Notícia

Conferência da Fundação Vanzolini sobre sustentabilidade na construção está entre os principais eventos do setor no ano

Um dos maiores debates deste ano sobre sustentabilidade na construção civil no Brasil ocorreu durante a conferência organizada pela Fundação Vanzolini, na Expo Arquitetura Sustentável (de 10 a 12 de novembro), em São Paulo. O evento intitulado A Cultura e Prática da Construção Sustentável e a certificação internacional AQUA-HQE, reuniu alguns dos principais atores da arquitetura e construção do país, em um ambiente democrático, voltado para a troca de ideias e imbuído na disseminação de conhecimento sobre sustentabilidade.

Em um auditório tomado em sua capacidade máxima, quase que o tempo todo, o público pode ouvir e interagir com renomados profissionais, entre eles nomes como os arquitetos Ruy Rezende e Benedito Abbud; Ricardo Toscani, Diretor da Odebrecht Realizações Imobiliárias; Aron Zylberman, Diretor Executivo do Instituto Cyrela; e a jornalista Lívia Pedreira, Diretora da Editora Abril e Presidente da Casa COR.

Entre grandes apresentações, destaque para a fala de Zylberman, do Instituto Cyrela, que afirmou que os negócios sustentáveis não ocorrem no vácuo, mas no contexto social, e este só existe no meio ambiente que fornece os recursos. “A sociedade equilibrada e o meio ambiente equilibrado é que fazem bem para os negócios”. Outra presença marcante foi a do vereador de São Paulo, Gilberto Natalini, que preside  a Frente Parlamentar pela Sustentabilidade da Câmara Municipal e falou sobre o tema Planejamento Urbano Sustentável.

José Assis, Gerente de Projeto da Rio Verde Engenharia, apresentou os benefícios de ser um empreendedor AQUA, um compromisso da empresa  em certificar todos os empreendimentos lançados a partir de 2014. Já Karen Pizzotti, Diretora da Brookfield Incorporações, falou sobre o case HORIZON, um edifício residencial que alcançou grande desempenho ambiental por meio da conquista da certificação AQUA-HQE.

Na sequência e fechamento do evento, Mirtes Luciani, diretora da Luciani e Associados Arquitetura e Vera Santana Luz, diretora presidente da Autom Engenharia, abordaram o tema Sustentabilidade no Urbanismo e Arquitetura; e o Professor Associado da USP, Silvio Melhado, falou sobre a importância da gestão nos projetos e processos de certificação ambiental.

Durante a abertura da Conferência, a Fundação Vanzolini realizou a entrega da primeira etiqueta de eficiência energética PBE Edifica concedida pela entidade para o Edifício Jacarandá, um grandioso projeto localizado na Avenida Berrini, em São Paulo.  

Além disso, na oportunidade, a entidade realizou a entrega de 5 certificações AQUA-HQE. Os projetos contemplados foram: o Retrofit  e ampliação do  Instituto de Infectologia Emílio Ribas, com consultoria da Inovatech Engeharia; os empreendimentos habitacionais da Rio Verde Experiências Construtivas – empresa certificada como empreendedora AQUA – nos municípios de Limeira, Piracicaba, Americana e São Carlos, sob  consultoria da Proactive.

Poucos eventos este ano conseguiram configurar uma plataforma de discussões tão bem direcionada para as questões objetivas da construção sustentável. Na abertura, o Professor Doutor José Joaquim do Amaral Ferreira, falou sobre a história da FV e sua vocação para a qualidade e sustentabilidade em todas as áreas em que atua desde 1967.

Ferreira trouxe um histórico do processo de criação da certificação AQUA-HQE e os desafios da adaptação dos referenciais técnicos para o Brasil. Segundo ele, “na época, os franceses foram os únicos que nos abriram as portas e possibilitaram que trouxéssemos para o país um dos sistemas de avaliação ambiental de edificações mais avançados do mundo. Hoje, estamos exportando para eles inteligência e tecnologia nesse segmento”.

Outro destaque foi a fala do Coordenador Executivo da Certificação AQUA-HQE, Manuel Carlos Reis Martins, que salientou a necessidade das certificações levarem em consideração os aspectos das culturas locais. De acordo com ele, “para falar sobre mudança de cultura temos que primeiro respeitar as culturas locais”.

Martins ressaltou que a certificação AQUA-HQE se preocupou em ser totalmente aderente aos aspectos da cultura do país, como clima, base legal, base normativa, entre outros. Ele lembrou o fato de que o AQUA-HQE traz muito forte da Franca a cultura do pensar antes de projetar, projetar pensando no contexto ambiental, social e econômico e o controlar por meio de um processo de gestão eficaz.