Notícia

A responsabilidade socioambiental por trás de um templo do consumo

Supõe-se que a cada 30 dias, em todo o mundo, algo em torno de 1,35 bilhões de pessoas vão ao shopping center, consumir.  Mas o que têm esses espaços, considerados por muitos, os “templos do consumo”, para atrair e seduzir tanta gente? Certamente porque precisam de algo, seja um produto ou um serviço, e nada como ir ao shopping, onde é possível encontrar uma combinação de conforto, praticidade e segurança, além de muita coisa para ser consumida. 

Mas, por trás do conforto, praticidade e segurança que esse tipo de empreendimento proporciona , existe algo muito maior do que a bela arquitetura, decoração e o consumo, existe a premissa da responsabilidade socioambiental, como é o caso do RioMar Shopping Fortaleza.

Em operação há quase um ano, ele já foi concebido, de acordo com o gerente de desenvolvimento socioambiental do Grupo JCPM (João Carlos Paes Mendonça), Sérgio Maffioletti , levando em consideração as características físico-geográficas do entorno onde foi construído, associadas às modernas tecnologias chamadas de limpas.  “Ele nasceu com a certificação de sustentabilidade AQUA-HQE (Alta Qualidade Ambiental), alcançada nas etapas de projeto e construção.”

Atualmente, o shopping está em processo para a validação da mesma certificação, mas em caráter definitivo, ou seja, a de operação. Significa que está buscando certificar um sistema de qualidade estruturado de conformidade ambiental e que atende requisitos previamente definidos e que é competente para realizar suas atividades com confiança. 

A certificação AQUA é concedida pela Fundação Vanzolini e leva em consideração rigorosos critérios de sustentabilidade, que incluem a redução dos impactos ambientais e as melhores condições de conforto e saúde do edifício ao longo do ciclo de vida. No último dia 11 de agosto, membros da Fundação visitaram as instalações do RioMar para as devidas vistorias de avaliações.

O coordenador executivo, Manuel Carlos Reis Martins, da Fundação Vanzolini, explica que a certificar é um meio de reconhecer publicamente que foram de fato desenvolvidos os processos, desde o projeto até a construção e depois na operação do shopping, com menor impacto sobre o meio ambiente. “Consome menos recursos, menos energia, menos água e proporciona mais conforto e saúde para quem trabalha e frequenta o empreendimento.”

Mais do que atender requisitos e ter ganhos de imagem, a certificação significa, de acordo com o gerente Maffioletti, um dos diferenciais do empreendimento comercial que é “apresentar ao cliente, não apenas um ambiente propício ao consumo, com lazer e com qualidade, mas que também expresse o compromisso socioambiental que o shopping tem em relação ao cliente e à comunidade”. 

Entre as categorias observadas como excelente pelo Processo AQUA, estão às relações do edifício com o entorno, gestão de água, energia e de resíduos na operação. Quanto a isso o, Maffioletti e o coordenador de Desenvolvimento Socioambiental, Fabiano Mehmeri, do Grupo JCPM, apresentou para a equipe do caderno O Estado Verde, com exclusividade as instalações sustentáveis do primeiro shopping do Grupo, no Ceará, e considerado um dos mais modernos centro de compras do País.

Fonte: O Estado do Ceará

Confira matéria completa aqui.