Notícia

Construir com responsabilidade

No atual cenário de ampliação do mercado brasileiro para construções sustentáveis, empresas do setor vêm buscando soluções de baixo impacto ambiental em lançamentos comerciais e residenciais. A tendência já é levada em conta inclusive na hora de obter financiamento de instituições financeiras para a realização das obras. Segundo matéria publicada pela Agência Estado em outubro de 2011, diante de projetos sustentáveis, os bancos já analisam o crédito de forma diferenciada. Além disso, a reportagem informa que a oferta de linhas de crédito para o setor tem aumentado, o que confirma a mudança do perfil de construção entre todos os envolvidos: do idealizador e empreendedor ao comprador, passando pelas instituições financiadoras.

 Um bom exemplo de projeto elaborado sobre a plataforma do baixo impacto ambiental é o residencial Horizon Residence Premium, empreendimento composto de quatro torres que estão sendo construídas em uma área de mais de 16 mil metros quadrados, em Campinas, interior de São Paulo. O projeto da Brookfield Incorporações tem como uma de suas premissas o melhor aproveitamento energético, além da preocupação com o bem-estar dos futuros moradores, traduzida em ações como a implementação de áreas verdes, que garantirão maior contato com a natureza.

Aliança pela qualidade ambiental

 A proposta ganhou um grande aliado quando a incorporadora buscou a certificação pelo Processo AQUA, concedida pela Fundação Vanzolini, desde o lançamento, em outubro de 2011. A certificação foi emitida após auditorias presenciais realizadas por profissionais da Vanzolini.

De acordo com André Lucarelli, diretor de Negócios da Brookfield Incorporações para São Paulo e interior, o processo de certificação está inserido desde o início no projeto. “A certificação se divide em três etapas: uma de concepção de projetos, outra de obras e outra quando concluída. Estamos iniciando a segunda etapa na qual auditores irão acompanhar nosso canteiro de obra”, explica. O executivo afirma ainda que é objetivo da incorporadora garantir que a obra tenha o maior aproveitamento possível de materiais, reduzindo o descarte e os danos provocados pelos resíduos da construção civil.

Outro ponto destacado foi a metodologia empregada durante o processo de certificação, que acompanha todas as fases da construção, e exige índices de desempenho ambiental de 14 categorias, divididas em quatro grupos: ecoconstrução, eco-gestão, conforto e saúde. “O mais interessante do processo foi quando verificamos que muitos dos itens sugeridos como adequados já eram praticados pela empresa. O selo, na realidade, impulsionou alguns itens, como uso de papel reciclado (inclusive em materiais de marketing) e ações com a vizinhança”, informa Lucarelli.

O investimento na certificação também se mostra atraente quando avaliado sob a ótica dos proprietários, investidores e financiadores, que têm atestada a sustentabilidade do empreendimento por meio de avaliações externas. Ou seja, fatores relevantes para a valorização do imóvel e redução de custos de manutenção, como economia de água e energia, são avaliados, além de aspectos como o conforto térmico e acústico.

As questões ambientais hoje em voga nos negócios impulsionaram a busca por uma certificação de sustentabilidade. O passo seguinte foi a escolha do AQUA. O executivo da Brookfield justifica a opção pela Vanzolini e Processo AQUA: “Temos um ótimo relacionamento com a Fundação. Escolhemos o selo por acreditarmos que o AQUA seria o que mais agregaria valor ao empreendimento”.

Fonte: Vanzolinicert