Notícia

Celular na mão e Sustentabilidade na cabeça

O projeto ESCOLA NA CIDADE mudou de nome e está a todo vapor! Rebatizado de ESCOLA COM CELULAR, começa a ser implementado em quinze escolas municipais de São Vicente, na Baixada Santista.

Nessa primeira etapa, 130 professores recebem formação para se apropriarem da metodologia do projeto, que prevê o uso do celular em mapeamentos de questões ambientais.

Desenvolvido pela Fundação Vanzolini, o projeto parte da constatação de que os adolescentes e jovens têm no telefone móvel mais do que um aparelho de comunicação: um objeto de desejo por meio do qual se dá a sua aceitação, integração e socialização. Uma premissa essencial para transformar o celular em um eficiente suporte para conteúdos curriculares, novas conexões sociais e efetivar a educação ambiental.

Uma pesquisa realizada pela Fundação Vanzolini com alunos e professores de escolas municipais da Baixada Santista indica que 82% dos alunos possuem celular e 94% deles têm acesso à internet.

Etapas do projeto

O ESCOLA COM CELULAR vai trabalhar com temas ligados à sustentabilidade na cidade. Em uma espécie de imersão em suas comunidades, os alunos de 14 e 15 anos estudarão o tema “Resíduos e Consumo” e o princípio de reduzir, reutilizar e reciclar. O resultado das observações será transformado em conteúdos públicos disponibilizados em uma rede social desenvolvida exclusivamente para o projeto.

O celular será o instrumento de apoio a todo esse processo, tanto em sala de aula como fora dela, e servirá como suporte às atividades de observação, registro, acesso à informação, à comunicação e discussão das descobertas e dos aprendizados na rede social do projeto.

A proposta é ir além dos muros da escola: utilizar os dados da realidade para estimular a aprendizagem dos conteúdos e desenvolver habilidades e competências descritas no currículo escolar; estimular a participação e o convívio social na escola e na cidade; praticar a inclusão digital e suas premissas: mobilidade, conectividade e sustentabilidade.

No final de novembro deste ano estará pronto um mapa georreferencial com o resultado das etapas do projeto.

A idealização do projeto é da Fundação Vanzolini e do MIT (Massachusetts Institute of Technology). A implementação é da FCAV, com o apoio da ONG Ecosurfi.  

>> Assista aos depoimentos de Maria Teixeira Simões de Oliveira, Secretária Municipal de Educação de São Vicente; e Beatriz Scavazza, Coordenadora Executiva de Projetos da Fundação Vanzolini (FCAV).