão no futuro. O fato pode ser um excelente catalisador  de interesses em prol de uma sociedade melhor?, declara Selene. Para professores e alunos, a certificação pode representar um contato, na prática, com a sustentabilidade nas construções. ?O fato de estarem dentro de uma escola sustentável de verdade, certamente contribuirá para que os alunos e professores percebam a importância da preservação do meio ambiente e levem para casa os conceitos de sustentabilidade?, afirma Ferreira.


 


O Processo AQUA tem ainda potencial para gerar um programa pedagógico nessas escolas, de modo a ajudar a compreender o conceito da construção sustentável. Diversos itens, como a captação de águas de chuva e locais específicos para coleta seletiva de lixo permitirão ações pedagógicas para conscientização dos alunos e comunidade local, reforçando o comprometimento da escola com a educação ambiental.


 


Segundo Selene, a certificação AQUA é oportuna também pela indução que o processo promoverá nas atitudes cotidianas dos usuários. Um prédio concebido para ser sustentável merecerá esforços para a preservação deste conceito. Caso a transferência de conhecimentos seja feita de maneira adequada, o processo poderá ter reflexos na atenção dos usuários com os temas associados à sustentabilidade. ?Isso será de grande valia para a vida dos alunos, suas famílias e para a sociedade. Assim, o papel da escola estará cumprido?, acredita Selene. ?Nós, técnicos, esperamos que os educadores se apropriem e multipliquem os resultados. Tudo dependerá, em grande parte, da costura social que o tema terá. Será necessário que os programas sejam criados e os recursos alocados. A capacitação de recursos humanos e a criação de programas pedagógicos geridos por gente capacitada é essencial?, analisa a gerente da FDE.